Você está na página 1de 37

SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

GILSON
1
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

GILSON
3
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

VIVER MAIS E MELHOR


É RESPONSABILIDADE DAS
PESSOAS, FAMÍLIAS,
EMPRESAS, SOCIEDADE,
GOVERNOS
INCLUI AÇÕES ESPECÍFICAS DE
SAÚDE E AÇÕES GENÉRICAS DE
TODOS OS SETORES DO SABER
E DA AÇÃO HUMANA
GILSON
4
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

O MAIOR DOS MAIORES


TRANSFORMAR O
BRASILEIRO DE
INDIGENTE A
CIDADÃO
PORTADOR DE DIREITOS
GILSON
5
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

O MAIOR DOS
SUS-CESSOS:
A LEGISLAÇÃO
DO SUS
GILSON
CARVALHO
(CF E LEIS) 6
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

SAÚDE DIREITO DE TODOS E DEVER DO ESTADO


FUNÇÕES:
REGULAR, FISCALIZAR,CONTROLAR, EXECUTAR
OBJETIVOS:
1) IDENTIFICAR CONDICIONANTES E DETERMINANTES;
2) FOMULAR A POLÍTICA ECONÔMICA E SOCIAL PARA DIMINUIR
O RISCO DE DOENÇAS E OUTROS AGRAVOS;
3) ASSISTÊNCIA POR AÇÕES DE PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E
RECUPERAÇÃO DA SAÚDE
DIRETRIZES E PRINCÍPIOS ASSISTENCIAIS
UNIVERSALIDADE – IGUALDADE (EQUIDADE) –
INTEGRALIDADE – INTERSETORIALIDADE –
RESOLUTIVIDADE – ACESSO A INFORMAÇÃO –
AUTONOMIA DAS PESSOAS – BASE
EPIDEMIOLÓGICA
DIRETRIZES E PRINCÍPIOS GERENCIAIS
REGIONALIZAÇÃO – HIERARQUIZAÇÃO – DESCENTRALIZAÇÃO –
GESTOR ÚNICO – COMPLEMENTARIEDADE E
SUPLEMENTARIEDADE DO PRIVADO –FINANCIAMENTO –
PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE
GILSON
7
CARVALHO
OBJETIVOS: PROMOVER, PROTEGER, RECUPERAR A SAÚDE

“ ACESSO UNIVERSAL IGUALITÁRIO ÀS AÇÕES E SERVIÇOS PARA


SUA PROMOÇÃO, PROTEÇÃO E RECUPERAÇÃO” – CF 196

“LEI 8080, ART.5: Dos objetivos do SUS :


I - identificação e divulgação dos fatores condicionantes e
determinantes da saúde;
II - formulação de política de saúde destinada a promover,
nos campos econômico e social... a diminuição dos riscos de
doenças e agravos à saúde;
III - a assistência às pessoas por intermédio de ações de
promoção, proteção e recuperação da saúde, com a realização
integrada das ações assistenciais e das atividades preventivas.

PROMOVER (CAUSA)
PROTEGER (RISCO)
RECUPERAR (AGRAVO)
8
AS FUNÇÕES GERAIS DO SUS
“SÃO DE RELEVÂNCIA PÚBLICA AS AÇÕES E SERVIÇOS DE SAÚDE, CABENDO AO PODER PÚBLICO DISPOR,
NOS TERMOS DA LEI, SOBRE SUA REGULAMENTAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E CONTROLE, DEVENDO SUA
EXECUÇÃO SER FEITA DIRETAMENTE OU ATRAVÉS DE TERCEIROS, E TAMBÉM POR PESSOA FÍSICA
OU JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO” CF197

FUNCÕES CONSTITUCIONAIS DO SUS


REGULAR
FISCALIZAR
CONTROLAR
EXECUTAR
TUDO QUE SE REFERE À
SAÚDE DE TODOS
9
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

DIRETRIZES E PRINCÍPIOS TÉCNICOS ASSISTENCIAIS:

UNIVERSALIDADE
IGUALDADE
EQUIDADE
INTEGRALIDADE
INTERSETORIALIDADE
DIREITO À INFORMAÇÃO
AUTONOMIA DAS PESSOAS
RESOLUTIVIDADE
BASE EPIDEMIOLÓGICA
gilson carvalho 10
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

DIRETRIZES E PRINCÍPIOS TÉCNICOS GERENCIAIS

DESCENTRALIZAÇÃO
REGIONALIZAÇÃO
HIERARQUIZAÇÃO
GESTOR ÚNICO EM CADA ESFERA DE
GOVERNO
COMPLEMENTARIEDADE DO PRIVADO
SUPLEMENTARIEDADE DO PRIVADO
FINANCIAMENTO
PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE
gilson carvalho 11
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

DECRETO
7508
REGULAMENTANDO
A LEI 8080
GILSON
12
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

DECRETO 7508 -28/6/2011


CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES
DEFINIÇÕES - Região de Saúde; Contrato Organizativo da Ação Pública da
Saúde; Portas de Entrada; Comissões Intergestores; Mapa da Saúde;
Rede de Atenção à Saúde; Serviços Especiais de Acesso Aberto;
Protocolo Clínico e Diretriz Terapêutica
CAPÍTULO II - DA ORGANIZAÇÃO DO SUS
Seção I - Das Regiões de Saúde
Seção II - Da Hierarquização
CAPÍTULO III - DO PLANEJAMENTO DA SAÚDE
CAPÍTULO IV - DA ASSISTÊNCIA À SAÚDE
Seção I - Da Relação Nacional de Ações e Serviços de Saúde - RENASES
Seção II - Da Relação Nacional de Medicamentos Essenciais - RENAME
CAPÍTULO V - DA ARTICULAÇÃO INTERFEDERATIVA
Seção I - Das Comissões Intergestores
Seção II - Do Contrato Organizativo da Ação Pública da Saúde
CAPÍTULO VI - DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
GILSON
13
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

GILSON
14
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508
OS SUS-CESSOS EM DETALHES:
1.MARCO REGULATÓRIO – 200 LEIS
2.CRESCIMENTO DA REDE – 13 MIL(76) > 77 MIL (2005) 45 MIL PÚB.(92,7% MUN.) LEITOS-HAB 4,2(76) 2,4 (2005)
3. EMPREGO EM SAÚDE–1980/2005(1,5 MI+445% - 69% M
4. EDUCAÇÃO PERMANENTE DO POVO DA SAÚDE: MILHARES DE CURSOS, TREINAMENTOS, ESPECIALIZAÇÕES
5. PRODUÇÃO CIENTÍFICA: MILHARES DE TRABALHOS E MOSTRAS
6. VACINAÇÃO: 100%<1 ANO; A.GRIPAL 87%; RUBÉOLA-67 mi; H1N1 90 mi
7. PROMOÇÃO DA SAÚDE: ATIVIDADE FÍS.-ALIM.- ANTI:A/FUMO/DROG
8. DST-AIDS: 190 MIL PESSOAS EM TRATAMENTO
9. AGÊNCIAS REGULADORAS: ANS - ANVISA
10. MEDICAMENTOS>PRODUÇÃO PÚB.+ GENÉRICO+ F.BÁSICA+EST. EXCEP.
11. URGÊNCIA-EMERGÊNCIA: SAMU (COBERTURA 100 mi)
12. PROCEDIMENTOS ALTA COMPLEXIDADE: CIR.EXAMES-PRÓT.
13. PROGRAMAS :MENTAL, RENAIS, TRANSPLANTES, CEREST ETC

GILSON
17
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

FEITOS SUS – 2010


TODOS OS PROCEDIMENTOS EM SAÚDE - SUS 3,6 bi
ATENÇÃO BÁSICA (PRIMEIROS CUIDADOS) 1,6 bi
AÇÕES DE PROMOÇÃO E PREVENÇÃO (VIGILÂNCIA) 535 mi
CONSULTAS + ATENDIMENTOS 1,3 bi
VACINAS 138 mi
ATENÇÃO DE MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE (MAC) 1,9 bi
INTERNAÇÕES 11,7 mi
INTERNAÇÕES CIRÚRGICAS 4,0 mi
INTERNAÇÕES CLÍNICAS 7,6 mi
TERAPIA RENAL SUBSTITUTIVA (97% DA OFERTA) 11,2 mi
EXAMES BIOQUÍMICOS – ANATOMOPATOLÓGICOS 495 mi
IMAGEM: RX (70 mi); TOMO (2,3mi); U. SOM (19 mi)
RM (502 mil); Med. Nuclear (347 mil) 92 mi
MEDICAMENTOS (ESTRATÉGICO/EXCEPCIONAL) 624 mi
ÓRTESES - PRÓTESES AMBULATORIAIS 3,5 mi
FISIOTERAPIAS 47,4 mi
SAÚDE
gilson carvalhoBUCAL 220
21
mi
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

