Você está na página 1de 103

SQAS 12º ANO,

UFCD 0719 GESTÃO


AMBIENTAL

Profª Alexandra Roldão


1
O mundo está a enfrentar desafios
ambientais únicos e assustadores.
Destacam-se:
- Alterações climáticas;
- Disponibilidade de água, e sua poluição;
- Ameaça à biodiversidade e danos nos
ecossistemas;
- Poluição da atmosfera;
- Produção e eliminação de resíduos;
- Impactos dos químicos e substâncias
tóxicas utilizados na eliminação dos
resíduos;
- Desflorestação e a degradação da Terra.

Profª Alexandra Roldão 2


Cada vez mais empresas se preocupam com a sustentabilidade
ambiental.
Mas, não podemos esquecer a necessidade de estratégias mais
abrangentes para que as empresas respeitem os desafios ambientais,
local ou globalmente. Profª Alexandra Roldão 3
As questões ambientais, estão a tornar-se
cada vez mais complexas.
As abordagens empresariais tradicionais
já não são suficientes para ultrapassar os
desafios ambientais do século XXI.

Profª Alexandra Roldão 4


Conceitos introdutórios
O que é o ambiente?
É tudo o que nos rodeia e que
condiciona a forma de vida em
sociedade.
Inclui; valores naturais, sociais e
culturais que existem num dado local
e momento.
Dele fazem parte: seres vivos, solo,
cobertura vegetal, água, ar, objetos
físicos fabricados pelo homem e os
elementos simbólicos (como as
tradições, por exemplo).

Profª Alexandra Roldão 5


Meio ambiente, inclui diversos fatores, a
saber:
1- Físicos (como o clima e a geologia),
2- Biológicos (a população humana, a flora, a fauna, a água) e,
3- Socioeconómicos (a atividade laboral, a urbanização, os conflitos
sociais).
“Conjunto dos sistemas físicos, químicos, biológicos e suas relações, e
dos fatores económicos, sociais e culturais com efeito direto ou
indireto, mediato ou imediato, sobre os seres vivos e a qualidade de
vida do homem.”

Profª Alexandra Roldão 6


https://www.youtube.com/watch?v=FyM7XK5WCfQ

Profª Alexandra Roldão 7


Qualidade
A palavra Qualidade é cada vez mais frequente no nosso
vocabulário.
Fala-se hoje muito em Qualidade de Produtos, Serviços,
Qualidade Ambiental, Qualidade de Vida, etc.
Com o aparecimento de produtos cada vez com melhor
qualidade, as pessoas tornaram-se mais exigentes e
sensíveis para pormenores a que anteriormente não se
dava importância.
O Instituto Português da Qualidade – IPQ, é a entidade
portuguesa responsável pela coordenação, gestão e
desenvolvimento do sistema português da qualidade
(SPQ)
Profª Alexandra Roldão 8
A implementação de um Sistema Integrado de Gestão da Qualidade,
Ambiente e Segurança (SIG-QAS) é um desafio máximo para as
organizações.
Porquê?
Engloba a satisfação dos clientes (Qualidade), sociedade (Ambiente) e
trabalhadores (Segurança).

PÁG 8 MANUAL

Profª Alexandra Roldão 9


Qualidade - definição
O que é a qualidade?
Definir qualidade não é fácil..
Pois, tem a ver com muitos fatores como:
● Características técnicas
● Design
● Durabilidade
● Preço
● etc

Profª Alexandra Roldão 10


Profª Alexandra Roldão 11
O que é um produto de qualidade?
É aquele que satisfaz plenamente, de forma
confiável, acessível, segura e no tempo certo,
as necessidades do cliente.

Numa organização tem como objetivo


melhorar a sua aptidão para assegurar a
satisfação dos seus clientes através do
fornecimento de produtos ou serviços que
cumpram os requisitos aplicáveis.

Profª Alexandra Roldão 12


Aptidão ao uso – se serve o fim
para o qual foi concebido
● Um carro tem qualidade se proporciona viagens agradáveis.
● Uma caneta tem qualidade se escreve bem.

Profª Alexandra Roldão 13


Profª Alexandra Roldão 14
Conformidade com os
requisitos
Exemplos:

● Tempo de autonomia de um telemóvel.


● Um programa de computador trabalhar conforme o encomendado.

