Você está na página 1de 24

Definições - a

 Temperatura: É a propriedade que mede a agitação molecular do corpo;

 Equilíbrio térmico: Estado em que dois corpos ou mais (A, B, C) atingem


o mesmo valor de temperatura;

 Calor: É uma forma de energia transitável, útil e que flui espontaneamente


de um corpo com T1, para um corpo de T2, desde que T1 > T2;

Temperatura
Calor

Equilíbrio térmico
Definições - b
 Energia interna(U): Quantidade de energia armazenada dentro de um
corpo e/ou Sistema, resultante da agitação molecular;

 Caloria (cal): É a quantidade de calor necessária para aumentar em 1ºC,


a temperatura de 1g de H2O;

Caloria

Energia interna
Definições - c
 Capacidade térmica (C), calor específico (c) e equação fundamental da
calorimetria.

Capacidade Térmica

Equação fundamental

C/m = CTE (mesmo material)


Transferência de calor
 Condução: Ocorre em meio material, resultante das agitações moleculares.

 Convecção: Decorrente da diferença de densidade, denominada corrente de


convecção. Ocorre em líquidos e gases.

 Radiação: Independe do meio material para ocorrer. Os corpos com


temperaturas elevadas transmitem radiações térmicas para outros corpos.

Transferência de calor
Sistema,vizinhança e fronteira
 Sistema: Área delimitada para estudo e/ou análise física e/ou
matemática.

 Vizinhança: Toda região que não pertence ao sistema.

 Fronteira: Região limítrofe entre vizinhança e sistema.

Objeto de estudo - sistema


Densidade, Vol. Específico e Pressão

Densidade
Pressão
Unidade: Pa = N/m²

Volume específico
Relações entre as propriedades
 Estado termodinâmico: É definido pela variação comportamental de pressão,
volume e temperatura, seja, de um estado inicial, para um estado final (zona de
equilíbrio).

 Propriedades: São obtidas a partir da substância pura (se apresentam de


formas diferentes para liquido, gás e vapor.

 Líquidos: Escoam, volume especifico e temperatura não variam (são


incompressíveis)..

 Gás: Moléculas rarefeitas, distantes. Pressão x Volume (compressíveis).

Lei de Boyle e
Mudanças de estado Charles
Vapor

 Água: Se apresenta no estado sólido, liquido ou gasoso.

 Vapor: O processo de vaporização começa e termina a 100 ºC, ou seja, T = cte. É


preciso fornecer energia na forma de calor para a vaporização completa.

Gráfico Txt Mudanças de estado


Título (x)
 Propriedade específica da vaporização, delimitada pela existência de
liquido e vapor.
 x = mv/(ml + mv)  0%< x<100%

Diagrama T x v
Trabalho (w)
 Trabalho (W ou Ꞇ): Noção intuitiva de esforço muscular. W = F (força) x
d (deslocamento).

W ou Ꞇ = A
Exemplo - 1
 Certa massa gasosa sofre a transformação AB indicada no diagrama
abaixo:

O trabalho realizado pelo gás na transformação AB é de:


a) 400J
b) 800J
c) 300J
d) 600J
e) 200J
Exemplo - 2
 Um gás ideal sofre transformações segundo o ciclo dado no esquema p
x V a seguir:

O trabalho total no ciclo ABCA é


a) igual a - 0,4 J, sendo realizado sobre o gás.
b) igual a - 0,8 J, significando que o gás está perdendo energia.
c) realizado pelo gás, valendo + 0,4 J.
d) realizado sobre o gás, sendo nulo.
e) nulo, sendo realizado pelo gás.
1ª Lei da Termodinâmica
 Energia interna  Representa a soma das diversas formas de energia
que os átomos e moléculas deste corpo possuem. Quando um sistema
sai de um estado 1  estado 2, absorvendo, cedendo, realizando ou
recebendo trabalho, sua energia interna sofre variação. ∆U = U2 – U1.

 Lei da conservação da energia.

Análise da 1ª lei
Aplicações da 1ª Lei da Termodinâmica

 Transformação adiabática: Não há troca de calor com o meio externo


(Q = 0).

 Transformação isotérmica: Temperatura constante, consequentemente


(∆U = 0).

 Transformação isocórica ou volumétrica: Volume constante

Adiabática isotérmica
2ª Lei da Termodinâmica
 Relaciona a transferência de energia térmica, ou seja, as trocas de calor
ocorrem de forma espontânea, com o objetivo do equilíbrio térmico.
 Seus princípios são:

• O calor é transferido de forma espontânea do corpo de maior


temperatura para o de menor temperatura.

• Todo processo tem perda porque seu rendimento sempre é inferior a


100%.

Esquema 2ª lei da termodinâmica


Rendimento da máquina térmica
 A máquina térmica opera em ciclo, isto é, retornam periodicamente às
condições iniciais, e cada ciclo pode ser representado pela figura abaixo.

Esquema 2ª lei da termodinâmica

 A relação entre o trabalho, W, que ela realiza a cada ciclo, e o calor, Q,


absorvido, durante o ciclo, da fonte quente, ou seja: R = W/Qfq

 Pela conservação de energia, temos que: Qfq = T + Qff ou W = Qfq –

Qff.

 R = W/Qfq = Qfq- Qff/ Qfq  R = 1 - Qff/ Qfq


Exemplo - 3
 UESC-BA Num processo termodinâmico, a variação da energia interna sofrida por
um gás é consequência do balanço energético entre as grandezas físicas:

a) quantidade de calor e trabalho;

b) temperatura e quantidade de calor;

c) trabalho e pressão;

d) volume e temperatura;

e) pressão e volume.
Exemplo - 4
 UFR-RJ A primeira Lei da Termodinâmica, denominada Lei da Conservação da
Energia estabelece: “A energia do Universo é constante”. Num sistema que
realiza um trabalho de 125 J, absorvendo 75 J de calor, a variação de energia é
igual a:
a) – 125 J
b) – 75 J
c) – 50 J
d) 75 J
e) 200 J
Diagrama p x V
 As máquinas operam em ciclos contínuos, retornando periodicamente as
suas condições iniciais. Essas transformações são representadas no
diagrama p x V.

Diagrama pxV
W = Q1 – Q2
Ciclo de Carnot
 Nenhuma máquina térmica que opera entre duas dadas fontes, às
temperaturas T1 e T2, pode ter maior rendimento que uma máquina de Carnot
operando entre estas mesmas fontes.

 O ciclo de Carnot consiste em duas transformações isotérmicas, alternadas


com duas transformações adiabáticas de um gás ideal.

Rendimento de Carnot:

R = 1 – T2/T1

Carnot - Máquina
Térmica

Carnot
Exemplo - 5
 Assinale entre as alternativas seguintes aquela que se refere a uma
característica importante do ciclo de Carnot:

a) É o ciclo da maioria das máquinas térmicas.

b) Tem um rendimento de 100%

c) Tem sempre um rendimento próximo de 100%

d) Determina o máximo rendimento de uma máquina térmica, entre duas


temperaturas dadas.
Entalpia (h) e entropia (s)

 h(entalpia)  É a soma das propriedades energia interna (U), pressão (p)


e volume (V). ∆H = ∆U + p. ∆V

 Entalpia específica: h = u + p.v

 S(entropia)  É a propriedade associada a “desordem”, ao processo


“irreversível” e consequentemente a degradação energética. ∆S = ∆Q/W

• Em todos os processos irreversíveis, a entropia


total sempre aumenta.

• A quantidade de energia ∆E que se torna


indisponível em um processo natural é diretamente
proporcional ao aumento de entropia ∆S, que
acompanha o processo.

entropia
Referências bibliográficas
 1. Física (Ensino médio), I. Alvarenga, Beatriz.

Curso de física/Antônio Máximo, Beatriz Alvarenga. São Paulo:


Scipione, 2000.

 2. Máquinas térmicas. 2.1. Termodinâmica.

Máquinas térmicas estáticas e dinâmicas – fundamentos de


termodinâmica, características operacionais e aplicações – Guilherme
Filippo Filho. SP: Érica, 2014.

Você também pode gostar