Você está na página 1de 10

LINHA E ASSESSORIA

Profª Káty Morais


UEMA – Universidade Estadual do Maranhão
AS ATIVIDADES DE LINHA E ASSESSORIA

DIFERENCIAÇÃO DAS ATIVIDADES DE LINHA E ASSESSORIA


Existem duas formas de diferenciar as atividades de linha e assessoria nas
empresas:
Quando consideramos que as unidades organizacionais de linha têm ação de
comando, enquanto as unidades organizacionais de assessoria não têm ação
de comando, pois apenas aconselham as unidades de linha no desempenho de
suas atividades.

PRESIDÊNCIA ACONSELHA

-LINHA COMO EXECUTANTE


ASSESSORIA DE E ASSESSORIA COMO CON-
PLANEJAMENTO SELHEIRA.

DIRETORIA DIRETORIA DIRETORIA


ACONSELHA
INDUSTRIAL GERAL ADM-FINANC.

ASSESSORIA DE
OS&M
Quando consideramos as unidades organizacionais de linha, como ligadas às
atividades-fins da empresa, enquanto as unidades organizacionais de
assessoria como ligadas às atividades-meio da empresa

PRESIDÊNCIA

DIRETORIA DIRETORIA DIRETORIA


INDUSTRIAL COMERCIAL ADM-FINANC.

ATIVIDADE-FIM ATIVIDADE-FIM ATIVIDADE-MEIO

LINHA LINHA ASSESSORIA

- LINHA COMO ATIVIDADE-FIM E ASSESSORIA COMO ATIVIDADE-MEIO


Na realidade, podem-se considerar as atividades de linha como as
diretamente ligadas à de operacionalização da empresa, enquanto as
atividades de assessoria estão mais ligadas ao aconselhamento, análise e
estudos das atividades do chefe, procurando principalmente liberá-lo de
algumas tarefas de estudo e pareceres

Em termos estruturais é importante a consideração das unidades de linha


como atividade-fim e das unidades de assessoria como atividade-meio
para desenvolver o processo da seguinte forma:
a) As unidades organizacionais inerentes à atividade-fim devem ser as
primeiras a serem estruturadas, de maneira perfeitamente integrada com
os fatores ambientais da empresa ( mercado, fornecedores, concorrentes,
legislação, etc.
b) As unidades organizacionais inerentes à atividade-meio devem ser
estruturadas posteriormente, tendo em vista atender às necessidades das
unidades organizacionais ligadas à atividade-fim da empresa.
A ATUAÇÃO DA ASSESSORIA

OBJETIVOS DA ASSESSORIA

FACILITA O
TRABALHA
CONTROLE E A
COMO AGENTE
COORDENAÇÃO
DE ADAPTAÇÃO
DA
ORGANIZACIONAL
ORGANIZAÇÃO

ASSESSORIA

AUXILIR NA DA CONSELHOS
AQUISIÇÃO E E PRESTA
MANUTENÇÃO SERVIÇOS
DE RECURSOS
TIPOS BÁSICOS DE ASSESSORIA

A) ASSISTENTE ( que corresponde a um auxiliar pessoal do chefe )

B) ASSESSORIA GERAL (composta por elementos que fazem com


que o trabalhado do administrador seja executado de modo
adequado)

C) ASSESSORIA ESPECIALIZADA (composta por elementos que


tem treinamento ou qualificação especializada de modo a suprir
conhecimentos especificos)

D) SERVIÇOS DE OPERAÇÃO (são os sistemas de trabalho de


importância secundária e que apenas existem para apoiar ou
prestar serviços ao principal sistema de trabalho)
DESVANTAGENS NO USO DA ASSESSORIA.

a) Quando usada como uma “válvula de escape” aos erros do superior


imediato.
b) Quando a assessoria dificultar a delegação de tarefas ao pessoal de
linha.
c) Quando a assessoria assumir funções de linha, dificultando o pro-
cesso administrativo.
d) Quando o administrador tender a ignorar seus subordinados de li-
nha, em benefícios dos subordinados de assessoria.
e) Quando ocorrerem diferenças pessoais entre o pessoal de linha e
de assessoria, prejudicando o desenvolvimento dos trabalhos na
empresa.
f) Quando os custos operacionais da unidade organizacional de asses-
soria forem muito elevados em relação aos benefícios proporciona-
dos à empresa.
REQUISITOS PARA O ÊXITO DO TRABALHO DA ASSESSORIA

a) Facilitar ao assessor o acesso às informações necessárias,


através de contato freqüente e de fácil comunicação.

b) Consultar o assessor antes de tomar qualquer decisão no setor


que lhe está afeto.

c) Deixar ao assessor a iniciativa de promover a ação necessária


nas atividades em que estiver envolvido.

d) Insistir em que o assessor “venda”suas idéias para as unidades


organizacionais de linha.
LIMITAÇÕES AO USO DA ASSESSORIA

a) Pode sobrecarregar o pessoal alocado nas unidades organizacionais


de linha.
b) Pode enfraquecer a influência do superior de linha.
c) Pode provocar uma administração autocrática e inflexível.
d) Pode gerar atritos com o pessoal de linha da empresa.

CONDIÇÕES FAVORÁVEIS AO USO DA ASSESSORIA.

a) Quando abrange apenas um aspecto secundário da operação total


considerada.
b) Quando os chefes das unidades organizacionais de linha não pos-
suem o necessário conhecimento técnico para o desenvolvimento
do trabalho considerado.
c) Quando é essencial assegurar ação uniforme em e entre várias uni-
dades organizacionais de linha.
CONFLITOS ENTRE LINHA E ASSESSORIA

LINHA ASSESSORIA
( ARGUMENTOS CONTRA ( ARGUMENTOS CONTRA
A ASSESSORIA ) O PESSOAL DE LINHA )

1. RESSENTE-SE POR NÃO SER


O ÓRGÃO-FIM.
1. AMEAÇA DA AUTORIDADE. 2. NÃO TEM AUTORIDADE.
3. SEU TRABALHO NÃO É UTILI-
2. LONGE DA REALIDADE ( da ZADO COMO DEVERIA SER.
prática ) 4. PESSOAL DE LINHA ESTÁ EN-
VOLVIDO COM A ROTINA E
3. NÃO ASSUME A RESPONSA- NÃO TEM TEMPO PARA PEN-
BILIDADE PELA OPERAÇÃO. SAR, CRITICAR E MELHORAR
O TRABALHO ELABORADO
4. CONSULTAR O ASSESSOR PELA ASSESSORIA.
LEVA TEMPO. 5. LINHA NÃO TEM VISÃO DE
CONJUNTO.
6. LINHA NÃO QUER MUDAR.