Você está na página 1de 39

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ - UNESA

EDUCAÇÃO ALIMENTAR E
NUTRICIONAL - SDE03799

Professora: Maria Cecília Santos

Campos dos Goytacazes, 2019


A INFLUÊNCIA DA MÍDIA
NA ALIMENTAÇÃO
INTRODUÇÃO
MÍDIA

Conjunto dos diversos meios


de comunicação, com a
finalidade de transmitir
informações e conteúdos
variados.
MÍDIA

Analógica Digital

“Mídia “Mídia
tradicional” Eletrônica”

Existe a
Comunicação é
unilateral
possibilidad
e do
(não há interação)
feedback
MÍDIA

Publicidade
Jornalismo
Mídia Propaganda

Marketing
MÍDIA
PUBLICIDADE
tornar público um fato ou ideia.

Publicidade
PROPAGANDA
Ato de propagação de princípios e teorias;
Mídia Propaganda Objetivo de implantar uma ideia na mente.
MARKETING
• Descoberta e interpretação das necessidades dos
Marketing consumidores;
• Convencimento para aquisição e utilização;
• Promoção de vendas, distribuição dos produtos e
assistência ao consumidor pós-venda.
MÍDIA

Desempenho
Objetiva do produto
Mídia
Desejo do
Subjetiva
consumidor

Os meios de comunicação influenciam muito o consumo de


alimentos, pois a alimentação engloba tanto a necessidade,
quanto o desejo do indivíduo.
MÍDIA
Publicidade, nas últimas décadas:
apresenta-se textos menos verbais e mais
estratégias visuais.

Imagens e mensagens
que poden mascarar a
realidade para se
atingir seu objetivo:
VENDER!

Compra de produtos desnecessários e


até maléficos à saúde.
MÍDIA

Transmite os novos conhecimentos


(reflexos da vida social moderna).

Além de vender, induz consumismo por:

• apelos emocionais;
• criação de valores e
• estilos de vida.
MÍDIA
PUBLICIDADE DE ALIMENTOS:
Artifícios que encobrem o mal que o
consumo de determinados produtos pode
fazer às pessoas.

Consumo indiscriminado
e inconsciente: lanches
prontos e rápidos.
PLANEJAMENTO PUBLICITÁRIO
Determina o número de vezes que um comercial é exibido,
a frequência e intensidade de inserção dos comerciais de
televisão;

Obedece às recomendações quanto:


• mercado a ser atingido;
• veículos de divulgação;
• apelos a serem empregados;
• mensagens adequadas para o meio escolhido e
• verba disponível.
Estratégias de marketing utilizadas em peças e anúncios
publicitários:

Importância dos nutrientes e Promoções;


calorias; Cores;
Suplementos substituindo Slogans;
comida; Datas comemorativas;
Família; Prática de esportes;
Corpo feminino; Jogos educativos;
Personalidades; Publicidade de alimentos in
Humor; natura.
Personagens infantis;
Brindes;
MECANISMOS DE CONTROLE
Resolução do Conselho
Resolução nº 163/2014
Nacional de Saúde nº Lei nº: 8985/2012
do Conanda
408/2008

• Aponta • Legislações que • Dispõe sobre a prática


limitam a abusiva do
diretrizes para a direcionamento de
promoção da comercialização de publicidade e de
lanche comunicação
alimentação acompanhado de mercadológica à
saudável. brinde ou criança e ao
brinquedo. adolescente.

Apesar das políticas públicas existentes, o que se percebe é que ainda é necessário um movimento da
população para que muitas propagandas abusivas sejam denunciadas e retiradas dos meios de
divulgação.
MECANISMOS DE CONTROLE
CONAR – Conselho Nacional de Auto-
Regulamentação Publicitária (www.conar.org.br)
• ONG que a tua a partir de denúncias: cumprimento do “Código Brasileiro
de Auto-Regulamentação Publicitária”

OMS - Organização Mundial de Saúde


(/www.who.int/en/)
• 63ª Assembleia Mundial da Saúde: países restrinjam e regulamentem a
publicidade de alimentos em função da epidemia de obesidade.

Consumers International (CI)


(www.consumersinternational.org/)
• Possui diversas publicações em consonância com as recomendações da
OMS, baseados em 8 direitos do consumidor
MECANISMOS DE CONTROLE

Guia Alimentar Brasileiro (2014)

• A publicidade de alimentos é um dos obstáculos para que a


população tenha hábitos alimentares saudáveis.

COORDENAÇÃO GERAL DE ALIMENTAÇÃO E


NUTRIÇÃO (CGAN)

• O processo de regulação da publicidade e propaganda


de alimentos busca aliar o direito à informação com
a proteção do consumidor de práticas abusivas.
MECANISMOS DE CONTROLE
Em Junho de 2010, após uma grande consulta
pública, com todos os setores da sociedade, foi
publicada a RDC 24/2010.

Restringe a publicidade de alimentos


ricos em gordura, açúcar, sal e aditivos
químicos.

A Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (ABIA), entrou com um recurso jurídico
no Tribunal Regional Federal sustentando que “a publicidade é uma forma de liberdade de
expressão e só pode ser restringida por uma lei aprovada pelo Congresso Nacional”. Em
2013 a Resolução foi suspensa.
MECANISMOS DE CONTROLE
Ao redor do mundo, a legislação é mais rígida:
“Programa preliminar da Comunidade Europeia,
para uma política de proteção e de informação dos
consumidores”, direitos fundamentais:

(i) direito à saúde e à segurança;


(ii) direito à proteção de seus interesses
econômicos;
(iii)direito à reparação de danos;
(iv)direito à representação;
(v) direito à educação e à informação.
MECANISMOS DE CONTROLE
Ao redor do mundo, a legislação é mais rígida:

IRLANDA: INGLATERRA:
proibida qualquer proibido o uso de
publicidade durante mascotes em publicidade
os programas na TV de alimentos.
aberta destinada ao
público infantil.
A TELEVISÃO

Assistir à televisão excessivamente ainda é um fato


alarmante: 25% de prevalência (VIGITEL, 2016).
Estudos
O que influencia a escolha do consumidor?

