Você está na página 1de 76

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS

Gilberto R. Carneiro OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS


Objetivo

 Sensibilizar
os operadores de Pá Carregadeiras
quanto a necessidade de neutralizar ao
máximo a possibilidade de provocar acidentes.
 Adoção de procedimentos de rotina
pautadas pelas normas de segurança.
 Cumprimento ao disposto na NR-11 da
Port. 3214/78 MTb.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
Objetivo

NR-11 - TRANSPORTE, MOVIMENTAÇÃ0, ARMAZENAGEM


E MANUSEIO DE MATERIAIS

11.1.5. Nos equipamentos de transporte, com força


motriz própria, o operador deverá receber um treinamento
?
específico, dado pela empresa, que o habilitará nessa
função.

11.1.6. Os operadores de equipamentos de transporte


motorizado deverão ser habilitados e só poderão dirigir se
durante o horário de trabalho portarem um cartão de
identificação, com o nome e fotografia, em lugar visível.

11.1.6.1. O cartão terá a validade de 1 (um) ano, salvo


imprevisto, e, para a revalidação, o empregado deverá
passar por exame de saúde completo, por conta do
empregador.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
Operador?

Pessoa habilitada e treinada,


com conhecimento técnico e
funcional do equipamento.

É o responsável direto pela


segurança da operação,
pessoas e demais bens
interligados a ela.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Apresentação Implemento rotativo
Placas de identificação do produto Esquema de sinalização
Painéis de instrumentos Atolamento
Painel de instrumentos direito Segurança no Serviço
Painel de instrumentos dianteiro direito Posição de serviço
Painel de instrumentos central Leia antes do serviço
Painel de informação Manutenção e Conservação
Outros controles Pontos de manutenção
Controle Motor
Elevação e inclinação automáticas Sistema de combustível
Conforto do operador Turbo compressor
Operação Purificador de ar
Normas de segurança durante a operação Pré-filtro em banho de óleo (opcional)
Providências antes da operação Sistema de refrigeração
Partida do motor Sistema de refrigeração
Mudança de marcha Sistema elétrico
Direção Transmissão
Frenagem Sistema de freio
Parada da máquina Cabine
Estacionamento Ar-condicionado (opcional)
Resgate/Reboque Sistema hidráulico
Transporte da máquina Acumuladores descarregamento
Pneus
Técnicas de Operação
Lubrifique os mancais dos cilindros
Implemento de trabalho
Esquema de lubrificação e de manutenção
Acoplamento e desacoplamento de implementos
Lubrificação central
Caçambas
Garras para toras Especificações
Garfos para paletes Lubrificante recomendado
Braço manipulador de material Considerações finais
O QUE É UMA PÁ CARREGADEIRA?

A máquina é destinada a ser utilizada em serviços de terraplanagem, cascalhos,


empilhamento, escavação, carregamento de rochas, transporte de cargas, descarregamento,
nivelamento, etc.
As máquinas são dimensionadas para um peso máximo (inclusive equipamento e ferramenta),
variando de um modelo de máquina para outro modelo. Haverá risco de segurança se for
ultrapassado o peso máximo permitido. Além disso, as garantias do fabricante perderão a
validade.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO

1 – Quadro de elevação 6 – Motor


2 – Identificação primária 7 – Eixo Dianteiro
3 – Placa de identificação do produto 8 – Transmissão
5 – Cabine 9 – Eixo Traseiro

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINÉS DE INSTRUMENTOS
Advertência: Não opere a máquina antes de estar bem familiarizado com o
posicionamento e funcionamento dos instrumentos e controles. Leia atentamente o Manual
de Instruções do Operador – Sua segurança poderá correr perigo.

1 – Painel de instrumentos direito (interruptores, reostato, contador de horas).


2 – Painel de instrumentos dianteiro direito (interruptores, ignição, seletor de programas).
3 – Painel de instrumentos central (lâmpadas do alarme central, lâmpadas de advertência).
4 – Painel de instrumentos dianteiro esquerdo (interruptores, teclado do painel).
Gilberto R. Carneiro OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
DIREITO

1 – Automático de inclinação
2 – Função retentora, elevação/automático de elevação
3 – Posição de flutuação
4 – Sem utilização
5 – Limpador de pára-brisas traseiro
6 – Lavador de pára-brisa traseiro
7 – Sistema de direção secundária
OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
DIREITO

1 – Automático de inclinação
Extremidade inferior do interruptor pressionada para dentro significa
Automático de inclinação acoplado.

2 – Função retentora, elevação/automático de elevação


Posição 0 = Função retentora desativada.
Posição 1 = Função retentora de elevação na altura máxima de elevação.
Posição 2 = Automático de elevação na altura de elevação ajustada.

3 – Posição de flutuação
Parte inferior do interruptor pressionada = posição de flutuação acoplada
quando a alavanca de operação de elevação/abaixamento for levada para a
posição de flutuação.
Interruptor na posição neutra = Função de elevação/abaixamento normal.

Nota: Com o interruptor na posição de flutuação, a velocidade de abaixamento


torna-se mais lenta.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
DIREITO
5 – Limpador de pára-brisas traseiro
Extremidade inferior do interruptor pressionada para a posição 1 = Posição
intermitente acoplada.
Extremidade inferior do interruptor pressionada para a posição 2 = Posição
normal (o limpador funciona continuamente).

6 – Lavador de pára-brisa traseiro


Extremidade inferior do interruptor pressionada para dentro = Jato de água no
pára-brisa traseiro.

7 – Sistema de direção secundária


Se alguma falha ocorrer no sistema de direção primário, a lâmpada de
advertência vermelha acende, e em seguida, acende a lâmpada de controle
amarela no painel de instrumentos central indicando que a bomba da direção
secundária entrou em funcionamento.

Nota: A bomba da direção secundária é acoplada automaticamente se a pressão de direção


desaparecer e se a velocidade for superior a 5 km/h. Deverá ser usada apenas em situações
de emergência.

Gilberto R. Carneiro OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS


PAINEL DE INSTRUMENTOS
DIREITO
Teste de funcionamento
Antes de dar partida ao motor, faça um teste de funcionamento do sistema com a máquina
parada, conforme o seguinte:
Gire a chave de ignição para a posição de operação (posição 1), e pressione a parte inferior
do interruptor. A bomba da direção secundária é ativada, e a lâmpada de controle acende
no painel de instrumentos central.

Gire o volante e verifique se a direção funciona. Solte o interruptor, que deverá voltar para a
posição 0. (Se nesta posição a lâmpada de advertência vermelha ficar piscando, a direção
secundária não poderá ser reativada antes que a lâmpada se apague).

Nota: O teste de funcionamento com a bomba da direção secundária acoplada não pode
durar mais do que 1 minuto. Existe risco de superaquecimento.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
DIREITO

8 – Reserva 12 – Iluminação de trabalho dianteira


9 – Reserva 13 – Iluminação de trabalho traseira
10 – Ar condicionado (opcional) 14 – Sinalizador rotativo (Opcional)
11 – Iluminação

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
DIREITO

10 – Ar condicionado (opcional)
Extremidade inferior do interruptor pressionada = Ar condicionado acoplado.

11 – Iluminação
Extremidade inferior do interruptor pressionada para posição 1 = Iluminação
de instrumentos e de estacionamento.
Parte inferior do interruptor pressionada na posição 2 = Faróis ligados.
Importante: A lâmpada de controle no painel de instrumentos central indica
que o farol alto está ligado.

12 – Iluminação de trabalho dianteira


Extremidade inferior do interruptor pressionada na posição 1 = Iluminação de
trabalho no teto da cabine ligada.
A lâmpada de controle no painel de instrumentos central indica que a
iluminação de trabalho está ligada.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
DIREITO

13 – Iluminação de trabalho traseira


Extremidade inferior do interruptor pressionada na posição 1 = Iluminação de
trabalho na carcaça do radiador ligada.
Extremidade inferior do interruptor pressionada na posição 2 = Iluminação de
trabalho na carcaça do radiador e no teto da cabine (opcional) ligadas.
Nota: A iluminação de trabalho deverá estar apagada em transitar em vias
publicas.

14 – Sinalizador rotativo (Opcional)


A extremidade inferior do interruptor pressionada = Sinalizador rotativo (giroflex)
acoplado, a lâmpada de controle no painel de instrumentos central indica que o
sinalizador rotativo está ligado.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
DIREITO

17 – Opcional 20 – Acendedor de cigarro


18 - Opcional 21 – Contador de horas (Horímetro)
19 – Reostato, iluminação de instrumentos

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
DIREITO

19 – Reostato, iluminação de instrumentos


O controle ajusta a intensidade da luz na iluminação dos
instrumentos (medidor e lâmpadas de controle).
Controle girado para a direita (no sentido horário) = Intensidade da
luz aumentada.
Nota: Os interruptores 11, 12 ou 13 deverão estar ligados.

20 – Acendedor de cigarro
Voltagem: 24 v
Uma tomada elétrica de 12 v está posicionada no teto da cabine
á direita, atrás do operador.

21 – Contador de horas (Horímetro)


O marcador mostra quantas horas o motor esteve funcionando.

Gilberto R. Carneiro OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS


PAINEL DE INSTRUMENTOS
DIANTEIRO DIREITO

1 – Pré-aquecimento 5 - Ignição
2 – Reserva 6 - Seletor de programa, Seletor de modo de
3 – Reserva programa de marcha (APS).
4 – Reserva

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
DIANTEIRO DIREITO

1 – Pré-aquecimento
O interruptor liga um aquecedor de pré-aquecimento no tubo de admissão.
Lado inferior do interruptor pressionado ao mesmo tempo em que a chave
de ignição é girada para a posição 1 = Pré-aquecimento ligado.
A lâmpada de controle acende no painel de instrumentos central.

5 - Ignição
A ignição tem cinco posições, as quais são visualizadas na figura.
0 – Desligado (motor parado com a chave).
R – Posição de rádio.
1 – Posição de operação.
2 – Nenhum funcionamento.
3 – Posição de partida.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
DIANTEIRO DIREITO
Seletor de programa, Seletor de modo de programa de marcha (APS).
Posição L
A máquina troca de marcha em baixa rotação do motor e baixa velocidade.
Posição M
A máquina faz mudança de marcha em rotação um pouco maior do que na posição L.
Nota: Se for dada aceleração máxima na posição “L”, a mudança para marcha superior será
feita conforme a posição “H”.
Posição H
A máquina troca de marcha primeiramente em alta rotação e alta velocidade.
É usada mais apropriadamente nos casos em que a máquina muda de marcha em locomoção
em subidas e durante grande resistência á tração.

Posição Auto
A própria máquina seleciona o programa APS
conforme a situação de locomoção vigente, para
oferecer melhor conforto e economia.

Posição SERVICE
A máquina arranca e trabalha na posição de marcha selecionada. Durante a locomoção, as
mudanças de marcha são feitas manualmente.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
CENTRAL

1 – Alarme central (amarela) 14 – Sinalizador rotativo


2 – Alarme central (vermelha) 15 – Pré-aquecimento
3 – Carga da bateria 16 – Direção secundária (secundária)
4 – Baixa pressão do óleo do motor 17 – Bloqueio do diferencial
5 – Baixa pressão do óleo da transmissão 18 – Suspensão do braço de carga
6 – Baixa pressão dos freios (BSS)
7 – Iluminação de trabalho 19 – Direção por alavanca (CDC)
8 – Freio de estacionamento aplicado 20 – Painel de informação
9 – Baixo nível de óleo hidráulico 21 – Temperatura do óleo da
10 - Reserva transmissão
11 – Sistema de direção primário 22 – Temperatura do sistema de
12 – Luz alta arrefecimento do motor
13 – Setas 23 – Nível de combustível
PAINEL DE INSTRUMENTOS
CENTRAL
1 – Alarme central (amarela)
A lâmpada fica piscando quando alguma função é acoplada/desacoplada, ou
quando for necessário manter uma função sob vigilância (por exemplo, filtro
obstruído). É visualizada uma mensagem de alarme no painel de informação.

