Você está na página 1de 98

|  

÷ 


|  
| |   
  
1. LEÃO, Moacir carneiro. Princípios de Biofísica. |Guanabara
Koogan.
2. HENEINE, Ibrahim. Biofísica básica. Atheneu.
3. OKUNO; CALDAS E CHOW. Física para ciências biomédicas. Habra.
4. SALGUEIRO, Lídia, FERREIRA, J. Gomes. Introdução à Biofísica. Fundação
Galouste Gulbenkian. Versão em Português .
5. DAVIS, P. Deus e a nova física. Edições Setúbal.
6. CAPRA, F. O Tao da física. Cultrix.
7. MAYA, J.la. Medcina da habitação. Roca.
8. GLEICK, James. Caos: a criação de uma ciência. Campus
9. SNYDER-MACKLER, L., ROBINSON, A.J. Clinical electrophysiology. Editora
Willians e Wilkins. Livro Americano.
10. GONÇALVES, Dalton. Física para 2l grau: termologia, ondas, eletricidade
e etc.
11. COLLS, Josep. La terapia laser, hoy. Barcelona, Cabal.
12. KOTTKE, J. Frederic, STILLWELL, G. Keith, LEHMAN, Justus F. Krusen: o
tratado de medicina física e reabilitação. Manole.
13. GARCIA, Eduardo A C. Biofísica. Sarvier.
14. VOLOCH, Aída H., SOMILÓ, Cecília, ELIAS, Cezar A, DALTO, Sérgio L.
Elementos de Biofísica do sangue. Editora UFRJ.
   

È A ciência só é possível porque vivemos num universo


ordenado, onde se conforma com leis matemáticas.
‡ *Distinção entre espécies de ordem.
; Ordem da Simplicidade ( reducionismo):
‡ Se verifica, por exemplo, nas regularidades do
sistema solar, na freqüência periódica do batimento
cardíaco e etc.
; Ordem da Complexidade (holismo):
‡ Se verifica, por exemplo, na distribuição dos gases
da atmosfera do nosso planeta e de outros planetas no
sistema solar ou na organização complexa de uma
criatura viva.
„ 
  
‡ Universo: Entendido como o lugar onde se processam as existências físicas.
Compreende a situação espaço/temporal que hoje se encontra em
expansão.

‡ MATÉRIA ENERGIA ESPAÇO TEMPO


(M) (E) (L) (T)

‡ Elementos fundamentais: Não podem ser substituídos por outros. Estes


elementos também são denominados de ´grandezasµ, ´qualidadesµ ou
´dimensões fundamentaisµ.

‡ Matéria: Dada pelos corpos ( objetos, seres vivos, alimentos e etc.;)

‡ Energia: Dada pelo calor, som, eletricidade, trabalho físico e etc.;

‡ Espaço: Dada pelas distâncias, áreas, volumes;

‡ Tempo: Dada pela sucessão do dia e noite.

‡ Matéria e Energia: Manifestação diferente de uma mesma ´entidadeµ ( coisa


concreta).
ë      

;´Lei da conservação das massasµ ou ´Lei


da conservação da matériaµ ou ´Lei de
Lavoisierµ;
´A massa total de um sistema fechado não
varia qualquer que seja a reação que aí
se verifique.µ
„   |   

 
‡ Corrente elétrica: fluxo de elétrons livres
que correm quando existe uma diferença
de potencial entre os extremos de um
condutor.
‡ Corrente contínua: aquela que assume
valores positivos ou negativos num sistema
cartesiano.
‡ Corrente alternada: aquela que assume
ora valores positivos ora valores negativos
num sistema cartesiano.
„
  
‡ Contínua [ Pura ( corrente galvânica)
Interrompida (corrente
diadinâmica, triangular, exponencial,
galvânica interrompida)

‡ Alternada [ Baixa freqüência (corrente


farádica, senoidal, interferencial)
Alta freqüência (ondas curtas,
microondas)
 
‡ ÷   [ Iônicos (a corrente contínua é
a que produz quantidade de efeitos
iônicos; dissociação eletrolítica).
Térmicos (relacionados ao
efeito Joule= conversão da energia
elétrica em calor no sistema atrito
atômico- molecular)

‡ m   [ Destrutivos (quando são


utilizadas grandes quantidades)
Ações sobre o sistema.
„ 

‡ depende [ Intensidade da corrente,


duração e forma;
Características dos tecidos da
área tratada.

   


‡ Varia de acordo com a região. Depende,


principalmente, da espessura do tecido.

     
‡ Muscular e cerebral [ melhores condutores de
corrente elétrica no organismo;
- Tendões [ conduz pouco, pois, contém pouca
qualidade de H2O;
- Osso [ pouco condutor;
- Tecido celular subcutâneo [ bom condutor;
- Nervo periférico conduz [ 6 vezes mais que o
tecido muscular. Mas, apresenta alguns
inconvenientes: muita profundidade e camadas
de gordura, afastando o nervo produtor de
eletricidade na superfície da área a ser tratada.
„ 
 

È É uma corrente contínua (sem


interrupção) constante (intensidade não
varia) unidirecional (elétrons não
mudam de direção), baixa
miliamperagem.
    
 
‡ Sobre os nervos sensitivos: sensação de cócegas,
aumentando a intensidade = formigamento,
agulhada, ardência e dor;

-Físico-térmico: efeito Joule. Pequeno


aquecimento, quando a corrente flui;

-Físico-iônico: ao passar pelo tecido, transfere íons


de um pólo para outro (dissociação eletrolítica)
do NaCl tissular em íons Na+ e Cl-. Cl produz
reação ácida com H2O (Hcl) e o Na produz reação
básica (NaOH).
 

‡ Ao dissolver-se NaCl na H2O e se colocarmos


nessa solução, eletrodos ligados a corrente
elétrica, os elementos eu formam o sal, serão
atraídos por cada eletrodo de sinal oposto. O
sódio (Na+) irá par o eletrodo negativo, chamado
de catodo (-) e o Cloro (Cl-) irá para o eletrodo
positivo, chamado de anodo (+).
‡ Definição: é a introdução de íons
medicamentosos no tecido com auxílio da
corrente galvânica*, com fins terapêuticos. Os
íons penetram por repulsão do pólo da mesma
carga e por atração do pólo oposto.

 
1. Freqüência do gerador:
K freqüência Kaquecimento

2. Coeficiente de absorção do tecido:


[ Proteínas KAbsorção

* A absorção é mais alta em moléculas maiores;

* O baixo coeficiente de absorção da gordura,


permite ao U.S. penetrar no tecido sem ser
devidamente atenuado e sem o aquecimento
da gordura.
º Reflexão nas interfaces tissulares:
;aumento da reflexão gera aumento do
aquecimento;
;aumento das ondas transversais gera aumento do
aquecimento ( cavitação).

4- Características das ondas acústicas, no momento


da penetração nas estruturas orgânicas:
;Transversais ² ondas que saem do cabeçote;
;Longitudinal ² bate e dispersa no periósteo;
;Estacionária ² pela reflexão do osso, pode se
chocar com ondas que vem do cabeçote e fazer
cavitação.
å Propriedades semelhantes às da luz
‡ a- Refração ² nas mudanças tissulares, ocorre um
desvio do raio.
‡ b- Difração ² capacidade que o som tem de
contornar e espalhar-se, em se tratando de
obstáculos.
‡ c- Velocidade de condução: sólido> líquido>
gasoso.
‡ d- Atenuação ² diminuição da potência pela
presença de gases ou líquidos no meio
considerado.
‡ e- Reflexão ² reflete nas interfaces tissulares,
sobretudo, nos meios sólidos. Ocorre em tecidos
de densidades diferentes. Maior nos ossos e
menor nos tecidos moles.
 
 
  
 
 

‡ Efeito piezoelétrico entende-se a


propriedade que alguns cristais têm de,
em contato com a corrente elétrica,
sofrerem deformações em suas estruturas
e vibrarem.
ë   
‡ A palavra laser é de origem inglesa, sendo
formada pelas iniciais de ight mplification by
mtimulated mission of adiation, que em
português significa ampliação da luz por emissão
estimulada de radiação. È uma forma de
utilização de energia luminosa para o tratamento
de diversos transtornos orgânicos.
‡ É um agente terapêutico bastante estudado,
ainda, por cientistas em todo o mundo, pois, não
se conhece com clareza os mecanismos pelos
quais a radiação laser produz seus efeitos no
organismo.
G  
‡ Em 1947, ´Albert Einsteinµ propôs o conceito de emissão
estimulada de radiação, relacionando-a ao átomo e seus
componentes;
‡ Em 1953, surgiu o primeiro Maser ( Microwave Amplifiers
by The Stimulated Emission of Radiation);
‡ Ainda na década de 50, Schawlow e Townes, iniciaram
estudos para a fabricação do primeiro aparelho de
Laser, dentro da porção visível do espectro
eletromagnético.
‡ ´Maimanµ, produziu por volta de 1958, o primeiro
modelo de Laser sólido, sendo o rubi, o material mais
utilizado;
‡ Em 1960, ´Javanµ, ´Bennettµ e ´Herriotµ, descobriram
o Laser de Hélio-Neônio (He-Ne) e, nesta mesma
década, foi criado o primeiro Laser a semicondutores,
adaptando não só este, como o anterior à prática
terapêutica.
„ ë

È Para uma determinada energia luminosa


ser considerada uma radiação laser, é
necessário que esta apresente três
características físicas indispensáveis as
quais a diferenciam de outras fontes
luminosas. São elas: monocromaticidade,
coerência e colimação.
ù
   pela característica
da emissão da radiação no mesmo
comprimento de onda (÷), é produzida
uma pureza de cor sem igual nas demais
fontes luminosas na natureza.
‡ Segundo ´Scardignoµ, quanto menor o
comprimento de onda, maior será a
pureza da cor produzida.
ù   uma luz é dita coerente, temporal,
quando todos os fótons emitidos têm o mesmo
comprimento de onda, o que diferencia o laser
de uma luz normal.
‡ Da mesma forma, o laser possui coerência
espacial, ou seja, as ondas eletromagnéticas se
propagam na mesma direção. Esta característica
possibilita que a luz seja focalizada em um ponto
bem pequeno, através de uma lente
convergente, desta forma se esta luz for
focalizada no s olhos é possível que um dano
irreversível possa ocorrer na retina. É bom
esclarecer que existe ´Laserµ específico para
cirurgias oftalmológicas.
ù  
 é a mesma coisa que
coerência espacial, pois, diz respeito ao
paralelismo das ondas eletromagnéticas.
Isto ocorre porque os fótons se
movimentam na mesma direção, ou seja,
sofrem a mínima divergência.
  
