Você está na página 1de 35

Proteinograma

Fabiana Rocha Araújo



Em animais, a avaliação laboratorial dos teores de
proteínas do plasma e do soro sanguíneo é parte tanto de
exames hematológicos quanto de bioquímicos
Introdução

▷ Proteína plasmática total

▷ Proteína sérica total

▷ Líquidos cavitários, líquido sinovial, líquor e outras


secreções/excreções
Proteínas
▷ Dois principais tipos: albumina e gobulina
Albumina

▷ Proteína pequena

▷ 35 a 50% das proteínas totais

▷ Sintetizada no fígado

▷ Metabolizada nos tecidos


○ Meia vida: 8 dias (cães) a 20 dias (equinos)
Albumina
 Funções

▷ Pressão oncótica (osmótico-coloidal)

▷ Proteína transportadora
○ Ácidos graxos livres
○ Ácidos biliares
○ Bilirrubina
○ Cálcio
○ Hormônios
○ Medicamentos
Globulinas

▷ Grupo heterogêneo

▷ Proteínas grandes, com diferentes tamanhos e pesos


moleculares

▷ Classificadas em alfa, beta ou gama-globulinas em função


da mobilidade eletroferética (peso molecular)

▷ Fígado e tecidos linfoides (imunoglobulinas)


Globulinas

α β Ɣ
Transportadora de
tiroxina; Lipoproteínas;
Transcortina; transferrina e
Ceruloplasmina; ferritina;
Haptoglobina; Componentes do
Imunoglobulinas: IgG,
Sistema
Antitrombina III; IgA, IgM
Complemento (C3 e
Alfa, - C4);
macroglobulina; Fibrinogênio;
Amilóide A sérica.... Plasminogênio
10 a 1000x
Amilóide Sérica A

Proteína C reativa
Haptoglobina
Fibrinogênio
α-1-antitripsina
5 a 10x α-1-glicoproteína ácida
Ceruloplasmina

Albumina
Transferrina
Proteínas de fase aguda Funções

Proteína C reativa Opsoniza os micro-organismos

Amilóide sérica Recrutamento de células imunes para


locais da inflamação
Indução de enzimas que degradam a
matriz extracelular
Ceruloplasmina Oxida o ferro, facilitando a ação da
ferritina.
Inibe a captação de ferro pelos
microorganismos
Haptoglobina Se liga a hemoglobina
Inibe a captação de ferro pelo
microorganismo
Evita lesão renal
Alpha-1-antitripsina Modula a inflamação
SAA: Amilóide Sérica A
AGP: glicoproteína ácida
Hp: haptoglobina
CRP: proteína C reativa
Cp: ceruloplasmina
Mensuração de proteínas

▷ Proteína total
○ Albumina

*Teste bioquímico por espectrofotometria

▷ Globulina = proteína total – albumina

▷ Relação albumina:globulina
○ Alteração => A:G <0,5
Refratometria

▷ Determinação da proteína total


○ Refratômetro: escala de 0 a 12
○ Método simples, rápido e de baixo custo para detecção de hiper
e hiproteinemia.

▷ Interferências (falsa elevação)


○ Hemoglobina ou bilirrubina, lipídeos e aumento na concentração
de solutos (glicose, ureia, sódio e cloretos).
Mensuração das globulinas

▷ Principal método: Eletroforese


○ Aplicação da amostra de soro na extremidade de uma fina
placa de gel
○ Gerar um campo elétrico para a corrida das proteínas em
direção à carga oposta (do negativo ao positivo)
○ Coloração do gel
○ Leitura do gel em um espectrofotômetro (densitometro com
scaner), obtendo-se um traçado eletroforético.
Determinação IgG

▷ Teste imunoenzimático (ELISA)


○ Custo, infra-estrutura laboratorial, mão de obra
especializada, tempo entre execução e resultados (2 a
3 dias)
Fibrinogênio

▷ 5% das proteínas plasmáticas

▷ Maior concentração entre as proteínas de fase aguda

▷ Refratometria
○ Mede-se a concentração de proteína plasmática antes e
após a precipitação do fibrinogênio por aquecimento a 56°
por 10 minutos.
○ Diferença das leituras => teor de fibrinogênio
Fibrinogênio

▷ Redução: CID

▷ Aumento: Processos inflamatórios


○ Ruminantes: elevação acentuada =>interpretada junto
com o hemograma
○ Equinos: elevação discreta
○ Cães e gatos: aumento é inconsistente com
inflamãção
Fibrinogênio
▷ PP/Fb = PP (g/dL)
Fib (mg/dL)/ 1000

Aumento absoluto ou relativo


▷ PP:Fb > 15 = desidratação
▷ PP:Fb < 10 = aumento real do fibrinogênio
Interpretação do proteinograma
▷ Diminuição na concentração de proteína total

Albuminas Globulinas Diminuição


Hipoalbuminemia Hipogamaglobulinemia Ambas
(Pan-hipoproteinemia)
Hipoalbuminemia Normal ou aumentado Albumina
Normal ou aumentado Hipoglobulinemia Globulinas
Interpretação do proteinograma

 Pan-hipoproteinemia

▷ Hidratação excessiva (hemodiluição) - erros cálculos da


fluidoterapia, ingestão de grande volume de água

▷ Perdas proporcionais de ambas as frações


○ Hemorragias, derrame (exsudato), enteropatias com
perda de proteínas (extravasamento de proteínas para
o lúmen), etc.
Interpretação do proteinograma

 Hipoproteinemia por hipoalbuminemia

▷ Menor produção
○ Inanição (má nutrição)
○ Má absorção intestinal (diarreias crônicas)
○ Insuficiência pancreática exócrina
○ Parasitismo gastrintestinal
○ Insuficiência hepática (relação alb:glob <0,5)
Interpretação do proteinograma

▷ Perda da albumina
○ Doença glomerular (relação alb:glob <0,5)
○ Aumento da concentração urinária de proteínas e
aumento da relação proteína:creatinina urinária
Interpretação do proteinograma

 Hipoproteinemia por hipoglobulinemia

▷ Falha na transferência de imunidade passiva

▷ Imunodeficiência adquirida ou hereditária


○ Imunodeficiencia que envolve linfócitos B,
plasmocitos
Interpretação do proteinograma
▷ Aumento de proteína total (principalmente globulina)

Albuminas Globulinas Diminuição


Hiperalbuminemia Hipergamaglobulinemia Ambas (pan-
hiperproteinemia)
Hiperalbuminemia Normal Albumina
Normal Hiperglobulinemia Globulinas
Interpretação do proteinograma

 Pan-hiperproteinemia

▷ Desidratações
○ Perda de água = aumento da concentração plasmática
de albumina associada ou não a hiperglobulinemia

▷ Proporção alb:glob normal

▷ Volume globular (%) elevado


Interpretação do proteinograma

 Hipergamaglobulinemia

▷ Aumento da concentração de alfaglobulina e betaglobulina


○ Aumento é inespecífico
○ Aumentadas => injúria tissular ou inflamação
Interpretação do proteinograma
▷ Aumento da concentração de gamaglobulina (gamopatia)
○ Dois tipos: monoclonais e policlonais
Gamopatias policlonais
○ Aumento de Igs induzido por população heterogênea de linfócitos B
e/ou plasmócitos
○ Mais do que um estímulo antigênico
○ Estimulação antigênica crônica
○ Ex.: Erliquiose canina, PIF, doenças infecciosas crônicas induzidos por
microorganismos infecciosos, doença imunomediada
Interpretação do proteinograma

Gamopatias monoclonais
○ Aumento de Igs induzido por um único clone de
linfócitos B e/ou plasmócitos
○ Ex.: Mieloma múltiplo (neoplasia de plasmócitos).
Caso clínico
▷ Cão, macho, histórico de ascite (transudato).

Resultado Valor de referencia


Proteína total 5 6 – 8 g/dl
Albumina 1,8 2,3 – 3,8 g/dl
Globulina 2,3 – 5,2 g/dl
Alb:Glob 0,5 – 1,1
Caso clínico

Resultado Valor de referencia


Proteína total 5 6 – 8 g/dl
Albumina 1,8 2,3 – 3,8 g/dl
Globulina 3,2 2,3 – 5,2 g/dl
Alb:Glob 0,56 0,5 – 1,1

▷ Hipoproteinemia por hipoalbuminemia


▷ Insuficiência hepática
Caso clínico
▷ Gato, macho, 10 anos com histórico de letargia.

Resultado Valor de referencia


Proteína total 8,4 5,9 – 8,1 g/dl
Albumina 3,3 2,3 – 3,9 g/dl
Globulina 2,9 – 4,4 g/dl
Alb:Glob 0,5 – 1,1
Caso clínico

Resultado Valor de referencia


Proteína total 8,4 5,9 – 8,1 g/dl
Albumina 3,3 2,3 – 3,9 g/dl
Globulina 5,1 2,9 – 4,4 g/dl
Alb:Glob 0,64 0,5 – 1,1

▷ Hiperproteinemia por hiperglobulinemia


▷ Estimulação antigênica
Referências bibliográficas
BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
THRALL, M. A.; WEISER, G. ALLISON, R. W. CAMPBELL, T. W. Hematologia e Bioquímica Clínica Veterinária. 2. ed.
São Paulo: Roca. 2015. 688p.
STOCKHAM, S. L.; SCOTT, M. A. Fundamentos de Patologia Clínica Veterinária. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan. 2011. 729.
ESTRIDGE, B. H.; REYNOLDS, A. P. Técnicas Básicas de Laboratório Clínico. 5. ed. São Paulo: Artmed, 2011. 800p.
REGAN, W. J.; ROVIRA, A. R. I.; DeNICOLA, D. B. 2.ed. Atlas de Hematologia Veterinária. 2011. 120p.
 
 
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
BUSH, B. M. Interpretação de resultados laboratoriais para clínicos de pequenos animais. 1.ed. São Paulo: Roca, 2004.
376p.
ALMOSNY, N. R. P. Hemoparasitoses em Pequenos Animais Domésticos e como Zoonoses. Rio de Janeiro: L.F. Livros.
2002.
COLES, E. H. Patologia Clínica Veterinária. 3. ed., São Paulo: Manole, 1984. FABRIZIO, G.; BESERRA, H. E. O.;
COSTA, L. D. Citopatologia Veterinária Diagnóstica.1. ed. São Paulo: Medvet, 2014. 163p.
VADEN, S. L.; KNOLL, J. S.; SMITH Jr., F. W. K.; TILLEY, L. P. Exames Laboratoriais e Procedimentos Diagnósticos em
Cães e Gatos. 1. ed. São Paulo: Roca, 2014. 848p.

35

Você também pode gostar