Você está na página 1de 12

A PERFEIÇÃO

MORAL

Curso básico de doutrina espírita


Módulo 1
Grupo Espírita de Fraternidade
Albino Teixeira
Leis Morais

"Entre as leis divinas, umas regulam o movimento e as


relações da matéria bruta: as leis físicas, cujo estudo
pertence ao domínio da Ciência. As outras dizem respeito
especialmente ao homem considerado em si mesmo e nas
suas relações com Deus e com seus semelhantes. Contêm as
regras da vida do corpo, bem como as da vida da alma: são
as leis morais". Allan Kardec. O Livro dos Espíritos (q. 617)
625. Qual o tipo mais
perfeito que Deus tem
oferecido ao homem,
para lhe servir de guia e
modelo?
“Vede Jesus.”
Escala Espírita
Es
píri
tos
Pur
os

Bons Espíritos 

Espíritos Imperfeitos
Individualidade

919. Qual o meio prático mais


eficaz que tem o homem de se
melhorar nesta vida e de
resistir à atração do mal?
“Um sábio da Antiguidade vo-lo
disse: Conhece-te a ti mesmo.”
Desenvolver a espiritualidade
(diminuir a influência da matéria)

917. Qual o meio de destruir-se o


egoísmo?
“De todas as imperfeições humanas, o
egoísmo é a mais difícil de desenraizar-
se porque deriva da influência da
matéria, influência de que o homem, 
ainda muito próximo de sua origem,
não pode libertar-se e para cujo
entretenimento tudo concorre: suas
leis, sua organização social, sua
educação.
Guarde a experiência dele no livro
d’alma. Ela diz bem alto que não
basta à criatura apegar-se à
existência humana, mas precisa
saber aproveitá-la dignamente;
que os passos do cristão, em
qualquer escola religiosa, devem
dirigir-se verdadeiramente ao
Cristo, e que, em nosso campo
doutrinário, precisamos, em
verdade, do ESPIRITISMO e do
ESPIRITUALISMO, mas, muito
mais,
ESPIRITUALIDADE.  Emmanuel
(Nosso Lar)
Alinhar-se com a consciência
621. Onde está escrita a lei de Deus?  “Na consciência.”

641. Será tão repreensível, quanto fazer o mal, o desejá-lo?


“Conforme. Há virtude em resistir-se voluntariamente ao mal que se
deseja praticar, sobretudo quando há possibilidade de satisfazer-se a
esse desejo. Se apenas não o pratica por falta de ocasião, é culpado
quem o deseja.”
O dever é a obrigação moral da criatura
para consigo mesma, primeiro, e, em
seguida, para com os outros. O dever é
a lei da vida; com ele deparamos nas
mais ínfimas particularidades, como nos
atos mais elevados. Quero aqui falar
apenas do dever moral e não do dever
que as profissões impõem. Na ordem
dos sentimentos, o dever é muito difícil
de cumprir-se, por se achar em
antagonismo com as atrações do
interesse e do coração; não têm
testemunhas as suas vitórias e não estão
sujeitas à repressão suas derrotas. O
dever íntimo do homem fica entregue ao
seu livre arbítrio; o aguilhão da
consciência, guardião da probidade
interior, o adverte e sustenta; mas,
muitas vezes, mostra-se impotente
diante dos sofismas da paixão. (ESE,
cap.17,item7)
O Homem de Bem
O verdadeiro homem de bem é o que
cumpre a lei de justiça, de amor e de
caridade, na sua maior pureza. Se ele
interroga a consciência sobre seus
próprios atos, a si mesmo perguntará
se violou essa lei, se não praticou o
mal, se fez todo o bem que podia, se
desprezou voluntariamente alguma
ocasião de ser útil, se ninguém tem
qualquer queixa dele; enfim, se fez a
outrem tudo o que desejara lhe
fizessem. Deposita fé em Deus, na Sua
bondade, na Sua justiça e na Sua
sabedoria; sabe que sem a Sua
permissão nada acontece e se Lhe
submete à vontade em todas as
coisas. Tem fé no futuro, razão por que
coloca os bens espirituais acima dos
bens temporais..
Amai os vossos inimigos; fazei o bem aos que vos odeiam e
orai pelos que vos perseguem e caluniam; — porque, se
O Amor somente amardes os que vos amam, que recompensa tereis
disso? Não fazem assim também os publicanos? — Se
unicamente saudardes os vossos irmãos, que fazeis com isso
mais do que outros? Não fazem o mesmo os
pagãos? — Sede, pois, vós outros, perfeitos, como perfeito é
vosso Pai celestial (Mateus, cap.5, v. 44, 46-48) 
No Caminho Cristão (João de Deus/Chico Xavier)  

1
 Devotados obreiros de Jesus,
  O Evangelho convida-nos além,
  À mansão da Verdade de onde vem
  O brilho eterno da divina luz.

  2 Eis que a bênção do Mestre nos conduz


  À sementeira lúcida do bem,
  Para a celestial Jerusalém
  Pelo arado de lágrimas da cruz!

  3 Cultivemos o campo do Senhor,


  Às claridades do Consolador,
  Em que a humildade e a paz possam florir…

  4 Todo cristão fiel que vence o mal


  É a esperança do Amor Universal
  Para a Terra ditosa do porvir.

Você também pode gostar