Praticidade Custo Sabor

Motivação
Valor
Socialização pessoal ou
agregado
induzida

E o conteúdo nutricional?
MARKETING NUTRICIONAL
Explora a característica nutricional dos alimentos
(consumidor pode avaliar as diferenças nutricionais);

Propaganda nutricional: está mais relacionada a


informações expressas nos rótulos dos alimentos.

 NUTRICIONISTA: auxílio no desenvolvimento,


implantação e avaliação de resultados das pesquisas de
marketing, no lançamento ou análise de produto
existente no mercado.
Importância da Embalagem
Cerca de 66% das decisões de compra dos consumidores são
tomadas nos pontos de venda;

A embalagem e o rótulo de um produto alimentício


constituem importantes fontes de informação:

• Abordam aspectos nutricionais e sensoriais do produto;


• Geram expectativa no consumidor e permitem que o mesmo
faça sua escolha entre as diversas alternativas disponíveis.
MARKETING NUTRICIONAL
MARKETING NUTRICIONAL
Consumidor: maior acesso ao
conhecimento (nutrição e
saúde);

Busca por um estilo de vida


saudável: seleção dos
alimentos objetivando a saúde
e/ou culto ao corpo;

Foco: PROMOÇÃO DA SAÚDE


MARKETING NUTRICIONAL
Empresas alimentícias e profissionais de marketing têm
absorvido tais tendências das preferências e necessidades
da população, elaborando produtos e serviços que atendam
a tais expectativas.
PUBLICIDADE PARA O PÚBLICO INFANTIL
As crianças são um alvo importante de campanhas
publicitárias:

 80% das crianças são responsáveis por escolherem o que


os pais consomem;

 por serem impactadas desde jovens, tendem a ser mais


fiéis a marcas e ao próprio hábito consumista que lhes é
de fato imposto.
PUBLICIDADE PARA O PÚBLICO INFANTIL
As razões que mais influenciam o consumo de produtos infantis:

1) Publicidade televisiva (73%);

2) Personagens famosos (50%);

Os produtos mais consumidos:


3) Embalagens (48%).
embalagens coloridas e atraentes;
brindes; cupons para sorteio de
prêmios e personagens famosos/
da moda.
PUBLICIDADE PARA O PÚBLICO INFANTIL
O que é publicidade abusiva?
I - linguagem infantil, efeitos especiais e excesso de cores;
II - trilhas sonoras de músicas infantis ou cantadas por vozes de
criança;
III - representação de criança;
IV-pessoas ou celebridades com apelo ao público
infantil;

V-personagens ou apresentadores infantis;


PUBLICIDADE PARA O PÚBLICO INFANTIL
O que é publicidade abusiva?

VI - desenho animado ou de animação;

VII - bonecos ou similares;


VIII - promoção com distribuição de prêmios ou de brindes
colecionáveis ou com apelos ao público infantil;
IX - promoção com competições ou jogos com
apelo ao público infantil.
PUBLICIDADE PARA O PÚBLICO INFANTIL
Consequências:
1) Formação de hábitos alimentares inadequados;
2) Crianças expostas a um ambiente obesogênico;
3) Obesidade Infantil.
Estudos
Estudos
Borzekowsi e Robinson (2001):
• 1 ou 2 exposições com duração entre 10 a 30 segundos de
comercial para crianças de 2 a 6 anos é capaz de influenciar a
preferência por produtos específicos.
O que agrava o problema?
• Mais de 90% dos atores ou modelos destes comerciais são magros
ou muito magros e anunciam produtos ricos em calorias;

• Este tipo de estratégia pode influenciar as pessoas a pensarem que


o consumo de tais alimentos não as levará ao excesso de peso.
Exemplos
Exemplos
“A mídia não deveria educar tanto a sociedade. Hoje,
a TV educa mais que um professor em sala de aula.
Na aula, por mais que o professor se esforce a TV é
como se fosse uma verdade. Quem está na TV é
porque chegou lá e aquilo forma a nossa opinião”.
Professor João Brito
Referências Bibliográficas
• DIEZ-GARCIA, R. W.; CERVATO-MANCUSO, A. M. Mudanças alimentares e educação nutricional. Rio
de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.
• ISHIMOTO, E.; NACIF, M. A. L. Propaganda e marketing na informação nutricional. Brasil
Alimentos.n° 11.Novembro/Dezembro de 2001.
• MOURA, N. C. Influência da mídia no comportamento alimentar de crianças e adolescentes. Segurança
Alimentar e Nutricional, Campinas, 17(1): 113-122, 2010.
• REBOUÇAS, E.  O controle social sobre a publicidade infantil. Jornal Intercom Noticias, v.2, n.41, São
Paulo, 17 nov de 2006.
• SCAGLIUSI et al., Marketing aplicado à industria de alimentos. Rev. Soc. Bras. Alim. Nutr. J. Brazilian
Soc. Food Nutr., São Paulo, SP, v.30, p. 79-85, dez 2005.

Você também pode gostar