GILSON
22
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

ESTIMATIVA GASTO SAÚDE BRASIL - 20010


FONTES R$ BI % PP % TOT %PIB
FEDERAL 62 45 21 1,7
ESTADUAL 37 27 13 1,0
MUNICIPAL 39 28 13 1,1
TOTAL PÚBLICO 138 100 47 3,7
PLANOS SEGUROS
73 48 25 2,0
GASTO DIRETO 25 16 9 0,7
MEDICAMENTOS
55 36 19 1,5
TOTAL PRIVADO 153 100 53 4,2
TOTAL BRASIL 291 100 7,9
23
GILSON CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

ÍNDICE EJ & RG
GASTO PÚBLICO
BRASILEIRO-DIA
COM SAÚDE - 2010

R$1,98
POR DIA
24
GILSON CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

EXISTE NECESSIDADE DE MAIS


RECURSOS PARA A SAÚDE?

TRANSIÇÕES
• DEMOGRÁFICA
• EPIDEMIOLÓGICA
• NUTRICIONAL
• TECNOLÓGICA
• CULTURAL
GILSON CARVALHO 25
FINANCIAMENTO DO DIREITO À VIDA-SAÚDE NO BRASIL

QUANDO O BRASIL GASTOU COM


SAÚDE NO ANO DE 2010?
UNIÃO: 62 BI
ESTADOS: 37 BI
MUNICÍPIOS: 39 BI
TOTAL : 138 BI
(3,8% DO PIB)
gilson carvalho 26
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

RESUMO ESTIMATIVAS NECESSIDADES RECURSOS PARA GARANTIR


COBERTURA À SAÚDE UNIVERSAL E INTEGRAL - BRASIL-2010

O QUE FALTA
TOTA
À SAÚDE
HIPÓTESES L EM
PÚBLICA BR
R$BI
R$BI
USANDO O MESMO PC PLANOS 298 160
USANDO A MÉDIA DE 5,5% PIB – USADO 198 60
NO MUNDO COM SAÚDE PÚBLICA
USANDO PC-PÚBLICO DOS PAÍSES DE 742 604
MAIOR RENDA – 2.589 US PPP-2008
PC-PÚBLICO DA EUROPA – 1520 US-PPP 435 297
PC-PÚBLICO AMÉRICAS – 1484 US-PPP 425 287
FONTE: OMS -2011; IBGE-PIB; ANS MARÇO:2011; ESTUDOS GC

30
FINANCIAMENTO DO DIREITO À VIDA-SAÚDE NO BRASIL

DE ONDE TIRAR
MAIS DINHEIRO
PARA A SAÚDE NO
BRASIL?
gilson carvalho 31
FINANCIAMENTO DO DIREITO À VIDA-SAÚDE NO BRASIL

O VOLUME MÍNIMO NECESSÁRIO PARA 2011?


HOJE PREVISTO:

FEDERAL – R$ 71,5
ESTADOS – R$ 45 BI
MUNICÍPIOS R$ 45 BI
O NECESSÁRIO DE IMEDIATO É NO MÍNIMO
R$30 BI A MAIS PARA OS RECURSOS FEDERAIS
SAIR R$71,5 BI FEDERAIS
PARA R$101,5 BI
gilson carvalho 32
FINANCIAMENTO DO DIREITO À VIDA-SAÚDE NO BRASIL

1) PROJETO APROVADO NA CÂMARA:


MANTEVE VALOR PELO CRESCIMENTO PIB
CRIOU CSS – SEM BASE FINANCEIRA
AUTORIZOU PERDA DE 7 BI DOS ESTADOS (FUNDEB)

2) PLS 121 –TIÃO VIANA APROVADO ABRIL DE 2007


8,5% = R$ 88 bi
9% = R$ 94 bi
9,5% = R$99 bi
gilson carvalho 10% = R$ 104 bi 33
FINANCIAMENTO DO DIREITO À VIDA-SAÚDE NO BRASIL

RITO ATUAL:
1) SENADO REAPROVA O SEU
2) APROVA O DA CÂMARA (PERDE 7 BI)
3) MISTURA OS DOIS NADA ACRESCENTA OU
RECEPCIONA QUANTITATIVO SENADO
..................
RESULTADOS POSSÍVEIS:
1) MUMIFICAR OS PROJETOS
2)APROVAR O DA CÂMARA DO JEITO QUE ESTÁ
(SAÚDE PERDE 7 BI)
3) APROVAR O DA CÂMARA VETANDO O ART. DO
FUNDEB (NADA GANHA – FICA COMO ESTÁ);
4) VOTAR O PROJETO TIÃO VIANA DO SENADO
(GANHA 32,5 BI)
gilson carvalho 34
FINANCIAMENTO DO DIREITO À VIDA-SAÚDE NO BRASIL

GANHA/
REG-EC – MS - HIPÓTESES 2011 R$ BI PERDE R$BI

LOA-2011 (VNP) 71,5 0


PLP-306-B-2008 CÂMARA (VNP)
64,5 -7
SEM CSS (PERDE 7 BI DO FUNDEB)
PLS-121-2007 TIÃO SENADO
ORIGINAL 104 32,5
(10% RCB DE 1.040,2 BI)
PLS 156 - 2007 PERILLO SENADO
(18% RCL DE 551,2 BI=99,2-GANHA 99,2 27,7
27,7)
gilson carvalho 35
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

MINISTRO PADILHA
“NÃO ENTRO NESSE
FLA-FLU QUE VIROU
O TEMA DA CPMF.
NUNCA DISCUTIMOS A HIPÓTESE
DE REEDIÇÃO DA CPMF PARA
FINANCIAR A
SAÚDE”
MAIO DE 2011
36
GILSON CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

PROJETO DA
REFORMA
TRIBUTÁRIA EM
VOTAÇÃO NO
CONGRESSO
FAZ MAL À SAÚDE
37
GILSON CARVALHO
FINANCIAMENTO DO DIREITO À VIDA-SAÚDE NO BRASIL

DEFINIDO PELA PRESIDENTE DILMA:


NÃO TEM MAIS RECURSO PARA A SAÚDE SE
NÃO TIVER ARRECADAÇÃO CORRESPONDENTE.
HIPÓTESES EM DISCUSSÃO PARA AUMENTO
DE RECURSOS:

1) AUMENTO DE IMPOSTOS JÁ EXISTENTES:


FUMO, ÁLCOOL, DPVAT, MULTAS TRÂNSITO
2) IMPOSTO SOBRE GRANDE FORTUNAS
3) CRIAÇÃO DA CSS (CPMF ANTIGA)
4) DIMINUIR TAXA JUROS
(CADA 1% A MENOS GANHAR 10 BI REAIS)
5) NOVIDADE: DINHEIRO DO PRÉ-SAL
gilson carvalho 38
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

GILSON
39
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

GILSON
40
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508
PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE NA SAÚDE (LEI 8142)

CONSELHO CONFERÊNCIA
CRIADO POR LEI

PARITÁRIO (50% USUÁRIOS E 50% GOV/PREST/PROFIS.)

REGIMENTO APROVADO NO CONSELHO


(ORGANIZAÇÃO E NORMAS DE FUNCIONAMENTO)
PERMANENTE NO MÍNIMO DE 4/4 ANOS

DELIBERATIVO (HOMOLOGAÇÃO CONVOCADA PELO PODER


DO CHEFE DO EXECUTIVO) EXECUTIVO OU PELO CONSELHO
PROPOSITIVO (FORMULAÇÃO DE PROPOSITIVA (DIRETRIZES PARA
ESTRATÉGIAS) FORMULAÇÃO DA POLÍTICA)

CONTROLADOR (DA EXECUÇÃO DA AVALIA SITUAÇÃO DE SAÚDE


POLÍTICA INCLUSIVE NO
ECONÔMICO-FINANCEIRO)

GILSON
41
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

NADA PODE ACONTECER


NA SAÚDE QUE NÃO
ESTEJA NO PLANO E
NADA PODE ESTAR NO
PLANO SEM A
APROVAÇÃO DO
CONSELHO DE SAÚDE
GILSON
42
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

GILSON
43
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

O MAIOR DESAFIO:
FAZER COM QUE:
• OS BRASILEIROS
• CORPORAÇÕES...
• MOVIMENTOS...
• ASSOCIAÇÕES DE GRUPOS CONVIVENDO COM
DOENÇAS OU DISFUNÇÕES...
DEFENDAM O SUS COMO CONQUISTA
DE CIDADANIA... COMO O NOSSO
SUS...TODOS USAMOS O SUS
GILSON
45
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

O MAIOR DESAFIO:
TEMOS A SENSAÇÃO E AÇÃO DE
QUE O SUS É COISA NOSSA?
ESTÁ FALTANDO
O OLHAR DE DONO!!!
O SUS É NOSSO...
TODOS USAMOS O SUS ...

GILSON
46
CARVALHO
SUS – 22 ANOS DE SUS-CESSO - DA LEI 8080 AO DECRETO 7508

GILSON
47
CARVALHO

Você também pode gostar