O Código de Hamurabi

Código de Hamurabi
O Código de Hamurabi é um dos mais antigos conjuntos de leis encontrados, e um dos exemplos mais bem preservados deste tipo de documento da antiga Mesopotâmia. Segundo os cálculos, estima-se que tenha sido elaborado por Hamurabi por volta de 1700 a.C.

Aspecto:
As leis (numeradas de 1 a 282, mas os números 13, 66²99, 110 e 11 inexistem), estão gravadas em um monólito de diorito preto de 2,5 m de altura. Na parte superior do monólito, Hamurabi é mostrado em frente ao trono do rei Sol Shamash. Logo abaixo estão escritos, em caracteres cuneiformes acadianos, os artigos regularizando a vida quotidiana.

Durante as diferentes invasões da Babilônia. em dezembro de I2I. ele foi descoberto. O abade Jean-Vincent Scheil traduziu a totalidade do código após o retorno a Paris. onde hoje ele pode ser admirado no Museu do Louvre. O objetivo deste código era homogeneizar o reino juridicamente e garantir uma cultura comum.C. e diversos outros exemplares foram igualmente espalhados por todo o reino.História: O código foi colocado no templo de Sippar. . o código foi deslocado para a cidade de Susa (no Irã atual) por volta de 1200 a. pela expedição dirigida por Jacques de Morgan.

A punição ou pena é diferente para cada classe social. de modo que ninguém pudesse alegar ignorância da lei como desculpa.Conteúdo: O código de Hamurabi expõe as leis e punições caso estas não sejam respeitadas. criação de gado. No entanto. danos à propriedade. agricultura. assim como assassinato. morte e injúria. As leis não toleram desculpas ou explicações para erros ou falhas: o código era exposto livremente ã vista de todos. . A ênfase é dada ao roubo. poucas pessoas sabiam ler naquela época .

entre outras: ‡ a hierarquia da sociedade divide-se em três grupos: os homens livres. assim.Os artigos do Código de Hamurabi fixam. ‡ os preços: os honorários dos médicos variam de acordo com a classe social do enfermo. as diferentes regras da vida quotidiana. . os subalternos e os escravos. ‡ os salários variam segundo a natureza dos trabalhos realizados.

‡ qto o funcionamento judiciário: a justiça é estabelecida pelos tribunais. . é condenado à morte. causando a morte de seus ocupantes. A lei de talião é a base desta escala. e é possível apelar ao rei. as decisões devem ser escritas. ‡ as penas: a escala das penas é descrita segundo os delitos e crimes cometidos.‡ qto a responsabilidade profissional: um arquiteto que construir uma casa que se desmorone.

em época em que as leis eram transmitidas oralmente de geração em geração.C.) o rei Hamurabi foi responsável por uma das mais importantes contribuições culturais daquele povo: a compilação de um código escrito quando ainda prevalecia a tradição oral. .1500 a. ou seja.Importância: Durante o período de hegemonia do império babilônico sobre a Mesopotâmia (1800.

Ao escrever as leis na pedra. o fato de serem escritos em pedras não implica propriamente a perpetuação da mensagem e sim na facilidade oferecida pelo autor aos menos letrados de reproduzirem esses textos fiel e rapidamente. elas se tornaram imutáveis. No entanto. . Este conceito existe em vários sistemas jurídicos modernos e deu origem à expressão em língua inglesa written in stone (escrito na pedra).

. transcrevendo diretamente da Estela para o papel ou papiro. permanecia apenas essas matrizes de pedra para contar a origem das leis.No caso da texto de Hamurabi em questão. viajantes de outras regiões. tinham a oportunidade de obter cópias para serem lidas em suas aldeias e para isso normalmente utilizavam o processo similar ao de xilogravura. quando em passagem por Susa. por se tratar de material perecível. que com o passar do tempo e o uso.

o código de Ehununna (1930 a.C.C. o livro Documents from Old Testament Times (Documentos da época do Velho Testamento) Diz: .existiram outras coleções de leis e códigos como os de Ur Nammu.) Diferenças de Torah: Algumas partes da Torah abordam aspectos mais apurados de seções do código de Hamurabi que pelo direito de propriedade. e devido a isso alguns especialistas sugerem que os hebreus tenham copiado deste. rei de Ur (2050 a.) e o código de Lipit-lshtar de Isin ( 1870 a..C. No entanto.

Mesmo que os dois conjuntos de leis diferem pouco na prosa eles diferem muito no espírito.´ Vejamos - .³Não existe fundamento algum para se assumir qualquer empréstimo pelos hebreus dos babilônios.

.

Erigiu.Khammu-rabi. 282 cláusulas que ficaram conhecidas como Código de Hamurabi (embora abrangesse também antigas leis). no final do seu reinado. na qual ele é retratado recebendo a insígnia do reinado e da justiça do rei Marduk. . rei da Babilônia no 18° século a. estendeu grandemente o seu império e governou uma confederação de cidades-estado. Abaixo mandou escrever 21 colunas com. uma enorme placa em diorito.C.

no entanto. .algumas das provisões nesse código referen-se às três classes sociais: a do ³awelum´ (³filho do homem´). podiam ter propriedades. que era merecedora de compensações .mas que por outro lado arcava com as multas mais pesadas por ofensas). cidadão livre. mas de menor status e obrigações mais leves. à classe mais alta dos homens livres. escravos que. ou seja. a classe ¶wardum´. por último.seguindo-se por estágio imediatamente inferior a classe dos ³mushkenum´.

o incesto. das categorias profissionais.E ao trabalho (com idéias precursoras do salário mínimo. das leis trabalhista e à questão da propriedade). . o pátrio poder.O código referia-se também ao comércio (no qual o caixeiro viajante ocupava lugar importante-À família (inclusive qto ao divórcio. o adultério. a adoção.

.. ficavam entre os brutais excessos das punições corporais das leis Mesopotâmica-Assírias e das mais suaves. A mutilação era infligida de acordo com a natureza da ofensa. na forca.Quanto às leis criminais. seja por afogamento etc. A noção de µuma vida por uma vida´ atingia aos filhos dos causadores de danos aos filhos dos ofendidos. vigorava a ³lex talionis´: a pena de morte era largamente aplicada. seja na fogueira. dos hititas. As penalidades infligidas sob o Código de Hamurabi. .

Essa legislação estendeu-se pela Assíria.A codificação propunha-se a implantação da justiça na terra.a destruição do mal.pela Judéia e pela Grécia. . a prevenção da opressão do fraco pelo forte. propiciar o bem estar do povo e iluminar o mundo.

para destruir os maus e o mal.por esse tempo de Anu e Bel me chamaram. o excelso príncipe. para implantar a justiça na terra. Senhor da Terra dos Céus.PRÓLOGO: ² ³Quando o alto Anu.. determinador dos destinos do mundo. Hamurabi. o adorador dos deuses.. .e quando foi pronunciado o alto nome da Babilônia e quando ele a fez famosa no mundo e nela estabeleceu um duradouro reino cujos alicerces tinham a firmeza do céu e da terra . entregou o governo de toda humanidade a Marduk. Rei de Anunaki e Bel.. a mim. para prevenir a opressão do fraco pelo forte. para iluminar o mundo e propiciar o bem-estar ao povo.

enchi os celeiros de grãos para a poderosa Urash. ajudei o povo em tempo de necessidade. . eu o que trouxe a abundância à terra.Hamurabi. governador escolhido por Bel. o que tornou bela a cidade de Borsippa.. como governador do povo.. o servo cujos feitos são agradáveis a Anunit´... o que estabeleci a segurança na Babilônia.. o dei vida à cidade de Uruk. coloquei água com abundância aos seus habitantes...

Deixai-os atentar nas minhas ponderadas palavras. Deixai-os ler a inscrição do meu monumento.. estabeleci (com as quais) dei base estável ao governo.. em minha sabedoria eu os refreio. .³As justas leis que eu Hamurabi... Em meu afeto trago o povo das terras de Sumer e Acad. o sábio rei. para que o forte não oprima o fraco e para que seja feita justiça à viúva e ao órfão... De quem sou o governador guardião. E possa o meu monumento iluminá-lo. ..

o povo disperso se reuniu: dei-lhe pastagens em abundância e o estabeleci em pacificas moradias´. Amontoei montes de grãos. ..´. .Possa o povo exclamar ³Hamurabi é na verdade como um pai para o seu povo.... estabeleceu a prosperidade para sempre e deu um governo puro à terra. Hammurabi-nukhush-nish (Hamurabi-aabundância-do-povo) As margens de sua cidade de ambos os lados eu as transformei em campos de cultura.

salta no rio. vai ao rio. PREVARICAÇÃO DE JUIZES. se o rio o demonstra inocente e ele fica ileso.I SORTILÉGIOS. FALSO TESTEMUNHO. Mas. aquele que acusou. aquele que acusou deverá receber em posse à sua casa.Se alguém acusa um outro. Esta escrito: l¶ . mas não pode dar a prova disso. deverá ser morto. 2° . JUÍZO DE DEUS. se o rio o traga. lhe imputa um sortilégio. aquele que avançou a imputação deverá ser morto. aquele que saltou no rio deverá receber em posse a casa do seu acusador.Se alguém avança uma imputação de sortilégio contra um outro e não a pode provar e aquele contra o qual a imputação de sortilégio foi feita. .

deverá suportar a pena cominada no processo. ele deverá ser morto.Se alguém em um processo se apresenta como testemunha de acusação e. é convencido de ser causa do erro. se mais tarde o seu processo se demonstra errado e aquele juiz.Se um juiz dirige um processo e profere uma decisão e redige por escrito a sentença. 4° . se o processo importa perda de vida. no processo que dirigiu.Se alguém se apresenta como testemunha por grão e dinheiro. e se deverá publicamente expulsá-lo de sua cadeira de juiz.3° . 5°. ele deverá então pagar doze vezes a pena que era estabelecida naquele processo. . Nem expulsádeverá ele voltar a funcionar de novo como juiz em um processo. não prova o que disse.

CRIMES DE FURTO E DE ROUBO. ele deverá dar trinta vezes tanto.Se alguém. 7° . se a coisa pertence ao Deus ou a Corte. REIVINDICAÇÃO DE MÓVEIS 6° . deverá ser morto. deverá dar dez vezes tanto. é considerado como um ladrão e morto.Se alguém furta bens do Deus ou da Corte deverá ser morto.Se alguém rouba um boi ou uma ovelha ou um asno ou um porco ou um barco. ou outra coisa de um filho alheio ou de um escravo.II . se o ladrão não tem nada para dar. se pertence a um liberto. ou um boi ou uma ovelha. compra ou recebe em depósito ouro ou prata ou um escravo ou uma escrava. 8° . e mais quem recebeu dele a coisa furtada também deverá ser morto. . ou um asno. sem testemunhas ou contrato.

Se alguém.³um vendedor mo vendeu diante de testemunhas.e o proprietário do objeto perdido diz: ³eu trarei testemunhas que conhecem a minha coisa perdida´ . O juiz deverá examinar os seus depoimentos. o acha com um outro. eu o paguei´ . o comprador recebe da casa do vendedor o dinheiro que pagou.9° . O vendedor é então um ladrão e morrerá. a quem foi perdido um objeto. diz: . se aquele com o qual o objeto perdido é achado. o proprietário do objeto perdido o recobrará.o comprador deverá trazer o vendedor que lhe transferiu o objeto com as testemunhas perante às quais o comprou e o proprietário do objeto perdido deverá trazer testemunhas que conhecem o objeto perdido. . as testemunhas perante as quais o preço foi pago e aquelas que conhecem o objeto perdido devem atestar diante de Deus reconhecê-lo.

em seis meses. O proprietário retoma o objeto perdido. o comprador deverá receber da casa do vendedor o quíntuplo. o juiz deverá fixar-lhes um termo de seis meses. ele é um malvado e caluniou. então o comprador é o ladrão e morrerá.Se o vendedor é morto. o proprietário do objeto perdido apresenta um testemunho que reconhece o objeto. 13° . se. 11 .Se o proprietário do objeto perdido não apresenta um testemunho que o reconheça. 12° . ele morrerá.10°-Se o comprador não apresenta o vendedor e as testemunhas perante as quais ele comprou. mas. ele é um malvado e suporta a pena desse processo. as suas testemunhas não comparecerem.Se as testemunhas do vendedor não estão presentes. .

o dono do escravo deverá dar-lhe dois siclos. 15° . deverá ser morto. o dono da casa deverá ser morto.Se alguém rouba o filho impúbere de outro.Se alguém furta pela porta da cidade um escravo ou uma escrava da Corte ou um escravo ou escrava de um liberto.Se alguém acolhe na sua casa. ele é morto. um escravo ou escrava fugidos da Corte ou de um liberto e depois da proclamação pública do mordomo. 17° .14° . 16° . não o apresenta.Se alguém apreende em campo aberto um escravo ou uma escrava fugidos e os reconduz ao dono. .

Se ele retém esse escravo em sua casa e em seguida se descobre o escravo com ele. 21° . deverá diante de aquele buraco ser morto e sepultado. deverá ser reconduzido ao seu senhor. 19° . deverá ser levado a palácio.18° .Se alguém faz um (prejuizo)buraco em uma casa. feitas todas as indagações. .Se esse escravo não nomeia seu senhor.Se o escravo foge àquele que o apreendeu. deverá ser morto. 20 . este deve jurar em nome de Deus ao dono do escravo e ir livre.

ele é morto.22° . o roubado deverá diante de Deus reclamar tudo que lhe foi roubado. então a aldeia e o governador. 25° .Se alguém comete roubo e é preso. lança os olhos sobre a propriedade do dono da casa.Se eram pessoas. 24° .Se o salteador não é preso. ele deverá ser lançado no mesmo fogo.Se na casa de alguém aparecer um incêndio e aquele que vem apagar. e toma a propriedade do dono da casa. . devem indenizar-lhe os bens roubados por quanto foi perdido. 23° . em cuja terra e circunscrição o roubo teve lugar. a aldeia e o governador deverão pagar uma mina aos parentes.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful