Você está na página 1de 22

A HISTÓRIA DO

TRABALHO
PSIC. ROSANA MELLO
Constituição histórica do conceito de
trabalho

 Surgiu na Grécia antiga

 Esforço X Dignificação

Escravos Ato de transformar a


natureza de acordo
com as necessidades
humanas.
Compreensão sócio histórica sobre o
trabalho

Filósofos exaltavam o ócio, a possibilidade de criação e


pensamento evolutivo;

Moradia e trabalho eram no mesmo local;

Com a evolução vieram as primeira revoluções industriais.


1ª Revolução Industrial

 Inglaterra (1750) - Transformação da energia em força mecânica,


máquina a vapor e tear mecânico;
 Avanços: Indústria têxtil, transporte aquaviários, ferroviários e
telégrafos.
2ª Revolução Industrial

 Iniciada nos EUA (1850). O destaque foi para a energia elétrica e


petróleo, surgimento de novos tipos de motores elétricos e por
explosão, telefone e automóveis;

 Surgimento de grandes empresas e fábricas;

 Desenvolvimento do capitalismo
3ª Revolução Industrial

 Iniciada por volta de 1950;


 Destaque foi a substituição da eletromecânica pela microeletrônica;
 Inventos: Celular, GPS, foguetes, sondas espaciais e computador.
3ª Revolução Industrial - Toyotismo

 Muda o conceito e formas de pensar sobre o processo produtivo (Just


in Time);
 Horizontalização e intensificação da exploração do trabalho (menos
pessoas executando mais tarefas). Diminuição número de postos de
trabalho;
 Novas capacidades: criatividade, autonomia, independência,
iniciativa;
 Transferência responsabilidade da qualificação da empresa para o
indivíduo.
3ª Revolução

 Ancora-se em aparelhos promovendo o individualismo,


narcisismo, exibicionismo, aceitação da diversidade,
supervalorização do prazer, Lipovetsky (2005) chamou “a era do
vazio”;

 Modernidade (produção e revolução);

 Pós modernidade (Informar e expressar). Linguagem digital.


Revolução 4.0

 O mundo já aponta para essa nova revolução;


 O que demarca essa fase é a integração do mundo real com o
mundo virtual. O real manda dados e o virtual manda decisões ou
vice-versa;
 Destaque: inteligência artificial, robótica, internet das coisas, veículos
autônomos, impressão em 3D, nanotecnologia, biotecnologia,
armazenamento de energia e computação quântica;
 Os valores: Busca do prazer, individualismo (preocupação com
interesses próprios), narcisismo, consumismo;
 Isolamento do ser social e valorização do individualismo.
Revolução 4.0 – Mundo VUCA
 Para definir a nova sociedade, o futurólogo Bob Johansen.
 Termo de origem militar:
A. Volatilidade: velocidade das mudanças e inconstâncias;
B. Incerteza pela não previsibilidade;
C. Complexidade: Diferentes questões que o profissional precisa desenvolver;
D. Confusão e caos que cercam o ambiente organizacional.
Revolução 4.0 – Mundo VUCA
 As transformações são vivenciadas de diferentes formas:
1. Promessa de um futuro brilhante;
2. Eliminação do trabalho pesado, acesso a um trabalho mais leve;
3. Intelectualizado de tempo reduzido,
4. Tempo para o lazer.

 Com a internet, novas formas de trabalho surgiram e outras se


tornaram obsoletas. Permitiu:
1. O contrato de trabalho a distância e temporários;
2. Aumento da terceirização com a finalidade de diminuir custos através
da isenção de encargos fiscais.
Profissões do Futuro
 Especulações sobre o que o futuro proporcionará;
 Pode-se perceber que com o desenvolvimento da tecnologia a
necessidade de funcionários se torna cada vez menos.

Diante dessa realidade qual o futuro dos novos


trabalhadores? Quais profissões estarão em alta?
Como orientar esses profissionais para esse
mercado de trabalho tão volátil? Quais
competências serão necessárias?
Profissões do Futuro
 Competências técnicas estão relacionadas à inteligência
intelectual, ou seja, a quantidade de conhecimento formal e
acadêmico que o indivíduo conseguiu adquirir (domínio de
idiomas, formação acadêmica, domínio de metodologias de
trabalho, etc.);

 As competências comportamentais, por sua vez, dizem respeito à


inteligência emocional, ou seja, o nível de equilíbrio e adequação
do indivíduo nas suas interações com o meio em que está inserido
(pró-atividade, flexibilidade, criatividade, organização,
comunicação, foco em resultados, ousadia, planejamento,
administração do tempo, etc.).
Profissões do Futuro
• Apenas 15% das razões pelas quais se conquistam
promoções ou um emprego estão ligadas à capacidade de
conhecimentos técnicos. Os outros 85% está ligado à
habilidade para relacionar-se com os outros. Esses dados
são de um estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa de
Standford em conjunto com a Universidade de Harvard e
Fundação Cornegie.
Profissões do Futuro
 Esse cenário de alta tecnologia e o chamado mundo VUCA, traz
novas formas de trabalho, crescente investimento em
empreendedorismo e novos cargos que não estão contemplados
no CBO – Catálogo Brasileiro de Ocupação;

 Para tornar este estudo mais objetivo, algumas novas carreiras


serão apresentadas com suas respectivas tarefas,
responsabilidades e competências técnicas e comportamentais
necessárias que serão apresentadas em tabela a seguir.
Profissões do Futuro
NÃO EXIGEM NÍVEL SUPERIOR
Carreira Atividades Habilidades Técnicas Habilidades Comportamentais
a) Oferta de recursos de TI por meio da internet e entregues
Consultor em Cloud Aprendizagem autodidata
conforme a demanda;
Computing Cursos específicos
b) Aluga ativos pelo período de tempo que foi usado.
a) Estudar métricas para entender o público que acessa a
internet, melhor tipo de conteúdo, horário de postagens; A) Comunicação;
Youtuber ou Aprendizagem autodidata
b) Incorpora especialmente o audiovisual, o design e a b) Criatividade;
Influenciador Digital Cursos específicos
comunicação; c) Argumentação
c) Influencia o usa ou a aquisição

a) Revolucionar a maneira de encontrar soluções inovadoras


para os problemas, soluções criativas focadas nas necessidades
reais do mercado e não em pressuposições estatísticas; a) Criatividade;
Aprendizagem autodidata
Design Thinker b) Busca a solução de problemas de forma coletiva e b) Observação;
Cursos específicos de Desing Thinking
colaborativa, em uma perspectiva de empatia máxima com seus c) Pensamento Crítico;
stakeholders (interessados);
c) Coloca as pessoas no centro de desenvolvimento do produto.

a) Encontra falhas nessas mídias;


a) Criatividade;
b) Recebe cópias completas de games a fim de testá-las em Aprendizagem autodidata
Game Tester b) Observação;
profundidade, antes do seu lançamento para o público; Cursos específicos
c) Pensamento Crítico;
c) Papel no processo de construção dos videogames.
a) Desenvolve um modelo de negócio para oferecer um A) Comunicação;
Aprendizagem autodidata
Empreendedor Digital produto/serviço diferenciado através de um meio digital (internet, b) Criatividade;
Cursos específicos
por exemplo) c) Argumentação
Profissões do Futuro
EXIGEM NÍVEL SUPERIOR
Carreira Atividades Habilidades Técnicas Habilidades Comportamentais
a) Explora tendências digitais e cria uma plataforma self-service a) Ter formação em TI, ciências da computação,
a) Habilidades de comunicação;
Facilitador de TI automatizada, para que usuários construam seus próprios engenharia, ciências naturais ou administração
b) Liderança
ambientes colaborativos, incluindo assistentes virtuais. de empresas.
a) Cria, mantém e protege o ambiente de edge computing, ou a) Doutorado na área ou em áreas relacionadas, a) Capacidade de arquitetar e projetar
Mestre de Edge
computação na "borda" (trata-se do limite da rede de experiência com segurança e protocolo ambientes de computação em nuvem
Computing
computação em nuvem, perto da fonte de dados). de internet das coisas (IoT). ou edge computing.
a) Examina, diagnostica e administra tratamentos apropriados
Técnico de saúde a) Ter formação em enfermagem ou similares; a) Habilidades interpessoais;
para pacientes;
assistida por b) Ter experiência anterior na área de saúde. b) Capacidade de trabalhar sob
b) Auxilia por tecnologia e por médicos acessíveis de maneira
inteligência artificial c) Conhecer ferramentas digitais. pressão.
remota.
a) Ter qualificações em engenharia digital;
a) Garante a segurança e funcionalidade da cidade; b) Conhecimentos sobre circuitos eletrônicos e
Analista de
b) Garante o fluxo saudável de dados (ambientais, metodologias de startup enxuta;
cybercidade
populacionais) pelo sistema. c) Experiência com impressão 3-D;
d) Saber ler e interpretar dados em analytics.
a) Habilidades de comunicação;
a) Ter graduação em campo relacionado à
Diretor de Portfólio a) Cria e executa estratégias para um portfólio de produtos b) Liderança;
genômica (mestrado é uma vantagem);
Genômico biotecnológicos. c) Negociação;
b) Experiência de pelo menos uma década.
c) Perfil analítico
Profissões do Futuro
 Modelos pautados por jornadas engessadas e salários fixos devem
ficar no passado. A tendência é que as contratações aconteçam
por demanda ou projetos, exigindo uma maior habilidade de
gestão por parte do trabalhador. (ROSA, 2017);
 A quarta Revolução Industrial tem uma parte controversa: ela
pode acabar com cinco milhões de vagas de trabalho nos 15
países mais industrializados do mundo, de acordo o Fórum
Econômico Mundial de 2017;
 Em cinco anos, 35% das competências que são consideradas
importantes na força de trabalho atualmente terá mudado, de
acordo com a Reunião Anual em Davos do Fórum Econômico
Mundial.
Profissões do Futuro
 O Fórum Econômico Mundial discursa sobre as 10 habilidades
para 2020. Baseado nessas habilidades, então, o que pode existir
é a criação de novos empregos menos centrados nas tarefas que
uma pessoa faz e mais focados nas habilidades que ela traz para o
trabalho;

 Robôs são ótimos em tarefas repetitivas e restritas, mas os


humanos têm uma capacidade incrível de usar a criatividade
quando enfrentam na resolução de problemas complexos e
inéditos;
Considerações Finais
 Diante deste cenário profissional de Orientação Profissional deve
passar por um processo contínuo de renovação, estando sempre a
par das mudanças no mercado de trabalho e conhecer, se conectar
aos jovens com essa linguagem virtual que está posta;
 É importante que o OP tenha uma postura criativa, inovadora e
científica, conhecimento sobre mercado de trabalho,
empregabilidade, globalização, informações sobre as diferentes
profissões e ocupações, sobre os diferentes cursos e universidades;
 Nesse contexto, a OP tem um papel relevante na preparação do
indivíduo para a autonomia, para o desenvolvimento do
pensamento crítico, para o conhecimento de si mesmo e do meio
social com o objetivo de facilitar escolhas profissionais conscientes,
que exijam posicionamento, ação e decisão.
Referências Bibliográficas
• BBC News, 2015. Acesso em 26/07/2018. Disponível em:
https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/07/150718_hotel_robos_fotos_c
c
• BIANCHETTI, L. Angústia no vestibular. Indicações para pais e professores. Passo
Fundo: Ediupf, 1996.
• BRITO, Wallace de Costa. Revista perspectiva em psicologia, vol 19, n2, pp155-182.
Jul/Dez, 2015.
• DE ALMEIDA, Paulo Roberto. O Brasil e a nanotecnologia: rumo à quarta revolução
industrial. 2005.
• DE FREITAS NÓBREGA, Marcelo. Gestão de carreira em um mundo de talentos
líquidos. GV-executivo, 2017, 16.5: 57 .
• DE MASI, Domênico. O futuro chegou. 1ª Ed, Rio de Janeiro: casa da palavra 2014.

• DOS SANTOS, Marcos Olímpio Gomes. Contributo para uma reflexão sobre um
mundo em mutação e sobre as tendências que o influenciam. Pensar o Futuro,
Preparar a Mudança., 2017, 56.
Referências Bibliográficas
• EXEL, Paulo. Profissões do Futuro: como a tecnologia está transformando o mercado de trabalho?
Portal Administradores, 2018. Acesso em 28/07/2018. Disponível em:
http://www.administradores.com.br/noticias/negocios/profissoes-do-futuro-como-a-tecnologia-esta
-transformando-o-mercado-de-trabalho/122832/
• KLAUS, Schwab; MIRANDA, D. M. A quarta revolução industrial. Trad. Daniel Moreira Miranda. São
Paulo: Edipro, 2016.
• PINTO, Aparecida Marcianinha. As novas tecnologias e a educação. ANPED SUL, v. 6, p. 1-7, 2004.
• ROSA, Elisa. A quarta revolução Industrial e o futuro do trabalho. Portal Sebrae, 2017. Acesso em
28/07/2018. Disponível em:
http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/futuro-dos-trabalhos-voce-sabe-qual-e,90055
3c03a730610VgnVCM1000004c00210aRCRD
• SARRIERA, J.C; SILVA, C. M. A; LÓPES, K. P. V. B.. Formação da identidade ocupacional em
adolescentes. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Estudos em psicologia, V.6, n.1,
p. 27-32, 2001.
• SITE, Will Robot Take My Job?, 2017. Acesso em 28/07/2018. Disponível em:
https://willrobotstakemyjob.com
• SITE, O Que é Indústria 4.0 e Como Ela Vai Impactar o Mundo - Citisystems Acesso em
27/07/2018. Disponível em: https://www.citisystems.com.br › Automação Industrial
• ZANELLI, José Carlos; BASTOS, A.V.B & ANDRADE, J.E.B. Psicologia, organização e trabalho no Brasil.
2.ed, Porto Alegre: artemed, 2014.

Você também pode gostar