2 – Alarme central (vermelha)


A lâmpada fica piscando se surgir algum valor anormal de funcionamento
ou falha.

Alarme sonoro
O alarme sonoro soa e a lâmpada vermelha fica piscando se ocorrer o seguinte:
- Grave falha do motor - Baixo nível do óleo hidráulico
- Falha no sistema de direção primário (baixa - Baixo nível de refrigerante (arrefecimento)
pressão de direção). - Alta temperatura do óleo hidráulico
- Interrupção na comunicação do computador. Se - Alta temperatura do óleo da transmissão
a marcha de direção (frente/ré) estiver - Alta temperatura do refrigerante
engrenada, o alarme sonoro soará e a lâmpada (arrefecimento)
vermelha do alarme central ficará piscando se - Alta temperatura do ar de carga
ocorrer o seguinte: - Falha no carregamento da pressão de freio
- Baixa pressão do óleo do motor - Freio de estacionamento aplicado
- Baixa pressão do óleo da transmissão - Sobre rotação na marcha selecionada
- Baixa pressão dos freios

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
CENTRAL

3 – Carga da bateria
Se a lâmpada acender durante a locomoção, a falha deverá ser
reparada. Caso contrário, as baterias poderão ser danificadas.

4 – Baixa pressão do óleo do motor


A lâmpada acende se a pressão do óleo lubrificante do motor for baixa.
Como uma medida de proteção, é também limitada à rotação do motor.
Pare o motor imediatamente e repare a falha.
O alarme sonoro soa se a marcha de direção estiver engatada.

5 – Baixa pressão do óleo da transmissão


A lâmpada acende se a pressão do óleo da transmissão for muito
baixa. Pare e verifique o nível do óleo ou qualquer outro motivo da
advertência. Repare antes de voltar a dirigir a máquina.
O alarme sonoro soa se a marcha de direção estiver engatada.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
CENTRAL

6 – Baixa pressão dos freios


Advertência: A máquina não poderá ser operada ate que a falha tenha
sido corrigida e a lâmpada de advertência tenha sido apagada.
A lâmpada acende se a pressão dos freios for baixa, ou se um circuito de
freio não estiver funcionando.
O alarme sonoro soa se a marcha de direção estiver engatada.

7 – Iluminação de trabalho
A lâmpada acende quando a iluminação de trabalho estiver ligada.

8 – Freio de estacionamento aplicado


A lâmpada acende quando o freio de estacionamento está aplicado.
O alarme sonoro soa se a marcha de direção estiver engatada.

Gilberto R. Carneiro OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS


PAINEL DE INSTRUMENTOS
CENTRAL

9 – Baixo nível de óleo hidráulico


A lâmpada acende quando o nível no tanque hidráulico for baixo.
O alarme sonoro soa se a marcha de direção estiver engatada.

11 – Sistema de direção primário


Advertência: Se a lâmpada de advertência acender quando estiver
conduzindo a máquina, pare e não opere a máquina até que a falha tenha
sido corrigida e a lâmpada tenha sido apagada. Desloque a máquina
lentamente (abaixo a 5 km/h) para um local adequado, o mais próximo
possível, onde o reparo possa ser efetuado.
A lâmpada acende se ocorrer falha no sistema de direção primário
(aplicável apenas ás máquinas dotadas com direção secundária).

12 – Luz alta
A lâmpada acende se o farol alto for ligado.

Gilberto R. Carneiro OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS


PAINEL DE INSTRUMENTOS
CENTRAL

13 – Setas
A lâmpada fica piscando quando for ativada a seta de direção direita ou
esquerda.
Pulsação irregular no pisca-pisca indica lâmpada queimada na qual deverá ser
substituída.

14 – Sinalizador rotativo
A lâmpada acende quando o sinalizador rotativo (giroflex) for ligado.

15 – Pré-aquecimento
A lâmpada acende quando o pré-aquecimento for ligado.
Após 10 – 50 segundos (o tempo depende da temperatura do sistema de
arrefecimento), o pré-aquecimento é desligado automaticamente, e a lâmpada
apaga.
O pré-aquecimento será religado automaticamente durante a partida se houve
necessidade, e a lâmpada acende quando a chave de ignição for girada para a
posição 1.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
CENTRAL

16 – Direção secundária (secundária)


A lâmpada acende quando é ativada a bomba da direção secundária, devido a
ocorrência de falha no sistema de direção primário.
Nota: A lâmpada pode também acender, sem que haja falha no sistema, em caso
de forte deslocamento da direção, baixa rotação do motor ou se o sistema
necessitar “ser aplicado”, por exemplo, se o controle de aceleração for solto
rapidamente numa frenagem brusca. A bomba é ativada sem que a lâmpada de
advertência vermelha seja acesa.

17 – Bloqueio do diferencial
A lâmpada acende quando o bloqueio do diferencial for acoplado. O interruptor de
pé para o bloqueio do diferencial está localizado no piso, no lado esquerdo da barra
do volante.

18 – Suspensão do braço de carga (BSS)


A lâmpada fica acesa com brilho intenso quando a suspensão do braço de
carga é ativada.

Gilberto R. Carneiro OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS


PAINEL DE INSTRUMENTOS
CENTRAL
19 – Direção por alavanca (CDC)
A lâmpada acende quando a direção por alavanca for ativada. A direção e as
mudanças são possíveis a partir do apoio de braço esquerdo no assento do
operador.
Nota: O controle de marcha comum deverá estar na posição neutra.

20 – Painel de informação
21 – Temperatura do óleo da transmissão
Se o medidor indicar na faixa vermelha, será acesa a lâmpada de advertência à direita do
medidor. Como medida de segurança é também limitada à rotação do motor.
Pare a máquina e investigue o motivo.
O alarme sonoro soa se a marcha de direção estiver engatada.
22 – Temperatura do sistema de arrefecimento do motor
Se o medidor indicar na faixa vermelha, será acesa a lâmpada de advertência á direita do
medidor. Como medida de segurança é também limitada a rotação do motor.
Deixe o motor funcionando em marcha lenta baixa por alguns minutos. Se o medidor
permanecer na faixa vermelha, deverá ser parado o motor e verificado o motivo.
O alarme sonoro soa se a marcha de direção estiver engatada.

Gilberto R. Carneiro OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS


PAINEL DE INSTRUMENTOS
CENTRAL

23 – Nível de combustível
Quando o medidor indicar “vazio” será acesa a lâmpada de advertência á direita do medidor.
Calcula-se que a quantidade de combustível restante seja suficiente para uma locomoção
normal de aproximadamente uma hora. A máquina deverá ser abastecida, para ser evitada a
entrada de ar no sistema.
Se a máquina foi dirigida com o tanque vazio ocorrerá entrada de ar.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
CENTRAL

1 – Reserva 4 – Freio de estacionamento


2 – Pisca-pisca de advertência 5 – Teclado do painel de informação
3 – Reserva

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
CENTRAL

2 – Pisca-pisca de advertência

4 – Freio de estacionamento
Funcionamento do freio de estacionamento.

5 – Teclado do painel de informação


Informação sobre o teclado e o painel de informação. Veja
informações a seguir.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
OUTROS CONTROLES

1 – Equipamento opcional 8 – Comutador de luz/lavador de Pára-brisa


2 – Freio de estacionamento 9 – Pedal do acelerador
3 – Controle seletor de marcha 10 – Seletor de programa
4 – Pedal de freio 11 – Equipamento opcional
5 – Bloqueio do diferencial 12 – Suporte das alavancas e funções de
6 – Ajuste do volante operação
7 – Pedal de freio 13 – Controle de aquecimento e ventilação
14 – Apoio do braço
OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
OUTROS CONTROLES

2 – Freio de estacionamento
A lâmpada de controle acende no painel de instrumentos central quando o freio
de estacionamento estiver aplicado. Se for engrenada uma marcha de direção
quando o freio de estacionamento estiver aplicado, a lâmpada vermelha do
alarme central ficará piscando e soará o alarme sonoro.
A trava no interruptor impede que o freio de estacionamento seja liberado involuntariamente.
3 – Controle seletor de marcha
O acoplamento entre as marchas ocorre quando o manipulador é girado.
Nota: Nunca deixe a máquina com o seletor de marcha na posição de marcha a frente ou
marcha ré com o motor funcionando.

Marchas de direção
A alavanca na posição F = Locomoção à frente
A alavanca na posição N = Posição neutra
A alavanca na posição R = Locomoção á ré

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
OUTROS CONTROLES

5 – Bloqueio do diferencial
O bloqueio do diferencial atua somente no eixo dianteiro. Este é acoplado quando o contato
de pé é pressionado, e permanece assim enquanto o contato de pé permanecer pressionado.
A lâmpada de controle do painel de instrumentos central acende quando o bloqueio é
acoplado.
Importante: O bloqueio do diferencial só poderá ser usado em operações em terreno
escorregadio.
Em locomoções em terrenos firmes, especialmente quando se faz curvas, a trava tem que
estar desacoplada.
Se existir risco de atolamento, acople o bloqueio do diferencial antes que a máquina encalhe.
Se a máquina encalhar e se alguma roda patinar, é necessário parar a roda antes de se
acoplar à trava. Caso contrário, o sistema dos eixos motrizes pode ser danificado.

6 – Ajuste do volante
O controle está localizado do lado direito abaixo do volante.
O controle para baixo = Ajuste de inclinação do volante
Controle para cima = Ajuste da altura

Gilberto R. Carneiro OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS


OUTROS CONTROLES

8 – Comutador de luz/lavador de Pára-brisa


Do volante para fora = Farol alto
Posição neutra = Farol baixo
Para o volante = Lavador de pára-brisa

Comutador de setas/buzina
Alavanca para frente = Seta esquerda
Alavanca para trás = Seta direita
Botão pressionado = Buzina
Limpador de pára-brisa
Posição J = Limpador de pára-brisa intermitente
Posição 0 = Posição neutra
Posição I E II = Limpador de pára-brisa (duas velocidades)

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
OUTROS CONTROLES

12 – Suporte das alavancas e funções de operação


A alavanca (1) da função de elevação tem quatro posições: elevação, neutra,
abaixamento e flutuação.
Função retentora, elevação/automático de elevação.
A ativação e a seleção de função retentora de elevação ou automático de
elevação são feitas com um interruptor. Em seguida, leva-se a alavanca de
comando para a posição de elevação máxima.
Função retentora de elevação (posição 1) = a alavanca de comando
permanece na posição de elevação, mesmo depois de haver atingido a altura
máxima de elevação. Em seguida, a alavanca tem que ser colocada na posição
neutra manualmente.
Automático de elevação (posição 2) = a alavanca de comando permanece na
posição de elevação até que os braços de elevação atinjam uma altura pré-
estabelecida. Em seguida, a alavanca retorna para á posição neutra
automaticamente.
Função retentora, posição de flutuação
A ativação da posição de flutuação é feita com um interruptor. Depois, leva-se
a alavanca de comando para frente, para a posição de flutuação. A alavanca
permanecerá na posição de flutuação até que seja retornada manualmente ou
através do interruptor.
A alavanca de inclinação (2) tem três posições: para trás, neutra, e para
frente.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
OPERAÇÃO

Deveres do operador

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
SEGURANÇA NA
OPERAÇÃO

Subir sempre da maneira correta Utilizar cinto de segurança

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
TRABALHO EM ÁREA DE
RISCO
O empregador é obrigado a conhecer e marcar as linhas de eletricidade, de gás, água
ou esgoto na área de trabalho e informar isto ao operador. A omissão pode ter
conseqüências judiciais. Se necessário, deverão ser contatadas as autoridades locais
e/ou empresas telefônicas e de eletricidade para fornecerem levantamento da área e
aconselhamento.

Os cabos e as linhas deverão ser protegidos de maneira adequada. Se possível, os


cabos elétricos deverão ser desligados.
Deverão ser buscadas as informações sobre a localização dos dispositivos mais próximos de
desligamento de gás e de tubulação de água, para que possam ser desligados em caso de
ruptura eventual da linha.
Nota: Em proximidade crítica de cabos e tubulações, pode ser necessário efetuar a escavação
manualmente.
OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
DISTÂNCIA LATERAL

A distância na lateral entre a máquina e a linha deverá ser de:


- Pelo menos 2 m, em caso de baixa tensão.
- 4 m em caso de alta tensão de no máximo 40 Kv (normalmente linha dotada de
isoladores de apoio).
- 6 m em caso de alta tensão acima de 40 Kv (normalmente linha dotada de
isoladores suspensos).
A distância da altura entre a máquina e a linha suspensa deverá ser de:
- Pelo menos 2 m, em caso de baixa tensão.
- 4 m em caso de alta tensão.

É necessário manter também uma distância de segurança para eventual carga. Pode ser
necessário limitar a altura de elevação do automático de elevação. Outros fatores que afetam
a distância são: as oscilações da máquina, balanços da linha de elevação e a oscilação da
linha aérea em caso de ventania.
OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
OPERAÇÕES E TRABALHO
EM VIAS PÚBLICAS

É importante lembrar que a máquina em relação a outros veículos, é lenta e mais larga, e,
portanto pode ser um obstáculo no trânsito. Leve isto em consideração, e seja extra
atencioso com o trânsito atrás de você. Facilite as ultrapassagens.

É recomendada a utilização de uma placa VL (Veículo Lento).


Esta deverá ficar fixada em local bem visível atrás da máquina, mas não dentro da cabine
ou em qualquer outra janela. A placa deverá ser fixada a uma altura de 0,6 – 1,8 m acima
do solo, medida a partir do canto inferior da mesma.

Gilberto R. Carneiro OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS


LOCOMOÇÃO EM VIAS
PÚBLICAS
O implemento deverá estar vazio e abaixado na posição de transporte (30 – 40 cm acima
do solo) e totalmente inclinado para trás. A parte dianteira do braço manipulador de material
deverá estar sinalizada com uma bandeira vermelha.

- Traveas alavancas de operação com a trava de alavancas.


- Todas as luzes de trabalho e eventual sinalizador rotativo deverão estar apagadas.
- Não poderá ser utilizado o pisca-pisca de advertência.
- Se implementos ou caçambas forem obstáculos de visibilidade, não deverão ser utilizados.
- Leve em consideração o facho de luz que pode ser ocultado pelos grandes
implementos/caçambas. Segundo a lei, os faróis da máquina deverão fornecer suficiente
iluminação/visibilidade na frente da máquina.
- Implementos extras como caçambas, pás e alavancas deverão estar devidamente presas
com correias e correntes.
- Normalmente, reboques e similares poderão ser usados em vias públicas somente
temporariamente, para transportar mercadorias necessárias para o trabalho da máquina
(equipamentos, ferramentas, combustíveis, óleos, etc.)

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
TRABALHO EM VIAS
PÚBLICAS

As sinalizações de estradas, desvios e outros dispositivos de segurança condicionados á


velocidade, ao volume de trânsito ou outras condições locais deverão ser utilizadas e
seguidas.
Durante a locomoção da máquina com carga levantada, deverá ser observada atenção
especial. Se necessário, deverá ser utilizado um sinaleiro.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PROVIDÊNCIAS ANTES DA
OPERAÇÃO
1 – Efetue as manutenções diárias. (cuide para que o liquido do radiador tenha
anticongelante suficiente durante clima frio, e que o óleo lubrificante seja apropriado para uso
no inverno.
2 – Limpar/raspar os vidros das janelas.
3 – Verifique se existem peças defeituoso-soltas ou vazamentos que possam causar danos.
4 – Verifique se a chave geral da bateria está ligada.
5 – Verifique se o travamento das juntas do chassi esta desacoplada.
6 – Verifique se as rodas não estão bloqueadas.
7 – Verifique se as tampas de inspeção no motor estão fechadas e se a tampa do radiador
esta fechada e trancada.
8 – Verifique se não existem pessoas nas proximidades da máquina.
9 – Ajuste o assento e o volante de acordo com o perfil do operador.
10 – Aperte o cinto de segurança abdominal ou o cinto de três pontos se a máquina for
equipada com o mesmo.
11 – Verifique se existe combustível suficiente no tanque.
Após a operação:
Preencha o tanque de combustível para impedir a formação de água de condensação.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PARTIDA NO MOTOR

Advertência!
O motor pode ser ligado somente com a chave de ignição na cabine.

1 – Ponha o seletor de marcha na posição neutra.


2 – Gire a chave de ignição para a posição (1), de forma que seja efetuado o teste do sistema
durante 4-5 segundos.
3 – Simultaneamente, verifique se todas as lâmpadas acendem e se todos os medidores se
movimentam.
4 – Gire a chave para a posição de partida (3). Se o motor não arrancar, gire a chave de
ignição para a posição 0 antes de ser efetuada nova tentativa de partida.
5 – Deixe o motor funcionando em marcha lenta baixa aproximadamente 30 segundos, para
assegurar boa lubrificação, por exemplo, do turbocompressor.
6 – Verifique se todas as lâmpadas de controle de advertência se apagaram.
7 – Verifique se o implemento está suficientemente preso pressionando-o contra o solo.
8 – Acione a buzina.
9 – Solte o freio de estacionamento.
10 – Selecione a posição de marcha e aumente a rotação do motor.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PARTIDA AO MOTOR EM
CLIMA FRIO

A função de pré-aquecimento deverá ser usada quando a temperatura do


radiador estiver de + ou – 0º C.

1 – Gire a chave de ignição para a posição de operação (1).


2 – Pressione o interruptor de pré-aquecimento. O sistema somente poderá ser ativado
quando a temperatura do radiador estiver abaixo de +20º C, e no máximo duas vezes durante
a mesma ocasião de partida.
3 – O pré-aquecimento está agora acoplado e a lâmpada de controle está acesa. (A duração
do tempo de acoplamento é comandada pela temperatura do radiador).
4 – Quando a lâmpada de controle apagar ligue o motor girando a chave de ignição para a
posição de partida (3).
5 – O pré-aquecimento é reacoplado automaticamente durante temperatura do radiador
abaixo de +20º C, quando então é acesa a lâmpada de controle.
Nota: Se a lâmpada de controle continuar acesa após 50 segundos, isto significa que o pré-
aquecimento está ainda ligado. Verifique o funcionamento – existe rico de superaquecimento.
Deixe o motor funcionando em marcha lenta durante 2 minutos para que o óleo no motor, na
transmissão, no sistema hidráulico e nos eixos seja aquecido, tornando-se menos espesso e
que assim seja obtida a necessária lubrificação.
Acelerar o motor diretamente após a partida pode também aventurar o resfriamento e a
lubrificação do turbocompressor e consequentemente causarem danos mecânicos aos
rolamentos.
OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
MUDANÇA DE MARCHA

Mudança automática (APS)


Controle seletor de marcha comum na posição 3 ou 4.
O seletor de programa proporciona ao operador a possibilidade de escolher diferentes
programas de mudança de marcha automática dependendo das condições de operação.

Operação na posição de mudança de marcha automática


Gire o controle seletor de marcha para a posição 3 ou 4 .
Selecione o programa de locomoção com o seletor de programa (recomenda-se a posição
AUTO).
Selecione a marcha de direção.
Acelere. É dada a partida na máquina na 2ª. Marcha (marcha básica). Se a máquina estiver
em movimento, a partida é dada na 3ª. Marcha.
Mudanças de marchas para cima ou para baixo ocorrem entre a 2ª. – 3ª. – 4ª . marchas
para frente, e entre a 2ª. – 3ª. – 4ª. Marchas para trás.
Após mudança de direção, a partida é dada na 2ª. Marcha.
OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
MUDANÇA DE MARCHA

Posições H – L - M
A posição “L” significa que a mudança de marchas será efetuada em baixa rotação do motor.
A posição “M” significa que a mudança de marcha será efetuada em rotação do motor um
pouco mais elevada.
Durante aceleração máxima, a mudança para marcha superior ocorre conforme a posição
“H”.
O melhor aproveitamento é obtido com acelerações menores pois a diferença na rotação de
mudança para marcha superior entre as diferentes posições (L, M e H) torna-se visível.
Proporciona menor consumo de combustível e nível de ruído mais baixo.

Posição H
A maquina troca de marcha primeiramente em alta rotação e alta velocidade.
É usada mais apropriadamente nos casos em que a máquina muda de marcha em
locomoção em subidas e durante grande resistência á tração.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
MUDANÇA DE MARCHA

Posição Auto
A própria máquina seleciona o programa APS conforme a situação de locomoção vigente,
para oferecer melhor conforto e economia.
Posição Service
Após a partida a mudança de marcha é feita manualmente.
Mudança de marcha manual
É usada se alguma condição especial exigir isto.
Selecione a posição SERVICE no seletor de programa de mudança de marcha.
Selecione a marcha adequada girando o seletor de marcha para a marcha desejada e, em
seguida a direção de locomoção para frente ou para trás.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
MUDANÇA DE MARCHA

Marcha de direção
A alavanca na posição N = Posição neutra
A alavanca na posição F = Locomoção á frente
A alavanca na posição R = Locomoção á ré

Advertência!
Por medida de segurança no trânsito o controle seletor de marcha não pode absolutamente
ser colocado na posição neutra durante locomoção em declives – perda do efeito freio-
motor.
Nunca deixe a máquina com o controle seletor de marcha na posição de marcha á frente ou
a ré quando o motor estiver funcionando – existe risco de a máquina entrar em movimento.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
MUDANÇA DE MARCHA

Freio motor/redução de marcha


Utilizando-se o botão de frio-motor/redução, pode ser obtida redução imediata em um ou dois
estágios, ou impedir mudança para cima indesejada. Desta maneira, é reduzido o
aquecimento dos óleos dos eixos.

Se o botão for pressionado durante alta velocidade, ocorrerá redução da 4ª. Para 3ª. Marcha.
Se o botão for pressionado mais uma vez durante baixa velocidade, ocorre redução para 2ª.
Marcha.
Se o botão for mantido pressionado, não haverá mudança para cima, o que pode ser utilizado
em operação em descidas ou na aproximação ao veículo que será carregado.
Nota: Se certas críticas rotações e velocidades forem ultrapassadas ocorrerá mudança de
marcha para cima.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PARADA DA MÁQUINA

1 - Diminua a rotação do motor.


2 - Aplique o freio e quando a máquina estiver parada coloque o seletor de marcha na
posição neutra.
3 - Abaixe o implemento até ao solo.
4 - Aplique o freio de estacionamento quando a máquina ficar totalmente parada.
5 - Deixe o motor funcionando na marcha lenta alguns minutos antes de pará-lo, para que
sejam garantidos a lubrificação e o resfriamento do turbocompressor.
6 - Gire a chave de ignição no sentido anti-horário, para que a lâmpada de controle se
apague e o motor pare.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PARADA DA MÁQUINA

Estacionamento
1 – Se possível, coloque a máquina sobre superfície plana. Caso contrário, as rodas deverão
ser bloqueadas para impedir que a máquina entre em movimentos. Abaixe o implemento até
o solo.
2 – Verificar se todos os interruptores e controles estão desligados ou na posição neutra.
3 – Aplique o freio de estacionamento quando a máquina ficar totalmente parada.
4 – Retire as Chaves.
5 – Desligue a tensão com a chave geral da bateria se a máquina for ficar sem vigilância
durante longo período.
6 – Tranque todas as tampas, janelas e portas.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
REBOQUE DA MÁQUINA

Reboque
- Use uma barra de tração que deverá ser conectada nas alças de reboque na máquina,
e reboque a mesma para uma via em condições de trânsito ou para um local adequado.
Para evitar torções na máquina, a máquina deverá ser puxada diretamente para trás.

Nota: As alças no chassi traseiro, posicionadas entre as rodas traseiras, não poderão ser
usadas no reboque (apenas para o iça mento e amarração da máquina).

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
TRANSPORTE DA MÁQUINA

! Advertência!
Se a máquina for dirigida de uma plataforma de carga para a carroceria de um veículo ou
vagão, cuide para que este veículo esteja firmemente freado, como por exemplo, se as rodas
estão bloqueadas, e se não existe risco do veículo inclinar ou tombar de maneira perigosa,
quanto à máquina subir para o mesmo.

Transporte à máquina com a caçamba virada na direção de locomoção do veículo


transportador.
Nota: Para evitar que ar seja pressionado para dentro do tubo de escape durante o
transporte, o que poderá danificar o turbocompressor, o tubo de escape deverá ser tapado
com proteção apropriada (C) (não usar plástico).

Gilberto R. Carneiro OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS


TRAVAMENTO DA MÁQUINA

Trava da máquina

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
IÇAMENTO

- Levante a máquina nas alças de içamento apropriado (veja a figura) e trave a junta do
chassi.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
TÉCNICAS DE OPERAÇÃO

Implemento de trabalho
O uso do implemento correto para o trabalho é fator decisivo quando se trata da
utilização da capacidade da máquina.

Caçamba de lâmina reta Caçamba de lâmina reta com


sem dentes (material solto, dentes (material duro, cascalho,
areia, terra, adubos). argila, raspagem de superfície).

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
TÉCNICAS DE OPERAÇÃO

Implemento de trabalho
As máquinas ou têm um implemento fixo montado ou um suporte de fixação para
rápidas trocas de implementos.

Caçamba de lâmina bico de pato sem dentes. Caçamba de lâmina bico de pato com
(para materiais que requerem grande força dentes (material rochoso duro, brita
de penetração, cascalho, brita e minério). grossa e rocha detonada).

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
TÉCNICAS DE OPERAÇÃO

Implemento de trabalho
A escolha do implemento, devem ser seguidas as recomendações no Catalogo
de implementos ou em outras publicações do fabricante.

Caçamba niveladora (raspagem leve de


superfície transporte de terra de superfície e
nivelamento de material de enchimento).

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
TÉCNICAS DE OPERAÇÃO

Acoplamento de implemento

Advertência: No acoplamento do implemento, o operador deve assegurar-se de que o


efeito esperado é conseguido com o deslocamento da alavanca. Efeito inesperado
pode significar riscos de acidentes.

Pinos de travamentos das fixações Incline para frente aproximadamente


do implemento destravados. 15º e engate nas fixações
superiores do implemento.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
TÉCNICAS DE OPERAÇÃO

Acoplamento de implemento
Verifique sempre o funcionamento antes de a máquina ser colocada a trabalhar e que as
mangueiras hidráulicas e similares do implemento estejam livres e tenham comprimento
suficiente para os braços de elevação e inclinação em toda a área de operação. Existem
mangueiras de extensão – contate uma oficina autorizada.

Levante, incline para trás até a posição plana e


trave os pinos de travamento do implemento.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
OPERAÇÃO COM CAÇAMBA

Cascalho e empilhamento
1 – Posicione a caçamba plana e abaixe-a até ao solo próximo do monte de cascalho.
2 – Dirija utilizando a 2ª. Marcha para entrar no material. Quando a máquina começar a parar
porque o esforço máximo de tração foi atingido, levante a caçamba e simultaneamente
incline-a para trás através de movimentos curtos com a alavanca.

Se possível, evite inclinar a caçamba para frente ao carrega - lá. Movimentos exagerados
da alavanca provocam patinação. Nunca penetre no material em alta velocidade.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
OPERAÇÃO COM CAÇAMBA

Advertência: Preste atenção quanto ao risco de desabamento. Materiais em queda


podem causar graves acidentes se você não for atencioso.

Caçamba adequada: Reta com ou sem dentes


Marcha adequada: Controle de marcha na posição 2 ou 4
Seletor de programa: Posição AUTO

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
OPERAÇÃO COM CAÇAMBA

Escavação
Ao escavar ou raspar superfícies, inicie inclinando a caçamba 2-3º para baixo. Opere na
primeira marcha e com pouca aceleração. Aumente a aceleração gradualmente e, ao mesmo
tempo, levante um pouco a caçamba.

Use o bloqueio do diferencial se o terreno for acidentado e se as rodas patinarem.


Nota: Nunca acione o bloqueio do diferencial se uma das rodas estiver patinando. Diminua a
aceleração até a roda parar.

Caçamba adequada: Reta com ou sem dentes (ou caçamba niveladora).


Marcha adequada: Controle de marcha na posição 1.
Seletor de programa: Posição AUTO.

Gilberto R. Carneiro OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS


OPERAÇÃO COM CAÇAMBA

Carregamento de rochas
Mantenha uma rotação de motor correta, pois uma rotação elevada causa patinação nas rodas.

Entre reto no material para evitar torções na máquina que podem danificar o sistema do braço
de elevação.
A lâmina da caçamba tem que entrar embaixo e entre as pedras, o que significa que você tem
que estar atento quando entrar no material.
Se uma pedra ficou encravada, tente um novo ângulo de aproximação, porém evite exercer
pressão sobre o canto da caçamba.
Evite subir no material quando existir risco de corte de pneus especialmente se o material for
de pedras detonadas. Remova também as pedras espalhadas no chão.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
OPERAÇÃO COM CAÇAMBA

Descarregamento
Advertência: Se a visibilidade for limitada pela carga ou pelo implemento, é necessário tomar
muito cuidado. Antes da partida ande em volta da máquina e proíba as pessoas de
permanecerem no local de trabalho. Se existir insegurança, levante a carga e investigue as
condições no campo de operação, olhando por debaixo da cara e dirigindo em baixa velocidade.
Se necessário, arranje um sinaleiro que possa sinalizar e guia-lo nas áreas críticas. Tudo isto
para evitar danos pessoais e materiais.

Tente descarregar a carga na subida se o solo no local de descarregamento for inclinado.


Isto afeta a estabilidade da máquina de maneira positiva.

Gilberto R. Carneiro OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS


GARRAS PARA TORAS

Garras para toras


Existem cinco tipos de garras para toras:
A – Garras de descarregamento: Tem dentes curtos que facilitam o enchimento da garra no
descarregamento do veiculo de transporte.

B – Garras de seleção: Tem relativamente dentes longos que podem ser posicionados
paralelamente ao solo. Isto facilita o enchimento da garra quando se retira de um
empilhamento ou de divisórias de seleção.
C – Garras de uso geral: Possuem dentes mais longos que os dentes da garra de seleção e
com capacidades de manusear a árvore inteira ou um tronco em trabalhos de seleção.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
GARRAS PARA TORAS

Garras para toras inteiras: É uma garra larga, com capacidade de manusear
também um único tronco. Esta tem também dentes mais longos que os da garra de
seleção.

Garras tropical: Que também é larga, com duas mandíbulas separadas (opcional)
para segurar firmemente troncos grandes e pesados.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
TRABALHO COM GARRAS
PARA TORAS
Descarregamento de veiculo
Tome cuidado ao encher a garra para não danificar as estacas do veiculo.
1 – Aproxime-se do veículo a ser carregado com a garra levantada e totalmente aberta.
2 – Incline a garra para frente e abaixe-a sobre a carga.
3 – Feche o braço aprisionador e comece a incliná-lo levemente para cima. Depois, repita
alternadamente, fechamento e inclinação para cima até a garra ficar cheia.

Nota: Tome muito cuidado ao descarregar um veiculo, especialmente quando restarem


poucas toras. O braço aprisionador pode cair embaixo da carroceria e prendendo-a poderá
danificá-la.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
TRABALHO COM GARRAS
PARA TORAS
Carregamento de veiculo
1 – Cuide para que cada tora esteja assentada corretamente na garra para evitar
“desordenamento”.
2 – Aproxime-se do veículo que vai ser carregado e levante o implemento para que as toras
passem por cima das estacas.
3 – Abaixe a garra niveladora sobre os estrados ou carroceria e posicione o feixe de toras junto as
estacas do lado oposto.

4 – Abra os braços aprisionadores totalmente e retroceda cuidadosamente.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
TRABALHO COM GARRAS
PARA TORAS
Empilhamento
Para as máquinas com suspensão do braço de carga, recomenda-se que a função seja acoplada
na posição dependente de velocidade. A precisão é aumentada e é diminuindo o risco das toras
ficarem desordenadas.

Nota: Não use a posição flutuação em manuseio de toras.


1 – Mantenha a garra próxima da pilha para evitar desabamento.
2 – Incline um pouco a garra para frente.
3 – Abra com cuidado o braço aprisionador completamente, de tal forma que as toras rolem
para fora.
4 – Recue, cuidadosamente, e ao mesmo tempo, com a garra abaixada vai segurando as
toras que possam desabar.
Ao utilizar uma garra com ejetor, não há necessidade de inclinar a garra para frente. Com
esta garra a capacidade de elevação da máquina é mais bem utilizada e podem-se formar
pilhas mais alta. O ejetor pode também ser usado como batente quando se manuseia toras
isoladas.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
TRABALHO COM GARRAS
PARA TORAS

Retirando toras da pilha


Pilha baixa
1 – Mantenha os dentes da garra planos ao solo e com o braço aprisionador completamente
aberto.
2 – Entre na pilha e feche o braço aprisionador o máximo possível.
3 - Recue, cuidadosamente, e simultaneamente feche o braço aprisionador ainda mais.
Pilha alta
1 – Comece o mais alto possível e incline os dentes um pouco para frente com o braço
aprisionador aberto.
2 – Avance para dentro da pilha e feche o braço aprisionador.
3 – Acompanhe com a garra de tal forma que as toras não caiam debaixo da mesma.
Se alguma tora cair entre os dentes da garra, abaixe cuidadosamente a carga até o solo,
recue e tente levantar a carga novamente sem danificar as toras.
Trabalho com troncos inteiros
Seja especialmente atencioso com o centro de gravidade da madeira, para que seja mantida
uma estabilidade lateral satisfatória.
Advertência: O grande raio de ação necessário para manuseamento de toras, significa que o
operador é obrigado a tomar todo o cuidado para não causar danos ao ambiente.

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
PAINEL DE INSTRUMENTOS
CENTRAL

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

OPERADOR DE PÁ CARREGADEIRAS

Você também pode gostar