Você está na página 1de 12

A HISTÓRIA DA

PSICANÁLISE E A
CLÍNICA PSICANALÍTICA

Iracema Rocha de Oliveira Freitas


Psicóloga e Psicanalista
Como surgiu a Psicanálise?
• Período antipsicológico (segunda metade do sec XX)
CENÁRIO:
marcado por estudos anatomopatológicos e pesquisas na área da Bioquímica, procurando por
patologias microscópicas cerebrais e por síndromes e sinais neurológicos
• Uma psicologia para neurologistas: primeiras descobertas psicológicas em termos e
conceitos de fisiologia cerebral.
A histeria
• A busca por causas orgânicas;
• Doença e gênero
• A hipnose
• Contato direto com as histéricas
• A descoberta que deu início à elaboração teórica
Principais Teóricos das Sete Escolas de
Psicanálise
• Freud
• Kleinianos – análise em crianças e em psicóticos
• Psicólogos do Ego – tiveram em Ana Freud sua inspiração. “nem tudo é o ID”
• Psicologia do Self – foco no édipo não mais na tríade, mas no seu desenvolvimento, postulou a
noção de homem trágico.
• Lacan- inspirador da Escola Francesa de Psicanálise, um releitor de Freud.

Fonte: ZIMERMAM, D. E., Manual de técnica psicanalítica uma re-visão


A organização teórica
A clinica , teoria, ajustes e reajustes

• “ o que é novo sempre desperta estranheza e resistência”( Caso Dora).

• “ deixo o próprio doente determinar o tema do trabalho diário e parto da superfície eventual que o seu inconsciente lhe
oferece à atenção”.

• “As regras técnicas foram encontradas empiricamente”.

• “ A psicanálise deve ser considerada como um método terapêutico que tem suas indicações e limitações”.

*Em seu caráter da Psicologia dos atos mentais inconscientes mais profundos, prometia tornar-se o elo entre a Psiquiatria e
todos aqueles outros ramos da ciência mental . Eis uma forma de associar o funcional ao orgânico.
A organização empírica

• O principal fundamento da psicanálise: associação livre( fala solta e livremente


articulada).
• O principal fundamento para o analista: escutar livremente as rede de significantes
presentes na fala do analisando.
• Atenção: a escuta é livre porém atenta a cada significante dito pelo analisando. “quanto
mais o analista escuta em silêncio, mais o analisando tende a falar”.
• Analisando X analisante (associa ideias, adquire a prática de se questionar, investigando
seu inconsciente)
A organização empírica
• A direção do tratamento: se refere aos atos do analista – as pontuações, as escansões e
cortes da sessão.
• As formações do insconsciente: resistências frente a falta-a-ser, incompletude do sujeito, o
imponderável, o impossível de dizer tudo.
• Ics como linguagem: formação de sintomas, atos falhos, chistes, sonhos..
• As metas do tratamento psicanalítico: “falar livremente, associar ideias, aflorar
sentimentos, desvestir as fantasias, arrancar as mascaras imaginárias, deparar-se com o
vazio de nada ser, e descobrir –se sujeito, assujeitado à estrutura do próprio inconsciente.”.
Como funciona a Clínica Psicanalítica?
• Utiliza a atenção flutuante. “Não devemos atribuir uma importância particular a nada daquilo que
escutamos, sendo conveniente que prestemos a tudo a mesma atenção flutuante”(Freud, 1912)
• Mantém certa neutralidade diante da declaração do paciente e não “exortar o paciente a reprimir,
renunciar ou sublimar os instintos”. (Freud, 1912).
• Mobiliza o paciente a dar continuidade ao trabalho de produção de material e extração do conteúdo
analítico.
• Leva em conta que os doentes em análise, repetem no set terapêutico com o analista, aquilo que
deveriam recordar na vida, mas que se encontra reprimido, isso se aplica tanto ao apaixonar-se,
quanto a todos os seus desdobramentos. (repetição)
Como funciona a clínica psicanalítica ?
• A psicossíntese se realiza sem a nossa intervenção , automática e inevitavelmente...(Freud)
• A escuta confere um sentido, e o sentido mata o sintoma porque o “vulgariza”, porque o
banaliza e o leva a tomar um lugar corrente entre outros acontecimentos na constelação dos
acontecimentos da vida psíquica do sujeito”. (Násio, J. D. , A histeria Teoria e Clinica
Psicanalítica, 1991).
Laplanche e Pontalis, Vocabulário de Psicanálise
• PSICANÁLISE – Disciplina fundada por Freud e na qual podemos, com ele, distinguir três níveis:
• A) Um método de investigação que consiste essencialmente em evidenciar o significado inconsciente das
palavras, das ações, das produções imaginárias (sonhos, fantasias, delírios) de um sujeito. Este método baseia-
se principalmente nas associações livres do sujeito, que são a garantia da validade da interpretação. A
interpretação psicanalítica pode estender-se a produções humanas para as quais não se dispõe de associações
livres.
• B) Um método psicoterápico baseado nesta investigação e especificado pela interpretação controlada da
resistência, da transferência e do desejo. O emprego da psicanálise como sinônimo de tratamento psicanalítico
está ligado a este sentido; exemplo: começar uma psicanálise (ou análise).
• C) Um conjunto de teorias psicológicas e psicopatológicas em que são sistematizados os dados introduzidos
pelo método psicanalítico de investigação e de tratamento.
Leituras recomendadas para entender a clínica
psicanalítica em Freud:
• Sobre a Psicanálise Selvagem(1910) – 10 p.
• Princípios básicos da Psicanálise(1913)- 08 p.
• O interesse da Psicanálise (1913) – 34 p.
• Psicanálise e Psiquiatria(1917) – 17p.
• Caminhos da teoria psicanalítica (1919) -12 p.
• Deve-se ensinar Psicanálise nas Universidades?(1919) – 10 p.
• A questão da análise leiga: diálogo com um interlocutor imparcial(1929) – 105 p.
Referências:
• PSICANÁLISE E PSIQUIATRIA: DE KRAEPELIN À CID-10, Adriana Kelmer Siano.
• Estruturas clínicas em psicanálise: um recorte. Messias Eustáquio Chaves(2018)
• Freud, O caso Dora

Você também pode gostar