Você está na página 1de 58

CURSO DE FORMAÇÃO DE SOLDADOS

2011

INSTRUTOR: SD PM TARCÍSIO SILVA


Sumário
• Introdução
• Missão Constitucional
• Constituição Estadual
• Regulamento Disciplinar da PMAM
• Considerações Iniciais
• Conceitos Básicos
• Policiamento Ostensivo
Princípios de Policiamento Ostensivo
Características de Policiamento Ostensivo
Variáveis de Policiamento Ostensivo
• Procedimentos Básicos
• Conclusão
Introdução

O Estado criou a Polícia para, na promoção do bem


comum, restringir, coercitivamente o excesso de liberdades
individuais, de modo a garantir o bem geral.
A Polícia Militar é a organização militar estadual,
lastreada no princípio da hierarquia e disciplina, que tem por
objetivo a preservação da ordem Pública através do
Policiamento Ostensivo.
Missão Constitucional
CAPÍTULO III
DA SEGURANÇA PÚBLICA
Art. 144 - A segurança pública, dever do Estado, direito e
responsabilidade de todos, é exercida para preservação da ordem pública e da
incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:
I – Polícia Federal;
II – Polícia Rodoviária Federal;
III – Polícia Ferroviária Federal;
IV – Polícias Civis;
V – Polícias Militares e Corpo de Bombeiros Militares.
*INCOLUMIDADE: ILESO; SEM LESÃO OU FERIMENTO; INALTERADO – INCÓLUME (HOUAISS)
Missão Constitucional
§ 5º - às polícias militares cabem a polícia
ostensiva e a preservação da ordem pública; aos corpos de bombeiros
militares, além das atribuições definidas em lei, incumbe a execução de
atividades de defesa civil.
§ 6º - As polícias militares e corpos de
bombeiros militares, forças auxiliares e reserva do Exército, subordinam-
se, juntamente com as polícias civis, aos Governadores dos Estados, do
Distrito Federal e dos Territórios.
Constituição Estadual
CAPÍTULO VIII
DA SEGURANÇA PÚBLICA
Art. 114 - A Segurança Pública, dever do Estado, direito e
responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem
pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio público e privado,
através de um Sistema de Segurança, integrado pelos seguintes órgãos:
“Caput” com a redação dada pela EC nº 02, de 02.04.1991
I - Polícia Civil;
II - Polícia Militar;
III - Corpo de Bombeiro Militar;
IV - Departamento Estadual de Trânsito.
Constituição Estadual
CAPÍTULO VIII
DA SEGURANÇA PÚBLICA
Art. 116 - A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros Militar do
Estado, são instituições públicas permanentes, organizadas com base na
hierarquia e disciplina militar, competindo, entre outras, as seguintes
atividades:
I - à Polícia Militar:
a) polícia ostensiva de segurança, de trânsito
urbano e rodoviário, de florestas e de mananciais e as relacionadas com a
prevenção criminal, preservação e restauração da ordem pública;
b) a polícia judiciária militar, nos termos da lei
federal;
c) a orientação e instrução das guardas
municipais, onde houver, e por solicitação do Município respectivo.
Regulamento Disciplinar da PMAM
CAPÍTULO II
PRINCÍPIOS GERAIS DA HIERARQUIA E DA DISCIPLINA
Art. 5 - A hierarquia militar é a ordenação da autoridade em
níveis diferentes, dentro da estrutura das Forças Armadas e das Forças
Auxiliares por postos e graduações.
...
Art. 6 - A disciplina policial-militar é a rigorosa observância e o
acatamento integral das leis, regulamentos, normas e disposições,
traduzindo-se pelo perfeito cumprimento do dever por parte de todos e
de cada um dos componentes do organismo policial-militar.
Considerações Iniciais

