Você está na página 1de 16

EDNA PEREIRA DA SILVA

BANCA

o Presidente
Professor Dr. Jonathan Cardoso Régis

o Membro
Professor MSc. Adriana Maria Gomes De
Souza Splengler
SUMÁRIO
o INTRODUÇÃO

o CAPÍTULO 1 - CONHECENDO UM POUCO MAIS ACERCA DO


TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA

o CAPÍTULO 2 - VIOLÊNCIA E BULLYING CONTRA A PESSOA


COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA

o CAPÍTULO 3 -  DOS DIREITOS DO AUTISTA E O


POSICIONAMENTO DO ORDENAMENTO JURÍDICO
BRASILEIRO QUANTO À RESPONSABILIZAÇÃO DECORRENTE
DA VIOLÊNCIA CONTRA OS PORTADORES DE TEA
o CONSIDERAÇÕES FINAIS
INTRODUÇÃO
METODOLOGIA:

MÉTODO
 Indutivo

TÉCNICA
 Categoria
 Conceito Operacional

 Pesquisa Bibliográfica

 Referente
INTRODUÇÃO

OBJETIVO GERAL:

o Verificar a violência e responsabilidade criminal


praticados aos TEA (Transtorno do Espectro Autista).
INTRODUÇÃO
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

o Estudar o conceito sobre o autismo e as legislações que


abordam os direitos específicos dos indivíduos autistas no Brasil

o Relacionar o preconceito, discriminação na vida de um espectro


autista, analisar a influência do bullying na vida de um autista

o Verificar a necessidade de intervenção judicial em casos de


bullying e, compreender as leis e doutrinas no ordenamento
jurídico brasileiro, quanto a imputação de penas nos crimes de
violência contra autistas
INTRODUÇÃO

PROBLEMA

o Há no ordenamento jurídico brasileiro efetivação


quanto a responsabilização decorrente a prática de
bulhing contra os espectros autistas ?
INTRODUÇÃO

HIPÓTESE

o Parte-se da premissa diante do disposto no ordenamento


jurídico, que mesmo frente a vigência da legislação e
doutrina, que há resistência quanto ao cumprimento na
integra, para causadores de bullying.
CAPÍTULO 1 –  CONHECENDO UM POUCO MAIS ACERCA
DO TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA

o BREVE HISTÓRICO DO AUTISMO

o
 TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA:
DEFINIÇÃO

o DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DO
TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA
CAPÍTULO 2 - VIOLÊNCIA E BULLYING CONTRA A
PESSOA COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA

o
 A VIOLÊNCIA PSICOLÓGICA CONTRA OS TEA

o
 PRECONCEITOE A DISCRIMINAÇÃO CONTRA
OS TRANSTORNOS DO ESPECTRO AUTISTA

o VIOLÊNCIA FÍSICA E ABUSO CONTRA OS TEA


CAPÍTULO 3 – DOS DIREITOS DO AUTISTA E O POSICIONAMENTO
DO ORDENAMENTO JURÍDICO BRASILEIRO QUANTO À
RESPONSABILIZAÇÃO DECORRENTE DA VIOLÊNCIA CONTRA OS
PORTADORES DE TEA

o DA LEI BERENICE PIANA

o DOS DIREITOS DOS TEA

o DA RESPONSABILIDADE CRIMINAL POR


VIOLÊNCIA CONTRA A PESSOA COM
TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA
CONSIDERAÇÕES FINAIS

Hipótese :

Parte-se da premissa diante do disposto no ordenamento


jurídico, que mesmo frente à vigência da legislação e
doutrina, que há resistência quanto ao cumprimento na
integra, para causadores de bullying.

CONFIRMADA!
CONSIDERAÇÕES FINAIS

 Onde pode-se compreender melhor o conceito sobre


os TEA, suas limitações e dificuldades, a violência
praticada contra os TEA, verificou se ainda a legislação e
a doutrina e a posição do ordenamento jurídico, em que
pode se ainda encontrar alguns problemas.
CONSIDERAÇÕES FINAIS

Visto que a responsabilidade dos causadores do bullying


é dos menores, dos pais e responsáveis daqueles que
causam o bullying, bem como da escola, há sim
resistência quanto ao cumprimento na íntegra no
disposto no ordenamento jurídico.
 “As crianças especiais, assim como as aves, são
diferentes em seus vôos. Todas, no entanto, são iguais
em seu direito de voar.”
Jesica Del Carmen Perez

Obrigada pela presença!


DOS DIREITOS E DO POSICIONAMENTO
DO ORDENAMENTO JURÍDICO
BRASILEIRO QUANTO À
RESPONSABILIDADE DECORRENTE DA
VIOLÊNCIA E DO BULLYING PRATICADOS
CONTRA OS TEA (TRANSTORNO DO
ESPECTRO AUTISTA)

EDNA PEREIRA DA SILVA

Você também pode gostar