Profª Alexandra Roldão 15


Atualmente associa-se qualidade à satisfação do cliente.
A qualidade consiste na «totalidade das características de um produto
que determinam a sua aptidão para satisfazer determinadas
necessidades»

Profª Alexandra Roldão 16


Todas as características de algo que utilizamos contribuem para que
nos sintamos mais ou menos satisfeitos: desde as suas especificações
técnicas ao modo como é comercializado ou assistido.

Profª Alexandra Roldão 17


Mas, não são só os clientes que estabelecem o que é qualidade.
A sociedade tem vindo a tomar consciência de que os interessados ou
afetados pelos produtos/ atividades das organizações, são também:
- funcionários, acionistas, fornecedores, comunidade onde está implantada
a empresa, etc.
O conceito de qualidade tem-se alargado ao impacto que a atividade da
organização provoca. Assim, a qualidade implica também o lucro,
satisfação no trabalho ou ausência de poluição.

______________________________________
Profª Alexandra Roldão 18
A concorrência e inovação fazem com que os padrões de qualidade
sejam dinâmicos:
O que tem qualidade num dado momento, passado algum tempo já
não nos satisfaz.
Com o tempo, passamos a encarar como normal aquilo que foi
anteriormente especial. Ex videogravadores

Profª Alexandra Roldão 19


Como manter a qualidade?
- Implica, permanentemente, renovar e melhorar os produtos,
assimilando todas as vantagens que o cliente assume como adquiridas.
- Introduzir características novas, se possível, que sejam surpresa ou
novidade interessante para o cliente.

Exemplos: computadores e telemóveis, que são cada vez mais rápidos,


mais pequenos, e mais potentes.

Profª Alexandra Roldão 20


Ficha de Trabalho
1 – Qual o nome da entidade portuguesa responsável pelo sistema português de qualidade?
O Instituto Português da Qualidade – IPQ, é a entidade portuguesa responsável pela coordenação, gestão e
desenvolvimento do sistema português da qualidade (SPQ).
2 – Qual a razão do sistema integrado de gestão de qualidade, ser um desafio para as organizações?
O SIG é um desafio para as organizações, porque engloba a satisfação dos clientes (Qualidade), sociedade
(Ambiente) e trabalhadores (Segurança).
3 – O que é um produto de qualidade?
É aquele que satisfaz plenamente, de forma confiável, acessível, segura e no tempo certo, as necessidades do cliente.
4 – Escreve uma definição de qualidade.
A qualidade consiste na «totalidade das características de um produto que determinam a sua aptidão para satisfazer
determinadas necessidades».
5 – O conceito de qualidade é imutável? Justifica.
O conceito de qualidade está em permanente modificação, portanto é mutável. A concorrência e inovação fazem com
que os padrões de qualidade sejam dinâmicos. O que tem qualidade num dado momento, passado algum tempo já
não nos satisfaz. Com o tempo, passamos a encarar como normal aquilo que foi anteriormente especial.
6 - Como manter a qualidade?
Manter a qualidade, implica, permanentemente, renovar e melhorar os produtos, assimilando todas as vantagens
que o cliente assume como adquiridas.
- Introduzir características novas, se possível, que sejam surpresa ou novidade interessante para o cliente.
Profª Alexandra Roldão 21
Gestão da Qualidade
- A evolução da gestão da qualidade -

➔ Início séc. XX – estava relacionada com a inspeção dos produtos


acabados, para garantir que não fossem enviados defeituosos para o
cliente - Controlo da Qualidade
➔ Com o desenvolvimento industrial, o esforço principal passou a
concentrar-se no controlo do processo de fabrico de modo a
reduzir/eliminar a produção de peças defeituosas - Garantia da
Qualidade

Profª Alexandra Roldão 22


➔ Mais tarde com o aumento da competitividade não era suficiente
produzir bem. A qualidade passa a estar envolvida em todas as áreas da
organização.
Exemplo: de que vale ter um produto bem concebido e produzido, se a
sua distribuição funciona mal ou se a sua publicidade é mal feita?
Caminhamos assim para o conceito de Gestão pela Qualidade Total
ou TQM (Total Quality Management)

Profª Alexandra Roldão 23


Princípios e valores associados à TQM
( Total Quality Management)
✔ Foco no cliente,
✔ Melhoria contínua,
✔ Envolvimento de todos os colaboradores,
✔ Redução de desperdícios,
✔ Gestão com base em factos.

