AS EMOÇÕES EM SKINNER

DISCENTES: Ester Martins Geisa Ribeiro Quézia Santana

SKINNER E AS EMOÇÕES

SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Com essa frase Skinner expressa a idéia de que só podemos compreender a complexidade de nossas emoções se levarmos em conta nosso histórico de vida. e o contexto em que elas ocorrem. Nosso coração (ou "o sentir") é complexo porque nossa vida o é! .

o ambiente (cultura) e a história de vida do indivíduo. ‡ A base do trabalho de Skinner refere-se a compreensão do comportamento humano através do comportamento operante (Skinner dizia que o seu interesse era em compreender o comportamento humano e não manipulá-lo).SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Burrhus Frederic Skinner ‡ Foi um autor e psicólogo estadunidense. abordagem que busca entender o comportamento em função das inter-relações entre a filogenética. ‡ Skinner adotava práticas experimentais derivadas de física e outras ciências. . ‡ Conduziu trabalhos pioneiros em psicologia experimental e foi o propositor do Behaviorismo Radical.

Passou anos tentando construir uma máquina de movimento perpétuo. organizada e ordeira quanto seu sistema ditava que todas as vidas humanas fossem . Também tinha interesse pelo comportamento dos animais. Lia muito sobre eles e mantinha tartarugas. sapos e esquilos listrados. carrosséis. modelos de aviões e até um canhão a vapor com o qual atirava buchas de batata e cenoura nos telhados dos vizinhos. teve uma infância bem tradicional. ‡ O sistema de psicologia de Skinner é sob muitos aspectos um reflexo das suas primeiras experiências de vida. ‡ Quando criança e adolescente. lagartos. gostava de construir coisas: trenós. Ele considerava a vida um produto de reforços passados e afirmava que sua própria vida fora tão predeterminada. cobras.SKINNER E AS EMOÇÕES VIDA ‡ Nascido em uma família presbiteriana. Segundo Skinner "seu ambiente da [infância] era estável e não lhe faltou afeto". carrinhos. jangadas. atiradeiras.

Passou um ano no Greenwich Village. decidiu transferir seu interesse literário pelas pessoas para um interesse mais científico. onde permaneceu durante anos. inscreveu-se na pós-graduação de psicologia em Harvard. Foi para a pós-graduação. Skinner dedicou-se a escrever. doutorou-se três anos mais tarde. Skinner ficou tão perturbado que gravou a inicial do nome de uma mulher no braço. Também estava desapontado no amor. Concluiu o mestrado em 1930 e o doutorado em 1931. embora nunca tivesse estudado psicologia antes. Depois de ler sobre John B. Sua principal proposição era de que um reflexo não é senão a correlação entre um estímulo e uma resposta. Essa falta de sucesso como escritor o deixou tão desesperado que pensou em consultar um psiquiatra. disse ele. Comprometido ou não. mas acabou se desiludindo com sua falta de habilidade literária. Em 1928. mas para fugir de uma alternativa intolerável". Concluiu que tinha poucas experiências e que lhe faltava uma perspectiva pessoal para escrever. ao menos uma meia dúzia de jovens havia rejeitado suas investidas. Seu tema de dissertação dá um primeiro vislumbre da posição a que ele iria aderir por toda a sua carreira. Watson e Ivan Pavlov. ‡ ‡ . "não porque fosse um adepto totalmente comprometido da psicologia.SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Durante dois anos depois da formatura. deixando-o com o que ele descreveu como intensa dor física. Considerou-se um fracasso e estava com sua autoestima abalada.

‡ Em 1947. Skinner foi dar aulas na Universidade de Minnesota (1936±45). e na Universidade de Indiana (1945±47). Em seus últimos anos de vida.SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Depois de vários pós-doutorados. Então. descreve os pontos essenciais de seu sistema inicial. trabalhava por uma hora. trabalhando até o fim com a mesma determinação com que começara uns sessenta anos antes. nessa época casou-se com Yvonne Blue. no porão de sua casa. . Seu livro de 1938. "Ciência e Comportamento Humano". é tido como um manual básico da sua psicologia comportamentalista. ‡ Skinner manteve-se produtivo até a morte. "O Comportamento dos Organismos". Ele dormia ali num tanque plástico amarelo. com quem teve dois filhos. ele construiu. dormia mais três horas e despertava às cinco da manhã para trabalhar mais três horas. voltou a Harvard. Ia dormir toda noite às dez. sua própria "caixa de Skinner" ± um ambiente controlado que propiciava reforço positivo. ia para o gabinete da universidade para trabalhar mais. e toda tarde retemperava as forças ouvindo música. aos oitenta e seis anos. acordava três horas depois. Seu livro de 1953. de tamanho apenas suficiente para conter um colchão. algumas prateleiras de livros e um pequeno televisor.

‡ Na noite anterior à sua morte. em Boston. ‡ Ele mostrava que é necessário que o cérebro trabalhe menos horas a cada dia. escreveu um artigo intitulado "AutoAdministração Intelectual na Velhice". citando suas próprias experiências como estudo de caso. nela.SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Aos sessenta e oito anos. . com períodos de descanso entre picos de esforço. Skinner morreu em 18 de Agosto de 1990. ele atacava a psicologia cognitiva. outra critica ao movimento cognitivo que pretendia suplantar sua definição de psicologia. apenas oito dias antes de morrer. apresentou uma comunicação na convenção de 1990 da APA. estava trabalhando em seu artigo final. para a pessoa lidar com a memória que começa a falhar e com a redução das capacidades intelectuais na velhice. "Pode a Psicologia ser uma Ciência da Mente?". ‡ Doente terminal com leucemia.

para tomar como seu objeto de estudo o comportamento. . ele próprio. que se refere ao estudo do comportamento:´Behavior´. ‡ O Behaviorismo surgiu no começo deste século como uma proposta para a Psicologia. e não como indicador de alguma outra coisa. em inglês. como indício da existência de alguma outra coisa que se expressasse pelo ou através do comportamento.SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ BEHAVIORISMO como vocês já devem saber é uma palavra de origem inglesa.

com a chegada do alimento de um cão. O condicionamento respondente é faxilmente aprendido e manifestado. sem a apresentação da comida. Pavlov demonstrou que após algumas exposições a comida junto com o som da campainha. . O cão gealmente saliva quando a comida lhe é mostrada. Seu experimento clássico uniu um estímulo neutro. o cão passa a salivar ao som desta.SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ PRINCIPAIS CONCEITOS DE SUA TEORIA: ‡ CONDICIONAMENTO E REFORÇAMENTO ‡ Condicionamento Respondente ± Comportamento Respondente é como comportamento reflexo. uma campainha. ‡ Pavlov descobriu que o comportamento respodente pode ser condicionado lá. O organismo responde automaticamente a um estímulo.

o comportamento operante é controlado por suas consequências. Os reforços positivos ou negativos regulam ou controlam comportamentos. É um estímulo que incentiva o comportamento desejado. ‡ Reforçamento ± um reforço é qualquer estímulo que aumenta a probilidade de uma resposta. Enquanto o comportamento respondente é controlado por seus antecedentes. Além disso é possível explicar a ocorrência de qualquer comportamento se houve um conhecimento suficiente dos reforços em jogo. Reforço podem ser positivos ou negativos. ele propõe que o comportamento seja compreendido como condicionado por uma combinação de reforços positivos ou negativos.SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Condicionamento Operante ± Skinner sempre se interessou mais pelo comportamento operante. ³o comportamento operante é fortalecido ou enfraquecido pelos eventos que seguem a resposta. . Um reforço positivo causa a ocorrência de um comportamento ou ou respostas desejados. Um reforço negativo reduz ou elimina uma resposta. Este é o cerne da posição de Skinner. O condicionamento depende do que acontece depois que o comportamento termina.

proprioceptivo e exteroceptivo). ‡ Eventos que ocorrem dentro do corpo podem. os quais são importantes para a economia interna do organismo quando este entra em contato com as contingências). de fato. O que uma pessoa sente relaciona-se a eventos dos três sistemas nervosos (interoceptivo. Existem fenômenos que ocorrem sob a pele do organismo.SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ O mundo dentro da pele ‡ A importância das emoções dentro de uma ciência psicológica é uma questão que deve ser investigada. . mas como parte das relações funcionais em si. não como causa do comportamento. Uma ciência do comportamento deve lidar com esses eventos sem presumir que tenham uma natureza especial. ‡ A emoção é um estado do corpo. estar sob o controle de estímulos internos ou externos sujeitos a seqüência numa rede de relações funcionais.

como um mundo de eventos comportamentais: ocorrem tanto estimulações quanto comportamentos. também. tato. ‡ Desse mundo fazem parte. ‡ Visão. olfato e paladar (estimulação exteroceptiva). glândulas. articulações. audição. postura e movimentos (estimulação proprioceptiva).SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Ao falar de eventos privados. ‡ Desse mundo certamente faz parte tudo o que está relacionado ao funcionamento corpóreo: ‡ Orgãos. Esse mundo "dentro da pele" é considerado. . por ele. (estimulação interoceptiva). ‡ Músculos. os fenômenos que tradicionalmente são referidos como afetivos (emoções e sentimentos) e cognitivos (pensamentos). vasos sangüíneos. vísceras. Skinner faz referência ao "mundo dentro da pele". tendões. etc.

