Você está na página 1de 10

A Situação Fiscal dos municípios do Ceará em

Atendimento aos Gastos com Pessoal: Uma Análise em


Meio a Pandemia do Sars-Cov-2

Livia Costa Bayde, UFC


Nirleide Saraiva Coelho e Cavalcante, UFC
Francisca Yasmin de Aguiar Guedes, UFC

EnANPAD 2021
INTRODUÇÃO

❏ LRF (2000): normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade


na gestão fiscal;

❏ Representatividade dos gastos com pessoal diante das despesas públicas;

❏ Contexto da pandemia do novo coronavírus.


INTRODUÇÃO
❏ Problema de Pesquisa: Como se comportam os municípios do Ceará no
cumprimento dos gastos com pessoal em atendimento à LRF?

❏ Objetivo Geral: analisar a situação fiscal dos municípios do Ceará quanto ao


cumprimento dos gastos com pessoal no exercício de 2020

❏ Objetivos Específicos
I. Elencar os 10 municípios com melhor e os 10 com pior situação fiscal na
aplicação de gastos com pessoal;
II. Analisar o desempenho dos 10 melhores e 10 piores.
REVISÃO DE LITERATURA
❏ Brasil (2000): LRF tem como objetivo manter o equilíbrio das contas públicas;

❏ Giuberti (2005): Importância da limitação dos gastos com pessoal devido a sua
representatividade entre as despesas públicas;

❏ Brasil (2000): Tipos de limites e suas respectivas especificidades;

❏ Brasil (2020): Lei Complementar nº 173 - Estabelece o programa federativo de


enfrentamento ao coronavírus.
MÉTODO
❏ AMOSTRA
▪ Amostra final: 20 municípios do Estado do Ceará;
▪ Período de análise: 2020.

❏ TIPOLOGIA DO ESTUDO
▪ Descritivo;
▪ Estudo de casos múltiplos;
▪ Bibliográfico e documental;
▪ Coleta de dados realizada a partir dos Portais Oficiais dos municípios .
RESULTADOS
RESULTADOS
CONCLUSÃO
❑ PRINCIPAIS CONSIDERAÇÕES:
▪ Entre os 10 melhores desempenhos, nenhum deles sequer ultrapassou o limite de alerta;
▪ Os municípios com os melhores desempenhos mostraram compromisso com a gestão dos
recursos públicos e respeitaram todos os limites impostos pela LRF;
▪ Em relação aos 10 piores desempenhos, todos eles ultrapassaram todos os limites;
▪ Os municípios com os piores desempenhos mostraram falta de responsabilidade dos gestores
públicos em balancear e gerir os gastos com pessoal.

❑ LIMITAÇÃO DA PESQUISA: Os 24 municípios que não divulgaram suas informações no prazo


determinado por lei e os municípios medianos, que não ficaram entre os 10 piores ou os 10
melhores.

❑ RECOMENDAÇÃO PARA PESQUISAS FUTURAS:


▪ Replicar o estudo para municípios de outros estados;
▪ Utilizar um contexto pré e pós pandemia.
REFERÊNCIAS
BRASIL. Lei Complementar n° 101, de 04 de maio de 2000. Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a
responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, v. 138, n. 86, 05 de
mai. 2000, seção 1, p. 82-90.

BRASIL. Lei Complementar n° 173, de 27 de maio de 2020. Estabelece o Programa Federativo de Enfrentamento ao
Coronavírus SARS-CoV-2 (Covid-19), altera a Lei Complementar n° 101, de 4 de maio de 2000, e dá outras
providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, mai 2020. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/lcp173.htm . Acesso em: 08 dez. 2020.

GIUBERTI, A. C. Lei de Responsabilidade Fiscal: efeitos sobre o gasto com pessoal dos municípios brasileiros. In:
XXXIII Encontro Nacional de Economia ANPEC, 33, 2005, Natal – RN. Anais. Natal – RN: Anais da ANPEC, 2005.
OBRIGADA!

Você também pode gostar