ABRAJI

Medidas de proteção para jornalistas em cobertura de conflitos armados

O mais seguro é não partir

Por que partir?

‡ Quais as suas reais motivações para se tornar um repórter de regiões inóspitas?

ANTES DE PARTIR

Cursos de jornalismo em regiões de risco
São uma oportunidade de aprender sobre os riscos inerentes a áreas de conflitos Ensinam comportamentos que se tornam reflexos em momentos de elevado estresse, como evacuações de urgência, prisões, sequestros, cobertura de campos de batalha, etc Em geral, fornecem treinamento de primeiros socorros, essenciais para pequenos ferimentos e úteis em situações de emergência Trazem noções sobre armas de fogo e seu poder de destruição Oferecem treinamento sobre deslocamento em áreas de conflito rurais e urbanas

No Brasil e no mundo
Caecopaz Ambiente de campo e urbano, realizado na Argentina pela SIP e pela ONU Exército brasileiro Sobre conflitos em ambientes urbanos, Rio BBC Áreas de conflito em geral Centre National d entraînement commando (CNEC) Mont-Louis-Collioure, França

AO COBRIR O CONFLITO

Seguro médico e de repatriamento
Repórteres ligados a grandes veículos de comunicação em geral já contam com um seguro médico para regiões de conflito Para free-lancers, associações como Repórteres Sem Fronteiras têm acordos operacionais com seguradoras (na França, com Escapade) Esses seguros são destinados a repórteres independentes. Há diferentes planos

Colete à prova de balas e capacete
São equipamentos necessários, mesmo que nem sempre se use Free-lancers podem contar com organizações como a Repórteres Sem Fronteiras (RSF), que oferecem equipamentos para jornalistas independentes

Dinheiro
Dólares na carteira, mochila, roupa... Não contar com cartões em hipótese alguma Alugar telefone por satélite Comprar créditos suficientes para o uso intensivo de celular

Contato
Mantenha contato constante. Estabeleça padrões de comunicação com seus editores e familiares

Telefones úteis
Fontes Dissidentes, organizações de DH, membros do governo que possam ser úteis Autoridades de seu país no caso, o Brasil (Itamaraty, embaixada, consulado) Editores, família

APÓS A VIAGEM

Estresse
‡ Ao contrário de militares, jornalistas não costuram contar com apoio em caso de estresse pós-traumático ‡ Preocupe-se com isso

Apoio psicológico
Além da prevenção de riscos, há sequelas psicológicas que podem permanecer Sequelas podem determinar reações futuras Procurar apoio especializado pode ser necessário, além de útil

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful