Você está na página 1de 16

Coesão textual

Referência, cadeia de referência, correferentes


(anáfora ou termo anafórico, catáfora,
correferência não anafórica), coesão lexical,
frásica, interfrásica, estrutural, temporal-aspetual
sumário
• 1. Coesão referencial (gramatical)
1.1 correferência anafórica (citado no texto)
– 1.1.1 anáfora (nominal, pronominal, adverbial)
– 1.1.2 catáfora
– 1.1.3 elipse
• 1.2 correferência não anafórica (fora do texto)
• 2. Coesão lexical
– 2.1 repetição/reiteração
– 2.2 sinónimos/antónimos
– 2.3 hipónimos/hiperónimos/merónimos/holónimos
• 3. coesão frásica
• 4. coesão interfrásica
• 5. coesão temporo-aspetual
• 6. (coesão estrutural)
1. Coesão referencial
• referência, cadeia de referência, correferentes
• A menina, que já andava morta de saudades,
por se ver sem os seus filhos, (0) vestiu-se à
pressa com a sua saia de guizos e (0) partiu
para a corte. A rainha estava à espera dela e,
assim que a viu, deixou-a entrar para um
corredor e lançou-lhe as unhas, furiosa, para a
afogar.
1.1 Anáfora
Anáfora (ou termo anafórico) - palavra ou expressão cuja
interpretação depende de outra palavra, expressão ou
frase textualmente anterior.
• 1.1.1 nominal:
«A casa que Os Maias vieram habitar em Lisboa, no outono
de 1875, era conhecida (...) Apesar deste fresco nome de
vivenda campestre, o
Ramalhete, sombrio casarão de paredes severas, com um
renque de estreitas varandas de ferro no primeiro andar, e
por cima uma tímida fila de janelinhas
abrigadas à beira do telhado (...)».
1.1 Anáfora
• 1.1.1 pronominal:
«Em casa havia um tambor. Tinham-lho
oferecido pelo Natal.»

1.1.1 adverbial:
«Ao longe, no alto mar, há ainda o exercício
da pesca. Há lá homens. Não os vejo.»
(Vergílio Ferreira, Até ao Fim)
catáfora e elipse
• 1.1.2 Catáfora:
• «Todos os rapazes se tinham apaixonado por ela. Todos a
amavam secretamente. A minha prima era lindíssima.»
• «Em casa havia um tambor. Tinham-lho oferecido pelo
Natal. Mas o garoto não soubera regrar o entusiasmo...»

• 1.1.3 Elipse:
• «A gotinha de água era muito infeliz; porém, [] não
estava só.».
 
1.2 Correferência não anafórica (contexto extratextual)

• O Primeiro Ministro apresentou o orçamento.


O Chefe do Governo enfrentou duras críticas.
• «Camões viveu no século XVI. O autor de Os
Lusíadas é um dos maiores escritores
portugueses.»
• «A minha prima ganhou um prémio. Sempre
acreditei que a Liliana seria uma advogada de
sucesso.»
2. Coesão lexical
• 2.1 Reiteração/repetição

• 2.2 Sinonímia
Algumas casas transmitem uma boa energia a quem as visita.
Simone Quintas pergunta: ― O que é que você faz que se
reflete na sua moradia?‖

– antonímia
Os dinossauros herbívoros cresceram, tornaram-se enormes, e
os predadores carnívoros acompanharam o seu crescimento.
Coesão lexical
• 2.3 hiperonímia — a primeira expressão mantém com a
segunda uma relação classe-elemento.
Das aves existentes na Terra, o albatroz é a mais grandiosa. Nada
mais é preciso para além de ossos, penas, músculos e vento.‖
• hiponímia
O brinco-de-princesa está na minha lista de flores perfeitas,
junto com a flor do maracujá, a lanterninha-japonesa, a
tulipa, a íris, a cala... É uma herbácea que pode ser plantada
em vasos e jardineiras, e nestas condições, atinge até 2 m de
altura.
Coesão lexical
• Holonímia

«A casa que os Maias vieram habitar em Lisboa, no


outono de 1875, era conhecida (...) Apesar deste
fresco nome de vivenda campestre, o Ramalhete,
sombrio casarão de paredes severas, com um renque
de estreitas varandas de ferro no primeiro andar, e
por cima uma tímida fila de janelinhas abrigadas à
beira do telhado (...)».
Coesão textual
• 3. coesão frásica

• 4. coesão interfrásica

• 5. coesão temporo-aspetual
Coesão textual
• 6. Coesão Estrutural (paralelismo estrutural): sintático, lexical, fónico,
semântico)

• Eles não sabem que o sonho


• é uma constante da vida
• tão concreta e definida
• como outra coisa qualquer,
• como esta pedra cinzenta
• (...)
• Eles não sabem que o sonho
• é vinho, é espuma, é fermento.
• (...)
• Eles não sabem que o sonho
• é tela, é cor. é pincel. (A. Gedeão, Pedra Filosofal)
Aplicação
• Correferência anafórica

1. Tudo começou com um ovo de chocolate que trazia dentro um caracol


de brinde. Montou-o, colocou-o no vidro do carro passando a
transportá-lo consigo.

2. O chefe espiritual tibetano saudou hoje a proposta da China de


retomar o diálogo para ajudar a resolver a crise no Tibete, mas
sublinhou que quer "discussões sérias" com Pequim. "Ainda não recebi
informações pormenorizadas (sobre este diálogo), mas de maneira
geral é bom falar", declarou o líder quando regressava de uma viagem
de duas semanas aos Estados Unidos, a Dharamsala, no norte da Índia,
onde vive no exílio.
Aplicação
3. O brinco-de-princesa está na minha lista de
flores perfeitas, junto com a flor do maracujá,
a lanterninha-japonesa, a tulipa, a íris, a
cala... A flor pendente parece delicada, mas a
mistura de roxo e vermelho é viva e moderna.
Esta herbácea pode ser plantada em vasos e
jardineiras, e nestas condições, atinge até 2 m
de altura.
Aplicação
• Correferência anafórica

• 4. «Ao longe, no alto mar, há ainda o exercício da pesca. Há lá homens. Não os vejo.»
(Vergílio Ferreira, Até ao Fim)
•  
• 5. Em casa havia um tambor. Tinham-lho oferecido pelo Natal.»
•  
• 6. «Quando cheguei a casa, o meu filho tinha saído.»
•  
• 7. «A guerra não poupa velhos, mulheres e crianças. Todos sofrem.»

• 8. «A Maria foi ao cinema e a Sofia, sua prima, também.»

• 9. «A residência dos Caetano transpira bom gosto. A decoração é luxuosíssima.»


Aplicação
• Anáfora não correferencial

• 10. A polícia de Denver, nos Estados Unidos da América, deteve


quatro pessoas suspeitas de quererem matar Barack Obama. (…)
A informação foi transmitida por uma cadeia de televisão norte-
americana, depois de um dos indivíduos confessar às autoridades
que pretendiam atingir a tiro o candidato à presidência.
• 11. As autoridades proibiram o consumo de água dos poços em
três localidades vizinhas e a rega de cereais a partir dos dois rios.
A proibição estendeu-se aos banhos, desportos aquáticos e à
pesca.

Você também pode gostar