O Policiamento atua na eliminação da crença de que a


oportunidade faz o ladrão. Se não existir oportunidade de delinqüir,
então o crime também não existirá. Nunca será possível eliminar
todas as oportunidades de delinqüir, mas pela atuação eficaz da
polícia ostensiva, com policiamento ostensivo bem planejado e
executado, estas podem ser extremamente minimizadas e
diminuídas, muito mais pela sensação de presença, do que de
efetiva presença real;
Considerações Iniciais
O policiamento freqüente e visível em todas as horas e em
todos os bairros de uma cidade criam uma impressão de
onipresença e onipotência. A reputação de que o policiamento
ostensivo atende as ocorrências criminosas com rapidez e
segurança, corre de boca em boca, através da imprensa falada,
escrita e televisionada, e o futuro delinqüente e contraventor se
convence, sem necessidade de experiência pessoal, de que o serviço
de policiamento não falha. (DUTRA)
Conceitos Básicos
• Ordem Pública:
É o estado de paz social que experimenta a população,
decorrente do grau de garantia individual ou coletiva propiciado
pelo Poder Público, que envolve, além das garantias de segurança,
tranqüilidade e salubridade, as noções de ordem moral, estética,
política e econômica. Fundamenta-se em um conjunto de regras
formais, que emanam do ordenamento jurídico da Nação, tendo
por escopo regular as relações sociais de todos os níveis, do
interesse público, estabelecendo um clima de convivência
harmoniosa e pacífica, fiscalizado pelo poder de polícia, e
constituindo uma situação ou condição que conduza ao bem
comum.
Conceitos Básicos
• Ordem Pública:
A Ordem Pública é, sempre, uma noção de valor nacional,
composta pelos seguintes aspectos:
1) Tranqüilidade Pública: clima de convivência
pacífica e bem-estar social, onde reina a normalidade das coisas,
isenta de sobressaltos ou aborrecimentos. É a paz pública na ruas.
2) Salubridade Pública: situação em que se
mostram favoráveis às condições de vida.
3) Segurança pública: É o estado de paz social.
Conceitos Básicos
• Infográfico:

ORDEM PÚBLICA
Conceitos Básicos
• Preservação da Ordem Pública:
É o exercício dinâmico do poder de polícia, no campo da
segurança pública, manifestado por atuações predominantemente
ostensivas, visando a prevenir, dissuadir, coibir ou reprimir eventos
que violem a ordem pública. Compreende as ações e operações de
manutenção ou do restabelecimento da ordem pública, impedindo
atos individuais ou coletivos que atentem contra a segurança
pública, as atividades lícitas, os bens públicos ou particulares, a
saúde e o bem-estar das populações, e a vida dos cidadãos,
preservando a situação de garantia e normalidade que o Estado
assegura , ou deva assegurar, a todos os membros da sociedade.
Conceitos Básicos
• Perturbação da Ordem Pública :
Abrange todos os tipos de ação, inclusive as decorrentes de
calamidade pública que, por sua natureza, origem, amplitude e
potencial possam vir a comprometer, na esfera estadual, o
exercício dos poderes constituídos, o cumprimento das leis e a
manutenção da ordem pública, ameaçando a população e
propriedades públicas e privadas. As medidas preventivas e
repressivas neste caso, estão incluídas nas medidas de Defesa
Interna e são conduzidas pelos Governos Estaduais, contando ou
não com o apoio do Governo Federal.
Conceitos Básicos
• Operação policial militar: é a conjugação de ações, que exige
planejamento específico, executadas por frações de tropa
constituída, podendo, inclusive, contar com a participação de outros
órgãos, públicos ou privados.
• Tática policial militar: é a arte de empregar a tropa em ações e
operações Policiais Militares.
• Técnica policial militar: é o conjunto de métodos e procedimentos
usados para a execução eficiente das atividades policiais militares.
• Teatro de operações: Área onde se desenvolve a Operação Policial e
onde atuam os elementos operacionais.
• Operacionalidade: Capacidade de uma organização policial-
militar para cumprir as missões a que se destina.
Conceitos Básicos
• Planejamento: conjunto de atividades, metodicamente
desenvolvidas, para esquematizar a solução de um problema,
comportando a seleção da melhor alternativa e o ordenamento
constantemente avaliado e reajustado, do emprego dos meios
disponíveis para atingir os objetivos estabelecidos.
• Material bélico de Polícia Militar: todo o material necessário ao
desempenho das atribuições especificas nas ações e operações de
Policiamento Ostensivo. Compreende-se como tal:
Armamento;
Munição letal e /ou não letal;
Material de Motomecanização;
Viaturas de duas e quatro rodas.
Conceitos Básicos
• Aprestamento: conjunto de medidas, incluindo instrução,
adestramento e preparo logístico, para tornar uma organização policial
militar pronta para emprego imediato.
• Inspeção: ato da autoridade competente, com objetivo de verificar,
para fins de controle e coordenação, as atividades e os meios de
elemento inspecionado.
• Adestramento: atividade destinada a exercitar o policial-militar,
individualmente e em equipe, desenvolvendo-lhe a habilidade para o
desempenho das tarefas para as quais já recebeu a adequada
instrução.
• Local de Risco: é todo local que, por suas características, apresente
probabilidade de ocorrência policial militar.
Conceitos Básicos
• Malha de proximidade de segurança: conceito de policiamento pelo
qual se visa viabilizar e potencializar a aproximação do Policiamento
Ostensivo com a comunidade.
• Ponto de relacionamento com a comunidade (PRC): é o local sob
responsabilidade de fração elementar ou constituída, onde esta
realiza contato com a Comunidade ou, ainda, adota procedimentos
operacionais prescritos nas rotinas de policiamento comunitário.
• Posto de policiamento: circunscrição territorial atribuída à
responsabilidade de fração elementar ou constituída, atuando em
permanência e/ou patrulhamento.
Conceitos Básicos
• Zona ou área de policiamento: circunscrição territorial atribuída à
responsabilidade de uma OPM de valor igual a Regimento ou Batalhão.
• Subárea de policiamento: circunscrição territorial atribuída à
responsabilidade de uma Companhia PM (Cia PM) ou Esquadrão de Polícia
Montada (Esqd P Mon).
• Setor de policiamento: circunscrição territorial atribuída à
responsabilidade de um Pelotão PM (Pel PM).
• Subsetor de policiamento: circunscrição territorial atribuída à
responsabilidade de um Grupo PM (GPM).
• Itinerário do policiamento: é o trajeto que interliga pontos-base no posto,
percorrido obrigatoriamente pela fração.
• Posto de policiamento integrado (PPI): é a circunscrição territorial
atribuída à responsabilidade de uma ou mais frações elementares ou
constituídas, atuando de forma integrada.
Conceitos Básicos
• Policiamento Ostensivo:

É a atividade dinâmica de execução da polícia ostensiva,


que obedece a características, princípios e variáveis próprias,
objetivando satisfazer as necessidades básicas das comunidades e
do cidadão. É exclusivo das Policias Militares em cujo emprego o
homem ou a fração de tropa engajados são identificados de
relance, quer pela farda quer pelo equipamento, ou viatura,
objetivando a manutenção (PRESERVAÇÃO) da ordem pública.
Policiamento Ostensivo
• Princípios do Policiamento Ostensivo : Os princípios do Policiamento
Ostensivo são preceitos essenciais considerados no planejamento e na
execução, visando à eficiência e a eficácia operacional, compreendendo:
1. Antecipação;
2. Aplicação;
3. Continuidade;
4. Emprego Lógico;
5. Isenção;
6. Objetivo;
7. Profundidade;
8. Unidade de Comando;
9. Universalidade;
10. Responsabilidade territorial;
11. Superioridade
Policiamento Ostensivo
1. Antecipação: A fim de ser estabelecido e alcançado o espírito
predominantemente preventivo do PO, a iniciativa de providências
estratégicas, táticas e técnicas, destina-se a minimizar a surpresa,
caracterizar um clima de segurança na comunidade e fazer face
ao fenômeno da evolução da criminalidade com maior presteza.
2. Aplicação (atenção constante; dedicação): O PO, por ser uma
atividade facilmente identificada pela farda, exige atenção e atuação
ativas de seus executores, de forma a proporcionar o desestímulo ao
cometimento de atos anti-sociais, pela atuação preventiva e
repressiva. A Omissão, o desinteresse e a apatia são fatores
geradores de descrédito e desconfiança por parte da comunidade e
revelam falta de preparo individual e de espírito de corpo.
Policiamento Ostensivo
3. Continuidade : O PO é atividade imprescindível, de caráter
absolutamente operacional e será exercido diuturnamente. A
satisfação das necessidades de segurança da comunidade
compreende um nível tal de exigências que deve encontrar
resposta na estrutura organizacional, nas rotinas de serviço e na
mentalidade do PM.
4. Emprego Lógico: A disposição de meios, para a execução do
Policiamento Ostensivo, deve ser o resultado de julgamento criterioso
das necessidades, escalonadas em prioridades de atendimento, da
dosagem do efetivo e do material, compreendendo o uso racional do
que estiver disponível, bem como de um conceito de operação bem claro
e definido, consolidado em esquemas exeqüíveis.
Policiamento Ostensivo
5. Isenção : Na atividade profissional, o PM, exercitará e garantirá
todas as condições necessárias ao alcance da cidadania plena,
cabendo observar a igualdade do cidadão quanto ao gozo de seus
direitos e cumprimento de seus deveres perante a Lei, agindo com
imparcialidade e impessoalidade.
6. Objetivo: O PO visa a tranqüilidade pública pelo
desencadeamento de ações e operações, isoladas ou integradas,
com propósitos particulares definidos.
Policiamento Ostensivo
7. Profundidade: A cobertura de locais de risco não ocupados e/ou o
reforço a pessoal empenhado devem ser efetivados ordenadamente,
seja pelo judicioso emprego da reserva, seja pelo remanejamento dos
recursos imediatos, ou mesmo, se necessário, pelo progressivo e
crescente apoio, que assegure o pleno exercício da atividade. A
supervisão (fiscalização e controle) e a coordenação, realizadas por
Oficiais e Graduados, também integram este princípio, a medida que
corrigem distorções e elevam o moral do executante.
8. Unidade de Comando: Quando a atividade Policial Militar se desenvolve
com o emprego de diferentes frações, elementares ou constituídas, os
escalonamentos, do primeiro ao último, são ordenados e organizados, a
partir de único Comandante, possibilitando a unidade de esforço, pela
aplicação coordenada de todos os meios.
Policiamento Ostensivo
9. Universalidade: O PO se desenvolve para a preservação da ordem
pública, tomada no seu sentido amplo. A natural e, às vezes
imposta, tendência à especialização, não constitui óbice à
preparação do PM capaz de dar tratamento adequado aos
diversos tipos de ocorrências. Aos PM especialmente preparados
para determinado tipo de policiamento, caberá, a adoção de
medidas, ainda que preliminares, em qualquer ocorrência policial
militar. O cometimento de tarefas policiais militares específicas
não desobriga o PM do atendimento a outras ocorrências que
presencie ou para as quais seja chamado ou determinado.
Policiamento Ostensivo
10. Responsabilidade Territorial : Os elementos em Comando, com
tropa desdobrada no terreno, são responsáveis, perante o escalão
