Você está na página 1de 25

O uso da tecnologia em sala de

aula

Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida


Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa de Pós-Graduação em Educação:
Currículo
bethalmeida@pucsp.br
Somos contemporâneos de uma mudança de época, e não só
de uma época de mudanças.
Frei Betto
Diferentes modos de lidar com as
mídias e tecnologias

 Mudança de época: vivemos “plugados” no mundo, em


frente a uma tela
 3 gerações:
• Anos 50 / 60: TV - passividade diante da tela
• Anos 80 / 90: transição para a sociedade midiática
Velho e o novo
Analógico e o digital
• Anos 2000: crianças nascem no mundo digital
Crianças: as mídias e as
tecnologias não são novidade -
“estão prontas”
Que tecnologias estão hoje
nas mãos e mentes de jovens
e crianças?
 Tecnologias marcantes:
• TV e o controle remoto
zapear e selecionar imagens

• Telefone celular
teclar, comunicar-se e enviar SMS; uso dos dois polegares

• Computador, netbook, tablet, Ipad, Ipod, Itudo, Itodos…


• Navegar na internet
• Participar de redes de relacionamento
• Fazer escolhas por meio de ícones, sons e movimentos
Como pensam e
agem as crianças e
os jovens?
As mídias e as tecnologias estruturam o
pensamento e o modo de ser e estar no
mundo.

O que nós educadores fazemos para


trabalhar com as crianças e jovens que
estão hoje nas salas de aula?

Conseguimos integrar as experiências dos


alunos e os recursos com os quais convivem
no aprendizado de conceitos científicos?
Desafios da educação frente às
tecnologias digitais de informação e
comunicação - TDIC

Mudança de época Reinventar o futuro no presente

 Construir o futuro no presente


• Repensar a educação
• Princípio: a cultura é produzida pelo homem

 Educação
• ensinar a “ver”, “viver” e “transformar o mundo” com os
instrumentos da cultura
• Desenvolver a cultura digital na escola
Papel do professor frente às TDIC

 Estabelecer o diálogo com os alunos a fim de entender seu universo de


conhecimentos, valores, crenças e modos de pensar.

• Criar situações que propiciem aos aprendizes:


• aprender a selecionar e organizar informações significativas disponíveis
em distintas fontes
• propiciar a compreensão de problemas e situações para compreender a
vida
• integrar múltiplas linguagens e sistemas de signos veiculados pelas
TDIC na produção de conhecimentos
Integramos os instrumentos
culturais que fazem parte do
cotidiano de nossos alunos
no trabalho educativo?
Priorizamos a integração das tecnologias
ao trabalho educativo voltado à
atribuição de significado
ou à distribuição e consumo de
informações ?

Conseguimos integrar as tecnologias ao


desenvolvimento do currículo?

Como concebemos o currículo?


Currículo: conceito polissêmico
 Intencionalidade pedagógica
 Comprometido com a transmissão/produção de conhecimento

 Grade de conteúdo prescrito  Construção social, política e


hierárquico histórica: se constitui na ação
• Material pedagógico, livro  Integrado com a vida e as
didático experiências de alunos e
 Planejamento é “aplicado” professores
 Avaliação:  Multicultural
• Pontual, somativa  Dialógico
• Automatizada com o uso
de recursos das TDIC
 Democrático
 Professor e aluno  Avaliação processual e
• Instrumentos de regulação formadora
Inovação: Educação cultural e
científica
Envolve: escola, família, comunidade

Currículo
Prática social
Reelaborado em função de tempos, espaços e contextos
Faz sentido para alunos e professores
Integra experiências e conhecimentos do cotidiano
Caráter de ordenação da prática e de sistematização

compreender e agir no contexto e no mundo


instruir

Desenvolvimento: cognitivo, social, físico, emocional


O que significa
integrar currículo e
TDIC ?
Integração de currículo e
tecnologias

 Incorporar as características e funcionalidades dos ambientes,


ferramentas e interfaces das TDIC ao desenvolvimento do currículo:
• busca e compartilhamento de informações
• interação multidirecional: todos-todos
• participação de qualquer lugar, a qualquer tempo
• colaboração e produção compartilhada de significados
• expansão das atividades cognitivas: tecnologias da inteligência
• produção de narrativas curriculares com o uso de múltiplas
linguagens, velhas e novas tecnologias
Integração de
currículo e
tecnologias
 Potencializada: exploração das TDIC abertas, móveis, imersivas,
interativas, conectadas à internet
 Uso de distintos artefatos tecnológicos
 Currículo em rede:
• registrado nos documentos digitais e nas atividades que se
desenvolvem por meio das TDIC
• disponível para análise, recriação e novos registros
• fazer e refazer contínuo: reflexão sobre o erro
Currículo em rede

rede que se liga com outras


redes,
envolve professores,
aprendizes, especialistas
que se conectam.

Currículo aberto, flexível,


com inúmeros percursos e
contextos, diversos pontos
de partida e chegada...

Currículos múltiplos!
Das concepções à prática: um caminho a percorrer...

Professores
 Identificação das
Mudanças
características das TDIC que
propiciem criar a inovação na Dimensões política, social,
prática pedagógica organizacional e cultural
 Domínio das principais  Instituições formadoras
funções das TDIC de professores
 Conhecimento pedagógico e  Redes de ensino
do conteúdo específico da  Escolas
área de estudos  Sala de aula
 Olhar crítico sobre o currículo
Ressignificar o significado do
 Abertura para trabalhar a
currículo
partir das experiências dos
alunos
O que há de novo no contexto
de integração entre as TDIC e
o currículo?
Currículo e TDIC: web currículo

Currículo e TDIC:
transformações mútuas
reconstrução
integração

Criação de um
espaço de reflexão:
universidade, escola
e empresa

http://www.pucsp.br/webcurriculo
Currículo e TDIC: web currículo
Disseminação de tecnologias móveis
com conexão sem fio à internet-
TMSF

Qual o significado que as TMSF têm em


nossa vida pessoal ?

Qual a relação que nossos alunos


estabelecem com as TMSF?

De que forma as TMSF têm contribuído


para a nossa aprendizagem? E para a
aprendizagem de nossos alunos?
Currículo e TMSF em distintas
áreas de conhecimento
 Narrativas digitais
• Criação de histórias pelos aprendizes
• Forma de dar sentido à própria vida (Bruner)
• Uso da linguagem para reconstruir a experiência social
• Articulação entre as experiências dos aprendizes e a
compreensão sobre os conceitos envolvidos na experiência

 A análise das narrativas permite orientar os aprendizes para que


eles aprendam a se expressar para serem compreendidos.

Como as TMSF podem contribuir para a produção de


narrativas?
Currículo e TMSF em distintas áreas de
conhecimentos : exemplos
 Uso social da língua e da escrita das próprias histórias com a
aprendizagem de uma língua estrangeira

 Reencenação de trechos narrativos de filmes de interesse para os


aprendizes com vistas a identificar os conhecimentos envolvidos e
formalizá-los

 Desconstrução de narrativas digitais produzidas (filmes, hipermídias...):


análise das linguagens midiáticas utilizadas, formas de interação social,
uso do vocabulário em contexto  

 Atividades de exploração da relação entre distintas áreas de


conhecimento
• Usar as TMSF para registrar acontecimentos significativos observados pelos
aprendizes em distintos locais
• Criar ou selecionar, editar e organizar imagens e músicas
• Produzir filmes, narrativas e roteiros
O uso da tecnologia em sala de
aula

Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida


Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Programa de Pós-Graduação em Educação:
Currículo
bethalmeida@pucsp.br

Você também pode gostar