Você está na página 1de 107

m 

  
   
Ú Ú Ú  

  ÚÚ
Ú  Ú


  Ú
Ê  

   Ú

 Ú 
Ê 
´(...) Uma energia que nos motiva para encontrar
amor, contacto, ternura e intimidade; ela
integra-se no modo como nos sentimos,
movemos, tocamos e somos tocados; é ser-se
sensual e ao mesmo tempo ser-se sexual. A
sexualidade influencia pensamentos,
sentimentos, acções e interacções e, por isso,
influencia também a nossa saúde física e
mentalµ O.M.S (1975)

   
O que é o namoro?
Ú   
    
 
 


 Namoro Ú  

 
  
 


 
  



   
m





m


 
m


Ë Yonjunto de cuidados de saúde que visa
ajudar as mulheres e os homens a
planearem o nascimento dos seus filhos, a
viverem a sua sexualidade de uma forma
gratificante, sem o receio de uma gravidez
que naquele momento não desejam.
m

 
 !
"

Ë mromover uma sexualidade saudável;

Ë Melhorar a saúde e o bem-estar da


família;

Ë mreparar uma maternidade e paternidade


consciente;

Ë tc.

 
m"
O Q ÊO MÉTOOÊ
YONTRY mTOÊ?

Ë Êãoprocessos que permitem evitar uma


gravidez não desejada.
Q M   ÊR MÉTOOÊ
YONTRY mTOÊ?

Ë Qualquer pessoa que tenha iniciado a sua vida


sexual e que não deseje engravidar no momento.
  m
  

 
 
m"

Ë xistem vários métodos contraceptivos.

Ë  escolha de um método contraceptivo deve ser


auxiliada por um médico.

Ë Yada um escolhe o método que mais se adequa à sua


idade, frequência de actividade sexual,...
# "
$  
m
 m % 
&


ËO homem tem igual responsabilidade e deve
assumir o seu papel paternal.

Ë eve estar igualmente informado sobre os


métodos contraceptivos existentes para a evitar,
de forma que possa ser feita uma escolha
conjunta, do método que
oferece mais segurança a ambos.
Métodos
contraceptivos

Reversíveis rreversíveis

Naturais Não naturais

Mecânicos

Químicos
Métodos Yontraceptivos
mreservativo mílula ...

iafragma mplante nel vaginal


hormonal
  
m"
Ë Reversíveis ² métodos que ao deixarem de ser
utilizados permitem uma gravidez.

Ë rreversíveis² estinam-se essencialmente a


casais que não desejem ter mais filhos, uma
vez que são praticamente irreversíveis.  sua
eficácia é praticamente total. xige uma
intervenção cirúrgica que pode envolver uma
anestesia geral ou local.
 
"
'"

 
"
'"

Ë ()*+, -.,-
/-.  0*+,1  2
Operação cirúrgica onde é feito um pequeno
corte nas trompas de Falópio para impedir o
encontro entre os espermatozóides e o óvulo.

Ë "-3., 
/-.  0*+,-3) 2

Operação cirúrgica onde é feito um pequeno


corte nos canais deferentes para evitar que o
esperma expelido contenha espermatozóides.

"
'"

  
m"

"
'"

Ë 4., ,-.) -

Ë 4., ,-
&,, -
Ë 4., ,- 
 

"
'"

Ë Métodosnaturais - são métodos que se
baseiam no conhecimento do período fértil da
mulher (período durante o qual pode ocorrer a
fecundação) e na abstenção de relações sexuais
durante esse período. Êão menos eficazes que
os métodos não naturais.

Ë Métodos não naturais ² são métodos que


impedem a fecundação através da utilização
de dispositivos adequados, enquanto que
outros se baseiam no uso de substâncias.
  
  
Ë 4., , ,
3 5 ,
Ë 4., , ,3, .,
., ,
Ë 4., , 
..)
-
Ë 4., , ,)3,
36 3
  
Ë 4., , ,3 5 ,,)  ,
4., , ,3 5 ,,)  ,

 mulher só engravida em determinados dias,


entre as menstruações, que corresponde m ao
período durante o qual se dá a ovulação, período
fértil.
  
Ë 4., ,  ..)
 temperatura do corpo da mulher varia durante
o seu ciclo.

Êobe nos dias entre a ovulação e a menstruação


seguinte.

Temperatura antes da ovulação: 36,5°Y

Temperatura após a ovulação: 37°Y

penas 2/3 dias após esta subida é que o risco de


engravidar é menor.
Ë eve-se verificar a temperatura todos os dias.

Ë Medir a temperatura utilizando sempre o mesmo


termómetro.

Ë Registar a temperatura num gráfico.


  
Ë 4., ,   - ,) ,)3,36 3

Ë ste método consiste numa observação regular do


muco cervical.

Ë O muco cervical (secreção normal produzida pelo colo


do útero) torna-se mais abundante, mais líquido e
mais transparente na altura da ovulação.

Ë evem evitar-se as relações sexuais desde o momento


em que o muco se apresenta com este aspecto, até ao
momento em que se torna mais espesso e de cor
amarelada.
  
Ë , ., ., ,

Ë Nestemétodo o Homem retira o pénis da


vagina antes da ejaculação.

Ë sua eficácia é baixa dado que nas gotas


de líquido pré-ejaculatório pode haver
espermatozóides que fiquem na vagina
antes da interrupção da relação sexual.
 & 

Ë  -

Ë 73.56 -

Ë  - 6,

Ë .-

Ë 
m'
Ë Yomprimido feito à base de hormonas sintéticas que
são similares às hormonas femininas produzidas
naturalmente pelos ovários (estrogénios e
progesterona).

Ë pílula impede a ovulação e, consequentemente, uma


gravidez.
xistem vários tipos de pílulas, pelo que deverá ser um
médico a aconselhar qual a mais indicada.
m'
Ë É um método bastante eficaz desde
que não existam esquecimentos, a
ingestão de outros medicamentos
que possam anular o seu efeito e à
ocorrência de episódios de vómitos
ou diarreia.

Ë Toma-se 1 comprimido por dia,


durante 21 dias, de preferência
sempre à mesma hora.

Ë Faz-se uma pausa de 1 semana (7


dias), no fim da qual se inicia uma
nova embalagem (ao 8 dia).
YONTRY m O HORMON OR m'
i  
Ë |  

Ë     

Ë      
 
Ë     
    
 
Ë !    "
   
#
$%&|'()$ *$+$&, $&, $%&'&
Õ  




  
   
  Õ 





 
 
  

   



     



 

     
 !
 "    # 
  

   
m'   
#

Ë Yonsiste na toma duma pílula especial nas 72


horas seguintes ao acto sexual (duas tomas com
um intervalo de 12 horas). Quanto mais cedo for o
início do tratamento, maiores serão as
probabilidades de sucesso.

Ë mode ter muitos e fortes efeitos secundários.

Ë Não deve ser utilizada como método


contraceptivo mas apenas numa situação de
emergência, por causa da elevada concentração de
hormonas.
$%&|'()$ !| |+|-./&
$%&'& Õ Õ ('

Êó deve ser utilizada em último recurso, caso


exista um ´acidenteµ contraceptivo.

sta pílula é composta por doses hormonais


elevadas;
$%&|'()$ !| |+|-./&
$%&'& Õ Õ ('

ËÉ o único método contraceptivo que pode ser


utilizado até 72 horas após a relação sexual
desprotegida, para prevenir a gravidez

Ë Quanto mais cedo for tomada, melhor, pois a


eficácia que atinge os 75% na prevenção da
gravidez decresce com o passar do tempo.
$%&|'()$ !| |+|-./&
$%&'& Õ Õ ('



 pílula do dia seguinte impede a


gravidez antes desta começar.
Ê 0  ###
  #
   1#
m'
#

"#
 
"#


Ë modem aparecer efeitos colaterais como:

‡ Náuseas (temporária, cerca de 1 dia);


‡ ómitos;
Ë   3 ‡  pílula do dia seguinte chega a ter dez
86.9é evitar vezes mais hormonas que as
convencionais.
uma 6 0 ‡ O uso contínuo, várias vezes ao mês,
-  altera o ciclo menstrual e aumenta o
risco de gravidez, diminuindo a eficácia
do método.
‡ ste abuso pode causar danos graves,
como cancro da mama e do útero,
problemas numa futura gravidez, além
de trombose e embolia pulmonar.
& 
Ë 73*:-;,, - ² injecções constituídas
por hormonas que se vão libertando de modo
contínuo durante determinado tempo
(geralmente são de três meses).
& 

Ë .

É uma pequena vareta do tamanho de um fósforo que é


colocada sob a pele, no lado interno da parte superior do
braço.

ai libertando lentamente uma hormona que evita a


libertação mensal de oócitos  do ovário. Também evita
que o esperma alcance o útero.

 sua eficácia mantém-se por um período de três anos.



"
& 
Ë  - 6,

Ë Trata-se de um adesivo fino, bege, que pode ser usado


em quatro áreas do corpo: as nádegas, peito (excluindo
os seios), costas ou parte externa do membro superior.

Ë Yontém hormonas que são rapidamente libertadas


através da pele para a corrente sanguínea durante sete
dias. Yada adesivo deve ser mudado semanalmente
durante três semanas, seguido por uma semana ´sem
adesivoµ, quando aparece a menstruação.
 & 
Ë 
"#

Ë É um pequeno anel de silicone que se coloca


dentro da vagina, libertando lentamente
hormonas, de modo a evitar a fecundação.
 

 

Ë m-6. 6,
-3) ,

Ë m-6. 6,
  ,

Ë  1

Ë
- 3 -

m
 
Ë mrodutos químicos que podem ser apresentados sob a
forma de espuma, creme ou óvulos.

Ë estroem ou imobilizam os espermatozóides, inibindo


a sua passagem para o útero. O espermicida deve ser
introduzido na vagina antes das relações sexuais.

m
 

Ë sados sozinhos têm uma segurança


baixa, mas se forem usados em conjunto
com o preservativo oferecem uma
protecção eficaz.
m

""
 
m

""
 

Ë ctua como uma barreira que evita o


contacto entre o esperma, as secreções
vaginais e o sangue dos parceiros sexuais;

mrotege das ÊT·s e evita a gravidez;

 eficácia depende da sua utilização


correcta e sistemática;
m

"" 
"#
 
"#

mrotege contra as ÊT·s; modem ocorrer reacções
alérgicas ligadas ao
Não tem efeitos látex ou ao lubrificante;
secundários;

Não necessita de
Êe não for usado
supervisão médica; correctamente, pode
rasgar durante o coito
Fomenta o envolvimento ou ficar retido na
masculino na contracepção vagina.
e na prevenção das ÊT·s;
$%&|'()$ !| 2&|/&
$) )ii  '&
Ë !     
      

Ë Ê     


      

Ë $   


       
3#
Ê! " 
! !  # $ 
!% &''
 

!% &
($ &   
(  
 #  
%  )))

/m"  

2
Ë mequeno aparelho em metal e/ou
plástico, que é introduzido no útero
e que aí permanecerá até acabar a
sua validade (3 a 5 anos).

Ë Êó pode ser colocado ou retirado numa


consulta médica.

Ë O  torna o muco da cavidade


uterina menos propício à presença dos
espermatozóides e/ou impede a nidação,
ou seja, a implantação do embrião nas
paredes do útero.
 #
Ë Yúpula de borracha fina, montada sobre um anel de metal
flexível recoberto de borracha.

Ë É introduzido na vagina, sobre o colo do útero, pela mulher,


antes da relação sexual e deve permanecer durante 8 horas.

Ë ste método impede que os espermatozóides atinjam o útero


e cheguem às trompas de Falópio.
m 

  
m"

m  m 
m

 m

 
      % &!'$   )% (.      /m0!
  % ! / * '$
! &(!) * ! & / *  !! 2(+, !%"("&! )
m   " # !$ "!+, ) - ! / 0& 1%!&$ !(! )
%)3 !$
"!+, ) - %

" 5(!6 " 5(!6 " 5(!6 " 5(!6


789 ! :89 !0)6 % <<8=> 78: ! @ !0)6  (!)! :77 787 ! :8- !0)6 
:77 %"&1;! 7 ! 787? !0)6  :77 %"&1;! (!)!
4 %"&1;! :77 %"&1;!

imB) %! "&! D& ! E"% , ) " , i 5(C(! , ) ) )! i5(C(!  "!+!
i %"+, )! ) E" %!  %"&1  )! 5%! (% "&6! &1! "!+F )
%"! m) !%!%!/ i , )%" ! 5&)!) )%G )%" (
A
i ( ) (!( ) 0B0& i ! )"!+,  0B0& ) mH
0C  ) )% "!+, - !

i, 0 (! ! i&" 5 )!!)C0 K, 0 ! 


I J im0(! "&!)!)

I ) ) (!*+!8 !"% ) 5(+F 3"!&% %"!&
i3 "% (% % HHH$ !%B0 i&"%! )%!  

A
)C )! %"&1 ,  (! ! 
I K  , 1%!& )
&0! ! B) %"!
K 5&)!)
im) !6 !&" 5 i,  (! !
(")C %! &!) 
I
i"% ) 

i C! %!(! !(B0  # )  (&(!) K


# C !(B0& %


L   ! 5!%C(!8 *% (%


% &!  (&(!)  "%
 ((  (!&6!) ( ) !N) 
( %!)!)
 im+ !(B0&H m+
%). 9M % (!
5!& ) !N)
 1%!& J ((! :O-M
% &! )! %!(! % &! K% ! /(1! )
%)(!$
m
("! ((! ) :O7MH % !( !) % ?7>  /m0!8 :%&P@8O=M
% !( !)! % ?7>
% !( !) % ?7>

óó'  
 <<
m 

  
m"

 
  A m
 
L
HmQ ;
 //  

 4  
HORMONAL (Evra '$    "0! '$ ) ) *!! E" 0!   %) *!% !
Sistema trasnsdérmico %   (!( )( (% 5&"B) E" ! %"&1 ! )! !
contendo ! ( ! )5(! ! 5! 5H
m   Norelgetsromina & 5&3B0& ) &C( ) %!&% , 5 )
&!3  S% 0C !%!18
3% %).
Aplicação 3 semanas 3"! "!0 KL!!)  (!&)C
seguidas/colocar ao fim &(!)  :R )! ) (8 5%!8 (H K) )! % !"!
de 7dias %"!+,  %!( ! *!!&
0!!  - %!! K) ) %"(
K) %(
%*! 1!2! "(! %*! ! 5%!+, 2! 987 ! :7 !0)6 % (!)! @ ! @9 !0)6 % :77
5%!+, ) B0&8 &%!)!8  5(C(! %&! K )! :77 %"&1 %"&1;!
!*/ E" ! 5(C(! C B&"&! (%*!)!  5(C(! ) ) %" 
4 !(%! ) <=> " ( ) %)

i4C(& "&6!+, i4C(& ) (&(! i, % E"!E" (


i! ! 1%!! i, 3 (% %   
4T !! ! !N)  5
%! "&!8 ("!  )C m   
(")C
A
% )&! i) 0B0& 4U

i ) 0B0&
V





i  5 (")C im)  %! )5B(& ) i% ) ! ) B0&  m) E" &
, %&! ! )! B&"&! "&6! !! %"&1 E" %% )! &!+, 3"!& B) ) !*S(!
i,  (! ! 1!% )5("&)!) % (!/ E" "%! *0!+,

A

I 
i, 0 ! 
I
! ) 5"(!%
) (  )! %"&1
i,  (% !( !) ,  (! ! 
I

i,  (% !( !) i !& 0!!& 0)/ ! i" !(B0&.  (&1! ) %)


L   i"! ((! ) :-M 5!%C(! " %(!)8 5!%C(! " ) ) ! ! )!
i "! ((! ::M !" % ( ) !N) %0!+, ) (!!&
  !6!+F ,/
0!%! 3. m4$
0&0)

m
m+  ")!). :M

óó'  
 <<
m 

  
m"


m 
W  
 
 m

m)% ! !/ * K) (N( Km()% (N(


! 5%! ) (%8 )  % ! ) 4!&#  ,  % (!  (!!&
 "%!8  2!8 (   +, & %) )0  )5 E" &!  B("&
m   " (% %) 0!! %" )!)! ! H 4 %!&%
(% !! &(!&
 )(, )0  %"

:= ! -7 !0)6 % :77 789 ! :8= !0)6 % :77 78:9 !0)6  :77


%"&1;! %"&1;! 1%;!
% (%*! (% " X : !0)6  %"&1;!
4 %)$

i4C(& "&6!+, i) %" 5(!6  " i) "8 5(!6 


im) !"%! ! ! (!( +, )50
&"*5(!+, 0!!& i, % 5 " ( i! 5(!6 E" % & E" !
A
!! ! !N) ! & !6 &!E"!+,
i
% 5 " ( !! !
!N)

iL!3! 5(C(! iE" ()% i %" )5B(&  ) )


im) 5 (% ! (N( 0  %)
&!+, 3"!& i (!  )5B(& 0  i,  %)!!% 5(!6

A
%)
im)  (% &(!+F !
(" !6

  %()! , C i %" )5B(&  ) ) i3 ( ! 0+ )




L   0)! % 5!%C(!  0  %) !N)


31  i,  %)!!% 5(!6

m

óó' 



=


 '"

 ! ! *  

* 
 ! # 

  
 
Ê +
Õ* +'&
)  %i

modem transmitir-se pelo contacto sexual, pelo


sangue, esperma e líquidos orgânicos
infectados.

 1-.>- , :


corrimento vaginal ou uretral;
ferida com diferentes localizações;
comichão nos órgãos sexuais;
ardor ao urinar ou durante as relações sexuais,
etc.
Õ* +'&
)  %i

- .?-  3  - , ,-  6 . -
@-:

tilizar sempre o preservativo;

imitar o número de parceiros;

Fazer análises regularmente.


Õ* +'&
)  %i

s ÊT·s mais frequentes são:

Ê; mediculose
Hepatite B; púbica;
Gonorreia; Yandidíase;
Herpes; aginites;
Êífilis; retrites.
!  
H  RÊ  MNO FY
NY
HMN (H)

ËÉ o responsável pela Ê


Ë É provável que o vírus do H tenha vindo
pelo contacto com o macaco africano que
tem o vírus Ê
Ë Tal como noutras infecções, o sistema
imunitário de uma pessoa infectada pelo
H produz anticorpos contra este vírus
Quando estes anticorpos são detectados
diz-se que uma pessoa é seropositiva
Ê
Ê NROM  MNO FY
NY
QR

Ë A , - refere-se ao grupo de sintomas que


colectivamente caracterizam uma doença.

Ë ), 1 3 ?3  - quer dizer que a doença é


caracterizada pelo enfraquecimento do sistema
imunitário.

Ë  ()   - quer dizer que a doença não é


hereditária e desenvolve-se após o nascimento
por contacto com um agente (H)

ËÚ Ú  
  


           
       


Ë  

Ë 
Ë ! 
 "     #$    

Ë    
    %

Ë m indivíduo pode ser portador do
vírus sem apresentar sinais ou
sintomas exteriores de doença.

Ë ste pode permanecer no organismo


um longo período de tempo antes da
Ê se declarar!!

#
#

=m    

 

 
 m
 

  m B

Ë martilhar seringas.
Ë martilhar escovas dos dentes.

Ë Fazendo tatuagens com

agulhas não esterilizadas.


Ë Não usar preservativo.

Ë martilhar objectos
pessoais cortantes.
H / Ê
FORMÊ  YONTÁGO
"&+,-.- ..64- 3,.3.,-
)-) - (aperto de mão, tocar, abraço, beijo social,
etc.).
Ë O H pode encontrar-se nas lágrimas, no
suor e na saliva de uma pessoa infectada,
contudo, a quantidade de vírus é demasiado
pequena para conseguir transmitir a infecção.
Ë limentos, água, espirros, tosse, insectos,
piscinas ou casas de banho.
H / Ê
FORMÊ  YONTÁGO
"&.- .>-B
Ë mor qualquer tipo de relação sexual não
protegida - vaginal, oral ou anal.
Ë  mãe infectada pode transmitir o vírus
ao filho durante a gravidez, parto ou
aleitamento ² pela troca de sangue e
fluidos sexuais.
Ë  troca de seringas infectadas ou a troca
de outros objectos cortantes pode também
permitir o contágio.
H / Ê
YONTÁGO

Ë #
> se estiver infectado e entrar dentro do nosso
organismo.
Forma mais perigosa de transmissão é através de uma seringa com sangue contaminado,
já que o vírus entra directamente na corrente sanguínea.

Ë 

C

= (esperma e secreções vaginais) -
sempre que exista uma relação sexual com penetração - vaginal, anal
ou oral - sem preservativo.
O risco é maior em relações sexuais com parceiros desconhecidos, múltiplos
parceiros sexuais ou parceiros 4 -3,) ,;,);D ,(),
3,.5 ,D,(),-44 -6 )., ,(),-1) ,-6  -, 
,3,., ,-,-. ,- *+,D-76 D,),-*:-
-E) -3, - -3,--+,- -

Ë 

m &> Êe a mãe estiver infectada,
pode transmitir a infecção ao seu bebé através do leite. Mas não só: também
pode transmitir o H ao filho durante a gravidez, através do seu próprio
sangue, ou durante o parto, através do sangue ou secreções vaginais.
H / Ê
mR  N O
Ë sar sempre preservativo nas relações sexuais,
não partilhar agulhas, seringas, material usado
na preparação de drogas injectáveis e objectos
cortantes (agulhas de acupunctura, instrumentos
para fazer tatuagens e piercings, de cabeleireiro,
manicura).

Ë É, também, preciso ter atenção à utilização de


objectos, uma vez que, se estiverem em contacto
com sémen, fluidos vaginais e sangue infectados,
podem transmitir o vírus.
H / Ê
YOMmORTM NTOÊ  RÊYO

Ë ,E 3,  .- - que se injectam e


partilham agulhas, seringas e outro material
usado na preparação da droga para injecção.

Ë m--,-()+,. 3-E,-), - que


não usam preservativos e têm mais do que um
parceiro sexual.

Ë m,1 -- , - -  - acidentes com contacto


com objectos cortantes contaminados (agulhas) ou
com sangue, ou outros líquidos orgânicos,
contaminados.
MTOÊ

´Ê e H são a mesma coisaµ


"O H afecta apenas homossexuais e usuários de
drogas"
"Não há risco para duas pessoas já infectadas ao ter
sexo sem protecção".
"messoas acima dos 50 anos não contraem H".
"ma mulher H positivo não pode dar à luz a um
bebé saudável".
"ma única pessoa identificada trouxe o H para a
mérica do Norte"
H mTT Ê:
-B-Y-- -G
H mTT Ê

Ë oenças do fígado de causa variada ( vírus,


bactérias, medicamentos, tóxicos etc.).
Ë O agente agressor causa uma inflamação
e morte das células do fígado.
Ë Êe a resposta do organismo é adequada a
hepatite pode curar, se é muito intensa pode
evoluir para uma forma grave ( hepatite
fulminante ), se a resposta é insuficiente a
infecção persiste e torna-se crónica.
Ë  Hepatite Yrónica pode evoluir para cirrose
e cancro de fígado.
H mTT 

Ë  hepatite  é uma infecção do fígado causada pelo vírus


da Hepatite  - H. que entra no organismo através do
aparelho digestivo e multiplica-se no fígado causando
neste órgão a inflamação.
Ë É uma infecção aguda quase sempre auto limitada, isto é,
evolui para a cura sem o recurso de nenhum
medicamento nem nenhuma atitude particular.
Ë Muito raramente a Hepatite  evolui para uma forma
grave de hepatite - Hepatite Fulminante - e nunca evolui
para hepatite crónica.
Ë  descoberta do vírus ocorreu em 1975, mas na
ntiguidade, já se registavam surtos da doença, na
altura chamada «icterícia infecciosa», e eram frequentes
as epidemias em períodos de guerra e de cataclismos.
H mTT 
YOMO Ê TRNÊMT  H mTT ?

