Você está na página 1de 28

USO RESTRITO – ELABORADO POR ANDRE VUMO

IPU – Imposto Predial Urbano


LEI Nº 20/20 de 9 de julho de 2020

FORMAÇÃO: IMPOSTO PREDIAL RENDA

Declaração m/5 – Legislação/base


Março de 2021
DIFINIÇÃO
1 - O IP – Imposto predial: é a contribuição anual que as pessoas e as empresas
devem pagar ao estado, pela posse, detenção ou usufruto de imóveis incluindo
terrenos.
2 – o IP: após se pago reverte a favor dos municípios, constituindo receita local e
contribuindo assim para o desenvolvimento da nossa sociedade.
3 – IP é pago na totalidade entre Janeiro e março de cada ano. Podendo ainda
ser pago até 6 prestações consecutivas mediante pedido ao chefe de repartição
Fiscal, até ao ultimo dia útil do mês de Março.
4 – No caso do terreno ou imóvel estar arrendado, o imposto é pago até ao
ultimo dia útil do mês seguinte da celebração do contrato, aplicando uma taxa
de 15% sobre o valor da renda.
5 – Os terrenos rústicos caso tenham aproveitamento útil e efectivo estão
isentos da tributação do IP.
2
CIP – Código do IP (CAPITULO II – Incidências e Isenções
- Artigo 3º

RENDA

1 - O Imposto Predial Incide sobre o valor patrimonial ou renda dos prédios


urbanos e rústicos e bem assim sobre as transmissões gratuitas ou onerosas de
bens imóveis, prevista no presente Código, qualquer que seja o titulo que tais
transmissões sejam operadas.

2 – O Imposto Predial constitui receita própria das autarquias Locais ou dos


municípios em cujas circunscrições territoriais os prédios estejam situados.

3
CIP- Código do IP (Imposto Predial) – Capitulo II
Artigo 4° e Artigo 22º do CGT (Código Geral
Tributário)
Isenções Gerais
1 – Ficam isentos de Imposto Predial:

a) O Estado e as autarquias Locais;

b) Estados estrangeiros, quanto aos imóveis destinados as instalações das respectivas representações diplomáticas
ou consulares, quando haja reciprocidade;

c) Partidos políticos nos termos da legislação própria;

d) Os institutos públicos e as instituições religiosas legalmente reconhecida.


e) A primeira transmissão onerosa de imóveis com valor igual ou inferior a AKZ 3.000.000,00, que sejam afectos a
habitação própria e permanente do adquirente.
f) Os prédios rústicos relativamente aos quais sejam observados os critérios de aproveitamento útil e efectivo, nos
termos da lei de terras e do regulamento geral de concessão de terrenos, no que respeita a sua detenção;
g) Os prédios rústicos localizados nas zonas rurais com dimensão igual ou inferior a 7 hectares;

4
2

IMPOSTO PREDIAL SOBRE A DETENÇÃO E ARRENDAMENTO


art. 6.º e 8.º n.º 2

 Prédios arrendados: o imposto incide sobre o


valor da renda efectivamente paga.

 Prédios não arrendados: o imposto incide


sobre o valor patrimonial apurada pela RF.

Incidência Objectiva  Nos prédios rústicos, o imposto incidirá sobre


o valor patrimonial já fixado por Lei.

 Quando o valor do imposto a pagar sobre as


renda for inferior ao imposto devido a
propriedade, considerar-se-á imposto
apurado com base na propriedade.

5
2

IMPOSTO PREDIAL SOBRE A DETENÇÃO E ARRENDAMENTO.


art. 7.º  Prédios arrendados: O imposto é devido pelo titular do rendimento
sobre o prédio;

 Prédios não arrendados: Obrigação do proprietário do prédio ou


titular de um outro direito sobre o imóvel;

 Quando se tratar de herança indivisa, o imposto predial é devido


pelo cabeça-de-casal que representa.

 Na propriedade resolúvel, o imposto predial sobre a detenção é


Incidência Subjectiva devido pelo promitente comprador ou por quem tenha o uso e
fruição do prédio.