‡ Para Skinner. mas de acessibilidade. potencialmente. isto porque. ‡ O perceber. se afeta apenas o próprio indivíduo. . ser comportamento ou estímulos funcionalmente relacionados a comportamentos. ‡ Ora. pois só ele pode detectar sua ocorrência. o sentir. então apenas ele pode ter acesso aos eventos privados. ao falar que "Cada pessoa está em contato especial com uma pequena parte do universo inserida nos limites de sua própria pele³.SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Os eventos públicos e privados distinguem-se por sua potencial capacidade de interferência sobre os indivíduos. Assim. um evento privado não apresenta esta possibilidade. só é acessível ao próprio indivíduo. podendo. nesta condição. enquanto um dado evento público pode afetar mais de um indivíduo. de natureza. o pensar são entendidos por Skinner como eventos comportamentais que ocorrem encobertamente. a diferença entre eventos públicos e privados não é. portanto. afetando apenas o próprio indivíduo. Skinner faz referência àquilo que.

‡ Mais do que isso. estados e não só do pensamento) é um produto social. . pensa. é aquilo que a comunidade verbal na qual está inserido lhe ensina a viver.SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Segundo o autor. com exceção do que é disponível pelo aparato genético. tudo o que se passa sob a pele (e aqui se está falando de sentimentos. mas também a se referir ao que sente. pensar. pensa. ‡ Isso significa dizer que é a comunidade (e a comunidade humana é verbal) que ensina ao indivíduo não só a nomear objetos que vê. ser. o indivíduo vive. percebe. percepções.

aquilo que da privacidade é conhecido depende de (ou está relacionado ao) quanto e como a sociedade lhe ensinou a relatar seu mundo privado. ‡ O indivíduo pode falar sobre o que sente.SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Para Skinner. o mundo privado do sujeito constrói-se socialmente. aprendendo a interpretar o que lhe acontece encobertamente. pensa ou sonha porque foi ensinado a relatar. . Logo. este mundo privado não é tão simples de se conhecer.

‡ Numa das formas pelas quais a comunidade ensina o indivíduo a relatar o que se passa no seu mundo privado. . chora e corre em direção oposta de um animal. relacionando as respostas públicas a esta estimulação.a ocorrência de eventos comportamentais (estímulos e comportamentos) que estariam ocorrendo sob a pele do indivíduo. ela pode se basear na observação de respostas colaterais públicas emitidas pelo indivíduo e supor que haja uma certa estimulação privada. Em todas elas a comunidade infere . O adulto tenderá a perguntar-lhe: "Você está com medo?". a comunidade pode inferir que a criança está com medo. ‡ No caso de uma criança que coloca as mãos sobre os olhos.uma vez que não tem acesso direto .SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Ensinando a relatar eventos privados ‡ Segundo Skinner. há diferentes maneiras por meio das quais a comunidade procura ensinar o indivíduo a relatar o que se passa no seu mundo privado.

SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ A comunidade infere o estímulo privado [medo]. ‡ Por exemplo. ‡ Uma outra maneira por meio da qual a comunidade ensina uma resposta verbal a um estímulo privado é a observação de indícios públicos provocados por algum evento. etc). lesão na pele. chorar. não dos estímulos públicos acompanhantes [animal presente na situação]. . uma criança apresenta um corte ou sangramento (algum indício público) em alguma parte do corpo e um adulto lhe pergunta se ela está sentindo dor. mas das respostas colaterais [públicas: colocar as mãos sobre os olhos. afastar-se do [animal]. ‡ Ensina-se uma criança a dizer `Dói' de acordo com o uso que a comunidade faz do termo tornando o reforço contingente a certos acompanhamentos públicos de estímulos dolorosos (uma pancada forte.

Segundo Skinner. grande parte do vocabulário utilizado para descrever emoções. ou. ‡ Assim. . descrevendo-o através de figuras de linguagem. uma pessoa é capaz de se reportar aos estados internos usando expressões como tristeza aguda ou peso na consciência. sentimentos ou para adjetivar estados internos caracteriza-se como figuras de linguagem designadas por metáfora ou metonímia.SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Uma terceira possibilidade: a comunidade pode observar o próprio comportamento público. estômago embrulhado. ainda.

Skinner reconhece as emoções como predisposições para classificar o comportamento em relação às várias circunstâncias que o afetam.SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Em suma. Isso requer conhecimento de como elas foram induzidas e como podem ser alteradas para que se possa reconhecer o comportamento emocional e as condições manipuláveis das quais é função. .

mas que. por conseguinte. O vocabulário em que a resposta é dada pode ser adquirido quando o comportamento é visível a todos e a comunidade verbal. ³Você está inclinado a fazer o quê?´ é uma pergunta metafórica para a qual uma resposta metafórica poderia ser ³Eu me sinto inclinado a ir´. não sofre limitações. ou no escuro.SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Relatando o comportamento ‡ Comportamento atual. As respostas dependem presumivelmente de estimulação gerada por condições relacionadas com uma acentuada probabilidade de ação. está fora do alcance de quem pergunta. ou ainda. Tender a fazer algo é também uma metáfora que sugere estar-se sendo empurrado ou forçado. na virada da esquina. o qual pode estar falando por telefone. A pergunta ³O que é que você está fazendo?´ pede uma informação que pode ser deveras pública. ‡ Comportamento provável. por exemplo. . no momento.

SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Comportamento perceptivo. mas não necessariamente geradas por ele. Ao descrever o comportamento encoberto. . ‡ Comportamento encoberto. Uma pessoa fala a partir de um ponto especialmente vantajoso: ela esteve necessariamente lá. onde ³pensando´ refere-se a um comportamento executado em escala tão pequena que não é visível aos outros. ‡ Comportamento passado. Pode-se perguntar a uma pessoa ³Você vê aquilo?´ ou menos vernaculamente ³Está vendo aquilo?´ e a resposta pode ser conferida pedindo-se o nome ou uma descrição daquilo que é visto. mas é mais provável que estejamos descrevendo condições privadas relacionadas com comportamento público. Respostas a perguntas como ³O que você fez ontem?´ ou ³A quem viu você?´ podem usar um vocabulário adquirido em conexão com o comportamento atual. Uma pergunta muito mais fácil é ³Em que é que você está pensando?´. podemos estar descrevendo comportamento público em miniatura.

SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Comportamento futuro. Pode ser ainda o relato de uma farta probabilidade de assumir-se determinado comportamento. A resposta não é. uma descrição do próprio comportamento futuro. As condições relevantes para o comportamento são relatadas de acordo com as circunstâncias em que foram adquiridas. Consideremos a informação ³Eu estou. Pode ser uma previsão de comportamento baseada em condições usuais com que o comportamento está amiúde relacionado (³Quando as coisas são assim. estava ou estarei com fome´. evidentemente. ‡ Traduções múltiplas. e isto significa que uma expressão pode ser traduzida de várias maneiras. Outra pergunta difícil é ³O que é que você vai fazer?´. eu geralmente desisto´ ou ³Estou com fome e vou procurar alguma coisa para comer´). .

‡ ‡ O autoconhecimento ‡ O autoconhecimento é de origem social. . outra pessoa poderá saber melhor por que a primeira se comporta de determinada forma. Uma pessoa que se ³tornou consciente de si mesma´ por meio de perguntas que lhe foram feitas está em melhor posição de prever e controlar seu próprio comportamento. O psicoterapeuta que tenta levar seu paciente a compreender-se está presumivelmente salientando relações causais de que este ainda não havia tomado consciência. Ele então ingressa no controle de comportamento chamado conhecimento. Só quando o mundo privado de uma pessoa se torna importante para as demais é que ele se torna importante para ela própria.SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Identificando as causas do comportamento de alguém ‡ Apesar da aparente intimidade do mundo dentro da pele. Mas o autoconhecimento tem um valor especial para o próprio indivíduo. Se um simples ³Estou com vontade´ for suficiente. e apesar da vantagem de que a pessoa goza como observador de sua história pessoal. nada mais surgirá. As explicações do comportamento variam de acordo com os tipos das respostas aceitas pela comunidade verbal.

SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Dinâmica ‡ Identificando as emoções ‡ O que Luan Santana parece estar sentindo nessa foto? .

Sorriso (prazer.cabeça jogando para o lado e para cima (timidez.olhos amendoados e brilhantes (alegria) . né? OBS: Não dá para saber com certeza o que ele estava sentindo apenas com suas respostas motoras.sobrancelhas levantadas de forma simétrica (resposta motora de atenção.mordendo os lábios (resposta de ansiedade. falta de jeito) Alguém. emoções são estados corporais que só podem ser entendidos no contexto de ocorrência. de novo) . mas uma análise da cena fornece bons indícios! . alguém. prazer) . foco) .SKINNER E AS EMOÇÕES Pistas: . alguém arrisca um palpite? Bom.

SKINNER E AS EMOÇÕES ‡ Eis aí o contexto: Especificando ainda mais o contexto .

org/wiki/Burrhus_Fre deric_Skinner. Acesso: 19/04/2011 .org.bvspsi. Acesso: 18/04/11 ‡ http://pt.wikipedia.Referências ‡ Disponível em: ‡ http://pepsic.php?s cript=sci_arttext&pid=S1414697520050 00100007&lng=en&nrm.br/scielo.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful