Você está na página 1de 14

Prática Baseada em

Evidências em Psicologia
Ms. Beatriz Albuquerque
Disciplina de Análise Experimental do
Comportamento II
 A prática baseada em evidências,
cuja premissa é a de que a conduta
do psicólogo deve ser
fundamentada em evidências
empíricas.
 Todavia, a compreensão do que Prática Baseada
constituem essas evidências e
como elas deveriam ser em Evidências em
produzidas, avaliadas e aplicadas é Psicologia
alvo de uma enormidade de
controvérsias fundamentada em
dados empíricos (LEONARDI,
MEYER, 2015).
“Em 1952, o psicólogo alemão Hans
Eysenck publicou uma revisão de 19
estudos empíricos de psicoterapia de
sua época, nos quais a única medida
de resultado disponível era o registro História da Prática
do terapeuta em termos de cura ou
muita melhora, melhora, pouca
Baseada em
melhora e nenhuma melhora, e Evidências em
concluiu que nenhuma modalidade
de intervenção psicoterápica era
Psicologia
mais efetiva para a melhora do
cliente do que a mera passagem do
tempo (LEONARDI, MEYER, 2015).”
 1975, Luborsky, Singer e Luborsky
analisaram 105 pesquisas que compararam
o efeito de diferentes modalidades de
psicoterapia entre si.

 Os autores concluíram que a maioria dos


estudos comparativos das diferentes
formas de psicoterapia revelaram poucas
diferenças nas proporções de melhora em
pacientes atendidos pelas abordagens
História da Prática
diferentes ao final
psicoterapia(LEONARDI, MEYER, 2015).
da Baseada em
Evidências em
 A eficácia das psicoterapias foi atribuída a
características que estão presentes nas Psicologia
mais diversas intervenções terapêuticas, os
chamados fatores comuns, que incluem
qualidades do terapeuta (e.g., empatia e
aceitação), características do cliente (e.g.,
expectativa de melhorar com a terapia) e
relação terapêutica, esta considerada a
principal variável causal do sucesso da
intervenção (LEONARDI, MEYER, 2015).
 Beutler, 1979; Kazdin & Bass, 1989
argumentavam que os principais
responsáveis pela mudança terapêutica
seriam os fatores específicos–
procedimentos, técnicas e estratégias –
presentes em cada modalidade de terapia;

 Com o intuito de comprovar o papel dos


fatores específicos, a Divisão 12 da
(American Psychological Association) APA
História da Prática
instaurou, em 1993, uma força-tarefa
composta por psicólogos de diferentes
Baseada em
abordagens teóricas, cujos objetivos eram Evidências em
definir e por tratamentos empiricamente
sustentados; Psicologia
 Propor diretrizes de formação para
futuros terapeutas e de treinamento
contínuo para os profissionais em
exercício, disseminar os tratamentos
empiricamente sustentados para os
planos de saúde e informar a população
sobre a eficácia da psicoterapia.
 Beutler, 1979; Kazdin & Bass, 1989
argumentavam que os principais
responsáveis pela mudança terapêutica
seriam os fatores específicos–
procedimentos, técnicas e estratégias –
presentes em cada modalidade de terapia;

 Com o intuito de comprovar o papel dos


fatores específicos, a Divisão 12 da APA História da Prática
(Psicologia Clínica) instaurou, em 1993,
uma força-tarefa composta por psicólogos Baseada em
de diferentes abordagens teóricas, cujos
objetivos eram definir e por tratamentos Evidências em
empiricamente sustentados;
Psicologia
 Propor diretrizes de formação para
futuros terapeutas e de treinamento
contínuo para os profissionais em
exercício, disseminar os tratamentos
empiricamente sustentados para os
planos de saúde e informar a população
sobre a eficácia da psicoterapia.
 1993, Força tarefa 12, APA:
Concentrou suas pesquisas em
os tratamentos que estavam
descritos em manuais e de
acordo com problemas clínicos
específicos;
 Principais críticas a força História da Prática
tarefa 12: uso de manuais, Baseada em
foco em diagnósticos clínicos,
forte tendência para as terapia Evidências em
cognitivas comportamentais, o Psicologia
fato de um tratamento ser
eficaz em condições
controladas de pesquisa não
garantiria que ele seja efetivo
no contexto real de serviços
de psicoterapia.
 1999, Divisão 29 da APA (Psicoterapia)
com o objetivo de identificar,
operacionalizar e disseminar
informações sobre relações
terapêuticas empiricamente
sustentadas;
 A tensão entre as forças-tarefa das
diferentes divisões da APA intensificou
o debate sobre o que deveria ser História da Prática
empiricamente validado na pesquisa
em psicoterapia – fatores comuns ou
Baseada em
fatores específicos. Evidências em
 2002 pela Society for Psychotherapy
Research, tentam integrar os Psicologia
trabalhos anteriores da Divisão 12 e
da Divisão 29.
 Todos os fatores envolvidos no
processo psicoterápico estariam
relacionados ao resultado e, portanto,
deveriam ser levados em
consideração.
 2006, Publicação do estudo
‘Princípios de mudança
terapêutica’:
 Disponibilidade ao cliente
durante períodos de crise”;
 Aliança de trabalho é História da Prática
estabelecida e mantida Baseada em
durante o curso do Evidências em
tratamento Psicologia
 Atitude de cuidado,
cordialidade e aceitação
tende a facilitar a mudança
terapêutica” (Castonguay &
Beutler, 2006b).
 2006, a APA validou o
papel vital da pesquisa
científica, a utilidade
dos manuais de
tratamento, a Prática Baseada
relevância das técnicas em Evidências em
Psicologia
específicas, a
importância dos
fatores comuns.
 O processo individualizado de
tomada de decisão clínica que
ocorre por meio da integração da
melhor evidência disponível com a Prática Baseada
perícia clínica no contexto das em Evidências em
características, cultura e
preferências do cliente (LEONARDI, Psicologia
MEYER, 2015).
 Existem dados com
diferentes níveis de
qualidade, ficando a
cargo do terapeuta a
seleção dos mais
relevantes: Prática Baseada
 (1) grau de em Evidências em
compatibilidade das Psicologia
evidências com o caso
em questão
 (2) grau de
confiabilidade dessas
evidências
 “O debriefing psicológico é uma
intervenção conduzida nos
primeiros dias após a exposição
traumática, focada na expressão de
sentimentos e relato da situação
traumática e na psicoeducaçao
sobre as reações esperadas1y.
Apesar de serem amplamente
Exemplo de
utilizadas, as intervenções baseadas impacto das
em debriefing psicológico não
apresentam sustentação empírica evidências na
para a redução de sofrimento ou prática do
prevenção de reações pós-
traumáticas desadaptativas, psicólogo
podendo, segundo alguns estudos,
prejudicar o processo de
recuperação esperado após a
exposição a traumas e apresentar
efeitos prejudiciais a longo prazo
(SILVA et al., 2013, p. 97).”
 LEONARDI, MEYER. Prática Baseada
em Evidências em Psicologia e a
História da Busca pelas Provas
Empíricas da Eficácia das
Psicoterapias. Psicologia:Ciência E
Profissão, 35(4), 1139-1156 2015
 SILVA TLG, MELLO PG, SILVEIRA Referências
KAL, WOLFFENBÜTTEL L, LOBO
BOM, BICCA CHM, et al. Primeiros
Socorros Psicológicos: relato de
intervençao em crise em Santa
Maria. Rev. bras.
Psicoterapia, ;15(1):93-104, 2013.

Você também pode gostar