 Nos casos de usufruto, direito de superfície. Domínio útil civil e


comodato, o imposto predial é devido pelo titular do respectivo
direito

 Na cedência gratuita, de prédios pertencentes a entidades isentas


de imposto predial, os beneficiários são obrigados ao pagamento do
imposto.

6
2

IMPOSTO PREDIAL SOBRE A DETENÇÃO E ARRENDAMENTO.


Valor Patrimonial e Matéria Coletável art. 8.º

 Prédio rustico, a matéria colectável vai incidir sobre o valor patrimonial que
corresponde à 10.397,00 por hectare.

 Os prédios rústicos que tenha parte produtiva e parte improdutiva, são


tributados de acordo com a parte que não tenha aproveitamento útil e efectivo.
Determinação do
Valor Patrimonial e
matéria colectável  Prédio urbano, a matéria colectável incidirá sobre o valor patrimonial resultante
do procedimento de avaliação.

 Os prédios urbanos arrendado, a matéria colectavel incidi sobre as rendas pagas,


deduzindo 40% referente as despesas de conservação e manutenção do imóvel.
NOTA:
O Valor Patrimonial deve sempre ser
estabelecido e fixado na matriz, Obs.: A tributação pelo valor de alienação considera-se afastada, facto que vai
independentemente de o prédio estar ou implicar a avaliação dos prédios até então tributados com este critério, dependendo
não arrendado. da solicitação dos interessados.
2 TAXAS
Valor Patrimonial do Imóvel é a Matéria Colectável.

Imóveis não arrendados


 Taxa de 0,1% até 5.000.000.00 Akz.
 De 5.000.001,00 6.000.000,00 paga um valor fixo de 5000,00
Akz.
 Superior a 6.000.001,00 Akz taxa de 0,5% sobre o excesso de
5.000.000,00 Akz.

Dedução de 40% da renda (despesas de manutenção do


imóvel)
Imóveis arrendados
 Taxa de arrendamento 25% sobre 60% da renda
recebida.

 Prédios rústicos valor patrimonial (10.397,00 Akz) o


somatório de número de hectares corresponderá o
Terreno rústico e urbano imposto a pagar.

 Os terrenos para construção a taxa é de 0,6%


Capitulo v – (Taxa sobre a detenção ou arrendamento de prédios urbanos e
rústicos)

ANALISE DA TAXA PARA IMÓVEIS ARRENDADOS – Artigo 16º conj c nº 4 do artigo 8

IP RENDA TAXA DA RENDA TAXA FIXA = 15%


40% Despesas c/ a conservação e 25% =(60%*25%)= 15%
Manutenção e resta 60%

Exemplo:
Valor da renda mensal: 200.000,00 x 60%x25%=30.000,00 kz
Valor da renda mensal: 200.000,00x15% = 30.000,00 kz

Imposto retido corresponde a 30.000,00 kz

9
2 IMPOSTO PREDIAL SOBRE A DETENÇÃO E ARRENDAMENTO.

Liquidação de prédios urbanos e rústicos art. 19.º

- Na detenção de prédios urbanos e rústicos, o imposto é liquidado anualmente, pelo sujeito passivo na Repartição Fiscal
ou outros serviços competente da Administração Tributária em 31 de Dezembro do ano a que o mesmo diz respeito.

- A liquidação a que se refere o número anterior é efectuada, até ao último dia útil no mês de Março do ano seguinte.

 O rendimento colectável do imóvel total ou parcialmente arrendado, determina-se através da declaração dos
contribuintes, conforme o modelo a submeter eletronicamente ou a apresentar na Repartição Fiscal da área de situação
dos prédios no mês de Janeiro de cada ano e em separado para cada prédio até ao último dia útil do referido mês.

Nos casos de prédios arrendados, a liquidação é feita pelo:


Arrendatário quando disponha de contabilidade, modelo de contabilidade simplificado ou livro de registos, até ao último dia
útil do mês seguinte ao pagamento da renda.

- Pelo senhorio, quando o arrendamento não possua os elementos referidos no ponto anterior, até ao último dia útil do mês
seguinte ao pagamento da renda

- Antes da transmissão onerosa ou gratuita do imóvel deve proceder-se à liquidação imediata do Imposto Predial devido
sobre a detenção, quanto aos duodécimos correspondentes aos meses anteriores àquele em que se opere a transmissão.
2

IMPOSTO PREDIAL SOBRE A DETENÇÃO E ARRENDAMENTO.


Pagamento e Entrega do Imposto art. 23.º
 O imposto predial sobre a detenção de imóveis deve ser pago até ao último dia útil do mês de Março pelo sujeito passivo;

 O imposto a pagar nos termos do ponto anterior pode, todavia, ser pago em seis prestações consecutiva, a pedido do sujeito passivo;

 Quando se tratar de imposto predial sobre rendas sujeita à retenção na fonte, deve ser entregue pelo substituto tributário até ao
último dia do mês seguinte a retenção; .

 Se não houver lugar à retenção, o imposto é pago pelo sujeito passivo nos termos do primeiro ponto.

Taxa Adicional Art.º 17.º


 Ficam sujeitos a uma tributação adicional de 50% do imposto resultante da tributação dos prédios urbanos e rústicos, exceptos os
arrendados:
 Os prédios desocupados há mais de um ano (não sendo assim considerados os prédios arrendados ainda que o locatário dele não faça
uso);
 Os terrenos para construção sem aproveitamento durante trenos consecutivos ou seus interpolados, a contar da data de entrada em
vigor do CIP, da concessão, ocupação ou da última transmissão.
 A desocupação dos prédios deverá ser determinada em função, designadamente, quando não existam contratos e facturação com
empresas de telecomunicações ou de fornecimento de água ou de electricidade.
RENDA
ARTIGO 11º - (Declaração de rendimento colectável)

1 – O rendimento colectável do imóvel total ou parcialmente arrendado, determina-se


através da declaração dos contribuintes, conforme o modelo a submeter
electronicamente ou a apresentar na Repartição Fiscal da área de situação dos prédios
no mês de Janeiro de cada ano e em separado para cada prédio até ao ultimo dia útil
do referido mês.

2 – Os contribuintes devem indicar as rendas convencionadas e as efectivamente


recebidas no ano anterior e juntar, quando ainda não o tenham feito, os contratos de
arrendamento devidamente selados.

3 – Sempre que as rendas efectivamente recebidas não coincidam com as


convencionadas, devem os declarantes justificar as divergências, tributando-se em
conformidade.
RENDA

ARTIGO 11º - Declaração de Rendimento Colectável

4 – Quando apenas parte do imóvel esteja ou tenha estado arrendado, a tributação é feita
de forma rateada.

5 – O senhorio é obrigado a apresentar, na repartição Fiscal, dentro de 10 dias a contar da


sua celebração, um exemplar do contrato de arrendamento do prédio ou parte de prédio.

6 – Sem prejuízo do disposto no nº 4 do artigo 6º, o pagamento antecipado das rendas


não dispensa a obrigatoriedade da apresentação anual da declaração modelo 1 com a
informação da renda relativa ao ano em causa
SELAGEM DE CONTRATO DE ARRENDAMENTO

• Deve o Contribuinte apresentar:


