Você está na página 1de 20

NOÇÕES DE

ANATOMIA E
FISIOLOGIA DA PELE
FUNÇÕES DA PELE
É o maior órgão do corpo humano.

Barreira protetora contra agressões externas (micro-organismos, produtos químicos, partículas e também contra
traumas devido a pancadas e até mesmo contra o sol).

Regulação do calor.

Protege contra a desidratação .

Funções nervosas, constituindo o sentido do tato .

Funções metabólicas, como a produção de vitamina D.

Tem também papel primordial na estética, ou seja, na aparência.


CAMADAS DA PELE
EPIDERME: é a camada mais
externa, sendo formada por
tecido epitelial. Formada por
cinco camadas: estrato
córneo, estrato lúcido, estrato
granuloso, estrato espinhoso e
estrato germinativo. Na
epiderme não existe vasos
sanguíneos. Os nutrientes e
oxigênio chegam à epiderme
por difusão a partir de vasos
sanguíneos da derme.
• Estrato córneo: É a camada mais externa da epiderme, constituída por células
mortas ricas em queratina. Suas células são muito achatadas, lembrando
escamas. Essa camada funciona como uma barreira contra patógenos e agentes
químicos.

• Estrato lúcido: Encontra-se abaixo do extrato córneo, entretanto, só é possível


visualizá-lo em locais onde a pele é mais grossa (palma das mãos e planta dos
pés). Suas células são mortas, transparentes, achatadas e anucleadas.

• Estrato granuloso: Suas células são achatadas e apresentam grânulos de


querato-hialina (que contém precursores da queratina). As terminações
nervosas chegam até esse estrato.
• Estrato espinhoso: Apresenta células ligadas através de
desmossomos (um tipo de especialização da membrana plasmática
cuja função é manter as células unidas umas às outras), conferindo
assim resistência ao tecido e um aspecto espinhoso. Nessa camada
estão os queratinócitos (que sintetizam a queratina). A queratina é
uma proteína fibrosa que apresenta como características a
resistência, elasticidade e impermeabilidade à água, e está presente
na pele, cabelos e unhas.
Estrato germinativo: Também chamado de camada basal, contém as células-tronco
da epiderme e é a sua camada mais profunda. Esse estrato forma as células que
darão origem a todas as camadas mais superiores. As células formadas nesse estrato
vão sendo “empurradas” para as camadas mais superiores, sofrendo modificações
nas suas formas e estruturas. À medida que envelhecem, as células epidérmicas
tornam-se achatadas, e passam a fabricar e a acumular dentro de si a queratina. As
células mais superficiais, ao se tornarem repletas de queratina, morrem e passam a
constituir um revestimento resistente ao atrito e altamente impermeável à água,
denominado camada queratinizada ou córnea.

A reprodução celular nessa camada leva em torno de 3 a 4 semanas para acontecer.


É nessa camada que temos os Melanócitos, células responsáveis pela produção de
melanina.
 
A melanina é um pigmento, produzido
por células especializadas chamadas
melanócitos, que confere cor à pele,
olhos e cabelo. A maior função da
melanina é ajudar a proteger o corpo e
organismo dos 
impactos da radiação solar (
fotoproteção). Quando há uma alta
exposição dos raios UV, ocorre uma
produção maior de melanina. Os
melanócitos agem dessa forma como
um mecanismo de defesa contra a
radiação que penetra na pele e causa
lesões no DNA das células.
Além da exposição solar, a
melanina pode ser estimulada por
alterações hormonais e
inflamações. Esses fatores
podem causar manchas. Neste
caso, o que ocorre é um aumento
da atividade de melanócitos e,
consequentemente, um acréscimo
no depósito deste pigmento nos
queratinócitos (células que
formam a epiderme).
CAMADAS DA PELE
A DERME é a segunda camada da
pele, que vem abaixo da epiderme. Ela
é formada por tecido conjuntivo e
nela estão localizados os nervos, vasos
sanguíneos e linfáticos, folículos
pilosos, fibras proteicas e as glândulas
sudorípara e sebácea. Toda a
superfície cutânea está provida de
terminações nervosas, ou receptores
cutâneos, capazes de captar estímulos
térmicos, mecânicos ou dolorosos.
As principais células da derme são os
fibroblastos, responsáveis pela
produção de fibras colágenas,
elásticas, reticulares,
glicosaminoglicanas, proteoglicanas e
ácido hialurônico. São essas
substâncias que conferem volume e
sustentação à derme, mantendo a
pele com aparência jovem.
CAMADAS DA PELE

Tecido adiposo subcutâneo ou


HIPODERME: Esse tecido não faz
parte da pele, mas representa a
região de união da pele com
outros órgãos. Suas principais
funções são: armazenar energia,
proteger órgãos e ossos contra
traumas físicos, isolante térmico,
conectar a derme aos músculos e
ossos, modelar o corpo.
ANEXOS SUBCUTÂNEOS E
OUTRAS ESTRURURAS
• Folículo Piloso: É uma estrutura que lembra uma bolsa
aonde são produzidos e crescem os fios de cabelo e pelos.
• Músculo eretor do pelo: Fica ligado ao folículo piloso e é
estimulado pelas terminações nervosas existentes no pelo,
efetuando o levantamento do mesmo (arrepio) para auxiliar
na termorregulação.
• Glândulas Sudoríparas: possuem a importante função de
secretar o suor (composto de água, sais e um pouco de ureia),
possibilitando a regulação da temperatura corporal e a
eliminação de substâncias tóxicas ao organismo.
• Poro Sudoríparo: É o canal por onde é eliminado o suor,
produzido nas glândulas sudoríparas, diretamente na pele.
Vasos sanguíneos: São responsáveis
pelo suprimento sanguíneo da pele,
colaborando tanto para a nutrição
das células quanto na
termorregulação, estando localizados
somente na hipoderme e na derme,
enquanto que na epiderme não há
presença de vasos. A nutrição nessa
camada é efetuada por capilaridade.
Terminações nervosas e receptores da pele: Toda a superfície da pele tem
receptores sensitivos, que captam sensações térmicas, mecânicas ou
dolorosas. Temos na epiderme: Terminações nervosas livres (dor), Terminações
nervosas do folículo piloso, Corpúsculos de Ruffini (calor), Corpúsculos de Vater-
Paccini (pressão), Corpúsculos de Meissner (tato), Corpúsculos de Krause (frio).
Glândulas Sebáceas: As glândulas sebáceas estão
localizadas na derme e são anexas aos pelos.
Produzem uma secreção, denominada de sebo, que
é rica em lipídios. É essa substância que garante
a lubrificação da pele, evita o ressecamento de pelos
e impede a perda de água de maneira excessiva.
Além disso, essa substância garante uma leve ação
bactericida. O sebo não apresenta nenhum cheiro,
entretanto, o desenvolvimento de bactérias nesse
local pode levar à produção de odores.

As glândulas sebáceas estão presentes em todo o


corpo humano, não sendo encontradas apenas nas
palmas das mãos e dos pés e no dorso dos pés. Os
locais onde ocorrem com maior frequência são o
rosto, as costas e o tórax.
Até a puberdade as glândulas sebáceas
produzem pouco sebo, entretanto, a partir
dessa fase, os hormônios, principalmente a
testosterona, começam a agir e inicia-se uma
grande produção de secreção. Os hormônios
atuam apenas na produção de sebo, não
influenciando o número de glândulas, que
permanece praticamente constante durante
toda a vida.
A síntese de sebo tende a diminuir em
mulheres após a menopausa; em homens,
no entanto, não ocorre nenhuma alteração
significativa até os 80 anos de idade.
A acne é um dos principais problemas que afetam a
unidade pilossebácea e geralmente ocorre na
puberdade, quando a glândula sebácea inicia sua
maior produção. Esse problema caracteriza-se pelo
acúmulo de queratinócitos, hiperprodução de
secreção pelas glândulas sebáceas, colonização por
bactérias e inflamação, que provoca o surgimento de
uma lesão característica.
A acne, além de provocar uma aparência ruim na
pele, pode desencadear problemas emocionais nos
acometidos, que se sentem envergonhados em razão
das lesões.
Entretanto, é importante destacar que
não é somente a produção exagerada
de sebo que pode desencadear
aspecto ruim na pele. A pouca
produção dessa secreção pode deixá-
la opaca, desidratada e com pouca
elasticidade, o que pode desencadear
até mesmo o envelhecimento precoce.
Além disso, os cabelos também se
tornam mais opacos e quebradiços.

Você também pode gostar