Você está na página 1de 44

PROFESSOR AQUI

AULA nº 10

Técnicas de SEO

Prof. Davi Barboza Cavalcanti


SEO para sites
e blogs

Como escrever conteúdos que geram


tráfego orgânico, engajamento e
resultados reais
Google

Possui market share mundial acima de 80% e, se você quer


aumentar o volume de visitas, engajamento e resultados do
seu site e/ou do seu negócio, prestar atenção aos fatores de
ranqueamento do gigante das buscas é uma necessidade
vital.
Importância
Todos os buscadores possuem o que chamamos de resultados
orgânicos (gratuitos) e também os resultados pagos (via anúncios
monetizados).

O Google atualmente é o maior buscador do mundo. Os outros


buscadores, como Bing e Yahoo!, ficam bem atrás.
1. Conceito de busca orgânica

A busca orgânica refere-se a todos os resultados que aparecem de


forma natural (não paga) nas páginas de resultados de pesquisas dos
buscadores
Algoritmo do Google

O ranking dos resultados que aparecem no Google é


baseado em mais de 200 variáveis, que qualificam
positivamente ou negativamente o posicionamento de cada
site.
Algoritmo do Google

Esses fatores de ranqueamento envolvem, por exemplo, (I) a palavra-


chave pesquisada pelo usuário, (II) a qualidade, relevância e
autoridade do domínio, (III) a quantidade de links que são apontados
para o site, (IV) a estrutura da página, (V) a qualidade do código etc.
CTR (taxa de clique)

Segundo um estudo feito pela MOZ, o primeiro resultado recebe praticamente 32%
dos cliques, enquanto o segundo recebe 15%.

A cada posição que o seu site perde em relação aos primeiros resultados e a
primeira página, as métricas de cliques ÷ impressões (CTR) ficam piores.
Outro ponto positivo

As empresas que estão entre os primeiros resultados são vistas


pelos usuários como líderes em seus segmentos, e isso traz
resultados positivos para elas em todos os aspectos.
Dilema

Caso alguém ofereça a você a saída para chegar aos primeiros resultados do
Google em um passe de mágica, desconfie. Provavelmente você está sendo
enganado.

Por outro lado, felizmente existem diversas boas práticas comprovadas de SEO
que ajudam a melhorar o ranqueamento de sites.
Solução

Existem diversas boas práticas comprovadas de SEO que ajudam a


melhorar o ranqueamento de sites.

Técnicas de SEO on-page e off-page são essenciais para que o seu


site ou conteúdo seja bem visto pelo Google e conquiste posições mais
altas.
On-page e off-page
SEO on-page - São todas as estratégias utilizadas na página da empresa.
- Título e subtítulos
- Meta descrição: resumo do conteúdo da página
- URLs amigáveis

SEO off-page - O SEO Off-page são os direcionamentos dos links para a sua página colocados
em outros sites da internet.
- Parcerias: é interessante firmar parcerias com outros sites e blogs para que eles linkem sua
página
- Comentários: podem ser feitos em posts de outros blogs ou em fóruns da internet.
- Redes sociais: não esqueça de compartilhar links para sua página nas redes sociais.
2. Planejamento de conteúdo
Persona
O levantamento de personas é vital para o seu sucesso. Afinal, ele será
lido por pessoas que estão buscando algo que seja relevante para uma
dúvida, para a solução de um problema ou uma ajuda para tomar uma
decisão de compra.
Benchmarking

Ato de levantar as empresas do mesmo setor que a sua, investigando a


fundo as melhores práticas que estão sendo realizadas e que podem ser
adaptadas para sua empresa.

No caso de conteúdos, você pode pesquisar quais são as empresas ou


blogs tidos como referência no assunto, elencando quais as ações,
temas e formatos que obtiveram melhor performance e engajamento.
Palavras-chave

Para atrair visitas orgânicas é vital escolher as palavras-chave a dedo.


Você precisa entender que de nada adianta produzir um conteúdo
excelente se busca pelo tema no Google e em outros buscadores. Ex:
keywordtool.io, Answer the public, Ahrefs
Busca semântica
LSI Keywords: Latent Semantic Indexing, ou indexação semântica latente, em
português.

O robô rastreia não só a palavra-chave que o usuário buscou, mas também os


sinônimos e frases correlatas que estão sendo buscadas.
Exemplo
Busca semântica
Planejador de palavras-chave
Planejador de palavras-chave
Como estruturar um conteúdo que se posiciona bem no
Google?
1. URL da página

Um dos principais itens que o robô do Google analisa e que é considerado um dos mais
importantes é o endereço da página — ou, no caso, o endereço do seu post.

É importante que você utilize a palavra-chave foco no endereço do post, como


em www.seublog.com.br/minha-palavra-chave-foco — e
não www.seublog.com.br/?p=123.

Mantenha as URLs curtas e, no caso de espaço, use o “-” em vez do “_”.


2. Title tag e metadescription

O Título da Página (“title”) não é obrigatoriamente o título do artigo ou o que


aparenta ser o nome da página para os visitantes. Refere-se, na verdade, a uma
propriedade do código HTML, identificada por meio da frase que aparece na aba
do navegador ou na página de resultados do Google.
Title tag
Ao realizar uma busca no Google, o title logo aparece em destaque.
No exemplo abaixo, fizemos a busca por “seomaster”.
Recomendações para o title

Procure descrever com precisão o tema que a página aborda, e fique atento à
ordem das palavras: primeiras têm maior relevância que as últimas.

Além disso, o número de palavras também tem relevância: quanto menos


palavras, maior a importância das mesmas.

O recomendado é utilizar um tamanho máximo de 65 caracteres para o título.


Metadescription
Já a meta tag HTML <meta name=”description”> é a descrição do seu
conteúdo e tem altíssima importância e detalhes específicos.

O Google não monitora palavras-chave na meta description e essa


tag NÃO é fator de ranqueamento orgânico, porém influencia
diretamente no CTR (impressões vs. cliques)
Estrutura do post
Títulos (dicas)

Busque pela palavra-chave foco no Google e veja lá no final da


página quais são as LSI sugeridas. Se achar que faz sentido, use-
a no seu título, pois as LSI mostram o que os usuários estão
buscando com relação ao termo principal.

Busque deixar claro o problema, dor, desafio ou solução que o


seu post irá resolver, e não esqueça que o título deve conversar
com a persona para a qual o conteúdo está sendo feito.
Subtítulos

A mesma palavra-chave utilizada no título pode ser utilizada principalmente no primeiro


subtítulo (o subtítulo que ficará abaixo do título principal).

Crie contexto em volta do termo, desmembre o problema/dor/solução que será


abordado para que o usuário entenda melhor do que se trata o conteúdo e decida se
realmente é relevante para ele.

É interessante utilizar as LSI Keywords no maior número de subtítulos possível.


Introdução

A introdução se inicia com o primeiro parágrafo depois do subtítulo principal.


Nessa parte também é importante que você tente utilizar a palavra-chave foco e
as LSI keywords de forma fluida e sempre com contexto.

O algoritmo de busca do Google também, segundo estudos, monitora o uso de


keywords no primeiro parágrafo
Dicas para introdução
1. Use estatísticas para começar (9 em cada 10 pessoas checam os e-mails todos os dias. Esse dado
demonstra que…)

2. Faça uma pergunta (Você costuma checar seus e-mails todos os dias? Pois saiba que esse é um hábito…)

3. Conte uma história (O ano era 1994. A Internet ainda engatinhava quando abri meu primeiro e-mail. Eu, que
costumava trocar dezenas de cartas com amigos...)

4. Utilize analogia (Checar e-mails diariamente é um hábito tão comum quanto escovar os dentes para a
maioria das pessoas…)

5. Escreva uma frase controversa ou polêmica (O e-mail não morreu. Ao contrário do que a maioria das
pessoas pensa…)
Sumário
No início da página, de preferência antes da primeira rolagem de tela, crie uma lista
ordenada (numérica, setas etc.) utilizando todos os subtítulos que dividem o seu
conteúdo (por isso é importante você dividir muito bem os subtítulos no decorrer da
página). Assim tudo fica mais organizado, melhorando a experiência do usuário
com sua página.

Ex.: Wikipedia
Links internos e externos

O robô de busca do Google monitora a quantidade e qualidade dos links


internos (aqueles que levam para outros links em um mesmo site) das páginas,
pontuando positivamente domínios que levam o usuário para conteúdos que
complementam o contexto.

Durante o desenvolvimento do conteúdo, mapeie quais frases podem conter


links para outras páginas do seu site. Note que a página para a qual o usuário
será encaminhado deve ser relevante e complementar o significado da frase
que foi linkada.
Links externos

Links externos também são importantes, inclusive mais do que os


links internos. O Google monitora da mesma forma a relevância,
quantidade e qualidade dos links. E, de quebra, se o site que você
citou gostar do seu conteúdo, sua página pode receber um link
referenciando o seu post.
CTAs ou chamadas para ação

Um CTA, do inglês Call-to-Action, nada mais é que uma


chamada para a ação, que busca incentivar o leitor a
tomar uma decisão no decorrer do conteúdo.

Geralmente a chamada de um CTA leva um verbo no


imperativo, como “veja”, “faça”, “consulte”, “leia” ou, ainda,
“quero saber mais”, “quero aumentar meus resultados” e
por aí vai.
Diversidade de mídias

Utilizar materiais em vídeo, mesclando-os com imagens,


galerias, listas ordenadas ou blocos de
informações, ajuda muito no ranqueamento.
Compartilhamento do conteúdo e comentários

No decorrer de um post, plugins de compartilhamento para as redes sociais ajudam muito a


estimular os usuários a compartilharem o post com os amigos e contatos.
Melhore o tempo de carregamento da sua página

Se a página é muito lenta e demora para carregar, o Google


entende que ela prejudica a experiência e, por isso, tende a
diminuir seu ranking.

A preocupação do Google com o tempo de carregamento é


tão grande que eles até lançaram uma ferramenta para
ajudar nessa otimização, o PageSpeed.
Medição
https://developers.google.com/speed/pagespeed/insights/
O que prejudica o tempo de carregamento do
site?

Imagens muito pesadas

Publicidade excessiva

Hospedagem
Até a próxima aula

Temas: Briefing promocional

Você também pode gostar