Você está na página 1de 41

2009 / 2010 Formação Tecnológica 1/x

• Índice:

• Cablagem de comunicação
• − Tipos de cabos
• − Tipos de fichas/ tomadas
• − Canalizações para cablagem
• − Normas de manuseamento de cabos
• − Técnicas de cravação de terminais

2009 / 2010 Formação Tecnológica 2/x


• NOÇÕES BÁSICAS

• Classes de Meios de Transmissão



• Meio guiado - utiliza um condutor para transportar sinais do emissor ao receptor

• Sem fios ou meio não-guiado - usa ondas de rádio em diferentes frequências

2009 / 2010 Formação Tecnológica 3/x


• Factores de Transmissão

• LB (Largura de Banda): mantendo-se todos os outros factores constantes, quanto


maior for a LB de um sinal maior poderá ser a velocidade de transmissão

• Os obstáculos à transmissão limitam drasticamente a distância máxima que um sinal
pode percorrer

• Número de receptores: cada “ligação” à rede introduz diversos níveis de atenuação e
distorção limitando a distância e a velocidade de transmissão

2009 / 2010 Formação Tecnológica 4/x


• Meios de Transmissão Guiados

• O primeiro sistema eléctrico de comunicações foi utilizado em Paris no ano de 1794.


• A capacidade de transmissão depende da distância, e do facto de o meio ser ponto-


a-ponto ou multiponto. Exemplos:

 - cabo de condutores paralelos


 - cabo de pares entrançados
 - cabo coaxial
 - fibra óptica

2009 / 2010 Formação Tecnológica 5/x


• Cabos de Pares Entrançados

• Os pares condutores de cobre, com isolamento individual, são enrolados em torno de


si próprios, formando uma trança. Um cabo possui vários pares

• Essa espiral minimiza a interferência electromagnética entre pares adjacentes

• Meio de transmissão de baixas frequências

• A transmissão pode ser analógica ou digital

• A banda passante é alta;

2009 / 2010 Formação Tecnológica 6/x


• Cabos de Pares Entrançados - Hardware de conexão

• Utiliza-se o conector RJ45



• Semelhante ao conector telefónico RJ11

• Conector RJ45 tem 8 conexões, enquanto o RJ11 só tem 4

2009 / 2010 Formação Tecnológica 7/x


• Tipos de Pares Entrançados

• STP (Shielded Twisted Pair) - cabos com blindagem exterior envolvendo todos os
pares e com blindagem individual em cada par

• UTP (Unshielded Twisted Pair) - cabos sem qualquer tipo de blindagem (individual ou
no cabo)

• FTP (Foiled Twisted Pair) - cabos com blindagem exterior envolvendo todos os pares
e com blindagem individual em cada par

• SFTP (Shielded Foiled Twisted Pair) - cabos com blindagem exterior envolvendo
todos os pares e com blindagem individual em cada par

2009 / 2010 Formação Tecnológica 8/x


• Tipos de Pares Entrançados

• Unshielded Twisted Pair - UTP ou Par Trançado sem Blindagem: é o mais usado
actualmente tanto em redes domésticas quanto em grandes redes industriais devido
ao fácil manuseio, instalação, permitindo taxas de transmissão até 100 Mbps com a
utilização do cabo CAT 5e; é o mais barato para distâncias até 100 metros; Para
distâncias maiores emprega-se cabos de fibra óptica. Sua estrutura é de quatro pares
de fios entrelaçados e revestidos por uma capa de PVC. Pela falta de blindagem este
tipo de cabo não é recomendado ser instalado próximo a equipamentos que possam
gerar campos magnéticos (fios de rede eléctrica, motores, inversores de frequência) e
também não podem ficar em ambientes com humidade

• Shield Twisted Pair - STP ou Par Trançado Blindado (cabo com blindagem): É
semelhante ao UTP. A diferença é que possui uma blindagem feita com a malha
metálica. É recomendado para ambientes com interferência electromagnética
acentuada. Por causa de sua blindagem possui um custo mais elevado. Caso o
ambiente possua humidade, grande interferência electromagnética, distâncias acima
de 100 metros ou seja exposto ao sol ainda é aconselhável o uso de cabos de fibra
óptica

