Você está na página 1de 22

HISTÓRICO E

PRESSUPOSTOS DA
PSICOTERAPIA
BREVE
PSICOTERAPIA BREVE
Podemos classificar as abordagens da
linha de Psicoterapia Breve em duas
categorias: as Psicoterapias Breves com
orientação Psicanalítica e as
Psicoterapias Breves de linha cognitiva e
comportamental.
PSICOTERAPIA BREVE
 Trata-se de psicoterapia e não de intervenção terapêutica, pois:

O profissional utiliza a relação com o paciente com


finalidade terapêutica.

A intervenção terapêutica possui um enquadre que


possibilita ao processo se desenrolar ao longo do
tempo.
Hegenberg, 2010
PSICOTERAPIA BREVE
 Psicoterapia Breve Intervenções Breves

As intervenções Breves:

 Não tem periodicidade definida;


 Ocorrem de forma não programada previamente;
 Atendem às necessidades que se justificam à medida que se
manifestem os acontecimentos;

Hegenberg, 2010
PSICOTERAPIA BREVE

 O que distingue uma Psicoterapia Breve de uma


Psicoterapia de Longa Duração não é a sua brevidade,
mas, dependendo, do autor, é sua focalização em torno de
uma questão específica, são os objetivos limitados, ou é o
prazo definido da terapia.

Hegenberg, 2010
PSICOTERAPIA BREVE

 Por convenção, o prazo máximo para uma Psicoterapia


Breve é de um ano, podendo durar alguns meses ou
algumas sessões. Muitos estipulam o número de doze;
outros, vinte sessões – o número é variável.

Hegenberg, 2010
PSICOTERAPIA BREVE
Para atingir os objetivos terapêuticos em um prazo bem mais curto que as
terapias convencionais, faz-se necessário considerar alguns conceitos básicos:

Experiência Emocional Corretiva


Aliança terapêutica
Foco
Atividade e Planejamento
PSICOTERAPIA BREVE
Algumas táticas terapêuticas
empregadas são baseadas na técnica
psicanalítica como, por exemplo, a
interpretação (mesmo que o esquema
da interpretação tenha um enfoque
diferente)
PSICOTERAPIA BREVE
Há possibilidade de integração com a
terapêutica psicofarmacológica, de acordo
com a avaliação do caso e o diagnóstico
do problema, com o objetivo de
potencialização dos benefícios
terapêuticos.
PSICOTERAPIA BREVE
O tratamento tem uma duração
limitada e a frequência as
consultas via de regra não
ultrapassa uma vez por semana.
PSICOTERAPIA BREVE

Técnica Psicanalítica
Psicoterapia Breve

Foco Associação Livre

Atividade Abstinência

Neurose de Transferência
Planejamento
PSICOTERAPIA BREVE
Psicoterapia Breve Psicoterapia planejada

A palavra planejamento é importante: descreve o


tratamento que tem a intenção de realizar um
conjunto de objetivos terapêuticos dentro de um
limite circunscrito de tempo.
PSICOTERAPIA BREVE
O interesse nesse tipo de abordagem cresceu
rapidamente na década de sessenta, período em que
houve o desenvolvimento do movimento
comunitário de saúde mental, que enfatizava a
possibilidade de tornar a ajuda terapêutica
disponível para todos que dela necessitem,
estimulando, assim, os atendimentos que fossem
rápidos, efetivos e eficientes.
PSICOTERAPIA BREVE
A Psicoterapia Planejada é breve por escolha e não por falta.

Psicoterapia curta sem planejamento.

Que são breves por conta das circunstâncias


PSICOTERAPIA BREVE
 BREVE HISTÓRICO DA PSICOTERAPIA BREVE

 ORIGENS:
 No início da Psicanálise, as psicoterapias eram de curta duração: Bruno Walter, 1906 (6
consultas); Ferenczi, 1914 (três semanas) e 1916 (três semanas com duas sessões por dia); Caso
do ‘Homem dos Lobos’ (Freud propôs prazo para o término do tratamento).

Ferenczi aprofundou o processo de discussão e questionamento da técnica psicanalítica,


propondo diversas variações do enquadre clássico do tratamento padrão. Por isso, pode ser
considerado o precursor da Psicoterapia Breve

Hegenberg, 2010
PSICOTERAPIA BREVE
Freud faleceu e deixou a psicanálise estabelecida como disciplina reconhecida em vários
países do mundo. Após a Segunda Guerra Mundial aumentou o interesse e o número de casos
atendidos em psicoterapia.

Em 1941, em Chicago, sob influência de Alexander, ocorreu o primeiro congresso destinado à
Psicoterapia Breve.

O trabalho de Alexander e French foi apresentado como uma identificação da psicanálise


ortodoxa e não como um método de terapia breve, o que atraiu, na época, uma onda de
hostilidades, caindo em descrédito.

Hegenberg, 2010
PSICOTERAPIA BREVE
 As variações técnicas propostas surgiram em um momento em que a psicanálise estava se
fortalecendo, após a morte de Freud, e não estava preparada para sofrer grandes modificações.

A PARTIR DE 1950:

De 1950 a 1960 as necessidades da população e as situações de crise passaram a fazer parte das
publicações dedicadas ao assunto.

Balint: fundamental na História da Psicoterapia Breve. Recuperou o trabalho clínico de Ferenczi e,


em 1954, reuniu na Tavistok Clinic, em Londres, um grupo de psicoterapeutas, que atendeu 21
pacientes até 1958. O resultado deste trabalho foi um livro entitulado Um estudo de Psicoterapia
Breve. Hegenberg, 2010
PSICOTERAPIA BREVE
No Brasil, Lemgruber, do Rio de Janeiro, em 1984, publicou Psicoterapia
Breve – a técnica focal, e mais dois livros, divulgados em1995 e 1997.

Em 1986, Knobel, de Campinas, publicou Psicoterapia Breve. Yoshida, de


São Paulo, em 1990, escreveu Psicoterapias Psicodinâmicas Breves e
Critérios Psicodiagnósticos e Lowenkron, do Rio de Janeiro, escreveu
Psicoterapia Psicanalítica Breve, em 1993.

Hegenberg, 2010
PSICOTERAPIA BREVE
 RYAD SIMON
 Professor titular do Departamento de Psicologia da Universidade de São Paulo. Criou o Curso
de Pós-Graduação lato sensu Especialização em Psicoterapia Psicanalítica, da USP.
Fundador e primeiro presidente da Sociedade de Psicologia Preventiva e da Associação de
Psicoterapia Psicanalítica. É membro efetivo da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São
Paulo.

 Publicou Psicologia Clínica Preventiva: Novos Fundamentos (1989) e Psicoterapia Breve e


Operacionalizada: Teoria e Técnica (2005).
PSICOTERAPIA BREVE
O trabalho de Ryad que deu início às primeiras ideias sobre a Psicoterapia Breve começou
com a supervisão de psicoterapia de grupo com estudantes de Medicina, efetuado no Serviço
de Saúde dos Alunos, do Departamento de Medicina Preventiva da Escola Paulista de
Medicina.

Organizou um programa de prevenção para estudantes do Primeiro ano de Medicina e de


Enfermagem: estes seriam aqueles em que a prevenção teria maior probabilidade de fornecer
resultados em termos de “custo/benefício”

Simon, 2005
PSICOTERAPIA BREVE
Quanto mais cedo for feito o
diagnóstico da doença (e
instaurando tratamento eficaz)
maior a possibilidade de curar ou
minorar o agravamento.
A partir daí surgiu o primeiro esboço daquilo que viria ser mais tarde a EDAO
(Escala Diagnóstica Adaptativa Operacionalizada) e a teoria sobre Variações
Adaptativa e Prevenção Ampliada.

Ao fazer o diagnóstico dos estudantes e ao perceber a dificuldade para


encaminhá-los para serviços adequados, Simon foi descobrindo seu principal
instrumento de Psicoterapia Breve , apropriado àquela população.

Você também pode gostar