Você está na página 1de 17

Y 



V 
w  

‡ Predominantemente em homens;

‡ 25% dos tumores de Cabeça e Pescoço;

‡ 9320 novos casos (2009);

‡ Carcinoma espinocelular mais comum.


w  

‡ Região glótica: entre 55 e 80%.
Ł Predomínio em pacientes não-fumantes.

‡ Região supraglótica: entre 20 e 40%.


Ł Predomínio em pacientes fumantes.

‡ Região infraglótica: entre 0,5 e 2%.


Ú  
‡ Álcool ‡ Stress

‡ Tabaco ‡ Mau uso da voz


Ł 10 vezes maior; Ł Falar muito alto e sem
Ł 43 vezes maior se pausas: calos vocais.
associado ao álcool.
‡ Exposição a amianto
‡ Fatores Nutricionais
‡ Infecção pelo HPV
ß  Y 
‡ Tumores glóticos ‡ Outros sinais e
Ł Rouquidão. sintomas
Ł Tosse;
‡ Tumores supraglóticos Ł Dor local ou de
Ł Disfagia; ouvido;
Ł Odinofagia; Ł Hemoptise;
Ł Dispneia. Ł Nódulos em pescoço.
] 
 
‡ Laringoscopia
1. Indireta com espelho de
Garcia;
2. Direta com telescópio ou
fibroscópio flexível;
3. Direta com laringoscópio
de suspensão e
microscopia.
] 
 
‡ Biópsia
Ł Exame histopatológico de certeza.

‡ Exames de Imagem
Ł Tomografia Computadorizada;
Ł Ressonância Magnética.
Ä  
‡ Radioterapia
Ł Tratamento de escolha: lesões iniciais (T1)
supraglóticas;

Ł Opcional em T2: mobilidade de pregas vocais;

Ł Melhor resultado quanto à qualidade vocal;

Ł Pode resultar em condronecrose.


Ä  
‡ Cirurgia
Ł Cordectomia por laringofissura: estágios iniciais de
lesão glótica;
V Via endoscópica: laser de CO2 ou material convencional.

Ł Laringectomia:
V Hemilaringectomia;
V Total: recidiva local

‡ Esvaziamento linfonodal:
Ł No: ipsilateral ao tumor ou seletivo bilateral;
Ł N+: esvaziamento radical.
Ä  
‡ Quimioterapia:
Ł Estádios III e IV (ressecáveis): Cisplatina 100 mg/m²
em 2 horas nos dias 1, 22 e 43 + Radioterapia 7.000
cGy.

Ł Estádios III e IV, M0 (irressecáveis): Cisplatina 20


mg/m²/dia EV nos dias 1 a 4 + 5-fluorouracil 1.000
mg/m²/dia EV nos dias 1 a 4 e infusão contínua nos
dias 1 e 22 + Radioterapia 7.000 cGy.

Ł M1: poliquimioterapia ou sintomáticos e monoterapia.


Ê
 
‡ Lesões iniciais sem disseminação: 75-95%
sobrevida em 5 anos.

‡ Alta chance de recidiva nos primeiros 2 ou 3


anos pós-tratamento.

‡ Recidivas após o 5º ano de tratamento são raras


e geralmente representam segundo tumor
primário.
  
‡ Evitar bebidas alcoólicas;

‡ Voz esofágica:
Ł Produzida pela saída de ar do esôfago;
Ł 40 a 50% conseguem voz de qualidade
raramente satisfatória.

‡ Próteses traqueoesofágicas:
Ł Sucesso fonatório em 94%;
Ł Alto custo;
Ł Troca frequente: 6 meses em média.
: 
 
‡ Forones, Nora M. Oncologia ± È  

      ±
Barueri, SP: Manole, 2005.

‡ Kumar V, et al.      


    . 8ª Edição. Rio de
Janeiro: Elsevier, 2010.

‡ Site ± Acessado em 16/04:


Ł http://www.inca.gov.br