Você está na página 1de 16

O CONSELHO TUTELAR E SUAS AÇÕES NO

CUMPRIMENTO E EFETIVIDADE DOS


DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE
ALEX DOUGLAS DOS SANTOS SILVA

DEZEMBRO – 2021
VITÓRIA DE SANTO ANTÃO - PE
1 INTRODUÇÃO

 O ECA representa uma política de proteção de atendimento


integral aos direitos da criança e do adolescente; essa política
segue o princípio da democracia participativa, definindo que as
responsabilidades devem ser compartilhadas.
 Para isso o ECA ordena a criação de mecanismos e espaços
públicos que garantem a intervenção e participação ativa e
direta da sociedade, no controle social das ações públicas e
efetivação dos direitos sociais para esse segmento. Surgem
então os Conselhos de Direitos e Conselhos Tutelares.
1 INTRODUÇÃO
PROBLEMA DE PESQUISA

 Qual o papel do Conselho tutelar no que se refere ás suas


ações no contexto atual, mediante as suas atribuições e
competências perante a atuação e efetividade com relação aos
Direitos da Criança e do Adolescente?
1 INTRODUÇÃO
JUSTIFICATIVA

 As motivações que impulsionaram a pesquisa surgem em


investigar sobre o papel o do Conselho Tutelar, sua prática
profissional do dia a dia, e enfrentamento aos desafios para
desenvolver suas atribuições conferidas no ECA, ou seja, a
efetivação e garantia dos diretos das crianças e adolescentes.
Sendo assim, o interesse está fundamentado na tentativa de
compreender a violência contra a criança e o adolescente na
atualidade.
1 INTRODUÇÃO
HIPÓTESES

 A falta de políticas públicas para criança e adolescente e de uma


formação continuada de maneira e efetiva e integrada para todos
os profissionais que possa assim garantir o cumprimento dos
direitos da criança e do adolescente previstos no estatuto;
 O número reduzido de conselheiros tutelares é algo que precisa
ser revisto, tendo em vista a necessidade por uma maior
abrangência em diversas cidades que possuam um porte maior,
visando assim minimizar a deficiência da rede de proteção, tendo
desta maneira uma maior efetividade na aplicabilidade de suas
ações no cotidiano profissional.
1 INTRODUÇÃO
Objetivo Geral

 Exemplificar os direitos da infância e juventude, tendo como


foco a análise sobre o papel do Conselho Tutelar na efetividade
dos direitos da criança e do adolescente.
1 INTRODUÇÃO
Objetivos Específicos

 Elucidar as competências e atribuições do Conselho Tutelar,


assim como as dificuldades encontradas para que as garantias
fundamentais sejam devidamente garantidas e efetivadas;
 Identificar quais e problemas que os conselheiros enfrentam no
seu dia a dia para o exercício adequado de sua função;
 Analisar a real eficácia do órgão Conselho Tutelar como
instrumento para viabilizar a aplicação efetiva dos direitos e
garantias destinados a crianças e adolescentes.
METODOLOGIA

 Levantamento bibliográfico e documental;


 Descritiva e exploratória;
 Abordagem Qualitativa;
 Método Pesquisa-ação.
2 CONSELHO TUTELAR
2.1 Conceito e características do Conselho Tutelar

 O Conselho Tutelar como órgão de proteção aos interesses da


criança e do adolescente deve fazer o atendimento inicial, além
disso possui funções com poder de medidas de proteção,
podendo requisitar serviços na área da saúde, educação, serviço
social, previdência, trabalho e segurança (ISHIDA, 2011).
 De tal modo, a principio se faz necessário que possa ser
realizado um breve relato sobre a evolução histórica dos
direitos e garantias fundamentais destinados às crianças e
adolescentes.
2 CONSELHO TUTELAR
2.2 O surgimento do Conselho Tutelar

 Sendo realizada uma breve abordagem histórica dos direitos da


criança e do adolescente, em uma análise que visa englobar,
não o aspecto heróico ou glorioso das antigas normatizações,
mas os marcos fundamentais que serviram de base para atual
legislação. Abordar-se-ão, de forma geral, alguns momentos da
história jurídica e social da criança que ensejaram a nova
construção e emergência das instituições públicas e familiares,
legitimadas na proteção dos direitos da infância.
2 CONSELHO TUTELAR
2.3 A Efetividade nas ações do Conselho Tutelar

 O Estatuto da Criança e do Adolescente atribuiu ao Conselho


Tutelar funções e poderes que o legitimam a atuar na garantia e
na proteção dos direitos fundamentais da infância e juventude.
A partir disso, pode-se dizer que o objetivo desta delegação de
poderes, conferida pelo diploma legal, é fazer valer os deveres e
a responsabilidade acerca deste órgão perante a comunidade,
da qual é representante, cujo objetivo principal está direcionado
no processo de proteção da infância (FREITAS, 2011).
3 INFÂNCIA E A ADOLESCÊNCIA
3.2 Políticas públicas voltadas para crianças e adolescentes

 Os direitos fundamentais, quais sejam direito à vida, saúde,


educação, convivência familiar e comunitária, lazer,
profissionalização, liberdade, integridade etc., são de extrema
importância para que haja o desenvolvimento saudável das
crianças e adolescentes (GONTIJO, 2019).
3 INFÂNCIA E A ADOLESCÊNCIA
3.3 As relações familiares e a adolescência

 Com papel fundamental na formação do indivíduo, do seu


caráter, dos seus valores, os pais são a referência da criança, as
pessoas com quem se identificará. Isso porque, as crianças são
viajantes recém-chegados a um país estranho, do qual nada
sabem. Crianças e adolescentes necessitam, assim, de uma base
familiar sólida. Entretanto, os índices de abusos sexuais de
menores, abandono e maus-tratos aumentam
consideravelmente (SIMÕES, 2011).
3 INFÂNCIA E A ADOLESCÊNCIA
3.4 O adolescente e o ato infracional

 A adolescência é uma fase fundamental na vida de qualquer ser


humano e é nela que o sujeito desenvolve por completo sua
identidade. Nisto, exemplificando que o período da adolescência
é reconhecido como uma fase do desenvolvimento no qual o
sujeito encontra-se numa posição transitória entre a infância e a
vida adulta.
REFERÊNCIAS

 FREITAS, Tais Pereira. Serviço Social e medidas socioeducativas: o trabalho na


perspectiva da garantia de direitos. In: Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 105, p. 30-49,
jan./mar. 2011. p. 30-49. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sc/n105/03.pdf.
Acesso em: 12 set. 2021.

 GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 6. ed. São Paulo: Altas, 2013.

 ISHIDA, Valter Kenji. Estatuto da criança e do adolescente: doutrina e jurisprudência.


8. ed. São Paulo: Atlas, 2011.

 SIMÕES, Carlos. Curso de direito do serviço social. Biblioteca Básica de Serviço Socia
l. 5.ed. São Paulo: Cortez, 2011. 
MUITO OBRIGADO!

ALEX DOUGLAS DOS SANTOS SILVA


O CONSELHO TUTELAR E SUAS AÇÕES NO CUMPRIMENTO E
EFETIVIDADE DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

DEZEMBRO – 2021
VITÓRIA DE SANTO ANTÃO - PE

Você também pode gostar