• 1 – 3 vias do contrato de arrendamento assinados, sendo que uma ficará na repartição
Fiscal.
• 2 – A via do contrato com o carimbo original é para o senhorio e a copia para o arrendaria.
• 3- O Selo será sempre liquidado em nome do senhorio.
• 4 - os elementos q servem para apuramento da matéria colectável são: Duração do
contrato; Valor da Renda mensal; Período do Pagamento da primeira renda.
• 5 – As taxas para tributação do imposto de selo nos contratos de arrendamentos são: 0,1%
para os contratos destinados a Habitação e 0,4% para os contratos destinados a
comercio/serviços e outros.
SELAGEM DE CONTRATO DE
ARRENDAMENTO
• 6 – O imposto de selo de arrendamento obtém-se multiplicdo o valor do
Contrato (renda mensal x duração do contrato)x taxa.
• 7 – Os Contratos de arrendamento devem ser selados até ao ultimo dia do mês
seguinte ao do pagamento da primeira renda (nº3 do artigo 15º conjugado com
al.e) artº5º, ambos da lei 3/14 de 21 de outubro.
• 8 – é aconselhável que os contratos sejam elaborados nos termos da lei 26/15,
de 23 de Outubro (Lei do Arrendamento Urbano.
• 9 – Sempre que o contrato não contenha prazo de duração, será considerado
prazo mínimo de 2 anos, previsto na lei do arrendamento.
1. No caso de prédios arrendados o imposto incide sobre
a respectiva renda expressa em moeda corrente

2. Nos casos em que os rendimentos se repartam por


diversos titulares, o imposto recairá sobre cada um
consoante o seu direito

4. Tratando-se de propriedade resolúvel, o Imposto será


devido por quem tenha o usofruto do prédio 

16
4

INSCRIÇÃO, AVALIAÇÃO E REAVALIAÇÃO DE IMÓVEIS

Fórmula de avaliação e reavaliação atual Fórmula de avaliação e reavaliação da alteração

Vi = Vb * Ac * Cl * Cv * Cc * Ca.
Vi = Vb * Ac * Cl * Cv * Cc * Ca.

Vi = Valor patrimonial do Imóvel; Vi = Valor patrimonial do Imóvel;

Vb = Valor Base; Vb = Valor Base;

Ac = Área Construção; Abc = Área Bruta de Construção;


Cl = Coeficiente de Localização;
Cl = Coeficiente de Localização;
Cv = Coeficiente de Vetustez;
Ca = Coeficiente de Antiguidade;
Cc = Coeficiente de Conforto;
Cc = Coeficiente de Conforto;
Ca = Coeficiente de Afectação
Ca = Coeficiente de Afectação
Ca = Coeficiente de Afectação

17
Procedimentos sobre os prédios parcialmente
arrendados (2/2) – PENALIDADE CGT

Código do IPIU – Não tem penalizações especifica, recaímos ao CGT – nº 4 do ARTIGO145º - Lei
21/20 – de 9 de Julho.

• Sempre que se tratar de inquilinos não obrigados a efectuar retenção na fonte, a RF deverá
notificar o sujeito passivo (senhorio) do imposto ou eventuais diferenças (acrescentado de
juros e multa, se for o caso)

• Sempre que se deteta incumprimento quanto à obrigação de entrega do referido imposto, a RF


deverá notificar o inquilino/senhorio (conforme o caso) para regularização da dívida tributária.

18
As Repartições Fiscais deverão
confrontar as declarações de rendas
 com os contratos e escrituras dos
arrendamentos…

19
Exercício.

1 – Em Janeiro de 2019, a contribuinte Maria João, efectuou a inscrição do seu imóvel localizado na primeira
repartição, com a Matriz Predial nº 1242, valor patrimonial 4.800.000,00 kz,

a) - Determina o Valor do Imposto Para exercício de 2019 e 2020.

2 – A Joana comprou um Imóvel no condomínio Cajueiro talatona, no dia 6 de junho de 2018, no valor de
30.000.000,00 kz, valor patrimonial do imóvel de 12.221.000,00 kz.

b) Determina o IP de 2018, 2019 e 2020.


RESPOSTA: 2018=62.500,00: 2019=125.000,00: 2020: 87.961,00

3 – A Sr. Joana vive no Mussulo desde 1 DE Janeiro de 2018, valor do imóvel está avaliado em 5.600.000,00 kz, quais
são os anos que deve pagar IP ? e quais são os impostos devido?