Profª Alexandra Roldão 24


Profª Alexandra Roldão 25
Profª Alexandra Roldão 26
Profª Alexandra Roldão 27
Profª Alexandra Roldão 28
Profª Alexandra Roldão 29
Profª Alexandra Roldão 30
Profª Alexandra Roldão 31
Profª Alexandra Roldão 32
Normas ISO 9001

Profª Alexandra Roldão 33


NORMAS ISO
Organização Internacional de Normalização
Entidade que congrega os grémios de padronização/normalização de 162 países.
Como surgiu?
Em 1946, em Londres, 65 autoridades de 25 países reuniram-se para discutir meios
de facilitar internacionalmente a coordenação e unificação de padrões industriais.
Em fevereiro de 1947, a ISO inicia oficialmente a sua atividade com 67 comités
técnicos, tendo mudado sua sede em 1949 para Genebra, na Suíça, onde
permanece até hoje.
A ISO aprova normas internacionais em um grande número de áreas de interesse
económico e técnico.

Profª Alexandra Roldão 34


Membros

 Países-membros ISO com um corpo nacional de standards e


direito a voto.
 Membros correspondentes (países sem um corpo nacional
de standards).
 Membros subscritores (países de economias pequenas).
 Países não-membros com códigos.
Profª Alexandra Roldão 35
Normas ISO que podem ser utilizadas
pelas organizações
ISO 9001– um sistema de gestão da qualidade promove a satisfação do cliente e evita o produto
ou serviço não conforme;

ISO 14001 – um sistema de gestão ambiental conduz à redução de acidentes ambientais e


Redução de custos através da melhoria da eficiência dos processos.

OHSAS 18001 / NP 4397– um sistema de gestão da segurança e saúde do trabalho tem como
principal benefício a redução de acidentes de trabalho e doenças profissionais, bem como a
satisfação e motivação dos colaboradores.

ISO 22000 – um sistema de gestão da segurança alimentar que aumenta a confiança dos clientes
e consumidores, pela adoção de padrões elevados de conformidade alimentar.

ISO 50001 – um sistema de gestão de energia promove a eficiência energética na organização.


ISO 27001– um sistema de gestão de segurança da informação promove a confidencialidade e
Profª Alexandra Roldão 36
integridade da informação, garantido a continuidade do negócio
O que é a Gestão da Qualidade?
Consiste em controlar os processos.
Para quê?
- Obter um produto de qualidade.
A palavra qualidade engloba:
- Satisfazer as necessidades do cliente com um mínimo de custos
possíveis, trabalhadores e fornecedores (colaboradores) e envolvente da
organização,
- Fazer bem o trabalho – sem falhas – desde o início até ao serviço após
venda, passando pelas restantes etapas do processo (produção,
comercialização e administração).

Profª Alexandra Roldão 37


Profª Alexandra Roldão 38
Sistemas Integrados de Gestão da
Qualidade, Ambiente e Segurança
É um sistema que inclui práticas, processos e recursos para
desenvolvimento e implementação de:
- Manual da Qualidade,
- Política Ambiental,
- Política da Segurança,
- Saúde no Trabalho.

Profª Alexandra Roldão 39


Motivações para a implementação de um
SIG-QAS
- As exigências de clientes, investidores,
- Requisitos legais,
- (eco)marketing e melhoria de imagem,
- Redução de custos,
- Melhoria da eficiência e resultados.

Profª Alexandra Roldão 40


Vantagens e potencialidades da
implementação de um SIG-QAS
- Redução de custos,
- Vantagens competitivas,
- Aumento da motivação dos trabalhadores.
O aumento da motivação dos trabalhadores é assegurado através da
sensibilização e formação para as questões ambientais, segurança,
saúde e diminuição de não-conformidades nos produtos, beneficiando
a produtividade.

Profª Alexandra Roldão 41


Qualidade Ambiental
É a capacidade relativa de um meio ambiente para satisfazer
as necessidades e desejos de um indivíduo e sociedade.
Parâmetros de qualidade ambiental a serem avaliados:
- Saneamento ambiental: disponibilidade, contaminação e
qualidade de água, efluentes locais, ar, conforto térmico.
- Estética ambiental: beleza estética de elementos naturais e
antropogénicos.
-Tratamento de resíduos domésticos e industriais:
reciclagem e instalações operacionais
- Valores culturais da relação entre o Homem e o meio
ambiente: o grau de cultura ecológica, a apreciação social
da perceção ambiental, o respeito das normas e as regras
inerentes à estrutura.
- Funcionamento dos ecossistemas Profª Alexandra Roldão 42
MEIO RECETOR
As águas residuais domésticas são compostas por:
- 97 % água,
- 3 % detritos orgânicos,
- Nutrientes (nomeadamente azoto e fósforo),
- Detergentes, gorduras, servindo de meio a uma variedade de microrganismos – bactérias e vírus.
 O enquadramento jurídico relativo à descarga de águas residuais obriga ao seu tratamento.
Consequências das descargas não tratadas de águas residuais:
- Maus cheiros, perigos para a saúde pública e depleção de oxigénio na linha de água,
- Eutrofização ( crescimento acelerado de algas e de formas superiores de plantas aquáticas),
perturbando o equilíbrio biológico e a qualidade das águas.
 É então imperativa a remoção de nutrientes das águas residuais, quando se trata de um meio
recetor sensível.”
A devolução das águas residuais ao meio ambiente deverá prever o seu tratamento, E
lançamento adequado no corpo recetor ( rio, lago ou mar ).

Profª Alexandra Roldão 43


POLUIÇÃO - definição
Ato ou efeito de poluir.
Contaminação do meio ambiente

Por poluição entende-se a introdução pelo homem, direta ou


indiretamente de substâncias ou energia no ambiente, provocando um
efeito negativo no seu equilíbrio, causando danos na saúde humana,
seres vivos e ecossistemas.

Profª Alexandra Roldão 44


Profª Alexandra Roldão 45
Profª Alexandra Roldão 46
Profª Alexandra Roldão 47
Todos os componentes de um ecossistema podem ser agrupados em dois grandes
grupos, formando os fatores:

Bióticos
Compreende todos os seres vivos e organismos que sobrevivem no ecossistema, como
plantas, fungos, bactérias, protozoários e animais.

Abióticos
Todos os demais fatores não vivos que são fundamentais para a sobrevivência dos fatores
bióticos. Compreende as características ambientais do ecossistema, como clima, recursos
hídricos, nutrientes, umidade, composição do solo, temperatura, pH e composição
atmosférica, etc.

O ecossistema pode ser classificado em:

Ecossistema aquático: Quando localizado em rios, lagos e oceanos;


Ecossistema terrestre: Quando localizado no
Profª solo como
Alexandra Roldão florestas, desertos e pastagens. 48
ECOSSISTE
MA

Profª Alexandra Roldão 49


Tipos de Ecossistema (Principais Biomas)
Um conceito que costuma ser confundido com ecossistema dentro da ecologia é o termo
bioma.
Ecossistema é uma comunidade formada pelo conjunto de fatores bióticos e abióticos de
uma determinada localidade ou região,
Bioma é a maior unidade geográfica com um tipo de vegetação característica, podendo
ser um conjunto de ecossistemas relacionados e semelhantes.

Como o termo ecossistema está relacionado ao conjunto de fatores vivos e não-vivos


presentes em um local, ele pode ser atribuído a uma região pequena como uma poça
d'água, já o bioma é sempre uma grande extensão de terra possuindo características
climáticas e de vegetação.

Profª Alexandra Roldão 50


1 - Deserto - Região de pouca precipitação pluviométrica. São
quentes e áridos, com solo composto predominantemente por areia
e devido à pouca humidade, os vegetais encontrados são adaptados
para sobreviverem com pouca água como os cactos.
Deserto do Saara
Floresta Temperada
Localizadas em regiões de clima temperado, possuem estações do
ano bem definidas (primavera e verão quentes e húmidos, outono e
inverno secos e frios; vegetação é composta predominantemente por
carvalhos e nogueiras; solo rico em nutrientes).
Floresta Temperada em Oregon, EUA.
Floresta Tropical
Ecossistema de temperatura média e quantidade significativa de
chuva. São caracterizadas por serem quentes e húmidas. Apresenta
alto nível de biodiversidade. A Floresta Amazónica é um tipo de
Floresta Tropical.
Floresta Tropical na Austrália´.

Profª Alexandra Roldão 51


Estepe e Pradaria
Caracterizado por ser um ecossistema de planície vasta e aberta, com
poucas ou nenhumas árvores, as que são encontradas, geralmente, estão na
forma de arbustos. Composto predominantemente por gramíneas e capins
que servem de pastagem natural para animais de pastoreio.
Pradaria.
Savana
Também chamada de Cerrado, é uma região de vegetação composta
predominantemente por gramíneas com árvores espaçadas e arbustos
isolados. Possui temperatura elevada e animais herbívoros que se
alimentam de gramíneas e os consumidores naturais desses herbívoros.
Savana localizada na Tanzânia.
Tundra
Bioma de baixas temperaturas, dias longos e estações curtas de
desenvolvimento de árvores. Por isso, a vegetação é composta por plantas
de pequeno porte como arbustos, algumas gramíneas, musgos e liquens.
A fauna, geralmente, é composta por animais migratórios, que aí
permanecem apenas durante o curto verão e no resto do ano migram para
lugares mais quentes. Também é possível encontrar alguns anfíbios e
répteis.
Profª Alexandra Roldão 52
Componentes bióticos e abióticos de um
ecossistema
Cada ecossistema é formado por várias populações de
espécies diferentes, constituindo, assim, uma comunidade.
Podemos dividir o Ecossistema em dois componentes
básicos:
1 - Bióticos
2 - Abióticos

Profª Alexandra Roldão 53


1 - Componentes bióticos de um ecossistema

São os seres vivos: plantas, animais e micro-organismos. Podemos


dividir esses componentes em dois grupos principais:
- Organismos autotróficos - produzem seu próprio alimento através de
processos de fotossíntese e quimiossíntese.
-Organismos heterotróficos - são os consumidores e os
decompositores.

Profª Alexandra Roldão 54


Organismos autotróficos
Origem da palavra
Autotróficos (do grego autós = “de si mesmo” e trophos = “alimentador”)

Exemplos:
Os organismos fotossintetizantes, como algas e plantas.

Profª Alexandra Roldão 55


Organismos heterotróficos
Necessitam de moléculas orgânicas retiradas de outros seres vivos para
a sua nutrição.
Podem adquiri-las através a absorção ou ingestão, como é o caso dos
animais, mas também de alguns fungos. É o caso dos cogumelos!

Profª Alexandra Roldão 56


2 - Componentes abióticos de um
ecossistema

São os fatores não vivos: luz, temperatura, nutrientes, solo e água.


A radiação solar, permite a fotossíntese pelos seres fotossintetizantes. A
água e a temperatura também exercem um importante papel na
sobrevivência dos organismos.Profª Alexandra Roldão 57
Os ecossistemas são divididos em dois grupos:
- Aquáticos (rios, mares e oceanos e lagos).
-Terrestres (florestas, desertos, campos e savanas, etc).

Profª Alexandra Roldão 58


CICLOS BIOGEOQUÍMICOS
Processos pelos quais os organismos retiram os elementos químicos ou compostos da
natureza para serem utilizados por eles, devolvendo-os em seguida ao ambiente.
Principais ciclos biogeoquímicos:
- Ciclos da água, do oxigénio, do nitrogénio e do carbono.

Profª Alexandra Roldão 59


Profª Alexandra Roldão 60
Ciclo da água

Profª Alexandra Roldão 61


https://www.youtube.com/watch?v=rct5Huxpzag

Profª Alexandra Roldão 62


A água, um dos elementos essenciais à vida no planeta, está
presente na natureza em três estados: sólido, líquido e gasoso.
- No seu ciclo ela passa da fase líquida (rios e mares) para o
estado de vapor por meio da evaporação.
- Em camadas mais altas da atmosfera, o vapor da água
condensa-se e volta à superfície na forma líquida, num
processo denominado precipitação ( chuva).
- Entretanto, quando o arrefecimento do vapor de água ocorre
excessivamente, após a condensação, ele solidifica e volta à
terra na forma de neve ou granizo. +++++++++

Profª Alexandra Roldão 63


Ciclo do oxigénio
Qual a principal forma de produção de oxigénio?
A fotossíntese, realizada por plantas e algas.
Elas assimilam o dióxido de carbono (CO2) para a produção de matéria orgânica e libertam no
ambiente o oxigénio (O2).
O oxigénio na atmosfera será utilizado por alguns organismos no processo de respiração celular.
Um dos produtos finais da respiração celular é o dióxido de carbono, que será libertado no
ambiente.
Assim, os ciclos do oxigénio e do carbono estão interligados.
O oxigénio produzido também participará da formação da camada de ozono. Os ciclos do
oxigénio e do carbono estão interligados e envolvem processos, como a fotossíntese e a
respiração.

Profª Alexandra Roldão 64


Profª Alexandra Roldão 65
Ciclo do carbono
Pode ser dividido em biológico e geológico,
A. Ciclo biológico do carbono
Pela fotossíntese, os organismos autotróficos (plantas e algas) assimilam o dióxido de carbono,
transformam-no em matéria orgânica e transferem-na aos organismos heterotróficos (animais) por meio
da cadeia alimentar.
O carbono retorna ao ambiente, na forma de dióxido de carbono (CO2), pelos seres vivos em processos
de respiração e decomposição.
O homem contribui com o aumento do CO2 na natureza por meio de ações como desmatamento,
queimadas e uso de combustíveis fósseis.

Profª Alexandra Roldão 66


NÍVEIS E RELAÇÕES TRÓFICAS

O que é a cadeia alimentar?


É uma sequência de seres vivos na qual um organismo
serve de alimento para outro. Por meio dessa cadeia, faz-
se a transferência de matéria e energia no ecossistema.
Como são constituídas?
Por diversos organismos, que ocupam diferentes
posições (níveis tróficos), de acordo com a forma como
se alimentam.

Profª Alexandra Roldão 67


Profª Alexandra Roldão 68
No ecossistema os organismos podem
ser classificados como:
- Produtores
- Consumidores
- Decompositores

Profª Alexandra Roldão 69


Profª Alexandra Roldão 70
ASPETOS GERAIS DA GESTÃO
AMBIENTAL
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL
O conceito surgiu no final do século XX, pela constatação de
que o desenvolvimento económico também tem que levar
em conta o equilíbrio ecológico e a preservação da
qualidade de vida das populações humanas a nível global.
- Ideia base
O Homem deve gastar os recursos naturais de acordo com a
capacidade da sua renovação, de modo a evitar o seu
esgotamento.
Assim, o desenvolvimento sustentável é um modo de
desenvolvimento capaz de responder às necessidades do
presente sem comprometer a capacidade de crescimento das
gerações futuras. PÁG 21 MANUAL

Profª Alexandra Roldão 71


Qual o seu objetivo?
Melhorar as condições de vida dos indivíduos, preservando
simultaneamente o meio envolvente a curto, médio e, sobretudo, longo
prazo.
 O desenvolvimento sustentável comporta um triplo objetivo: um
desenvolvimento economicamente eficaz, socialmente equitativo e
ecologicamente sustentável.

Profª Alexandra Roldão 72


Para um desenvolvimento sustentável, as
autoridades públicas devem adotar
medidas que:
- Limitem os efeitos negativos dos
transportes e dos riscos sanitários,
- Melhorem a gestão dos recursos
naturais e o seu consumo,
- Combatam a exclusão social e a pobreza
na Europa e no mundo,
- Combatam as alterações climáticas e
limitar as suas consequências. ++++++

Profª Alexandra Roldão 73


INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO
SUSTENTÁVEL
Constituem um instrumento fundamental no contexto da avaliação do
desempenho da sustentabilidade ao nível dos países, regiões, comunidades locais,
atividades económicas, organizações públicas e privadas, políticas, missões,
projetos, atividades, produtos e serviços.
Tal como acontece à escala mundial, o Sistema de Indicadores de
Desenvolvimento Sustentável (SIDS) nacional surge para dar resposta à
necessidade de avaliar o progresso do país em matéria de sustentabilidade.

Profª Alexandra Roldão 74


O SIDS Portugal
Objetivos:
- Avaliar e relatar a evolução da sustentabilidade do país,
- Contribuir para a melhoria da gestão do desempenho ambiental,
económico, social e institucional,
- Tornar mais eficientes os processos de sistematização e troca de
informação sobre ambiente e desenvolvimento sustentável.

Profª Alexandra Roldão 75


GESTÃO DE RECURSOS NATURAIS
O que é um recurso natural?
São elementos criados pela natureza os quais o homem usa em seu benefício.
Servem para o desenvolvimento da civilização e favorecem a sobrevivência e
conforto da sociedade.
Que tipos de recursos naturais existem?
Recursos renováveis - não se esgotam na Natureza uma vez que a sua
renovação é permanente.
Recursos não renováveis – esgotam-se na Natureza, pois a sua capacidade de
renovação não é feita em tempo útil para o Homem, uma vez que este os
consome a uma velocidade superior àquela que a Natureza tem capacidade
produzi-los
Profª Alexandra Roldão 76
Profª Alexandra Roldão 77
Fontes de Energias Renováveis ou
alternativas
Uma fonte de energia é renovável, quando não é possível estabelecer um fim
temporal para a sua utilização.
Ex: o calor do sol (energia solar), as correntes do vento (energia Eólica), as marés
ou os cursos de água (energia hídrica).
As energias renováveis são virtualmente inesgotáveis, mas limitadas em termos
da quantidade de energia que é possível extrair em cada momento.

Profª Alexandra Roldão 78


Profª Alexandra Roldão 79
Principais vantagens da sua utilização
- São muito menos poluentes do que as restantes fontes de energia,
- Podem ser exploradas localmente,
- A exploração local das energias renováveis contribui para reduzir a
necessidade de importação de energia,
- Atenua-se a dependência energética relativamente aos países
produtores de petróleo, carvão e gás natural.

Profª Alexandra Roldão 80


Profª Alexandra Roldão 81
Profª Alexandra Roldão 82
Fontes não renováveis, fósseis ou convencionais
Fontes de energia que se encontram na Natureza em quantidades
limitadas e que se esgotam com a sua utilização.
Como se formam?
Resultam da degradação de plantas e animais enterrados há milhões de
anos. As elevadas temperatura e pressão transformaram os restos
destes seres vivos nos chamados combustíveis fósseis.
As suas formas mais conhecidas são o petróleo bruto, carvão e gás
natural.

Profª Alexandra Roldão 83


Profª Alexandra Roldão 84
CONCEITOS AMBIENTAIS
Proteção Ambiental
Conjunto de medidas para cuidar de nosso habitat natural, preservá-lo da contaminação e
deterioração.
Exemplos:
- Impedir ou limitar o corte de árvores,
- Dar o melhor tratamento para os resíduos,
- Proibir a caça de animais em perigo de extinção,
- Reduzir o consumo de energia, pesticidas, combustíveis e outros
poluentes,
- Minimizar o ruído, não jogar lixo, e reciclá-lo.

Profª Alexandra Roldão 85


• Proteção Ambiental (definição) é a prática de proteger o ambiente natural, nos
níveis individual, organizacional ou governamental.
• Desde os anos 60, a atividade de organizações de proteção do meio ambiente
tem vindo a atuar a favor da preservação ambiental, para tentar garantir que
tenhamos um planeta ambientalmente mais sustentável.

Profª Alexandra Roldão 86


Fatores essenciais para a promoção da proteção ambiental


Legislação
Ambiental
Educação
Ética

Profª Alexandra Roldão 87


Educação ambiental
É um processo de educação, responsável por
formar indivíduos preocupados com os
problemas ambientais e que busque a
conservação e preservação dos recursos naturais
e a sustentabilidade, abordando os seus aspetos
económicos, sociais, políticos, ecológicos e éticos.

Profª Alexandra Roldão 88


Sustentabilidade
A capacidade de o ser humano interagir com o mundo,
preservando o meio ambiente para não comprometer os
recursos naturais das gerações futuras.

Profª Alexandra Roldão 89


ASPETOS GERAIS DA POLÍTICA
AMBIENTAL
Política Ambiental
É um modelo de administração adotado por um governo
ou empresa para se relacionar com o meio ambiente e os
recursos naturais.
A UE tem algumas das normas ambientais mais
exigentes do mundo que visam:
- Proteger o património natural europeu,
- Incentivar as empresas a tornar a economia mais
ecológica,
- Proteger a saúde e o bem-estar dos cidadãos
europeus.

Profª Alexandra Roldão 90


REQUISITO LEGAIS COMUNITÁRIOS E NACIONAIS
A legislação da EU, em matéria de proteção do ambiente,
abrange uma grande variedade de temas:
Ar: estabelece normas de qualidade do ar, limites máximos para
os poluentes emitidos e regras para as fontes de emissões,
como as normas aplicáveis aos veículos.
Produtos químicos: tem por objetivo proteger a saúde humana,
o ambiente e regulamentar o comércio de produtos químicos,
pesticidas e respetiva rotulagem.
Clima: limita as emissões de gases com efeito de estufa das
fábricas e centrais elétricas, bem como as emissões de gases
com efeito de estufa de outros setores.
Exemplo a agricultura, o transporte rodoviário e os edifícios.
Promove ainda as fontes renováveis de energia.

Profª Alexandra Roldão 91


Natureza: visa proteger a natureza, biodiversidade e os serviços dos ecossistemas através da
rede Natura 2000 de zonas protegidas, que cobre 18 % da massa terrestre da União.
Resíduos: procura melhorar a gestão dos resíduos e estabelece requisitos para o seu fluxo.
Água: proteger as águas superficiais e subterrâneas da poluição, com normas relativas à água
potável e às águas balneares, bem como aos requisitos em matéria de gestão das cheias.
Profª Alexandra Roldão 92
Ar
A melhoria da qualidade do ar, nas últimas décadas, foi um dos grandes êxitos da política
comunitária em matéria de ambiente, mostrando que é possível dissociar o crescimento
económico da degradação do ambiente.
No entanto, não obstante as ações empreendidas, existem ainda problemas que persistem e que
urge resolver.
Profª Alexandra Roldão 93
https://www.youtube.com/watch?v=Xyir6xQsQr0&t=42s

Profª Alexandra Roldão 94


Alterações Climáticas
Têm vindo a ser identificadas como uma das maiores ameaças ambientais,
sociais e económicas que o planeta e a humanidade enfrentam na atualidade.

Profª Alexandra Roldão 95


Causas das Alterações Climáticas
A atmosfera é uma camada constituída por vários gases que envolve o planeta. Os principais
são o Nitrogénio (N2) e o Oxigénio (O2) que, juntos, compõem cerca de 99% da atmosfera.
Outros gases encontram-se presentes em pequenas quantidades, entre eles os gases com
efeito de estufa (GEE)
Ex: Dióxido de carbono (CO2), metano (CH4), óxido nitroso (N2O), Perfluorcarbonetos
(PFC’s ).
Eles têm a capacidade de reter a radiação infravermelha emitida pela Terra, impedindo-a de
escapar para o espaço, causando o denominado Efeito de Estufa.
Profª Alexandra Roldão 96
O CO2 é responsável por 63% do aquecimento global mundial.
A sua concentração na atmosfera é hoje 40% mais elevada do que no início da era industrial.
O aumento das emissões de GEE (gases de efeito de estufa)deve-se aos seguintes fatores:
- Queima de carvão, petróleo ou gás que produz CO2 e N2O;
- Abate de florestas (desflorestação): as árvores ajudam a regular o clima absorvendo o CO2
presente na atmosfera. Quando são abatidas, esse efeito benéfico desaparece e o carbono
deixa de ser armazenado e permanece na atmosfera, reforçando o efeito de estufa;
- Aumento da atividade pecuária: as vacas e as ovelhas produzem grandes quantidades de CH4
durante a digestão dos alimentos;
- Utilização de fertilizantes que contêm azoto, estes produzem emissões de N2O;

Profª Alexandra Roldão 97


 Um aumento de 2ºC em relação à temperatura na era pré-industrial é considerado pelos cientistas como o
limite acima do qual existe um risco muito mais elevado de consequências ambientais perigosas e, até,
catastróficas.
Por esta razão, a comunidade internacional reconheceu a necessidade de manter o aquecimento global
abaixo de 2 ºC.

Profª Alexandra Roldão 98


Consequências das Alterações Climáticas
Custos para a sociedade e a economia
Os danos patrimoniais, para as infraestruturas e para a saúde humana representam
pesados encargos para a sociedade e economia.
Entre 1980 e 2011, as inundações afetaram mais de cinco milhões e meio de pessoas e
causaram prejuízos económicos diretos que excederam os 90 mil milhões de euros.
Setores fortemente dependentes de determinadas temperaturas e níveis de precipitação,
como: agricultura, a silvicultura, a energia e o turismo são particularmente afetados.

Profª Alexandra Roldão 99


Fusão do gelo e subida das águas do mar
Ao ser aquecida, a água dilata.
Simultaneamente, o aquecimento global provoca a fusão dos lençóis de gelo e dos glaciares polares.
Combinados, estes dois fenómenos estão a levar a uma subida do nível do mar que tem como
resultado a inundação e a erosão de zonas costeiras e de baixa altitude.

Profª Alexandra Roldão 100


 Fenómenos meteorológicos extremos, alterações nos padrões de pluviosidade
As chuvas torrenciais e outros fenómenos meteorológicos extremos estão a tornar-se
cada vez mais frequentes, encontrando-se na origem de inundações e diminuição da
qualidade da água, e também na redução da disponibilidade de recursos hídricos em
algumas regiões.

Profª Alexandra Roldão 101


 Riscos para a vida selvagem
As alterações climáticas estão a ser tão rápidas que estão a pôr em causa a capacidade de
adaptação de muitas plantas e animais.
Muitas espécies terrestres, de água doce e marinhas já se mudaram para novos habitats.
Se as temperaturas médias globais continuarem a aumentar descontroladamente,
algumas espécies vegetais e animais ficarão expostas a um risco acrescido de extinção

Profª Alexandra Roldão 102


Profª Alexandra Roldão 103

Você também pode gostar