imediatamente superior, pela preservação da ordem pública
na circunscrição territorial que lhe estiver afeta, especialmente
pelo que decorre do PO. Como dever, compete-lhe a iniciativa de
todas as providências legais e regulamentares, para ajustar
os meios que a Corporação aloca ao cumprimento da missão
naquele espaço territorial considerado.
11. Superioridade: O pessoal a ser empregado seja na prevenção e/ou no
atendimento de uma ocorrência deverá ser sempre superior aos
infratores, seja pelo número de policiais, pelo armamento, pelo
posicionamento ou qualquer situação que privilegie a guarnição.
Policiamento Ostensivo
• Características do Policiamento Ostensivo : São aspectos gerais de que se
reveste a atividade policial-militar, definindo-lhe o campo de atuação e as
razões de seu desencadeamento. São eles:
1. Ação Pública;
2. Identificação;
3. Dinâmica;
4. Totalidade;
5. Planejamento;
6. Legalidade;
7. Ação Presença.
Policiamento Ostensivo
1. Ação Pública: Objetiva alcançar o interesse geral da comunidade,
resguardando o bem comum em sua maior amplitude. Não se
confunde com zeladoria, atividade de vigilância particular de bens
ou áreas privadas e públicas, nem com a segurança pessoal de
indivíduos sob ameaça. A atuação eventual nessas situações
ocorre por conta das excepcionalidades e não como regra de
observância imperativa.
2. Identificação: O PO é a atividade de preservação da ordem pública
em cujo emprego a fração é identificada de relance pela farda. O
armamento, equipamento, viatura e aprestos se constituem em
formas complementares de reconhecimento.
Policiamento Ostensivo
3. Dinâmica: O desempenho do sistema de policiamento ostensivo
far-se-á, com prioridade, no cumprimento e no aperfeiçoamento
dos planos de rotina, com o fim de manter continuado e íntimo
engajamento da fração com sua circunscrição, para obter o
conhecimento detalhado do terreno e dos hábitos da população,
a fim de melhor servi-la.
O esforço é feito para a manutenção dos efetivos e dos
meios na execução daqueles planos que conterão o rol de
prioridades pela presença continuada, objetivando criar e manter
na população a sensação de segurança que resulta na
Tranqüilidade Pública, objetivo final da Preservação da Ordem
Pública.
Policiamento Ostensivo
4. Totalidade: É uma atividade essencialmente dinâmica que tem origem
na necessidade comum de segurança da comunidade, permitindo-lhe
viver em tranqüilidade pública. Esta é desenvolvida sob os aspectos
preventivo e repressivo, consoante seus elementos motivadores,
assim considerados os atos que possam se contrapor ou se
contraponham à ordem pública. Consolida-se por uma sucessão de
iniciativas de planejamento e execução ou em razão de clamor
público. Deve fazer frente a toda e qualquer ocorrência, quer por
iniciativa própria, quer por solicitação, quer em razão de
determinação. Havendo envolvidos (pessoas, objetos), quando
couber, serão encaminhados aos órgãos competentes ou estes
cientificados para providências, se não implicar em prejuízo para o
desenlace do atendimento.
Policiamento Ostensivo
5. Planejamento: É uma atividade planejada pela autoridade
competente, a fim de assegurar o cumprimento da lei, a
preservação da ordem pública e o exercício dos poderes
constituídos.
6. Legalidade: As atividades de Policiamento Ostensivo
desenvolvem-se dentro dos limites que a lei estabelece. O
exercício do poder de Polícia é discricionário, mas não deve ser
exercido com arbitrariedade.
7. Ação Presença: É a manifestação que dá a comunidade a
sensação de segurança, pela certeza de cobertura policial-militar.
Policiamento Ostensivo
Ação de presença real consiste na presença física do PM nos
locais onde a probabilidade de ocorrência seja grande.
Ação de presença potencial é a capacidade do Policiamento
Ostensivo, num espaço de tempo mínimo, acorrer ao local onde a
ocorrência policial-militar seja iminente ou já tenha surgido.
Policiamento Ostensivo
• Variáveis do Policiamento Ostensivo: São os critérios (tipo, processo,
modalidade, circunstância, lugar, tempo, número, forma), que identificam
os aspectos principais da execução do PO fardado.
1. Tipos de Policiamento Ostensivo;
2. Processos de Policiamento Ostensivo;
3. Modalidade de Policiamento Ostensivo;
4. Circunstância de Policiamento Ostensivo;
5. Lugar de Policiamento Ostensivo;
6. Número de Policiamento Ostensivo;
7. Forma de Policiamento Ostensivo;
8. Tempo de Policiamento Ostensivo.
Policiamento Ostensivo

1. Tipos de Policiamento Ostensivo


São qualificadores das ações e operações, e são os seguintes:
a) Policiamento Ostensivo Geral: Tipo de PO que visa a satisfazer
as necessidades básicas de segurança, inerentes a qualquer
comunidade ou a qualquer cidadão.
b) Policiamento de Trânsito Urbano ou Rodoviário Policial: Tipo
específico de policiamento ostensivo executado em vias terrestres
abertas à livre circulação, visando a disciplinar o público no
cumprimento e respeito às regras e normas de trânsito,
estabelecidas por órgão competente, de acordo com o Código de
Trânsito Brasileiro e legislação pertinente.
Policiamento Ostensivo
c) Policiamento Florestal e de Mananciais: Tipo específico
de PO que visa a reservar a fauna, os recursos florestais, as
extensões d'água e mananciais, contra a caça e a pesca ilegais, a
derrubada indevida ou a poluição. Deve ser realizado em
cooperação com órgãos competentes, federais ou estaduais.
d) Policiamento de Guarda: Tipo específico de
policiamento ostensivo que visa à guarda de aquartelamentos, à
segurança externa de estabelecimentos penais e à segurança física
das sedes dos poderes estaduais e outras repartições públicas de
importância, assim como à escolta de presos fora dos
estabelecimentos penais.
Policiamento Ostensivo

2. Processo de Policiamento Ostensivo


São caracterizados pelos meios de locomoção utilizados,
que podem ser:
a) A Pé
b) Motorizado
c) Montado
d) Aéreo
e) Em Embarcação
f) Em Bicicleta
Policiamento Ostensivo
3. Modalidade de Policiamento Ostensivo
São modos peculiares de execução do policiamento ostensivo
a) Patrulhamento: É a atividade móvel de observação, fiscalização,
reconhecimento, proteção ou, mesmo, de emprego de força. Tendo em
vista sua ampla utilidade a patrulha tem de ser o centro de atenção, no
desenvolvimento tecnológico da Polícia Militar, visando a que o usuário
seja atendido no local onde se encontra.
b) Permanência: É a atividade predominantemente estática, executada
pelo policial militar, isolado ou não, em local de risco ou posto fixo, dentro
do módulo, preferencialmente contando com possibilidade de
comunicação.
Policiamento Ostensivo
c) Diligência : É a atividade de busca e apreensão de
objetos e (ou) busca e captura de pessoas em flagrante delito ou
mediante mandado judicial.
d) Escolta: É o emprego eventual e temporário de meios
operacionais, face a acontecimento imprevisto, que exige manobra
de recursos.
Policiamento Ostensivo

4. Circunstância de Policiamento Ostensivo


São condições que dizem respeito à freqüência com que se
torna exigido o policiamento Ostensivo:
a) Ordinário: É o emprego rotineiro de meios operacionais
em obediência a um plano sistemático, que contém a escala de
prioridades.
b) Extraordinário: É o emprego eventual e temporário de
meios operacionais, face a acontecimento imprevisto, que exige
manobra de recursos.
Policiamento Ostensivo

4. Circunstância de Policiamento Ostensivo


São condições que dizem respeito à freqüência com que se torna
exigido o policiamento Ostensivo:
a) Ordinário: É o emprego rotineiro de meios operacionais em
obediência a um plano sistemático, que contém a escala de
prioridades.
b) Extraordinário: É o emprego eventual e temporário de meios
operacionais, face a acontecimento imprevisto, que exige manobra
de recursos.
c) Especial: É o emprego temporário de meios operacionais, em
eventos previsíveis que exijam esforço específico.
Policiamento Ostensivo

5. Lugar de Policiamento Ostensivo


É o espaço físico em que se emprega o Policiamento
Ostensivo.
a) Urbano: É o policiamento executado nas áreas
edificadas e de maior concentração populacional dos municípios.
b) Rural: É o policiamento executado em áreas que se
caracterizam pela ocupação extensiva, fora dos limites da área
urbana municipal.
Policiamento Ostensivo

6. Número de Policiamento Ostensivo


É o espaço físico em que se emprega o Policiamento
Ostensivo.
a) Fração Elementar: 1 PM; 2 PM; 3 PM.
b) Fração Constituída: Gp PM; Pel PM; Cia PM – Esqd;
BPM – RPMont.
Policiamento Ostensivo

7. Forma de Policiamento Ostensivo


É o espaço físico em que se emprega o Policiamento
Ostensivo.
a) Desdobramento: Constitui a distribuição das UOp no
terreno, devidamente articuladas até o nível Gp PM, com limites
de responsabilidades perfeitamente definidos.
b) Escalonamento: É o grau de responsabilidade dos
sucessivos e distintos níveis da cadeia de comando, no seu espaço
físico.
Policiamento Ostensivo

8. Tempo de Policiamento Ostensivo


É a duração de empenho diário do policial-militar no PO.
a) Jornada: É o período de tempo, equivalente às 24 horas
do dia, em que se desenvolvem as atividades de Policiamento
Ostensivo.
b) Turno: É a fração da jornada com um período de tempo
previamente determinado.
Policiamento Ostensivo
DIAGRAMA DAS VARIAVEIS DO POLICIAMENTO OSTENSIVO
Procedimentos Básicos

São comportamentos padronizados, que proporcionam as


condições básicas para o pleno exercício das funções policiais-
militares, e, por isso, refletem o nível de qualificação profissional do
homem e da corporação. Compreendem os requisitos básicos, as
formas de empenho em ocorrências, os fundamentos legais e as
técnicas mais usuais.
Procedimentos Básicos

Requisitos Básicos
a) Conhecimento da missão: o desempenho das funções
de PO impõe como condição essencial para eficiência operacional,
o completo conhecimento da missão, que tem origem no prévio
preparo técnico-profissional, decorre da qualificação geral e
específica e se completa com o interesse do PM.
b) Conhecimento do local de atuação: compreende o
conhecimento de todos os aspectos físicos do terreno, de
interesse policial militar, assegurando a familiarização
indispensável ao melhor desempenho operacional.
Procedimentos Básicos

Requisitos Básicos
c) Acessibilidade: deve ser facilitada à comunidade, o acesso aos
serviços da Polícia Militar seja pelo telefone ou pelo local de
estacionamento da patrulha. Também devem ser amplamente
divulgados os endereços das unidades policiais militares.
d) Relacionamento: compreende o estabelecimento de contatos
com os integrantes da comunidade, proporcionando a
familiarização com seus hábitos, costumes e rotinas, de forma a
assegurar o desejável nível de controle policial-militar, para
detectar e eliminar as situações de risco, que alterem ou possam
alterar o ambiente de tranqüilidade pública.
Procedimentos Básicos

Requisitos Básicos
e) Postura e compostura: a atitude, compondo a apresentação
pessoal e a correção de maneiras no encaminhamento de qualquer
ocorrência, influi decisivamente na confiabilidade do público em
relação à Corporação e mantém elevado o posicionamento do PM,
facilitando-lhe, em conseqüência, o desempenho operacional.
f) Comportamento na ocorrência: o caráter impessoal e imparcial
da ação policial-militar revela a natureza eminentemente
profissional da atuação, em qualquer ocorrência, e requer seja
revestida de urbanidade, energia serena, brevidade compatível e,
sobretudo, isenção.
Procedimentos Básicos

Formas de Empenho em Ocorrências


a) Averiguação: é o empenho do PM, visando à constatação do grau
de tranqüilidade desejável e (ou) à tomada de dados e exame de
indícios, que poderão conduzir a providências subseqüentes.
b) Advertência: é o ato de interpelar o cidadão encontrado em
conduta inconveniente, buscando a mudança de sua atitude, a fim
de evitar o cometimento de contravenção penal ou crime.
c) Orientação: é o ato de prevenir a ocorrência de delitos através do
esclarecimento ao cidadão, sobre as medidas de segurança que o
mesmo deve tomar.
Procedimentos Básicos

Formas de Empenho em Ocorrências


d) Prisão: é o ato de privar da liberdade alguém
encontrado em flagrante delito ou em virtude de mandado
judicial. 1) Flagrante delito: qualquer do
povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão
prender quem: - Está cometendo a infração
penal; - Acaba de cometê-la;
- É perseguido pela autoridade,
pelo ofendido ou por qualquer pessoa, logo após cometer a
infração penal; - É encontrado, logo
depois, com instrumentos, objetos ou papéis que façam presumir
ser ele o autor da infração.
Procedimentos Básicos

Formas de Empenho em Ocorrências


2) Mandado Judicial: é a ordem escrita da autoridade
competente (juiz de direito) determinando a:
- Prisão preventiva;
- Prisão em virtude de pronúncia;
- Prisão por efeito de condenação;
- O mandado judicial deve: ser lavrado pelo escrivão e assinado
pela autoridade que o expede;
- Designar a pessoa, que deve ser presa, pelo seu nome, alcunha
e sinais característicos;
- Mencionar a infração penal que motivar a prisão;
- Ser dirigido a quem tiver qualidade para dar-lhe execução.
Procedimentos Básicos

Formas de Empenho em Ocorrências


3) Precauções:
- A prisão pode ser efetuada em qualquer dia e a qualquer
hora, desde que respeitadas as restrições relativas à
inviolabilidade do domicílio.
- Para efetuar a prisão, é admissível que o policial-militar
empregue força física moderada, sempre sem violência arbitrária
ou abuso de poder, nos casos de: Resistência, Agressão e Tentativa
de fuga.
Procedimentos Básicos
Formas de Empenho em Ocorrências
e) Assistência: é todo auxílio essencial ao público, prestado pelo policial-militar
de forma preliminar, eventual e não compulsória.
f) Autuação: é o registro escrito da participação do PM em ocorrência,
retratando aspectos essenciais, para fins legais e estatísticos, normalmente
feito em ficha, talão ou Boletim de Ocorrência da Polícia Militar (BO/PM), em
se tratando de infração penal, terá sempre em vista o êxito da persecução
criminal.
O PM, ao registrar particularidades de ocorrência atendida, deve primar pela
imparcialidade, somente mencionando circunstâncias relevantes constatadas. Não
deve, sob qualquer pretexto, transcrever as versões apresentadas pelas partes
envolvidas ou conclusões pessoais apressadas.
’’Ser policial é sobre tudo uma
razão de ser.’’

Você também pode gostar