Você está na página 1de 22

V Psicologia deriva da junção de duas palavras

gregas ´psichéµ e logos ² significa ´ estudo da


mente ou da almaµ.
V Atualmente é definida como a ciência que se
concentra no comportamento e nos processos
mentais.
V O comportamento abrange tudo o que pessoas
e animais fazem: conduta, emoções, formas de
comunicação processos de desenvolvimento,
processos mentais.
V A principal atividade do psicólogo na
organização é combinar pesquisa, consultoria e
desenvolvimento de programas para melhorar
a descrição e a eficiência no trabalho.
V iundada por i , onde ele estudou os
aspectos irracionais da vida humana.

V ireud desenvolveu a teoria geral da dinâmica


da personalidade, o estudo da natureza
humana no decorrer das várias faixas de idade
e a teoria do impacto da sociedade, da cultura e
da religião sobre a personalidade.
V  A
V A energia mental é algo que pode ser
transformando, dirigido, acumulado,
preservado, descarregado e dissipado, mas não
pode ser totalmente destruído. Há diferentes
tipos de energias mentais, mas todas
apresentam a mesma natureza e os mesmo
impulsos instintivos naturais.
V  a energia que consitui o substrato das
transformações da pulsão sexual. ssas
transformações podem ser quanto ao objeto
(deslocamento dos instimentos), quanto ao alvo
(que pode ser o mecanismo de sublimação) e
quantoà fonte (diversidade das zonas
erógenas).
V  o mecanismo de defesa caracterizado pela
transferência de emoções ou fantasias do objeto
a que estariam originalmente associados para
um substituto, ou seja, transferência da libido
de uma forma de expressão para outra.
V As pressões são forças que atuam na vida
mental. ma vez na interação, elas inibem ou
favorecem o desenvolvimento umas das outras.
 um processo dinâmico, que consiste em uma
pressão ou força (carga energética, fator de
motricidade) que faz tender o organismo para
o um alvo. Para ireud, a pulsão nasce de uma
tensão corporal e visa suprimir essa tensão.
V A pulsão é definida por meio de quatro
elementos:
V O P O ² que é a magnitude da pulsão;
V A iO
 ² que é o órgão do qual ela emana
V O i ² que sonsiste na descarga do impulso
que traz satisfação
V O OBJ
O ² por meio do qual a satisfação
pode ser obtida.
V
V O id é a parte mais obscura, inacessível e
desorganizada da personalidade e o mais
primitivo e mais velho dos sistemas mentais. le
constitui o pólo pulsional da personalidade; seus
conteúdos, expressão psíquica das pulsões, são
inconscientes, em parte hereditários e inatos, em
partes recalcado e adquiridos. O id contem apenas
idéias de gratificações imediatas, os desejos, em
que investe toa sua energia. imita-se à procura da
satisfação dos desejos.
V O id ignora a realidade objetiva; sua realidade é
subjetiva e altruística. ão possui valores, ética ou
moral. Os conteúdos do id são permanentes, não se
modificam com o passar do tempo; nada nele é
passado ou esquecido; para ele, as leis da lógica e da
razão não existem. entro do id podem coexistir
desejos contraditórios, sem que um negue o outro. ua
energia é mais fluida que a das outras regiões da
personalidade. A função do id é a busca do prazer. O
processo psíquico por ele usado é o primário, ou seja, a
descarga da tensão tão logo esta o atinja.
V O id possui dois tipos de pulsões ² a pulsão de vida e
pulsões de morte ² é neste sentido que concebido como
o grande reservatório da libido e, igualmente, da
energia pulsional.
V  a parte organizada da personalidade.  o
executivo, envolvendo todas as funções
denominadas especificamente psicológicas:
percepção, aprendizagem, memória e raciocínio. O
ego está numa relação de dependência em relação
às reinvidicações do id, bem como dos imperativos
os superego, e às exigências da realidade. mbora
situe como mediador encarregado aos interesses
da totalidade da pessoa, sua autonomia é
totalmente relativa.
V Para ireud o ´ego tem prazer na defesaµ, em todas as ocasiões
verdadeiramente sérias ele volta atrás, reencontra seus objetivos e
prossegue sua resistência. O ego é descrito por ele como uma
organização de representações caracterizada por vários elementos:
facilitação das vias associativas interiores a esse grupo de
representações, investimento constante por uma energia de
origem endógena, isto é, pulsional, distinção entre uma parte
permanente e uma parte variável.  a permanência no ego de um
nível de energia interna que permite ao ego inibir os processos
primários, não só aqueles que levam à alucinação, mas ainda os
que seriam suscetíveis de desprazer provocado pelo dispêndio
total da defesa.

V O ego exerce várias funções no psiquismo: controle da motilidade


e da percepção. Prova de realidade, antecipação, ordenação
temporal dos processos mentais, pensamento racional e também
preterição, racionalização, defesa compulsiva contra as
reinvidicações pulsionais (oposição às pulsões e satisfação das
pulsões, insigths e racionalização, conhecemento bjetivo e
deformação sistemática, resistência e resolução das resistências).
V epresenta a moralidade, reflete os padrões da sociedade
em que a criança é educada e é a ultima subdivisão da
personalidade a ser formada. O superego luta pela
perfeição: é o ego ideal. O ego ideal estabelece os padrões da
conduta ética, enquanto a consciência age na função de um
juiz, que impõe punições para as infrações dos padrões
estabelecidos.

V As funções do superego são: a consciência moral, a auto-


observação e a formação de ideais.

V O superego é uma instância que se separou do ego e que


parece dominá-lo. m sua função crítica, opõe-se ao ego,
julga-o de forma critica.
V 'O '

V P -'O '

V 'O '

V P ' PO O P AZ
V O indivíduo obedece ao princípio fundamental
de seu funcionamento.

V P 'PO A AA
V stá ligado ao Princípio do Prazer modificado,
ou seja, busca pelo prazer a medida o tem
condições para satisfazê-lo.
V 

O
V  JO
V ' A
V 'A 
V BAÇÃO
V P  ÃO
V P ÃO  O

V P ÃO  VA
V 'Oi
O P  'O
atente
anifesto

V 
i'AÇÃO
V 'ondições de trabalho

V 'ondições físicas: barulho, temperatura, vibrações e


irradiações ionizantes;
V 'ondições químicas: poeira e vapores;
V 'ondições biológicas: vírus, bactérias e fungos.

V 
A
A  i A
V efesas coletivas
V efesas individuais

Você também pode gostar