Você está na página 1de 27

Empresa

FERRAMENTAS DE GESTÃO
É o processo de se conseguir obter resultados
(bens ou serviços) com o esforço de outros.
Pressupõem a existência de uma organização,
isto é, várias pessoas que desenvolvem uma
atividade em conjunto para melhor atingirem
objetivos comuns.

CONCEITO DE GESTÃO
A tomada de decisões na base da gestão moderna

Sabemos que o risco é inerente a qualquer negócio e que nenhuma


organização, por mais sólida que seja, está livre dele. Entretanto, os
riscos que se impõem ao mundo moderno atingem patamares de
especial relevância, em função do volume de dinheiro que normalmente
envolve as organizações. Eis, então, porque gerir uma empresa é hoje
um grande desafio. As decisões, hoje em dia, devem, mais do que nunca,
ser muito bem pensadas, pois não se pode correr o risco de tomá-las de
forma leviana o suficiente para tornar a organização vulnerável.

09-02-2022
Cassarro (1995)
A tomada de decisões envolve um ciclo, conforme
apresentado na figura, e é fundamental a existência
de informações apropriadas a cada uma das fases
desse ciclo.

O autor defende que é indispensável aos decisores


dispor de informação confiável, adequada, em tempo
certo, para que possam tomar decisões eficazes e
eficientes.

09-02-2022
Introdução às ferramentas
clássicas de gestão

09-02-2022
Taylor propôs a ideia de uma gestão que criasse, através de métodos de experimentação do trabalho, regras e padrões de executar o trabalho. Essas regras padrões seriam obtidas pela
melhor equação possível entre tempo e movimento. Para Taylor a garantia da eficiência era papel fundamental da gestão. Assim, criava-se métodos padronizados de execução que deveriam
otimizar a relação entre tempo e movimento.

DO TAYLORISMO AO TQM

09-02-2022
O Taylorismo é um sistema de gestão do trabalho baseado em diversas técnicas
para o aproveitamento ótimo da mão-de-obra contratada. Foi desenvolvido no
início do século XIX, a partir de estudos sobre os movimentos do homem e da
máquina nos processos produtivos fabris.

DO TAYLORISMO AO TQM

09-02-2022
Características
O Taylorismo enfatiza a eficiência operacional das tarefas realizadas, nas quais interessa retirar o melhor
rendimento de cada funcionário. Assim, com a análise dos processos produtivos, foi possível aperfeiçoar a
capacidade de trabalho do trabalhador.
 
O foco era economizar o máximo em termos de esforço produtivo. Devemos salientar que o taylorismo não
está preocupado com as inovações tecnológicas, mas sim com as possibilidades de controlar a linha de
produção.
 
Através de uma padronização continua, pelo estabelecimento de um sistema de supervisão e controle, o
homem acabou por se transformar numa peça da máquina. Entretanto foi isto que fez surgir condições de
trabalho capazes de aumentar a produtividade e o lucro.

DO TAYLORISMO AO TQM

09-02-2022
O taylorismo emprega basicamente cinco princípios, a saber:
 Substituição de métodos baseados na experiência por metodologias cientificamente testadas;
 Seleção e formação rigorosa dos trabalhadores, de modo a descobrir as melhores competências, as
quais devem ser continuamente aperfeiçoadas;
 Supervisão contínua do trabalho;
 Execução disciplinada das tarefas, de modo a evitar desperdícios;
 Fracionamento do trabalho na linha de montagem para simplificar as funções produtivas de cada
trabalhador, diminuindo assim sua autonomia.

DO TAYLORISMO AO TQM

09-02-2022
TQM (gestão da qualidade total)

A gestão da qualidade total (TQM) é uma metodologia de gestão que visa a satisfação do cliente e a
melhoria contínua.

Os benefícios da utilização da TQM na gestão de organizações são muito importantes e podem ser vistos na
melhoria da eficiência operacional, na otimização de recursos, redução de custos e no aumento da
motivação dos colaboradores. Como uma das ferramentas de gestão com mais impacto nos resultados, a
TQM é também uma das mais difíceis de implementar eficazmente. A experiência assim o demonstra.

DO TAYLORISMO AO TQM

09-02-2022
A globalização e a liberalização dos mercados, caracterizadas por uma intensa competitividade, tem
criado uma necessidade nas empresas para disporem de informação útil e atempada. Dessa forma, a
competitividade assume-se como fator determinante para as mudanças verificadas nas práticas de
gestão. A gestão procura melhorar a eficiência em cada área ou função na organização, como a
produção, o controlo de custos e o controlo de qualidade, sendo dada particular atenção à satisfação do
cliente e aos elementos relacionados com a qualidade (Porter, 1980).

DO TAYLORISMO AO TQM

09-02-2022
Principais características do TQM:
 Fundamentação estratégica;
 Foco no cliente (interno e externo);
 Obsessão com a qualidade;
 Abordagem científica na tomada de decisão e resolução de problema;
 Envolvimento e empenho a longo prazo; trabalho em equipa;
 Melhoria de processos e sistemas contínuos;
 Educação e treino;
 Liberdade através do controlo.

DO TAYLORISMO AO TQM

09-02-2022
Ferramentas de diagnóstico -
“Os diagramas em espinha”
O diagrama de Ishikawa (diagrama em
espinha) é uma representação gráfica que
serve para ajudar na organização de
raciocínio e discussões de ideias no processo
de resolução de problemas.

O método foi inicialmente proposto pelo


engenheiro químico Kaoru Ishikawa em
1943. Consiste na identificação de causas
para determinados resultados.

09-02-2022
Ferramentas de diagnóstico -
“Os diagramas em espinha”
O modelo semelhante a uma espinha de peixe, onde as linhas verticais são as causas das deficiências no fluxo logístico,
podendo ser seis origens geralmente caracterizadas por: medição, materiais, mão-de-obra, máquinas, métodos e meio
ambiente e a linha horizontal é o efeito. Um Diagrama de causa-efeito pode ser elaborado segundo os seguintes passos:
 Determinar o problema a ser estudado (identificação do efeito).
 Relatar sobre as possíveis causas e registá-las no diagrama.
 Construir um Diagrama agrupando as causas em “6M” (Mão de obra, Máquina, matéria-prima, Método, e
Meio-ambiente).
 Analisar o diagrama, a fim de identificar as causas verdadeiras.
 Correção do problema Basicamente, o resultado do diagrama é fruto de um “Brainstorming”, sendo o
diagrama o elemento de registro e representação de dados e informações.

09-02-2022
Método ABC – O método, ou sistema ABC (Activity-Based Costing) é uma técnica ou método
contabilístico, desenvolvido por Robert Kaplan e Cooper em Harvard…A utilização do método ABC
permite às organizações determinarem os custos associados a cada atividade, segmento, área ou
produto (ou seja, a cada centro de custos) e, desta forma, avaliar a rentabilidade ou contribuição de
cada centro de custos para a rentabilidade da empresa como um todo.

FERRAMENTAS DE ATRIBUIÇÃO DE PRIORIDADES - “O MÉTODO


ABC ”

09-02-2022
Os custos são analisados, associando-se as atividades aos produtos ou serviços com base na procura por
tais atividades pelo produto ou serviço durante o processo de produção. De facto, o método ABC
demonstra a relação entre Recursos consumidos (o que foi gasto: água, energia, salários, matérias-
primas, etc.), Atividades executadas (onde foi gasto: produção, informática, vendas, serviços pós-venda,
etc.) e Objetos de Custo ou Outputs (para que foi gasto: produto A, Produto B, Atividade C, etc.).

O ABC mostrou-se uma ferramenta da Contabilidade de Gestão que l permite não só apurar os custos,
mas também rever os próprios processos de atividades praticados pela empresa, ou seja, permite
também dominar os custos.

FERRAMENTAS DE ATRIBUIÇÃO DE PRIORIDADES - “O MÉTODO


ABC ”

09-02-2022
A Análise SWOT é a técnica que permite revelar os pontos fortes e fracos da empresa, e as oportunidades e
ameaças do mercado. Um requisito fundamental a ter em consideração antes de iniciar uma análise SWOT
é clarificar que objetivos se pretendem alcançar.

O que pode ser um ponto forte no contexto de um objetivo, pode ser um ponto fraco se a empresa
persegue outro objetivo. Exemplo: Considere, uma empresa que tem uma grande capacidade instalada de
produção de um determinado produto. Se o grande objetivo estratégico da empresa passar por utilizar essa
capacidade para entrar em novos mercados de potencial promissor, a grande capacidade da empresa é
considerada uma força.

Por outro lado, se a empresa prevê uma diminuição da procura dos seus produtos e procura uma solução
para o problema, a capacidade instalada pode ser excessiva e constituir uma fraqueza grave.

ANÁLISE SWOT

09-02-2022
O modelo, é composto por cinco temáticas, que avaliam tanto o poder negocial dos clientes e
fornecedores, como as barreiras à entrada de novos players no mercado, a relevância de bens substitutos e
a rivalidade concorrencial do mercado em causa.

AS 5 FORÇAS DE PORTER

09-02-2022
As 5 Forças
de Porter

09-02-2022
1. A entrada de novos concorrentes determina a dificuldade/oportunidade para as empresas que
tencionam entrar no sector. Devem ser avaliados os benefícios em economias de escala, quais os
produtos patenteados no sector, a identidade das marcas já existentes, quais os custos de
implementação e custos de mudança.

2.  O poder negocial dos clientes espelha em que medida o comportamento do consumidor pode ou


não influenciar a sua empresa. Nesse sentido devemos ter em conta o volume de negócios por
cliente, uma vez que este é proporcional ao poder negocial do mesmo, o que pode criar alguma
dependência. Quando existem produtos substitutos, ou uma grande competição via preço, a
dependência de poucos clientes é igualmente uma situação perigosa. Em paralelo, quanto maior a
dependência de um cliente face ao seu produto ou serviço, maior é o poder que a sua empresa
detém como fornecedor, deixando o cliente exposto às suas condições.

AS 5 FORÇAS DE PORTER
09-02-2022
3. O poder negocial dos fornecedores é um fator que, apesar de pouco controlável, pode influenciar
negativamente toda a sua estrutura. Deve portanto avaliar se pode utilizar várias matérias-primas,
fornecedores, etc. Reduzindo a dependência e controlando o impacto das matérias nos seus custos de
produção e margens de lucro. Também aqui devemos considerar o nosso poder negocial, na medida em que
se comerciamos um grande volume de vendas de determinado fornecedor, maior é a facilidade em negociar
com ele preços baixos, e prazos de entrega curtos.

AS 5 FORÇAS DE PORTER

09-02-2022
4. A existência de bens substitutos é igualmente um fator que pode ditar o grau de atratividade do sector, uma
vez que influencia a fidelização do clientes, dificultando a previsão de vendas.

5. O número elevado de concorrentes deve também ser analisado, podendo indicar um mercado fragmentado,
com vários produtos indiferenciados e grandes problemas na fidelização do cliente. Em contrapartida, se o
mercado for composto por poucas empresas, podem existir barreiras à entrada, o que dificulta a conquista de
quota de mercado.

AS 5 FORÇAS DE PORTER

09-02-2022
A Matriz BCG, como o próprio nome diz, é uma matriz “2 por 2” para análises de portfólio de
produtos e unidades de negócios, tendo como base o ciclo de vida do produto. Foi criada nos anos 70
por Bruce Henderson para a empresa americana Boston Consulting Group, e tem como principal
objetivo auxiliar o processo de tomada de decisão dos gestores de marketing e vendas.

FERRAMENTAS DE DECISÕES ESTRATÉGICAS - “MATRIZ DE BCG”

09-02-2022
A Matriz BCG é dividida em duas partes: crescimento do mercado e participação relativa de mercado
(em comparação à participação de seu maior concorrente). Onde, pode-se concluir, em uma primeira
análise, que quanto mais rápido for o crescimento de mercado de um produto ou, quanto maior for
sua participação de mercado melhor será para empresa analisada. Maior será sua vantagem
competitiva por produto em relação à seus concorrentes.

FERRAMENTAS DE DECISÕES ESTRATÉGICAS - “MATRIZ DE BCG”

09-02-2022
FERRAMENTAS DE DECISÕES ESTRATÉGICAS - “MATRIZ DE BCG”

09-02-2022
•Estrela: significa que o item tem alta participação de mercado e alta possibilidade de crescimento. Quer dizer
que a mercadoria tem muito potencial e um bom espaço a ser percorrido. É onde qualquer produto gostaria de
estar.
•Interrogação: é uma posição que precisa de atenção, pois indica que há crescimento do mercado, mas a
participação ainda é baixa, ou seja, o produto não está conseguindo desenvolver todo seu potencial.
•Vaca leiteira: é o lugar dos produtos consolidados, mas chegaram ao seu limite, pois apesar da alta participação,
eles têm baixo crescimento de mercado. É uma mercadoria que garante a estabilidade das vendas
•Abacaxi: aqui ficam os produtos com problemas, pois, além de possuírem baixa participação no mercado, sua
taxa de crescimento é mínima. Quando chegam nessa situação, o melhor é repensar se vale a pena continuar
investindo nele.

FERRAMENTAS DE DECISÕES ESTRATÉGICAS - “MATRIZ DE BCG”

09-02-2022
• Taylorismo e TQM
• Diagramas em Espinha
• Método ABC
• Análise SWOT
• 5 Forças de Porter
• Matriz BCG

RESUMO

09-02-2022

Você também pode gostar