Você está na página 1de 11

Erradicação da

pobreza
Guilherme Marques nº9, João Tomé nº15, Rafael Amaral nº22, Eduardo Moreno nº 26
Índice:

1. O que é a pobreza?
2. Eliminar a pobreza ou combater os mais ricos?
3. Quem é Peter Singer ?
4. Será que temos obrigação moral de ajudar quem vive na pobreza absoluta?
5. Perspetiva de Peter Singer
6. Objeções à perspetiva de Peter Singer
O que é a pobreza?
A pobreza não se resume à falta de recursos e de rendimento mas também ao acesso limitado de serviços
e direitos que para nós são básicos, como a educação e a saúde.

Pobreza absoluta: A pobreza absoluta designa uma situação em que as pessoas não veem satisfeitas as
suas necessidades básicas à sua sobrevivência. Esta situação é mais comum nos países em
desenvolvimento apesar de algumas pessoas na União Europeia como os sem-abrigo continuarem a viver
nesta situação.

Pobreza relativa: A pobreza relativa designa uma situação em que o estilo de vida e rendimento de certas
pessoas estão bastante abaixo do nível de vida médio do país em que vivem. A pobreza relativa depende
do país e do nível de vida da maioria da população. Apesar deste tipo de pobreza não ser tão extrema
como a absoluta não deixa de ser preocupante.
Será que temos obrigação moral de
ajudar quem vive na pobreza absoluta?

Quem nada faz para ajudar as pessoas que se encontram nesta situação não merece ser criticado dado
que em nada interfere na vida das mesmas. Por outro lado, o ato de ajudar as pessoas necessitadas é
algo louvável já que faz com que possamos dar-lhes uma vida melhor e proporcionar-lhes um futuro
mais promissor.
Mas será que temos o dever de ajudar quem vive na miséria? Se considerarmos que sim, devemos não
só permitir que isso aconteça como também encorajar outros a fazê-lo; se considerarmos que não,
devemos desde já descartar essa ideia, sem impedir que outros o façam.
Quem é Peter Singer ?

Peter Albert David Singer é um filósofo e professor australiano. É professor na


Universidade de Princeton, nos Estados Unidos. Atua na área de ética prática, tratando
questões de Ética de uma perspetiva utilitarista.
Perspetiva de Peter Singer

Peter Singer, um filósofo utilitarista, afirma que temos o dever de ajudar a combater
todos os males caso não sacrifiquemos nada moralmente comparável.
De acordo com o filósofo não fazer nada para salvar estas vidas é comparável a matar
diretamente
Considera também que não chega apenas fazer donativos mas também participar em
campanhas solidárias.
Singer defende ainda que se aceitamos algum princípio de universalidade, igualdade ou
imparcialidade, não devemos desvalorizar uma pessoa apenas por esta estar longe de
nós.
Objeções à perspetiva de Peter Singer

Ao maximizarmos imparcialmente o bem estar teremos que abdicar de sonhos e


objetivos  para podermos ajudar os outros.
Os deontologistas criticam Singer pois este não acredita nem valoriza o direito á
propriedade privada, isto é, os deontologistas acreditam que se existe algo que
ganhaste de forma justa tens o direito de usufruir e que nada nos obriga a abdicar dos
nossos bens.
Resumindo, os deontologistas acreditam, que ao contrario de Singer que se temos
oportunidade de ajudar alguém e não o fazemos não somos moralmente responsáveis
por essa ação.
Perspetiva deontológica

Os deontológicos defendem que há diferença entre os atos e as omissões, e que não


somos responsáveis pela morte de ninguém que vive na pobreza absoluta pois não
fomos nós que a causamos.
Defendem também que não é justo sermos condenados por estar a usufruir do
rendimento que recebemos fruto do nosso esforço e trabalho em vez de o doarmos.
Objeções à perspetiva deontológica

Os deontológicos são fortemente criticados e confrontados com a seguinte pergunta:


"Se fossemos colocados em situação de pobreza absoluta, certamente queríamos ser
ajudados, então porque não ajudamos os mais necessitados?"
É simples, os deontológicos são atacados por só pensarem neles e não nos outros.
Vamos debater:

Eliminar a pobreza ou combater os mais ricos?


Colocamo-nos então no seguinte dilema: Se eu tivesse um milhão de euros e me
propusesse a contribuir para a diminuição da pobreza daria mil euros a mil pobres ao
entregaria um milhão a um empresário?
Obrigado pela vossa atenção

Você também pode gostar