Você está na página 1de 29

Engenharia das Energias Renováveis

POLITICAS ENERGETICAS E AMBIENTAIS

Barragem de Santa Luzia

ENERGIA
HÍDRICA

Sandrina Fidalgo de Oliveira | Janeiro 2021


ENERGIA HÍDRICA

CARACTERIZAÇÃO

IMPACTOS POSITIVOS

IMPACTOS NEGATIVOS

DESAFIOS PARA O FUTURO


INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

CARACTERZAÇÃO

O que é ?
 A energia hídrica é a energia obtida a partir da 
energia potencial de uma massa de água.

Como funciona ?

Onde está ?  Ela manifesta-se nos fluxos de água, como  rios


 e lagos e pode ser aproveitada por meio de um
desnível de água.
Qual a sua
importância ?
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

CARACTERZAÇÃO

O que é ?
 A produção é principalmente efetuada através
de centrais hidroelétricas que estão associadas
as barragens de grande ou média capacidade.
Como funciona ?
 A produção de hidroeletricidade leva a um
armazenamento das águas dos rios num
Onde está ?
reservatório designado por albufeira e
interrompe pontualmente o fluxo de água.
Qual a sua
importância ?
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

CARACTERZAÇÃO

O que é ?

Como funciona ?

Onde está ?

Qual a sua
importância ?
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

CARACTERZAÇÃO
Nome da Baragem Bacia Hidrográfica Construção Potência Instalada [MW] Produção Anual [GWh]
Barragem de Santa Luzia Zêzere 1942 32 55
Barragem de Pracana Tejo 1950 40 62
Barragem da Venda Nova Cávado 1951 144 389
Barragem de Castelo do Bode Zêzere 1951 139 390
Barragem de Belver Tejo 1952 81 176
O que é ? Barragem de Salamonde
Barragem do Cabril
Cávado
Zêzere
1953
1954
42
97
232
301
Barragem da Caniçada Cávado 1955 60 346
Barragem da Bouçã
Barragem da Paradela
Zêzere
Cávado
1955
1956
50
54
157
256,7 50%
Barragem do Vale do Rossim Mondego 1956 10 28
Barragem de Picote Douro 1958 180 1038
Barragem de Miranda do Douro Douro 1961 390 1036
Barragem de Bemposta Douro 1964 210 1086
Como funciona ? Barragem do Alto Rabagão
Barragem de Vilar
Rabagão
Douro
1964
1965
68
64
97
148
Barragem de Vilarinho das Furnas Cávado 1972 125 225
Barragem do Carrapatelo Douro 1972 210 871
Barragem da Régua Douro 1973 156 738
Barragem de Fratel Tejo 1973 130 348
Barragem da Valeira Douro 1975 216 801
Barragem de Varosa Douro 1976 25 60

Onde está ? Barragem da Aguieira


Barragem do Pocinho
Mondego
Douro
1981
1982
270
186
210
534
Barragem de Crestuma-Lever Douro 1985 108 367
Barragem de Torrão Douro 1988 146 228
Barragem do Alto-Lindoso Lima 1992 630 948
Barragem da Queimadela Ave 1993 20 45

Qual a sua Barragem de Senhora de Monforte


Barragem de Touvedo
Barragem do Caldeirão
Douro
Lima
Mondego
1993
1993
1993
10
22
32
33
67
45
importância ? Barragem de Nunes
Barragem do Sordo
Douro
Douro
1995
1997
10
10
42
25
Barragem do Alqueva Guadiana 2002 240 269
Barragem de Bouçais-Sonim Douro 2004 10 30
Barragem de Pedrógão Guadiana 2005 10 45
11 728,70
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

CARACTERZAÇÃO
Nome da Baragem Bacia Hidrográfica Construção Potência Instalada [MW] Produção Anual [GWh]
Barragem da Queimadela Ave 1993 20 45
Barragem da Venda Nova Cávado 1951 144 389
Barragem de Salamonde Cávado 1953 42 232
Barragem da Caniçada Cávado 1955 60 346
Barragem da Paradela Cávado 1956 54 256,7

O que é ? Barragem de Vilarinho das


Furnas Cávado 1972 125 225
Barragem de Picote Douro 1958 180 1038
Barragem de Miranda do Douro Douro 1961 390 1036
Barragem de Bemposta Douro 1964 210 1086
Barragem de Vilar Douro 1965 64 148
Barragem do Carrapatelo Douro 1972 210 871
Barragem da Régua Douro 1973 156 738
Barragem da Valeira Douro 1975 216 801

Como funciona ?
Barragem de Varosa Douro 1976 25 60
Barragem do Pocinho Douro 1982 186 534
Barragem de Crestuma-Lever Douro 1985 108 367
Barragem de Torrão Douro 1988 146 228
Barragem de Senhora de
Monforte Douro 1993 10 33
Barragem de Nunes Douro 1995 10 42
Barragem do Sordo Douro 1997 10 25
Barragem de Bouçais-Sonim Douro 2004 10 30

Onde está ? Barragem do Alqueva


Barragem de Pedrógão
Guadiana
Guadiana
2002
2005
240
10
269
45
76%
Barragem do Alto-Lindoso Lima 1992 630 948
Barragem de Touvedo Lima 1993 22 67
Barragem do Vale do Rossim Mondego 1956 10 28
Barragem da Aguieira Mondego 1981 270 210

Qual a sua
Barragem do Caldeirão Mondego 1993 32 45
Barragem do Alto Rabagão Rabagão 1964 68 97
Barragem de Pracana Tejo 1950 40 62
importância ? Barragem de Belver
Barragem de Fratel
Tejo
Tejo
1952
1973
81
130
176
348
Barragem de Santa Luzia Zêzere 1942 32 55
Barragem de Castelo do Bode Zêzere 1951 139 390
Barragem do Cabril Zêzere 1954 97 301
Barragem da Bouçã Zêzere 1955 50 157
11 728,70
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

CARACTERZAÇÃO

Contribuição das energias renováveis


para o consumo final de eletricidade (%)
O que é ? 2019

21.39

Como funciona ? 28.54

Onde está ? 7.02


2.80

0.45

Qual a sua
importância ? Eólica Térmica Geotérmica Fotovoltaica Hídrica
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

CARACTERZAÇÃO

Contribuição das energias renováveis


O que é ? para o consumo final de eletricidade (%)
80
36.32 36.45
70 32.88
28.41
33.18 21.39
60 21.37
Como funciona ? 25.03 16.36
50
14.40
18.78
40

30
Onde está ?
20

10

Qual a sua 0

importância ? 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019

Eólica Térmica Geotérmica Fotovoltaica Hídrica


INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS POSITIVOS

 É uma fonte renovável de energia. Utiliza a energia da corrente


de água para produzir eletricidade.

 É benéfico do ponto de visto económico. Criam-se postos de


trabalho e desenvolve-se a economia local durante a construção.

 Existe uma gestão flexível das centrais. A produção é adaptada


consoante as necessidades.

 A água dos rios é um recurso doméstico e, ao contrário de


combustíveis fósseis, não está sujeita a flutuações de mercado,
o que assegura segurança energética e estabilidade de preços.
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS POSITIVOS

 Ao armazenar e reter a água reduz-se a vulnerabilidade a


inundações e seca.

 O ciclo de vida da centrais hidroelétricas produz


quantidades muito pequenas de gases do efeito estufa
(quando comparadas com centrais a gás, carvão) ajudando
no combate às alterações climáticas.

 As centrais não produzem poluentes no ar e reduzem a


produção de chuva ácida.
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS POSITIVOS

 A albufeira das barragens cria possibilidade de recreação,


turismo e melhora o bem-estar da população.

 As infraestruturas têm um tempo médio de vida útil de 50


a 100 anos, os empreendimentos hidrelétricos são
investimentos de longo.
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS NEGATIVOS

CICLO DE VIDA DE UMA CENTRAL HIDROELÉTRICA

FASE DE CONTRUÇÃO/IMPLANTAÇÃO

FASE DE EXPLORAÇÃO

FASE DE DESATIVAÇÃO
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS AMBIENTAIS

FASE DE CONTRUÇÃO/IMPLANTAÇÃO

A construção de uma central hidroelétrica implica em três conjuntos de


ações:

 ocupação da área do empreendimento (desmatação, terraplanagem,


aterro e desmonte), áreas de apoio (estaleiro, armazéns,
estacionamentos, postos de combustíveis), acessos (estradas de acessos
e portos) e construção e manutenção da barragem ;
 formação do reservatório/albufeira , inundações e funcionamento da
hidrelétrica;
 Expropriação de terras e alterações das atividades econômicas e
sociais locais.
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS AMBIENTAIS

FASE DE CONTRUÇÃO/IMPLANTAÇÃO

 A formação da albufeira afeta fortemente a fauna e flora


locais. Muitas espécies acabam submersas e,
consequentemente, morrem, criando uma espécie de
depósito, que compromete o funcionamento das turbinas.

 A implantação de barragem interfere de forma irreversível


no micro clima local, provocando alterações na
temperatura, na humidade relativa do ar, na evaporação e
afeta o ciclo pluvial.
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS AMBIENTAIS

FASE DE CONTRUÇÃO/IMPLANTAÇÃO

 Existe a liberação de gás metano (CH4) na área do fundo


do reservatório.

 O excesso de nutrientes na água, principalmente fosfato e


nitrato, ocasiona um aumento significativo de algas e de
microorganismos, levando a uma brusca redução do teor
de oxigênio dissolvido (eutrofização).
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS AMBIENTAIS

FASE DE CONTRUÇÃO/IMPLANTAÇÃO

 Na fauna aquática, as espécies acostumadas à água


corrente têm dificuldades em se adaptar à água quase
parada de um lago, onde o nível de oxigenação diminui
acentuadamente. A consequência é a proliferação de
determinadas espécies em relação a outras.

 Há diminuição na quantidade e na qualidade dos peixes, o


que causa prejuízos às populações ribeirinhas que têm na
pesca uma fonte de alimentação e atividade econômica.
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS AMBIENTAIS

FASE DE CONTRUÇÃO/IMPLANTAÇÃO

 Realojamento das populações afetadas

 Perda de sítios arqueológicos que são elementos do


patrimônio cultural da humanidade que ficam submersos.
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS AMBIENTAIS

FASE DE CONTRUÇÃO/IMPLANTAÇÃO
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS AMBIENTAIS

FASE DE EXPLORAÇÃO

Na fase de exploração os impactos ambientais são menores contudo


decorrem durante toda a duração de vida da central.
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS AMBIENTAIS
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS AMBIENTAIS
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS AMBIENTAIS
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

IMPACTOS AMBIENTAIS

FASE DE DESATIVAÇÃO
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

DESAFIOS PARA O FUTURO

 Implementação de mini-hídricas
 Instalar painéis fotovoltaicos na albufeira da barragem
 a combinação de duas fontes de energia renovável com elevada
complementaridade (visto que as melhores condições para a produção de
energia solar acontecem quando há menos produção hídrica);
 utilização de uma única infraestrutura para fazer a ligação à rede;
 poupança no espaço, não sendo necessário ocupar terreno fértil;
 arrefecimento natural dos equipamentos concedido pela superfície aquática,
permitindo assim obter-se rendimentos mais elevados;
 proteção da radiação solar no meio subaquático, o que reduz a proliferação de
algas e o consequente efeito eutrofizante, mitigando também as emissões de
gases de efeito estufa.
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

DESAFIOS PARA O FUTURO


INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

DESAFIOS PARA O FUTURO

 Produção hídrica com armazenamento por bombagem

 Apesar das fontes de energia renovável serem praticamente


inesgotáveis e amigas do ambiente, são também imprevisíveis e
apresentam disponibilidades variáveis.
 Esse desequilíbrio pode surgir quando há escassez de fontes de
energia, como acaba por acontecer com Portugal em tempo de
seca, onde as barragens perdem a sua capacidade por falta de
precipitação, e consequentemente, sem armazenamento suficiente
para gerar energia hidroelétrica.
INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

DESAFIOS PARA O FUTURO


INTRODUÇÃO
ENERGIA HÍDRICA

DESAFIOS PARA O FUTURO

 Aproveitamento da energia das ondas do mar

Você também pode gostar