Você está na página 1de 66

Conteúdo da Capacitação conforme o Anexo II da NR12

Módulo I

 Conhecendo o equipamento;
 Noções sobre legislação de trânsito;
e de legislação de segurança e saúde no trabalho;
 Noções sobre acidentes e doenças decorrentes da exposição aos
riscos existentes na máquina, equipamentos e implementos;
 Medidas de controle dos riscos: EPC e EPI;
 Operação com segurança da máquina ou equipamento;
 Inspeção, regulagem e manutenção com segurança;
 Sinalização de segurança;
 Procedimentos em situação de emergência; 
Conteúdo da Capacitação conforme o Anexo II da NR12

Módulo II

 Noções sobre prestação de primeiros socorros.

Avaliação Teórica.

Módulo III

 Noções sobre operação segura da máquina ou equipamento;

Avaliação Prática
Embasamento Legal da capacitação:
Normas Regulamentadoras do MTE
NR01 - Disposições Gerais
NR06 - EPI, Equipamentos de Proteção Individual
NR18 - Condições de Meio Ambiente de Trabalho na Industria da
Construção
NR11
11.1.5 Nos equipamentos de transporte, com força motriz
própria, o operador deverá receber treinamento específico,
dado pela empresa, que o habilitará nessa função.
Demais itens...
NR12
ANEXO II - CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA CAPACITAÇÃO.
Itens: 1.1 e 1.1.1 assim como demais itens pertinentes.
Resumo da capacitação:

Este treinamento tem por objetivo


capacitar trabalhadores para a operação
segura e eficiente do equipamento PÁ
CARREGADEIRA, atendendo as normas de
transporte, movimentação, armazenagem
e manuseio de materiais nos mais diversos
campos de aplicação deste equipamento.
Conhecendo o equipamento...
As pás-carregadeiras são máquinas de
terraplenagem que realizam escavação, mas
como o próprio nome sugere, são especializadas
no carregamento de caminhões, seja em obras
de terraplenagem para remoção de terra ou em
mineração carregando rochas, brita, areia,
minérios em geral.
Existem diferentes tamanhos
de pá-carregadeira, além de
várias marcas e uma
infinidade de modelos, cada
um desenvolvido para
finalidades específicas de
acordo com sua aplicação.
Existem diferentes tamanhos
de pá-carregadeira, além de
várias marcas e uma
infinidade de modelos, cada
um desenvolvido para
finalidades específicas de
acordo com sua aplicação.
Também há pás-carregadeiras sobre
rodas que podem ser articuladas ou não e pás-
carregadeiras sobre esteiras.
PÁ-CARREGADEIRA SOBRE RODAS
As pá-carregadeiras sobre rodas (ou pá-carregadeira
de pneus) são destinadas à trabalhos de
terraplenagem em terrenos firmes e secos ou quando
é necessária a circulação sobre solo pavimentado em
asfalto ou concreto como ruas, pátios, etc.
Pácarregadeiras de pneus, articuladas, necessitam de
um amplo espaço para manobras e não são indica
das, articuladas ou não, para terrenos muito
acidentados devido ao alto risco de tombamento do
equipamento. Também não são indicadas para
trabalhos sobre entulho ou lixo devido ao risco de
danos aos pneus.
PÁ-CARREGADEIRA SOBRE ESTEIRAS
As pás-carregadeiras de esteiras,
indicadas para qualquer tipo de
terreno (seco ou úmido, firme ou
instável, plano ou acidentado) são mais
estáveis e possuem melhor tração e
aderência ao solo se comparadas às de
pneus.
O custo operacional da pá-carregadeira de
esteiras é maior devido ao alto preço das
esteiras, no entanto, a produtividade em
escavação e carregamento é muito superior
tornando-a uma excelente alternativa
às pás-carregadeiras de pneus.
Apesar de ser desenvolvida com o intuito de ter grande
produtividade no carregamento de caminhões, a pá-
carregadeira é uma excelente máquina para execução de
outras tarefas como: espalhamento de terra em aterros,
escavação, demolição mecanizada, nivelamento, entre
outros.
É comum operadores de pá carregadeira
não terem ideia dos requisitos de
segurança que esse tipo de maquinário
deve possuir, e, por isso, nos últimos anos,
diversos operários sofreram acidentes
graves e fatais nos canteiros de obras no
Brasil.
Veja os três principais requisitos de
segurança que uma pá carregadeira deve
possuir:
Cinto de segurança:
Cinto de segurança:

É essencial que qualquer tipo de


equipamento possua um cinto de
segurança, para evitar que seu operário
sofra lesões graves ou, até mesmo,
fatais em possíveis acidentes nos
canteiros de obras.
Extintor de pó seco:
Extintor de pó seco:

Ter um extintor de pó seco no


equipamento é uma medida
simples e eficaz para garantir a
segurança do operador e do
próprio patrimônio.
Sinal sonoro de ré: 
Sinal sonoro de ré: 

O maquinário deve ter sempre um sinal para


indicar a marcha ré, para alertar pessoas
próximas que a máquina está andando em
marcha ré e que provavelmente o operador
não tem uma visão de tudo que está atrás da
máquina.
Com a finalidade de preservar
vidas, alguns cuidados devem ser
tomados ao circularem com pás
carregadeiras nas estradas,
rodovias e outras vias públicas, seja
no meio urbano ou rural ao longo
do país.
Segundo o código de trânsito brasileiro,
os usuários das vias, ou seja, aqueles
que utilizam as rodovias devem evitar
situações que possam constituir perigo
para o trânsito de veículos, de pessoas
ou animais, causarem danos a
propriedades públicas ou privadas.
(CTB, art. 26, I e II).
O pá carregadeira é um veículo automotor
destinado à movimentação de cargas para o
trabalho agrícola ou na construção civil, só
podendo ser conduzidos, na via pública, por
condutor habilitado nas categorias “C”, “D”
ou “E”, conforme art. 144 do CTB.
É legalmente possível transitar em vias
públicas com uma pá carregadeira?
 
Os tratores ou asimilados têm autorização para
transitar em rodovias, mas para isso é necessário
o registro e licenciamento do DETRAN -
Departamento Estadual de Trânsito, recebendo
pelo DETRAN uma numeração especial, de
acordo com o art. 115, CTB.
O veículo será identificado externamente por
meio de placas dianteira e traseira, sendo estas
lacradas em sua estrutura, obedecidas as
especificações e modelos estabelecidos pelo
Conselho Nacional de Trânsito - CONTRAN.
O que é necessário para se circular em vias
públicas?
 
O trator ao circular em vias públicas deve
permanecer com os faróis dianteiros
acesos de luz branca ou amarela.
Possuir dispositivos de sinalização traseira
de cor vermelha, lanternas de freio de cor
vermelha, indicadores luminosos de
mudança de direção, dianteiros e
traseiros.
Pneus que ofereçam condições
mínimas de segurança.
 
De maneira nenhuma transitar
transportando pessoas no veículo ou
sobre os pára-lamas do mesmo.
Lembrando que essas regras se aplicam
ao trator e a carreta agrícola caso seja
utilizada.
É proibido o trânsito de
tratores nas vias
públicas tracionando
outro veículo, por
corda ou cabo de aço, 
Ao tratorista é indispensável o
uso do cinto de segurança seja
em vias públicas ou em
propriedades.
 
RESOLUÇÃO N º 454, DE 26 DE SETEMBRO DE 2013.

Altera a Resolução CONTRAN no 14 de 06 de fevereiro de 1998 para estabelecer


novos itens de segurança e dimensões para os tratores destinados a puxar ou
arrastar maquinaria de qualquer natureza ou a executar trabalhos agrícolas e de
construção, de pavimentação ou guindastes (máquinas de elevação) facultados a
transitar em via pública

O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO, no uso das atribuições que lhe confere o


art.12, inciso I, da Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que instituiu o Código de
Trânsito Brasileiro, combinado com o art. 6º do Regimento Interno daquele
Colegiado, e nos termos do disposto no Decreto nº 4.711, de 29 de maio de 2003,
que trata da coordenação do Sistema Nacional de Trânsito e,

Considerando o que estabelece o artigo 97 do Código de Trânsito Brasileiro;


Considerando o que estabelece a Resolução nº 429/2012 do Conselho Nacional de
Trânsito; Considerando o exposto nos processos no 80000.018575/2013-41,
80000.006836/2013-80 e 80000.043026/2012-23,
RESOLVE:
Art. 1º Esta Resolução referenda a Deliberação nº 137/2013, altera a redação do inciso
VI, revoga o inciso VII, ambos do Art. 1o da Resolução CONTRAN no 14 de 1998, e
estabelece as características necessárias aos tratores destinados a puxar ou arrastar
maquinaria de qualquer natureza ou a executar trabalhos agrícolas e de construção, de
pavimentação ou guindastes (máquinas de elevação) facultados a transitar em via
pública.

Art. 2º O inciso VI do Art. 1o da Resolução CONTRAN no 14 de 1998, passa a vigorar


com a seguinte redação:
“VI) nos tratores de rodas, de esteiras e mistos:

1) faróis dianteiros, de luz branca ou amarela;


2) lanternas de posição traseiras, de cor vermelha;
3) lanternas de freio, de cor vermelha;
4) lanterna de marcha à ré, de cor branca;
5) alerta sonoro de marcha à ré;
6) indicadores luminosos de mudança de direção,
dianteiros e traseiros;
7) iluminação de placa traseira;
8) faixas retrorrefletivas;
9) pneus que ofereçam condições mínimas de segurança
(exceto os tratores de esteiras);
10) dispositivo destinado ao controle de ruído do motor;
11) espelhos retrovisores;
12) cinto de segurança para todos os ocupantes do
veículo;
13) buzina;
14) velocímetro e registrador instantâneo e inalterável
de velocidade e tempo para veículos que desenvolvam
velocidade acima de 60 km/h;
15) pisca alerta.”
Art. 3º Fica revogado o inciso VII do Art. 1o da Resolução CONTRAN no 14 de 1998

Art. 4o Observado o disposto da Resolução CONTRAN nº 429/2012, faculta-se o


trânsito, em via pública, aos veículos destinados a puxar ou arrastar maquinaria de
qualquer natureza ou a executar trabalhos agrícolas e de construção, de
pavimentação ou guindastes (máquinas de elevação) desde que possuam:
I - os itens de segurança previstos no Art. 1º desta Resolução;
II - dimensões máximas de 2,80m de largura, 4,40m de altura e 15,00m de
comprimento.

Parágrafo único. É vedado o trânsito em via pública aberta à circulação de tratores


de esteiras. Art. 5° Para os veículos já licenciados, os itens 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14,
e 15, previstos no art. 2° desta Resolução, serão exigidos na primeira renovação do
licenciamento realizada após 360 (trezentos e sessenta) dias da publicação desta
Resolução.
Art. 6º Para fins de fiscalização, em 01 de janeiro de 2014, será exigido o atendimento
integral desta norma para os produtos fabricados à partir desta data.

Art.7o Esta resolução entra em vigor na data da sua publicação.

Art. 8o Fica revogada a Deliberação no 137 de 07 de junho de 2013 do CONTRAN.

Antônio Claudio Portella Serra e Silva


Presidente

Jerry Adriane Dias Rodrigues


Ministério Da Justiça

Rone Evaldo Barbosa


Ministério dos Transportes

Luiz Otávio Maciel Miranda


Ministério da Saúde

Rudolf de Noronha Ministério do Meio


Ambiente
Algumas orientações devem ser seguidas,
como por exemplo, a pá-carregadeira nunca
deve ser deslocada com o braço frontal
totalmente elevado, principalmente se a
caçamba estiver com carga.
 O operador deve manter o equilíbrio da máquina, sempre sem
elevar cargas acima da sua capacidade operacional.
Além disso, não se deve fazer curvas em alta velocidade, nem
com cargas elevadas, para evitar riscos de tombamento.
 As pás-carregadeiras, possuem diversos pontos cegos,
portanto, antes de iniciar qualquer movimentação, é
necessário checar as condições da área e na hora de se
deslocar em marcha ré, a recomendação é de sempre olhar
para trás.
 Em uma situação de instabilidade, o operador nunca deve sair
ou saltar da máquina, ele tem que permanecer sentado com o
cinto de segurança afivelado até que o equipamento seja O
assento, o apoio de braço e a coluna de direção devem estar
ajustados de forma a permitir que o operador alcance todos
os pedais e alavancas até o fim de curso, de maneira
confortável e segura.
 Não é permitido em hipótese alguma o transporte de
passageiro dentro da cabine do equipamento, nem pendurado
na porta de entrada.
 Além de fornecer risco de queda, o passageiro pode obstruir a
visibilidade do operador.
 Ao subir e descer da máquina, o operador deve se posicionar
de frente para ela e utilizar três pontos de apoio na escada de
acesso. O operador nunca deve embarcar com a carregadeira
em movimento.
 O assento, o apoio de braço e a coluna de direção devem estar
ajustados de forma a permitir que o operador alcance todos
os pedais e alavancas até o fim de curso, de maneira
confortável e segura.
 Antes de dar partida no equipamento, deve se certificar se os
comandos hidráulicos e de transmissão estão em posição
neutra e o freio de estacionamento aplicado.
ERROS DE OPERAÇÃO
Pás-carregadeiras

Deslocamento com o braço elevado e com carga


• Subir na pilha de material com carga, braço elevado e
chassi inclinado
• Movimentos bruscos com carga
• Excesso de velocidade durante a operação
• Deslocamentos excessivos e constantes, nos quais a
máquina percorre longa distância
• Falta de habilidade e conhecimento do operador,
resultando em manuseio incorreto e quebra do
equipamento

Você também pode gostar