Você está na página 1de 7

| 


 
  
@ Nasceu em Orel, sul de Moscou,
em 1895. Faleceu em 1975;
@ Formou-se em História e Filologia;
@ Círculo de Bakhtin ʹ Encontros
para discutir linguagem, literatura
e arte;
@ Foi exilado no Cazaquistão em um
período do governo de Stalin;
@ Tese de doutorado sobre Cultura
popular na Idade Média e no
Renascimento;
@ Sua obra ganha destaque no Brasil
na década de 80.
×    | 
@ Rússia da década de 20 do Século XX. @ (...) Três elementos ʹ o conteúdo
@ Fundamentação teórica: Marx. temático, o estilo, a construção
(materialismo histórico dialético) composicional ʹ estão indissoluvelmente
Dialético porque o homem não é encarado ligados no todo do enunciado e são
diferente do mundo em que está inserido, igualmente determinados pela
mas como parte que o constitui e é especificidade de um determinado campo
constituída por esse mesmo mundo. Assim, da comunicação. Evidentemente, cada
quando o homem se modifica, também enunciado particular é individual, mas
modifica o seu entorno. cada campo da utilização da língua
elabora seus V V 
 VV  
@ 1917 ʹ Revolução Russa.     , os quais denominamos
@ No começo do século XX, a Rússia vivia um    .
momento histórico onde as desigualdades @ oA língua materna, seu vocabulário e sua
sociais instaladas fizeram com que estrutura gramatical, não conhecemos por
camponeses e operários se mobilizassem meio de dicionários ou manuais de
politicamente. Nos campos, os gramática, mas graças aos enunciados
trabalhadores rurais viviam em condições concretos que ouvimos e reproduzimos na
lastimáveis legitimadas por um governo comunicação efetiva com as pessoas que
que preservava os privilégios feudais da nos rodeiam͞.
classe aristocrática. @ Ao considerar a importância do sujeito,
das esferas de comunicação e dos
contextos históricos, sociais, culturais e
ideológicos no uso efetivo da linguagem,
Bakhtin e o Círculo engendraram uma
abertura conceitual.
Bakhtin nas DCE-PR (2008)
@ Fica estabelecido que o objeto de @ As aulas de Língua Estrangeira se
estudo da LE contempla as relações configuram como espaços de
com a cultura, o sujeito e a interações entre professores e
identidade. Torna-se fundamental
alunos e pelas representações e
que os professores compreendam o
que se pretende com o ensino da
visões de mundo que se revelam
Língua Estrangeira na Educação no dia-a-dia. Objetiva-se que os
Básica, ou seja: ensinar e aprender alunos analisem as questões
línguas é também ensinar e aprender sociais-políticas econômicas da
percepções de mundo e maneiras de nova ordem mundial, suas
atribuir sentidos, é formar implicações e que desenvolvam
subjetividades, é permitir que se uma consciência crítica a respeito
reconheça no uso da língua os do papel das línguas na
diferentes propósitos comunicativos,
sociedade.
independentemente do grau de
proficiência atingido.
Bakhtin nas DCE-PR (2008)
@ use a língua em situações de comunicação oral e escrita;
@ vivencie, na aula de Língua Estrangeira, formas de participação que
lhe possibilitem estabelecer relações entre ações individuais e
coletivas;
@ compreenda que os significados são sociais e historicamente
construídos e, portanto, passíveis de transformação na prática
social;
@ tenha maior consciência sobre o papel das línguas na sociedade;
@ reconheça e compreenda a diversidade linguística e cultural, bem
como seus benefícios para o desenvolvimento cultural do país.

@ TAREFA ʹ COMO SEU PLANEJAMENTO PARA AS AULAS


DE ESTÁGIO CONTEMPLA ESSES 4 PONTOS?
Bakhtin nas DCE-PR (2008)
@ O trabalho com a Língua @ O texto, entendido como
Estrangeira Moderna uma unidade de sentido,
fundamenta-se na diversidade de
gêneros textuais e busca alargar a
pode ser verbal ou
compreensão dos diversos usos nãoverbal. Para Bakhtin
da linguagem, bem como a (1992), o texto é a
ativação de procedimentos materialização de um
interpretativos alternativos no enunciado e é entendido
processo de construção de
significados possíveis pelo leitor.
como unidade
Tendo em vista que texto e leitura contextualizada da
são dois elementos indissociáveis, comunicação verbal.
e que um não se realiza sem o
outro, é importante definir o que
se entende por esses dois termos.
Bakhtin nas DCE-PR (2008)
@ A leitura, processo de atribuição @ A abordagem da leitura crítica
de sentidos, estabelece extrapola a relação entre o leitor
diferentes relações entre o e as unidades de sentido na
sujeito e o texto de acordo com construção de significados
as concepções que se têm de possíveis. Busca-se, então,
ambos. O trabalho proposto superar uma visão tradicional da
nestas Diretrizes está ancorado leitura condicionada à extração
na perspectiva de uma leitura de informações.
crítica, a qual se efetiva no
confronto de perspectivas e na
(re)construção de atitudes diante
do mundo.
Bakhtin e planos de aula
@ Importante considerar, no planejamento de
atividades de leitura, como contemplar as discussões
que fizemos em sala e que aparecem nas DCE-PR
(2008) sobre a teoria dos gêneros textuais.