20
Exercício pratico

4- Calcule IP renda, preencha a declaração modelo 1 do ano de 2015


VP: 20.000.000
Arrendamento: 1/04 a 31/12/2015
Renda mensal: 2.000.000
Renda anuais convencionadas:
Rendas recebidas: 18.000.000
Área do prédio arrendado: 200 m2
Àrea total : 300 m2

5- Calcule o IPU Património e IP renda e preencha a declaração modelo 1 do ano de 2019


VP: 200.000.000.000
Arrendamento : 1/01 à 31/12/2019
Renda mensal: 200.000,00
- Renda anual convencionada:
- Rendas recebidas: 2.400.000,00
Área das partes arrendadas do prédio: R/C -200 m2 ;1ºandar -100 m2
Àrea total do prédio: 400 m2

21
Exercício pratico
3- Calcule o IPU renda e preencha a declaração modelo 1 de 2015
VP: 50.000.000
Período do Arrendamento: 1/05 à 31/12/2015
Renda mensal: 3.000.000
Renda anuais convencionadas :
Rendas recebidas: 24.000.000 KZ
Área da parte do prédio arrendado: R/C - 200 m2
Àrea total do prédio: 300 m2
IPU retido e comprovadamente entregue: 3.6000.000 KZ
4- Calcule o IPU renda e preencha a(s) declaração(ões) modelo 1
VP: 80.000.000
Arrendamento : 01/10/2015 à 30/09/2020
- Renda anuais convencionadas:
- Rendas recebidas: 100.000.000 Kz – correspondentes a 5 anos
Houve retenção e entrega comprovada
Área do prédio arrendado: 1º andar -200 m2 ;2ºandar -250 m2
Àrea total : 750 m2
Renda paga em : 01/10/2015
22
Exercícios:
• Renda paga :340.000,00 AKZ.
• Data do pagamento da renda 22-02- 2016
• Data de entrega do Ipu retido na fonte :?
• Data liquidação: 30-09-2016
• Calcule o imposto e juros

• Valor patrimonial _ 11.000.000


• Exercício fiscal 2015
• Pagamento 1ª prestação?
• Data liquidação: 30-09-2016
• Calcule o IPU e os juros

• IPU Património em divida - 100.000,00 AKZ.


• Pagamento 1ª prestação e 2ª prestações?
• Data liquidação 30-09-2016
• Calcule o IPU e os Juros

23
Casos prático1
• A empresa de construção civil “Constrói Lda.”, Construiu para ser a
nova sede uma vivenda em talatona
• Data de :
• Conclusão da obra – 30 de março 2010
• Licença habitação – 30 janeiro 2015
• Ocupação do prédio – 20 fev 2011
• Quais as obrigações da empresa (O quê? Onde ?
Quando?)
Caso Prático2
• Empresa de mobiliário XPTO, não entrega retenção pela 2ª
vez aos cofres do estado, sobre renda paga em Fev. 2015.
• Valor renda paga : 800.000
• Data da Liquidação : 3-06-2015

• - Quando deveria ter sido entregue o IPU renda? e


penalidade estará sujeita a empresa?
Caso Prático3

O Sr. Manuel é proprietário de um imóvel na Maianga. O mesmo se


encontra arrendado desde 2013 a uma Clínica Estética. Não tendo sido
detectado por parte da Administração Fiscal, qualquer pagamento do
IPU renda, desde o iniciou do contrato de arrendamento.

- Que infracção cometeu cada um dos contribuintes?


- Quais as penalidades?
Caso Prático 4
- A empresa A&A exerce a sua actividade em imóvel próprio . O valor
patrimonial do mesmo é 24.000.000 Akz.
- Em acção inspectiva foi detetado a falta de pagamento do IPU
património referente ao exercício de 2014
• Após ser notificado, apresentou-se para pagar dentro do prazo de
15 dias contados da data da notificação

- Que benefícios terá o contribuinte pelo pagamento


espontâneo ?
Obrigado pela atenção!
Obrigado pela atenção!
AGT Agradece.
Juntos somos mais forte, juntos vamos mais longe.

28

Você também pode gostar