ËO vírus é eliminado pelas fezes, sendo já


encontrado nas fezes 3 semanas antes de
começarem os sintomas.
Ë Transmite-se de pessoa para pessoa quando
os alimentos ou a água estão contaminados
por dejectos contendo o vírus.
Ë Mais frequente em países menos
desenvolvidos, devido à precariedade do
saneamento básico.
Ë mrincipalmente, em crianças e adolescentes.
H mTT 
FORMÊ  TR O YONTÁGO

ËO      
    
 
 
     
  

Ë     
   
 
      
   

 
Ë  
        

   
        
    ! K 
&
m

}  Hepatite B é uma doença infecciosa
frequentemente crónica causada pelo vírus da
Hepatite B (HB). Mais tarde pode progredir para
cirrose hepática ou cancro do fígado.

} Transmite-se sexualmente ou através de objectos


cortantes com sangue infectado;

} vita-se não realizando actividade sexual sem


preservativo, não partilhando objectos cortantes
com uma pessoa infectada e tendo a vacina contra a
Hepatite B em dia.
H mTT B
YOMO Ê TRNÊMT  H mTT B?
ËY   
   
"     
  

  
  
   
 


 
 
# 
  
ËY  !

Ë$  K      
H mTT B
FORMÊ  TR O YONTÁGO

Ë    


  
   %   
  &

      

      
 
 
   #!

ËY
       
  
   



   
 
 
    
Ë'  
  

         (
H mTT Y
Ë É uma inflamação do fígado provocada por um vírus,
que quando crónica, pode conduzir à cirrose,
insuficiência hepática e cancro.
Ë urante vários anos foi conhecida sob a designação de
hepatite não- e não-B, até ser identificado, em 1989, o
agente infeccioso que a provoca e se transmite,
sobretudo, por via sanguínea.
Ë É conhecida como a epidemia «silenciosa» pela forma
como tem aumentado o número de indivíduos com
infecção crónica em todo o mundo e pelo facto de os
infectados poderem não apresentar qualquer sintoma,
durante dez ou 20 anos, e sentir-se de perfeita saúde.
H mTT Y
YOMO Ê TRNÊMT  H mTT Y?
Ë!0 ) !" " )"
!"B (!%!)H
Ë !%,  0! 3"!&  !!8 %!
) (H
Ë3 "% ( )! %, 5(!)! )
!%  0B" ! 5H
Ë 5E"  3() )
!0H
H mTT Y
FORMÊ  TR O YONTÁGO

Ë 
    )   
 


% 
 &
 
    

   
Ë      
% 
 
     %     
Ë$     K 

 
 
Ë*    #!


    
H mTT 
Ë Hepatite  foi conhecida em 1977, ano em que foi
descoberto o vírus que a provoca.
Ë Êó se manifesta em conjunto com a hepatite B.
Ë  pessoa nunca sofre apenas de hepatite : ou é
infectada em simultâneo com o H e o HB ou
só contrai esta doença quando já tem hepatite B.
H mTT 
YOMO Ê TRNÊMT  H mTT ?

Ë      
   

!

H mTT 
FORMÊ  TR O YONTÁGO

Ë*    #!



     % &
  
    
   

 
&
  
 + 
   
  )  
%   
Ë , #  
       
  
   



 
H mTT
Ë oença infecciosa aguda, causada pelo
vírus da ë  
Ë mroduz inflamação e necrose do fígado.
Ë  transmissão ocorre através da ingestão
de água (principalmente) e alimentos
contaminados.
Ë  transmissão directa de uma pessoa para
outra é rara.
Ë ma pessoa infectada com o vírus pode ou
não desenvolver a doença.
Ë  infecção confere imunidade permanente
contra a doença.  ë  
H mTT
YOMO Ê TRNÊMT  H mTT ?
Ë!0 ) !&% " C"!
(!%!)!  %!! 5(!8 !
!%, ) ! !! ! 
!!H
Ë, 1C  ) !%,  0!
!"B!  3"!&H
H mTT
FORMÊ  TR O YONTÁGO

Ë)*!  (")!) ) 1


E"!)  0!2! !! 6! ) !
)+!  (%"%8  % !+, 
!) )! C"! )! ) N*&(!8 **
%  C"! !!5!)!  &!)!8
("% 5"!  0! # )  )
(61!)  0!  ("% )
%!( ("H
Ë, C 0!) E"  )S  (C
 0! 3"!&8 %! )0% 0!/ 
(!( /!!H
H mTT G
Ë hepatite G foi a hepatite descoberta
recentemente (em 1995).
Ë mrovocada pelo vírus HG - responsável por 0,3%
de todas as hepatites víricas.
Ë esconhecem-se, ainda, todas as formas de
contágio possíveis, mas sabe-se que é
transmitida, sobretudo, pelo contacto sanguíneo.
Ë Êupõe-se que o vírus da hepatite G seja ainda
mais comum que o HY, contudo, a sua
gravidade para o organismo humano é baixa ou
quase nula.
Ë  forma como se propaga ainda é desconhecida.
H mTT G
YOMO Ê TRNÊMT  H mTT G?

Ë !%/  0! !"B!8 %!


)(1(%/ !)! "! 5%!
B0 ) (CH
H mTT G
FORMÊ  TR O YONTÁGO

Ë 0!  (!( (% !"


(!%!)  )" )0!) )
!"H
Ë  !(&1C0& "! %  (+, !
&!+F 3"!  )0/ 0! ! !&1!
) *2( (!  ) "%
"!) !  !!+,  ("% )
)! 2(C0 " !&!)!H
YN O

! ! ! ! ! !

  ” È     


” È  ”      
” 
  È
      
È  ”  
   
   
!


!!
” È   

” È 
 

   
”     È

 
'
Ë   
  &  ¢  
 

Ë Ú 
   '       


( )  

Ë *
            

  
&& %   (    

Ë +
           
'

ËÚ  %  ,
 
  
 

 #         ,   

      
  
    
%     -

Ë  ,  &'   . #$ 



   
#

Ë Yausada pela bactéria
 

ë 

Ë Nos homens podem surgir úlceras nos órgãos


genitais e uma secreção amarelada.

Ë Nas mulheres pode surgir um corrimento


vaginal e dor durante a micção.

Ë mrovoca esterilidade e morte.

Ë rma mais eficaz é a penicilina.


#

Ë :

Ë Relações sexuais com companheiro(a)


contaminado;

Ë No parto normal, se a mãe estiver infectada;

Ë Yontaminaçãoindirecta se, por exemplo, uma


mulher usar artigos de higiene íntima de
uma amiga contaminada (evento considerado
raro).
Y  
} Ú / 

   
 #  
   Y  
  

} Os sintomas mais frequentes da Yandidíase a nível


oral são a dor e vermelhidão da boca e mucosa,
podendo também haver manchas brancas ou placas na
mucosa da língua e bochecha.

} o nível dos órgãos genitais são frequentes a


comichão, vermelhidão e irritação da zona exterior da
vagina bem como, uma secreção branca e espessa no
caso das mulheres e o inchaço e vermelhidão do pénis
e prepúcio no caso dos homens.
'
ËÉ a mais vulgar das doenças de transmissão
sexual.

ËÉ uma infecção causada por um fungo que


pode não apresentar sintomas, mas que pode
ter efeitos muito graves.

Ë -);- provoca um corrimento com


um tom amarelo e pode originar dores
abdominais.

Ë ,- ;,- pode causar dores durante a


micção.
&
m
#

Ë oença infecciosa , altamente contagiosa, causada por
um vírus.

Ë Transmitida através de contactos sexuais quando se


encontra activo.

Ë É incurável.

Ë mode passar da boca, herpes labial, para as zonas


genitais através do sexo oral.

Ë mrovoca pequenas vesículas que mais tarde rebentam


e formam uma crosta.