2009
 / 2010 Formação Tecnológica 9/x
• Screened Twisted Pair - ScTP também referenciado como FTP (Foil Twisted
Pair): os cabos são cobertos pelo mesmo composto do cabo UTP categoria 5
Plenum, para este tipo de cabo, no entanto, uma película de metal é enrolada
sobre cada par trançado, melhorando a resposta ao EMI, embora exija maiores
cuidados quanto ao aterramento para garantir eficácia ás interferências
electromagnéticas

2009 / 2010 Formação Tecnológica 10 / x


• Cabos de Pares Entrançados

• Vantagens

• Barato e disponível
• Flexível e leve
• Fácil de instalar

2009 / 2010 Formação Tecnológica 11 / x


• Cabos de Pares Entrançados

• Desvantagens

• Susceptíveis ao ruído
• 50 Hz das linhas de electricidade
• Diafonia
• Atenuação acentuada (1 dB Km-1)
• Para transmissão analógica, repetidores todos 5-6 km
• Para transmissão. digital, repetidores todos os 2-3 km
• Baixa largura de banda (±100 MHz)


2009 / 2010 Formação Tecnológica 12 / x


• Categorias de Cabos de Pares Entrançados

• Os cabos UTP foram padronizados pelas normas da EIA/TIA-568-B e são divididos


em 9 categorias, levando em conta o nível de segurança e o diâmetro do fio,
onde os números maiores indicam fios com diâmetros menores

• Categoria do cabo 1 (Cat. 1):
 Consiste em um cabo blindado com dois pares trançados compostos por fios
26 AWG. São utilizados por equipamentos de telecomunicação e rádio. Foi usado
nas primeiras redes Token-Ring mas não é aconselhável para uma rede par
trançado. (Cat.1 não é mais recomendado pela TIA/EIA)

• Categoria do cabo 2 (Cat. 2):
 É formado por pares de fios blindados (para voz) e pares de fios não blindados
(para dados). Também foi projectado para antigas redes Token Ring e ARCnet
chegando a velocidade de 4 Mbps. (Cat. 2 não é mais recomendado pela TIA/EIA)

2009 / 2010 Formação Tecnológica 13 / x


• Categoria do cabo 3 (Cat. 3):
 É um cabo não blindado (UTP) usado para dados de até 10Mbits com a
capacidade de banda de até 16 MHz. Foi muito usado nas redes Ethernet criadas
nos anos noventa (10BASET). Ele ainda pode ser usado para VOIP, rede de telefonia
e redes de comunicação 10BASET e 100BASET4. (Cat.3 é recomendado pela norma
EIA/TIA-568-B)

• Categoria do cabo 4 (Cat. 4):


• É um cabo par trançado não blindado (UTP) que pode ser utilizado para transmitir
dados a uma frequência de até 20 MHz e dados a 20 Mbps. Foi usado em redes
que podem actuar com taxa de transmissão de até 20Mbps como Token Ring,
10BASET e 100BASET4. Não é mais utilizado pois foi substituído pelos cabos
Cat. 5 e Cat. 5e. (Cat. 4 não é mais recomendado pela TIA/EIA)

2009 / 2010 Formação Tecnológica 14 / x


• Categoria do cabo 5 (Cat. 5):
 Usado em redes Fast Ethernet em frequências de até 100 MHz com uma taxa
de 100 Mbps. (Cat. 5 não é mais recomendado pela TIA/EIA)

• Categoria do cabo 5e (Cat. 5e):
 É uma melhoria da categoria 5. Pode ser usado para frequências até 125 MHz
em redes 1000BASE-T Gigabit Ethernet. Ela foi criada com uma nova revisão da
norma EIA/TIA-568-B. (Cat. 5e é recomendado pela norma EIA/TIA-568-B)

• Categoria do cabo 6 (Cat. 6):
 Definido pela norma ANSI EIA/TIA-568-B-2.1 possui “tamanho” de 24 AWG e
banda passante até 250 MHz e pode ser usado em redes Gigabit Ethernet a
velocidade até 1.000 Mbps. (Cat. 6 é recomendado pela norma EIA/TIA-568-B)

2009 / 2010 Formação Tecnológica 15 / x


• Categoria do cabo 6 (Cat. 6a):
 É uma melhoria dos cabos Cat. 6. O a de Cat. 6a significa augmented
(ampliado). Os cabos dessa categoria suportam até 500 MHz e podem ter até 55
metros no caso da rede ser de 10.000 Mbps, caso contrario podem ter até 100
metros. Para que os cabos Cat. 6a sofressem menos interferências os pares de fios
são separados uns dos outros, o que aumentou o seu tamanho e os tornou menos
flexíveis. Essa categoria de cabos tem os seus conectores específicos que ajudam a
evitar interferências

• Categoria do cabo 7 (Cat. 7):
 Foi criado para permitir a criação de rede 10 Gigabit Ethernet de 100m usando
fio de cobre (apesar de actualmente esse tipo de rede esteja a ser usado pela rede
Cat.6)

2009 / 2010 Formação Tecnológica 16 / x


• Cabos de Pares Entrançados

• Categoria 5e
• Largura de Banda de 100 MHz
• Densidade maior de “enlaces” que na Cat. 3
• Mais caro, mas uma performance muito superior

• Categoria 6
• Largura de Banda de 100 MHz
• Densidade maior de “enlaces” que na Cat. 3
• Mais caro, mas uma performance muito superior

2009 / 2010 Formação Tecnológica 17 / x


• Normas Internacionais
Existem duas normas para cabos de dados:

TIA / EIA 568 A – Mais antiga

TIA / EIA 568 B – Mais recente, e mais comum

2009 / 2010 Formação Tecnológica 18 / x


• Tipos de Pares Entrançados

Cabo direito Standard


para ligar do PC ao activo
de rede que pode ser um
Hub, switch ou router

Cabo Cruzado para ligar


por exemplo um PC a
outro sem passar por
nenhum activo de rede

2009 / 2010 Formação Tecnológica 19 / x


• Cabos Coaxiais

• Utilizado em LAN´s, TV cabo, redes telefónicas
• Condutor metálico instalado de forma concêntrica relativamente a uma blindagem
exterior envolvente
• Ambos os condutores partilham um eixo central comum (co-axial)
Baínha isoladora
(mat. plástico)

isolamento
(malha metálica)

material isolante

condutor
cobre ou alumínio

2009 / 2010 Formação Tecnológica 20 / x


• Cabos Coaxiais

• Vantagens

• Largura de Banda (400 a 600 MHz)


• Pode ser “facilmente” partilhado
• Muito menos susceptível a interferências eléctricas

2009 / 2010 Formação Tecnológica 21 / x


• Cabos Coaxiais

• Desvantagens

• Atenuação
• Pesado
• A cair em desuso



2009 / 2010 Formação Tecnológica 22 / x


• Cabos de Fibra Óptica

• Meio relativamente novo de transmissão:
 Publico - companhias de telefones
 Privado - redes de área local
• Requer uma fonte de luz (diodo injector de luz ou um laser). A recuperação é feita por
um foto-diodo.
• É constituído por um núcleo central em “vidro” envolvido por uma bainha. Tudo
revestido por um material protector.


revestimento
baínha
fibra

2009 / 2010 Formação Tecnológica 23 / x



2009 / 2010 Formação Tecnológica 24 / x


• Tipos de cabos de Fibra Óptica

• Fibra multimodo step-index
 transição brusca entre os índices de refracção do núcleo e da bainha


• Fibra multimodo graded-index
 o índice de refracção variável e gradual da bainha refracta a luz na direcção do
núcleo da fibra


• Fibra monomodo
 a luz é injectada no centro de um condutor com um diâmetro muito pequeno
(3-10 µm)

2009 / 2010 Formação Tecnológica 25 / x


• Propagação de sinais em cabos de Fibra Óptica

2009 / 2010 Formação Tecnológica 26 / x


• Cabos de Fibra Óptica

• Vantagens

• grande capacidade (largura de banda até 75 Tbps)


• baixa atenuação
• imune à interferência ambiental
• alto nível de segurança:
 - difícil “picar”
 - falta de radiação do sinal

2009 / 2010 Formação Tecnológica 27 / x


• Cabos de Fibra Óptica

• Desvantagens

• Cara para curtas distâncias
• Instaladores altamente qualificados


2009 / 2010 Formação Tecnológica 28 / x


• Meios sem Fios (Wireless)

• A transmissão e a recepção são feitas através de antenas:


• direccional
 feixe dirigido - o transmissor e o receptor têm de estar alinhados

• omnidireccional
 o sinal é enviado em todas as direcções pode ser recebido por muitas antenas

• Exemplos:

• Micro-ondas
• Micro-ondas de satélites
• Emissões rádio
• Infravermelhos

2009 / 2010 Formação Tecnológica 29 / x


• Meios sem Fios (Wireless) - Micro-ondas Terrestres

• usado em serviços telefónicos a longa distância


• usa o espectro rádio de 2 a 40 GHz
• parabólica transmissora, instalada em sítios altos
• obriga a uma linha de vista entre a fonte e o destino
• a curvatura da Terra obriga à instalação de repetidores a cada 50 km.

2009 / 2010 Formação Tecnológica 30 / x


• Meios sem Fios (Wireless) - Micro-ondas por Satélite

• Televisão
• Serviços telefónicos a longa distância
• Redes privadas

satélite

prato prato

estação emissora estação receptora

2009 / 2010 Formação Tecnológica 31 / x


• Meios sem Fios (Wireless) - Micro-ondas

• Desvantagens

• Linha de vista
• As torres e repetidores são caros
• As interferências podem ser de diverso tipo, como por exemplo a passagem de
aviões ou a precipitação

2009 / 2010 Formação Tecnológica 32 / x


• Meios sem Fios (Wireless) - Rádio

• O rádio é omnidireccional
• Rádio termo genérico que engloba frequências na gama: 3 kHz to 300 GHz.
• Os telemóveis funcionam em diversas frequências logo abaixo de 1 GHz

2009 / 2010 Formação Tecnológica 33 / x


• Meios sem Fios (Wireless) - Infravermelhos

• Utiliza transmissores/receptores (transceivers) que fazem a modulação da luz


• Os transceivers têm de estar em linha de vista (directamente ou por reflexão)
• Ao contrário das micro-ondas os infravermelhos não penetram em paredes

2009 / 2010 Formação Tecnológica 34 / x


• FICHAS E TOMADAS

• Como cravar uma ficha RJ-45 num cabo UTP?



• Permite ligar um PC a um concentrador (HUB ou Switch)
• Distancia máxima: 100 m

2009 / 2010 Formação Tecnológica 35 / x


Descarnar
Passo 1 o cabo - O Separar
Passo 2 os pares Passo
O que faço
3 ao par
alicate tem um entrançados de modo AZUL e ao par
batente que serve de que o par LARANJA VERDE?
medida para passe para o lado Pois bem, o par
descarnar o cabo - esquerdo (1) e (2) e AZUL fica a meio
use-o, mas com o par CASTANHO mas trocado (5) e (4).
cautela pois pode passe para o lado E o VERDE vai
cortar um dos pares direito (7) e (8)... abraçar o par azul (3)
entrançados se e (6)
pressionar com força.
Alinhe os
Passo 4 8 fios lado a Coloque-os
Passo 5 alinhados Verifique
Passo 6 se os 8 fios
lado e corte com o no interior da ficha atingem o fim da ficha
alicate para ficarem RJ-45, na posição (topo da ficha).
certos. indicada na imagem Olhe de lado e de
Já reparou que há um (o pino 1 está do lado perfil.
par que está trocado? esquerdo). Garanta
que a parte cinzenta
de protecção dos fios
entra um bocado
dentro da ficha.
Passo 7 Passo 8 Passo 9

Coloque a ficha na Pressionar o alicate Resultado final -


ranhura especial do com bastante força a Impecável...
alicate bem chegada fim de garantir que os Só falta testar e
ao batente final. pinos dourados ficam verificar o
bem cravados nos funcionamento.
respectivos fios e que A outra ponta do cabo
a protecção cinzenta é cravada do mesmo
do cabo fica também modo.
bem presa.
Numeração dos 4 pares entrançados
e pinologia da ficha RJ-45:
Par 1: Branco laranja (1) + Laranja (2)
Par 2: Branco verde (3) + Verde (6)
Par 3: Branco azul (5) + Azul (4)
Par 4: Branco castanho (7)+ Castanho (8)

A vermelho os pinos necessários para


10/100 Mbps

2009 / 2010 Formação Tecnológica 39 / x


• Cabos directos:

• Precisam de algum concentrador (hub ou switch) para que haja uma interacção entre
os 2 computadores.

2009 / 2010 Formação Tecnológica 40 / x


• Cabos crossover (cruzado):

• Cabos crossover não precisam de concentradores, então, iremos liga-los de um


• computador para outro. Utilizando o que foi comprando iremos montar eles da
• seguinte forma:

2009 / 2010 Formação Tecnológica 41 / x

Você também pode gostar