  
  
;Absorção: Apresenta coeficiente de absorção
variável, segundo o tipo de tecido a ser tratado e
também com seu comprimento de onda. Isto
ocorre, pois, cada tipo de célula ou componente
celular possui um limiar fotônico distinto, ou
seja, de acordo com o comprimento de onda do
laser, a célula o absorverá mais ou menos, e só
há efeito terapêutico se houver absorção de
energia por parte da célula;
;Refração: Quanto mais denso o tecido mais
desvios irão ocorrer ante a penetração do laser.
;Reflexão: Sobre a reflexão normal, toda a vez
que muda de meio, como qualquer tipo de luz.
X 


‡ São os semi-condutores e os gasosos.


;Semi-condutores ² São Laser·s invisíveis,
no caso, o tipo As/Ga, onde temos a união
de 2 condutores nobres que são o Arsênico
e o Gálio, para lesões traumáticas,
musculares e articulares.
;Gasoso - É o Laser He/Ne. É um Laser de
partículas positivas, ressonando em
espelhos, refletindo radiação visível de cor
vermelha.
G 
@ 
   @  


 


         

       

  
     
  
@   "
     
   #$   
   % 
@  !  &' !
   


‡     


   

1ª-Lei dos quadrados Inversos: A intensidade da


radiação emitida por uma fonte luminosa, varia na
razão inversa do quadrado da distância da fonte.

O         


ë  [ 
 
‡ 2ª-Lei do Cosseno: A absorção dos raios será
maior quando a fonte emissora acha-se
colocada de maneira perpendicular ao centro
da área a ser tratada.

Cos. De 0l=1 / Cos. De 60l= ½


Cos. De 90l=0 i melhor ângulo de aplicação. Quanto
mais perpendicular, mais absorvida será
a energia, pois, quanto mais próximo de
zero, menos perda energética.
‡ 3ª-Lei de Wein: Quanto maior a potência
do gerador, menor será o ÷, logo será
mais energético, com a absorção pelos
tecidos superficiais maior que os tecidos
profundos.
‡ 4ª-Lei de Grothus Draper: A energia física
aplicada, só atuará, biologicamente,
onde foi absorvida.
  

1. Radiações térmicas: são aquelas capazes


de produzir alterações fisiológicas,
graças ao calor irradiante transmitido aos
tecidos. Exs.: infra-vermelho (IV) e laser.
2. Radiações químicas: São aquelas capazes
de induzir alterações celulares e
moleculares. Exs.: ultra-violeta (UV) e
Azuis.
    
  
   
; Fonte natural ² estrelas, como por exemplo, o Sol.
; Fontes artificiais - podem ser luminosas e não-
luminosas:
; Fontes não-luminosas (resistências): Normalmente, são
produzidas por algum metal, que, quando aquecido
produz calor por incandescência.
; Fontes luminosas (lâmpadas): Tungstênio puro ou
associado ao Césio;

Lâmpada Mazda = 250 watts


Lâmpadas comuns: acima de 150 watts
(efeito terapêutico)
 

‡ Considerações preliminares
Considere dois corpos a temperaturas
diferentes. Suponha que quaisquer
modificações que venham a se processar sejam
devidas apenas à diferença inicial entre as suas
temperaturas (não se processa, por exemplo,
nenhuma reação química).
A experiência mostra que 2 coisas podem
acontecer:
1ª ² O corpo mais frio vai se aquecendo e o mais quente vai
se resfriando, até que fiquem em equilíbrio técnico;
neste caso, a temperatura comum atingida está
compreendida entre as duas temperaturas iniciais;
2ª ² Apenas um dos corpos se resfria (ou se aquece) até
atingir a temperatura do outro no equilíbrio térmico.
Para explicar essas transformações, ditas puramente
térmicas, admite-se existir entre os 2 corpos uma troca
de certa espécie de energia, que recebeu o nome de
calor ( ou energia térmica ou energia calorífica).
Então: Calor é a espécie de energia que é transferida
entre 2 sistemas em virtude apenas de existir entre eles
uma diferença de temperatura.
„
 X   

‡ São conceitos diferentes e será explicado, a


seguir, de um ponto de vista microscópio.

‡ Se dividirmos a soma das energias cinéticas de


todas as moléculas de um corpo pelo número de
moléculas, obteremos a energia cinética (média)
de cada molécula.

‡ A temperatura está ligada a esta energia cinética


média de cada molécula (ou átomo).
÷  „
  

l ÷      
Quando 2 corpos trocam entre si apenas
calor, sem ganhar ou perder energia de
qualquer espécie para outros corpos, a
quantidade de calor que um deles cede é
igual à quantidade de calor que o outro.
Q cedido= Q recebido
 ÷      

O calor sempre passa espontaneamente de um


corpo de temperatura mais alta para outro de
temperatura mais baixa.
‡ Obs.: O termo espontaneamente é
fundamental. O calor pode passar de um corpo
mais frio para outro mais quente. Qualquer
refrigerador doméstico é um exemplo disso.
Mas, o processo não é espontâneo. É necessário
um consumo de energia externa para consegui-
lo.
º÷      

È A quantidade de calor recebida por um corpo


durante uma certa transformação é igual à
quantidade de calor que o corpo cede ao
realizar transformação inversa.
Obs.: Por exemplo, se um corpo absorver uma
quantidade de calor (Q) ao se aquecer da
temperatura 01 até a temperatura 02, ele
cederá a mesma quantidade de calor (Q) ao se
resfriar da temperatura 02 até a temperatura
01.
‡ Considere, então, 2 corpos da mesma substância, mas de massas
diferentes, que inicialmente estejam a uma mesma temperatura.
Se aquecermos cada corpo durante um mesmo intervalo de tempo;
usando a mesma fonte geradora de calor ( fogo), podemos
considerar que os 2 corpos receberam a mesma quantidade de
calor. Mas, o calor de menor massa, tendo um número menor de
moléculas, sofrerá um maior acréscimo de energia cinética por
molécula. Por isso, no final do aquecimento, ele apresentará uma
temperatura maior do que o outro, apesar de ambos terem
recebido a mesma quantidade de calor.

‡  
    Convém frisar que não é correto dizer que
um corpo ´possui calorµ. O calor costuma-se dizer, é uma espécie
de ´energia em trânsitoµ. Aquela espécie que, no exemplo acima,
passou da fonte geradora de calor para o corpo. Mas não fica
armazenada no corpo. Ao ser absorvida pelo corpo, ela é
transformada em outras espécies de energia que não são mais
denominados de calor.
‡ O calor absorvido pelo corpo pode ser transformado em trabalho,
pois, um corpo, ao se dilatar, realiza um trabalho, conforme os
estudos da termodinâmica.
X  


‡ Já vimos que 2 ou mais corpos a temperaturas diferentes


acabam atingindo um estado de equilíbrio térmico.

‡ Vimos mais: o calor sempre passa espontaneamente dos


corpos de temperaturas mais elevadas para os de
temperaturas menos elevadas. Nada dissemos, porém,
sobre o modo pelo qual o calor passa de um corpo para
outro, ou, dentro de um mesmo corpo, de um ponto para
outro.

‡ Para o fisioterapeuta, o entendimento sobre transmissão


de calor é muitíssimo importante para o estudo e
compreensão da termoterapia.
‡ O calor pode ser transmitido de 3 modos:

;Por condução;

;Por convenção;

;Por irradiação.
A) Na condução, a transferência de calor é feita de
molécula a molécula ( ou de átomo a átomo) sem que
haja transporte de matéria de um região para outra.
Partículas com maior energia de vibração, do corpo
mais quente, por contato, transferem parte dessa
energia às partículas vizinhas, do corpo mais frio.
Estas, adquirindo maior energia de vibração
transferem parte dela também por contato, às
partículas seguintes, e assim por diante.
Esta maneira de transmitir calor é característica dos
sólidos.
| Na convecção, a transferência de calor
também se faz de molécula a molécula
(ou de átomo a átomo), mas,
simultaneamente, verifica-se transporte
de matéria de uma região para outra.
Esta maneira de transmitir calor é
característica dos fluídos (líquidos e
gases).
 Na irradiação, a transferência de calor é feita
de um corpo para o outro, mesmo que entre
eles não exista qualquer ligação material. Em
outras palavras: dá-se a transferência de
calor mesmo através de vácuo.
Na termoterapia, usamos os mesmos
conceitos físicos de transmissão de calor,
sendo que, acrescentamos a conversão.

Na transferência de calor por conversão,


ocorre a conversão de um tipo de energia em
outro tipo de energia no próprio corpo ou
sistema.

X   

;Transferência por condução: compressas


quentes, panquecas de gelo;
;Transferência por convecção: forno de
Bier e Backer;
;Transferência por irradiação: infra-
vermelho, laser;
;Transferência por conversão: ultra-som,
ondas curtas.
|   

‡ Distribuição das camadas de fluído sanguíneo
‡ Um fato notável no escoamento lamelar é observado na
experiência simples da figura abaixo. É que a velocidade das
camadas no centro do tubo, diminuindo gradualmente para a
periferia.
„ë
  
  


Å    '(      )     
) *$   %          +* $ )
 '    ,! @)  (          
  (    !
‡ Fluxos:

 ( 
 (" -*   
 ÷   

È A medida indireta da pressão arterial é um método simples e


valioso. Consiste em comprimir uma artéria de um manguito de
ar, que é ligado a um manômetro.
‡ Quando a pressão externa aplicada colada às paredes da artéria
( aperta uma contra a outra) o fluxo cessa completamente, e
nada se escuta no estetoscópio. Em seguida, o manguito é
descomprimido gradualmente. Quando a pressão sangüínea é
suficiente para forçar um jato de sangue através da parte
estreitada da artéria, esse jato passa com alta velocidade,
produzindo um fluxo turbilhonar, que se ouve como um ruído
rascante, a cada pulsar do coração. A pressão indicada pelo
manômetro, nesse instante, é a pressão sistólica ou máxima.
‡ Continua-se a descompressão gradual. O estrangulamento
arterial diminui, e o fluxo turbilhonar também, o que se
reconhece como uma mudança no tom do ruído ( fica mais
grave). Quando se atinge uma pressão subcrítica, o escoamento
volta ao laminar, e o ruído desaparece. A pressão indicada pelo
manômetro, nesse instante, é a pressão diastólica ou mínima.
‡ Alguns autores consideram a mudança de tom (de mais agudo
para mais grave), como indicativo da pressão diastólica (Ibrahim
Heneine).
&. 

 |

/-!0 1     2 ë  ë


0  )
  $   )   ! @0   
$)   )    )   !
  

‡   Propriedade física dos


líquidos de resistirem ao escoamento.
‡ As medidas da viscosidade sangüínea
fornecem informações sobre os
movimentos do sangue na circulação e as
forças aí atuantes ( hemodinâmica)
verificamos que a velocidade do sangue
no vaso cilíndrico é maior no seu eixo do
que na periferia.
   
 
‡ Quando se estuda o escoamento do sangue devemos considerá-lo
como uma suspensão muito concentrada de hemáceas. Além disso,
as hemáceas não são partículas rígidas, mas dotadas de uma
plasticidade ( discos deformáveis), elas podem se agregar no
interior dos vasos. Cabe ainda ressaltar que, as paredes dos vasos e
capilares possuem propriedades mecânicas ( elasticidade). Assim
sendo, os parâmetros que afetam a viscosidade e as características
do escoamento sanguíneo nos vasos ( reologia) são muito diversos
das condições experimentais.

‡ De acordo com a ´lei de Poisevilleµ, o escoamento no interior de


um tubo de todo e qualquer líquido depende de:

; Gradiente de pressão ao longo do tubo;


; Diâmetro do tubo;
; Viscosidade do fluído.
ë    

‡ Quando temos um fluxo laminar constante de


um líquido homogêneo pouco ou nada viscoso,
denominamos de líquido newtoniano. A água é
um líquido newtoniano. Em contraposição, o
sangue sendo uma suspensão, é dito não-
newtoniano. Embora tendo um fluxo laminar (
pode ter alterações em situações patológicas)
o sangue não é homogêneo e apresenta
viscosidade maior que a água.
  
  
 !
;Diminui quando o fluxo aumenta;
;Diminui quando a temperatura na região
aumenta;
; Diminui a concentração de hemáceas na região
e observa-se uma maior tendência para os
elementos figurados se acumularem na lâmina
axial ( centro do vaso);
; Aumenta quando o fluxo diminui;
; Aumenta quando a temperatura na região
diminui.
; Aumenta a concentração ( agregação) de
hemáceas nas regiões em contato com o
endotélio vascular.
 

A força de atrito são provenientes das


asperezas ( rugosidades) existentes na
superfície de contato de 2 sólidos que
tendem a se movimentar relativamente
entre si.


‡ É o resultado de uma perturbação


imposta a um meio material ou não
(vácuo), que se propaga com uma
determinada velocidade (v) através
deste.
‡ Uma onda tem a propriedade de
transmitir energia de um ponto a outro,
sem que haja o transporte de matéria.
„
  
   

È Dependendo das características do meio


em que se propagam, as ondas podem ser
classificadas em mecânicas e não
mecânicas.
 

‡ Somente se propagam em meios elásticos,


como é o caso das ondas na água, em
cordas, sonoras e etc. O distúrbio nesses
meios é transmitido de um ponto a outro
com as partículas do meio vibrando
apenas ao redor de suas posições de
equilíbrio, sem, contudo se deslocarem
juntamente com a onda.

  
"  #

‡ Dispensam a presença do meio material


para a sua propagação, como é o caso da
luz (radiação visível), que atravessa o
espaço interestelar onde não existe
matéria (vácuo).
Ex: Luz, Microondas, Rádio, TV, U.V., I.V.,
Raios X, Raios ”(gama) e etc.
„
  $ 


Nesse caso, podemos classificá-las em transversais e
longitudinais.
‡   
Caso a oscilação (perturbação) seja perpendicular à
direção de propagação, a onda é dita transversal.
‡  
Caso a oscilação seja paralela à direção de propagação,
a onda é dita longitudinal, como é o caso das ondas
sonoras e das oscilações em uma mola.
‡ Obs.: Quanto ao deslocamento é importante comentar
sobre as ondas estacionárias.
‡   
São geradas quando duas ondas ( de mesmas
características) caminhando em sentidos opostos,
encontram-se. As ondas estacionárias caracterizam-se,
também, por ter os pontos do meio material oscilando
com a mesma freqüência.


ù   (A):
‡ Altura máxima da oscilação, contada a partir
da linha base. A amplitude está relacionada
com a quantidade de energia transportada
pela onda.
|ù     («):
‡ É a distância ( medida horizontalmente)
percorrida pela onda em uma oscilação
completa. Uma oscilação completa inclui
sempre um semi-ciclo positivo e um semi-
ciclo negativo. Dessa forma podemos também
dizer que, um comprimento de onda equivale
à distância entre duas cristas sucessivas ou
dois vales sucessivos.
ù ÷  (T):
‡ É o tempo gasto para que a onda execute uma
oscilação completa, ou seja, para que a
distância percorrida pela onda, seja um
comprimento de onda. É medido em
segundos.
ù    (Hz):
‡ É o nl de oscilações ( ou ciclos) que a onda
executa no tempo de 1 segundo. A freqüência
é medida em Hertz (Hz). A freqüência é
característica da fonte que gerou e não da
onda propriamente dita.
ù      
 (v):
‡ É a ´rapidezµ com que a onda se
desloca em um determinado meio. Para
o mesmo meio, a velocidade é sempre
constante. É medida em metros por
segundo (m/s).

V= Distância V= «3" 45«!

Tempo
   

‡ X  
Todo elemento que transforma energia de uma
quantidade em energia de outra quantidade, é
chamado de transdutor. As ondas de um aparelho de
ultrassom (energia mecânica) são geradas através da
aplicação de um sinal elétrico oscilante (energia
elétrica) sobre um cristal piezoelétrico. A oscilação do
sinal elétrico faz com que o volume do cristal expanda-
se e contraia-se repetidas vezes, criando regiões de
compressão que se traduzem nas ondas ultrassônicas.

‡ Obs.: No corpo humano, mais precisamente na audição,


fica o nosso transdutor natural que é a cóclea (ouvido
interno). Nela ocorre a transformação do som em
impulsos elétricos.
‡    

‡ É a energia produzida quando aplica-se


uma tensão elétrica oscilante sobre um
elemento que é projetado par expandir-
se e contrair-se na mesma freqüência,
que a tensão elétrica aplicada, ou seja, o
transdutor.
  
‡ Num sentido mais aprofundado, para explicações de inúmeras (ou
todas) instalações de patologias, disfunções, distúrbios e etc., que
acometem o corpo humano, sabe-se que a produção e a circulação
de energia, estão comprometidas.

‡ Energia, fisicamente, é a capacidade de realizar trabalho. À


medida que o trabalho aumenta, a transferência de energia,
também aumenta. E(J) =T
‡ São conhecidas, pelo menos, sete formas de energia: Química,
Térmica (calórica), Luminosa, Magnética, Mecânica, Sonora e
Nuclear. Para os Fisioterapeutas, a compreensão sobre as formas
de como energia se manifesta e as suas transformações, são de
suma importância.
‡ Fisicamente, energia gera trabalho e trabalho gera energia.
‡ A energia começa a ser produzida nas mitocôndrias celulares, onde
ocorre o ´   µ.
‡ A 1ª Lei da Termodinâmica preceitua que a energia não é criada
nem destruída, mas, apenas transformada de uma forma para
outra. Em essência, esse é o princípio imutável da conservação da
energia que se aplica aos sistemas tanto vivos quanto inanimados.
„    

 
  

‡ A aura humana é um assunto que desperta muita curiosidade.


Saiba como especialista no assunto utilizam a fotografia para
identificá-la, vê-la e analisa-la.
‡ Para muitas pessoas ver a aura humana - o potencial de energia
dos seres vivos - é um dom de apenas alguns videntes. Mas o que
poucos sabem, é que um grupo de profissionais ligados a diversas
áreas, como medicina e parapsicologia, utilizam uma prova
documental não apenas para identificar a aura, mas também para
analisá-la e estudá-la: a fotografia Kirlian.
‡ Acompanhe-nos, então, por esse passeio esotérico e conheça mais
sobre esse misterioso assunto.
‡ A foto Kirlian, ou a kirliangrafia, foi descoberta pelo casal
soviético Sammuel e Valentina Kirlian. No começo, o aparelho
criado tinha a intenção de analisar o campo bioenergético de grãos
para tornar a lavoura mais produtiva. Hoje em dia, esse tipo de
fotografia, embora ainda pouco difundida, é utilizada no
diagnóstico de doenças no tratamento de pessoas.

 
‡ A ?   é, basicamente, utilizada por profissionais para associar
fenômenos psíquicos aos materiais. Este é o caso do médico
 
   , que há 18 anos utiliza a fotografia kirlian como auxiliar no
diagnóstico de seus pacientes. ´Tento associar o que vejo nesse efeito a
estados de saúdeµ. São tiradas mais de 10 fotos e juntamente com o
quadro clínico da pessoa, faço o diagnóstico. Com a fotografia é possível
descobrir um problema físico, como por exemplo problemas inflamatórios;
ou psíquicos, como o medo e até psicosesµ,afirma.

‡ Segundo Stancka, uma aura em perfeita conformidade é luminosa com as


cores azul e vermelha moderadamente distribuídas. A cor azul, que
representa o lado emocional ou psíquico da pessoa, corresponde ao  ²
na nomenclatura da filosofia taoísta; e a vermelha ao , relacionada
aos aspectos físicos. Já o branco, logo ao redor do ponto de contato,
representa o campo de proteção energética que muda de acordo com
algumas variáveis: medo, depressão, estresse e etc. Há também a
possibilidade de energias externas estarem interferindo negativamente na
vida das pessoas. Essas energias, conhecidas no senso comum, como
´encostoµ, apresentam uma tonalidade avermelhada forte.

‡ E não é só isso. De acordo com o médico, ainda é possível medir a


transmissão energética entre duas pessoas para saber se o encontro das
duas auras é positivo.
  

‡ No Brasil, a kirliangrafia tem como maior divulgador o físico brasileiro Newton


Nilhomens, que após anos de pesquisa, conseguiu aperfeiçoar a máquina russa.

‡ A máquina de Nilhomens é formada por uma unidade geradora de eletricidade e uma


caixinha não-metálica, em que se coloca um filme colorido comum (ISSO-100), como
se fosse uma máquina fotográfica. Em seguida, dentro de uma câmera escura, a
pessoa encosta o dedo na própria emulsão do filme. Depois disso, o fio é ligado na
unidade geradora, que emite uma voltagem padrão de 6500 volts, que embora alta,
não chega a dar choque. A exposição leva apenas 4 segundos e o que acontece
durante esse período é um leve curto-circuito no dedo que é capturado no filme,
com todas as tonalidades e formas. E é só isso! A foto da aura está pronta. Isso é,
batida, pois para ficar pronta, basta levar o filme a um laboratório de revelação
qualquer.
‡ Mas há muito mais para ser explorado sobre a foto kirlian. E o que esses profissionais
buscam, tendo como base muitos estudos e pesquisas, é auxiliar cada vez mais no
reconhecimento de doenças e descobrir outras potencialidades no ser humano.
Portanto, se você ficou curioso para ver sua aura, há duas opções: ou adquirir o
equipamento ou, então, procurar um especialista adepto da kirliangrafia, que cá
para nós, não foi muito fácil. De qualquer forma é um tipo de fotografia, no mínimo,
curioso.

*Todos os seres vivos possuem energia. Através da foto kirlian, o campo elétrico de
uma folha pode ser percebido sob forma luminosa.

*Com a foto kirlian é possível descobrir desde problemas físicos até psíquicos.
 G   

‡ Independente de status, nível técnico e formação,


muitas pessoas têm no cotidiano profissional, contatos
diários diretos e assíduos com outras pessoas. Quem são
eles? Por exemplo, são atendentes, vendedores,
promotores de vendas, professores, instrutores,
expositores, caixas de banco, gerentes, etc. Outros
profissionais, além desses contatos diários diretos e
assíduos com outras pessoas, são obrigados, no dia-a-
dia, a tocar e/ou manusear partes dos corpos de seus
clientes. Quem são eles? Por exemplo, são médicos,
fisioterapeutas, paramédicos, enfermeiros, auxiliares
de enfermagem, massagistas, cabeleireiros, manicures,
esteticistas, calistas, etc. Quantos são? Não sabemos,
mas com certeza, devem ser muitos e muitos milhões.
‡  


    

‡ É preciso esclarecer que, na realidade, a resposta correta (e


completa) exigiria um enorme espaço que, evidentemente, não
dispõe e nem é cabível para o objetivo deste texto.

 

‡ De uma maneira declaradamente imperfeita, porém suficiente


para a presente finalidade, o Magnetismo Humano Extrafísico ou
Sutil poderia ser definido como a interação mútua entre as
energias humanas extrafísicas ou sutis.
‡ Em outras palavras, a interação mútua entre aquelas energias
humanas que extrapolam a capacidade do corpo físico humano
porque não são geradas nem captadas pelos cinco sentidos deste
corpo. (*1)
ë 

‡ Como estamos fazendo um rápido


resumo, veremos apenas quatro das
muitas leis (*2) que regem o Magnetismo
Humano Extrafísico ou Sutil. Veremos
justamente aquelas que mais nos
interessam no momento:
÷  ë

‡ Somente quando a proximidade entre dois ou


mais seres humanos atingir determinada
distância mínima ² algo em torno de um metro ²
começará a interação mútua entre as energias
extrafísicas daquelas pessoas.
‡ A partir daí, quanto menor for a distância entre
aqueles corpos humanos, maior (e mais
potente) será a interação mútua entre as
energias extrafísicas daquelas pessoas
envolvidas.
‡ Obviamente, a máxima interação mútua
ocorrerá quando aqueles corpos humanos se
tocarem.
ë

‡ Quanto maior e mais demorado for o


contato entre os corpos humanos, maior
será a mútua interação energética entre
as energias extrafísicas daquelas pessoas
envolvidas.
X  ë

‡ Os seres humanos que são portadores


(predominantemente) de energias
extrafísicas positivas ² melhor ainda se
forem potentes ² só causarão benefícios
energéticos às pessoas com quem
contactarem.
 ë

‡ Os seres humanos que portam


(predominantemente) de energias
extrafísicas negativas ²pior ainda se
forem potentes ² só causarão malefícios
energéticos às pessoas com quem
contactarem.
÷  - !!!
‡ Deve bastar o que vimos até agora, mesmo em tão poucas
palavras.

 

 


m  
  

‡ Muita atenção porque este assunto deve lhe interessar muito


porque, afinal de contas, diariamente você tem contatos próximos
e assíduos com outras pessoas e/ou (pior ainda) toca e/ou
manuseia partes dos corpos dos seus clientes!
‡      ² porque as suas energias extrafísicas
  , diariamente, várias vezes por dia, com as energias
extrafísicas de cada um e de todos os seus clientes.
Õ 
       
Quanto a cada um e a todos os seus clientes
‡ Analise e responda, com total honestidade, se
você conhece as respostas para todas as
seguintes perguntas iniciais.

‡ Se você conhece todas as respostas


‡ Ótimo, maravilhoso, espetacular, sensacional,
extraordinário, espetacular! Parabéns!

Mas...
‡ Se você não conhece todas as respostas...
     

÷     
- Qual é a das energias
extrafísicas que cada um dos seus clientes está
portando no exato momento em que você o
está atendendo?

- São de energias extrafísicas positivas?

- São negativas?

- Potentes ou fracas?
m   

- Se for o caso, quais serão os possíveis


  
extrafísicos que você
poderá sofrer provenientes do seu
contato direto com partes do corpo de
cada um dos seus clientes?
X     

- Quais poderão ser as  


imediatas e à longo prazo (para você e
seu cliente) de tais danos energéticos
extrafísicos?
Õ   

- Caso você venha a sofrer tais danos


energéticos extrafísicos, quais deverão
ser os  que você poderá sentir?

- Que   eficazes você poderá e


deverá tomar?
Õ  

- É possível você tomar  


  contra tais danos energéticos
extrafísicos?
m   

- Quando e como os seus contatos com os


seus clientes poderão lhe causar
    
 extrafísicos?
- Nesse caso, como usufruir deste benefício
ao máximo, evidentemente sem
prejudicar aos seus clientes?
m
  

- Se for a sua vontade, como você poderá


causar     

extrafísicos aos seus clientes,
evidentemente sem se prejudicar?
    
  
  
„  %

     
    

Isto é essencial, vital e urgente apenas para aquelas


pessoas que, no dia-a-dia profissional, têm contatos
diários, próximos e assíduos com seus clientes, e
principalmente para aqueles que são obrigados à tocar
e/ou manusear partes dos corpos dos seus clientes.

    

Todos os seres humanos ² principalmente aqueles


profissionais em questão ² em seu próprio benefício
também devem conhecer as respostas para essas
seguintes perguntas complementares:
÷   


- Como e quando as energias humanas extrafísicas são


geradas?

- Obrigatória e instantaneamente, para onde elas vão?

- Para onde, opcionalmente, podem ir?

- Como são produzidas as energias humanas extrafísicas


positivas?

- E as negativas?

- E as potentes?

- E as fracas?
 


- Afinal, o que e quais são os efeitos das


energias humanas extrafísicas positivas e
negativas?

- E das potentes?

- E das fracas?
X   


- Como as energias humanas extrafísicas


alheias interagem com as nossas?

- Isto ocorre obrigatoriamente,


condicionalmente ou opcionalmente?
  


- O que é ´batalhaµ de energias humanas


extrafísicas?

- E ´casamentoµ de energias humanas


extrafísicas?

- E ´ataqueµ de energias humanas extrafísicas


alheias?

- E ´auto-ataqueµ de energias humanas


extrafísicas?
  


- O que é o campo magnético extrafísico


humano?

- O que é o campo magnético extrafísico de


cada local?
 


- Quais são os possíveis tipos de encontros


entre as energias humanas extrafísicas?

- Desses encontros, quais são as possíveis


conseqüências extrafísicas ² benéficas e
maléficas ² para os seres humanos
envolvidos?
   
    
 

Por um lado
‡ Infelizmente continuará sofrendo ( normalmente sem saber) todos
os    
 extrafísicos conseqüentes da sua
ignorância a esse respeito.
Agravante ² Alguns daqueles malefícios energéticos extrafísicos
podem ser    
, e até muito graves e muito sérios.
Por outro lado
‡ Infelizmente continuará ( normalmente sem saber) perdendo todas
as oportunidades de obter     
 extrafísicos.
‡ Agravante ² Alguns daqueles benefícios extrafísicos poderiam dar
preciosas contribuições para o aumento da qualidade de vida
daquela pessoa.
Tem mais
‡ Tanto aqueles malefícios extrafísicos obtidos quanto aqueles
benefícios extrafísicos perdidos, podem se   ( e
normalmente se estendem) para todas as pessoas com quem
interagirmos e contatarmos proximamente.
Isto quer dizer ² aqueles prejuízos extrafísicos não são apenas para
nossa própria qualidade de vida, e sim também as qualidades de
vida de todos com quem vivemos. E até amamos...
     
‡       
 
(*3)
÷     
‡ A única realmente eficaz é se empenhar ²
   ² para estudar,
conhecer, entender e compreender o

       m
como um todo.

‡ É só colher os frutos...
*1
O autor, no seu livro mais conhecido,
vendido e elogiado- ´  
 
  º   ² analisa,
especificamente e em profundidade, esse
tão útil cujos conhecimentos,
entendimento e compreensão
extremamente importante e úteis para
nossa própria qualidade de vida quanto
para as daquelas com quem vivemos.
*2
Essas ( e outras) Leis do Magnetismo
Humano ou Sutil foram enunciadas pelo
autor, com base nas suas pesquisas e
estudos a esse respeito, feitos desde
1969.
*3
Realmente, é extremamente importante frisar
que a finalidade deste trabalho não é fazer
qualquer tipo de ´terrorismoµ energético, em
1l lugar porque causar pânico só faz piorar
qualquer situação, em 2l lugar porque o único
objetivo deste texto é dar uma contribuição
para a compreensão desse tema tão útil e vital
para nossa qualidade de vida. Afinal de contas,
alertar e estimular a urgente necessidade de
compreendermos algo mito importante ² porque
tanto pode ser maléfico quanto benéfico a nós
mesmos e aos nossos entes queridos ² só pode
ser considerado   !