MERIDIANOS DIVERGENTES

JING ³BIE´ = meridiano divergente, separado, distinto. 12 Jing Zheng (meridianos principais) Complementa Qi (wei Qi, Ying Qi e Xue) cavidade torácica, abdome , cabeça e pescoço. A diferença dos meridianos principais é a relação de acoplamento entre Yin e Yang e exterior e interior.

Os canais divergentes ou distintos, são em número de 12, se originam nos canais de energia principais. Têm a função de levar Qi e Xue para as cavidades torácicas e abdominal, para a cabeça e para as regiões nas quais a energia Yin e Yang não são distribuídas pelos canais de energia principais. Eles formam pares, constituídos de um canal de energia Divergente, proveniente de um canal de energia Yang (e de seu acoplado), um Yin. São eles que fazem a ligação Exterior/interior.

. vísceras e estruturas orgânicas onde passam. chamados de confluência.Por exemplo os canais do IG e do P ± enquanto estes canais de energia principais fazem a ligação Yin/Yang externamente. os canais divergentes fazem esta ligação internamente. Após penetrar a cavidade torácica e abdominal. Os pares dos canais de energia divergentes acoplados. O trajeto do canal de energia Divergente é diferente em se tratando de canal de energia Yang ou de Yin. levam Qi e Xue para os órgãos.

. Penetra as cavidades torácicas e abdominal. onde novamente se une ao canal de energia principal Yang que deu origem. e emerge na região do pescoço ou da face. mantendo conexão com o órgão e com a víscera a ele relacionado. após percorrer os membros.O canal de energia divergente de característica Yang inicia-se no nível dos membros inferiores e superiores e provém do canal de energia principal Yang.

Os de característica Yin inicia-se ao nível dos membros superiores ou inferiores e provém do canal de energia principal Yin. emerge na região do pescoço ou da face. de onde vai conectarse com o canal de energia principal Yang acoplado. e que passa de hemicorpo para o outro ± unindo o D e o E. mantendo as mesmas conexões deste. É através desta ligação que a energia Yin circula nas regiões onde não há um trajeto próprio dos canais de energia Yin. segue paralelo ao canal de energia divergente Yang. penetra o abdome. .

víscera. emergem na garganta.). mantém conexões com os órgãos. em ligação com os zang/fu. ..Os três canais divergentes Yin e Yang do pé mantém conexão com a área cardíaca e emergem na cabeça. com o coração. ao passo que os da mão penetram o tórax. com o interior e distribuem as diferentes formas de energia e sangue para as estruturas internas do corpo (órgão. cérebro e medula. Desta forma os divergentes fazem a ligação dos meridianos principais. na cabeça e na face.

É importante para compreender a ligação dos zang/fu entre si. entre E e C. como ocorre entre o C e o R. entre Qi e Xue. Tem por função transportar Qi e Xue e a promoção de ligação interna. e da ligação entre um hemicorpo e outro. entre Yin e Yang. Estão correlacionados com a energia dos canais principais e estes em vazio os canais divergentes também estarão. das influências de um órgão sobre o outro. importante para manter a harmonia entre o D e E. .

e as manifestações de cada zang nos orifícios. Explica como todos os meridianos (zang/fu)tem conexão com o Xin. Importância terapêutica é reforçar a conexão entre zang e fu. . a não ser as deficiências que são tratadas fortalecendo o canal de energia principal e os pontos de divergência.Não se conhece patologias dos canais divergentes.

emite um canal secundário = canal de energia divergente da B ± com trajeto paralelo.PRIMEIRA CONFLUÊNCIA: B e R Bexiga: Quando o canal principal da B chega ao joelho (B54). sobe a coluna vertebral (B23). a 5 ts desta penetra na região anal e toma sentido ascendente. conectando com a víscera B e se dispersa no R. . dispersa na região cardíaca. converge para o (B10). desta para a garganta (VC23) e se exterioriza. sobe pela parte posterior da coxa e na região sacra.

. Comentários: O canal de energia divergente da B recebe Qi e Xue para sua formação e função energética diretamente do canal principal da B pelo (B54). distribui para a B.Rim. O mesmo com o do R no (R10). C. que sobe pela face posterior da coxa. faz a comunicação interna e com o cérebro e o olho recebem energia dos Rins. R. Quando o canal de energia principal do R chega à fossa poplítea (R10) emite um canal secundário. Estes canais estando pleno de energia.

Para tratar deve-se fortalecer os canais principais nos seus pontos de divergência B= B54 e R = R10.A deficiência nos canais principais promove vazio de Qi. promove deficiência nos divergentes e def. . procurando circular a energia nos canais de energia unitários e tonificar R (R7) e B (B67). de Xue.

antes de se unir no E1 com o principal. segue pelo esôfago passa no E12 ± (E9?) até atingir a boca.2 ou 3 CONFLUÊNCIA = E e BP ESTÔMAGO Quando o canal principal do E chega à região inguinal (E30) (E31?) emite um canal secundário = canal divergente do E. . ramifica no BP. penetra na cavidade abdominal. contorna o nariz e se conecta com o olho. vai para o C. segue para o E.

que segue para o ponto E30. . desta para os olhos onde une com o E1. penetra o abdome.BAÇO PÂNCREAS O canal do BP chega à pelve no BP12 (BP11?). faz as mesmas conexões com os órgãos e depois segue para a garganta (E12 e 9) e língua. segue paralelo ao divergente do E. emite um canal de energia secundário ± divergente do BP.

E9 e E1.assim une-se ao C e manifesta-se no olho e cérebro. C .Comentários: Estes recebem Qi e Xue dos canais principais. E os meridianos principais. o BP12 (BP11?). . distribuindo para o E. BP. Tratamento: tonificar o E30 (E31?).

ascende pelo esôfago e se dispersa na face. onde se conecta com o olho e se reúne no VB1. segue para o coração. emite um canal secundário -divergente da VB que penetra na pelve para emergir no VC2. vai para a parte inferior da cavidade torácica (F13). onde se conecta com a VB e se ramifica no F.3 ou 2 CONFLUÊNCIA ± VB e F VESÍCULA BILIAR Quando chega ao quadril no ponto VB30. .

F13. emite um canal secundário ± divergente do F. C. une-se ao canal de VB.FÍGADO Ao chegar na perna (F5). mesmo trajeto da VB e conecta com o olho e com o canal principal de VB no VB1. junto penetra no abdome. . que segue medial ao membro inferior até a região púbica (VC2).

distribuindo para os canais onde passam. Os canais divergentes de VB e F recebem Xue e Qi dos canais principais.Comentários. VC2 e VB1. Tratamento tonificar os canais principais. Tonificar o VB30. desta forma o Qi do F chega aos olhos e cérebro. . F5.

emerge no B1 ± é o ponto de união do canal divergente da B e ID. emite um canal secundário ± divergente. onde se relaciona com o C. do C um canal divergente vai para a face.4 CONFLUÊNCIA: ID E C INTESTINO DELGADO. desce para o abdome se conecta com o ID. Quando chega no ombro (ID10 ou 12?). penetra a cavidade torácica. segue através da axila (VB22 ou C1?). .

sobe para a garganta (VC23) e conectase na face.CORAÇÃO Do C1 (VB22?)forma-se o canal divergente do C. segue paralelo ao do ID e conectase com o C. Comentários: Estes canais recebem Qi e Xue dos meridianos principais. unindo-se ao do ID no B1. Tratamento: tonificar os meridianos principais. C1. VB22 e B1. E tonificar ID10. e distribui em toda a região em que passam. que penetra no tórax. .

onde penetra as cavidades torácicas e abdominal.5 ou 6 CONFLUÊNCIA INTESTINO GROSSO. segue paralelo ao meridiano principal. vai para a fossa supraclavicular. . que vai para a coluna vertebral na C7. (IG15) ombro ± deste sai um ramo de divergente do IG. onde se conecta com o meridiano principal do IG no IG18. fazendo conexão com o C. IG e P. passa pelo (E12). percorre braço. Inicia na mão(?) no IG1.

penetra o tórax. P e IG e deste se ramifica. vai para a região supraclavicular (E12) e para aa garganta. conecta-se com o C. Do P1 se origina o divergente do P. IG1 e IG18. e os divergentes P1. Tratamento: Tonificar os meridianos principais. onde emerge e se conecta com o IG18. .PULMÃO. que segue anterior ao canal de energia principal do CS (VB22).

. Do TA 20 emite um canal secundário para o vértex da cabeça no VG20. deste inicia-se o divergente do TA.5 ou 6 CONFLUÊNCIA: TA e CS TRIPLO AQUECEDOR. ramifica-se na face interna do tórax. desce para a região supraclavicular e penetra a caixa torácica. segue para o envoltório do C e C. comunica-se com o TA e vai para o TA16.

para unir-se ao meridiano principal do TA no TA 16. E tonifica-se o VG20. penetra a cavidade torácica atrás do VB22.CIRCULAÇÃO SEXO. do tórax sai um ramo ascendente que vai para a garganta (VC23). comunica-se com o TA. e TA16. emerge por trás do pavilhão auricular. CS1. CS e C. . Tratamento: tonificar o meridiano principal. Origina-se no CS1.

Como o R que pertence ao Yin dá origem aos divergentes pela energia ancestral e se considerar de que do Yin surge o Yang e que o R é a base de todo Yin e Yang do corpo. faz supor de que o C deva possuir um sistema similar. Portanto os divergentes teriam origem no C e estaria relacionado com a mente (que fica neste armazenado). por todos os divergentes passarem por ele.Os canais divergentes são pouco citados em literatura. .

arritmia.Uma condição para diagnóstico de afecções do divergente é acometimento energético. provocando algias e afecções funcionais e orgânicas. precedendo os sintomas clínicos ± estagna o Qi. . funcional e ou orgânico do Xin -palpitação. Pode estagnar Qi nos Zang e Fu ± provocando as manifestações clínicas. opressão torácica. angina. etc. Dos pontos de confluência podem evoluir para os canais principais. precordialgias. O maior fator causal é a presença de distúrbios emocionais.

artrite. .As afecções dos canais divergentes caracteriza pelo bloqueio da circulação de Qi. como asma. hipertireoidismo. que pode dificultar a ligação do C com os demais Zang e Fu ± distúrbios energéticos. funcionais e orgânicos. devido à estagnação de Qi do C. Portanto os divergentes são importantes para o tratamento de doenças do Zang/fu onde exista associação com estado emocional ou de cunho emocional. Como serve de prevenção das afecções dos zang/fu ao encaminhar energia mental para eles. diabetes. lombalgia.

‡Presença de manifestação clínica do Zang/fu. ‡Manifestação energética.Para diagnóstico dos canais divergentes deve-se ater para: ‡ História de problemas emocionais ± início dos sintomas. ‡Presença de pontos de confluência doloroso do canal em questão. ‡Procurar manifestação clínica meridiano principal envolvido. do trajeto do . funcional e ou orgânica do C.

dor epigástrica. dor na lateral da mama. VG20. ‡ Dor no CS1. . TA16. E12 e E13. taquicardia. hipertensão arterial e cervicalgia ou cervicobraquialgia com sensação de queimação.CIRCULAÇÃO SEXO E TRIPLO AQUECEDORA ‡ É um distúrbio freqüente como se carregasse peso ou fardo. dorsalgia interescapular. de difícil solução ± como se tivesse que sustentar filhos menores. Pode apresentar opressão torácica.

CORAÇÃO E INTESTINO DELGADO ‡ Distúrbio do Shen*. epicôndilo medial. . ‡ Dor em C1. ID16 e B1. dor na região anterior do ombro. Pode irradiar pelo trajeto do C. como dor na face medial do braço. B1. e posterior do ombro abaixo da espinha da escápula.

PULMAO E INTESTINO GROSSO ‡ Desordem do Shen* relacionados a tristeza. tontura. asma. . opressão torácica. medo ou depressão. desconforto respiratório. dispnéia. sensação de falta de energia e dor na lateral do pescoço. bronquite crônica. ‡ Dor em P1 e IG18. fadigabilidade.

precordialgia ou distúrbio energético do C ± hipertensão arterial e palpitação. alterações ginecológicas. revolta. Caracteriza por apresentar emoções reprimidas ± raiva. enxaqueca. cervicalgia. cefaléia. Pode apresentar dores no quadril ou joelho. . lombalgia. distúrbios menstruais. ‡ Dor no VB30. F5. VB1. ID17.FÍGADO E VESÍCULA BILIAR ‡ Para tratar afecções do membro inferior.

lombalgia. doebças intestinais. ‡ Dor E30. E9. alergia alimentar). alergia sistêmica. . BP12. Distúrbio digestório ± prisão de ventre. alteração da tireóide. distensão abdominal.BAÇO E ESTÔMAGO ‡ A preocupação é um dos pilares das emoções. fraqueza e hipotrofias musculares dos membros inferiores e superiores. do estômago.

responsabilidade.RIM E BEXIGA ‡ Sensação de peso ou sobrecarga emocional. dorsalgia. nucalgia. . na panturrilha. podem provocar lombalgia. ‡ Dor em B54. manifestações do C ± palpitação. dor na fossa poplítea. epigastralgias. negócios. cefaléia. impotência sexual. poliúria. desânimo. ansiedade. lombalgia. R10 e B10. assumir família.

Períodos menstruais escassos. .Caso Clínico ‡ Uma mulher de 37 anos de idade sofria de cefaléia crônica desde a infância (já feito tomo da cabeça e nenhuma alteração encontrada). com coágulo e cólica após o ciclo. as veias inchadas e escuras na face inferior. as dores oscilavam de lado (meridiano de VB) e às vezes em capacete. A língua era pálida e arroxeada com as laterais alaranjada. e se assentavam atrás do globo ocular D. do tipo facada acompanhada por vômito e diarréia. e a dor piorava com o estresse do trabalho. Também apresentava rinites constantes. A dor era severa.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful