Você está na página 1de 34

Planificação e Avaliação das

aprendizagens

Como seleccionar os objectivos


O que se entende por planeamento de
actividades na Educação Pré-Escolar?
 A planificação de actividades nasce da
intencionalidade educativa do
trabalho do Educador
 O que podemos fazer com as
crianças?
 É possível prevermos actividades?
 Como planear essas actividades?
Planear actividades…
 Não pode ser confundido com uma grelha,
preenchida formalmente antes da
actividade nem com uma lista de
actividades que se pretendem fazer

 Ao contrário a planificação em Edu. Pré-


Escolar é flexível, permite ao educador
pensar e repensar as actividades, procurar
novos significados na sua prática
pedagógica
A intenção de educar traduz-se
assim…
 Num traçar, numa programação que
se traduz num esquema (andaime)
que se vai concretizando à medida
que avança…

 Traduz-se num documento, numa


proposta de trabalho do educador
para ser co-construída com as
crianças
A planificação…
 É então um processo, um
instrumento orientador do trabalho
docente

 É impossível falarmos de planificação


sem falarmos de conteúdos
curriculares que lhe servem de base,
sem fazer uma relação com o que a
fundamenta…
Vista pela óptica dos fundamentos
 O que fundamenta a planificação das
actividades é a orientação destas para os
conteúdos, para o que é considerado
importante que as crianças aprendam
(saberes ) e aprendam a fazer
(competências).
 É por isso um documento funcional e
pessoal
 A questão não é a forma como se
planificam actividades mas os princípios
que sustentam as diferentes formas de a
organizar.
A planificação é…
 Um processo reflexivo em que o
educador vai aprendendo e
exercitando a sua capacidade de
perceber as necessidades das
crianças, localizando os problemas
detectados e indo à procura das suas
causas, procurando resolvê-los
Do ponto de vista do conteúdo…
 Podemos planificar:
 Baseadas em listas de actividades
 Por datas comemorativas
 Por áreas do conhecimento
 Por temas
 Por projectos
 Por actividades espontâneas que surgem no
dia a dia…
Quando planificamos…

 …fazemo-lo para atingir determinados


objectivos
Conceito de objectivos de ensino-
aprendizagem
 Objectivos são resultados de aprendizagem
que se pretendem atingir

 Resultados de aprendizagem – “o que os


alunos ganham no final da educação pré-
escolar; de uma unidade didáctica; de um
projecto educativo; de um dia; de uma
actividade… em termos de aquisições, de
desenvolvimento de potencialidades, de
conhecimentos, de competências…
Objectivos, neste sentido…

 …não dizem respeito a acções ou


objectivos do educador (professor)
quando ensina ou propõe actividades

 …exprime a ideia de que todo o processo


de ensino e aprendizagem se move
numa direcção e é controlado pelos
resultados que se espera os alunos vão
obter no final desse processo
Exemplo:
 Quando o Educador diz que vai ensinar às crianças o
conceito de cor não está a enunciar um objectivo de
aprendizagem para os alunos mas a definir para si
próprio a finalidade de uma actividade que pretende
realizar.

 O Educador deve perguntar a si próprio: “O que é que


eu penso que as crianças irão saber ou serem capazes
de fazer no final da actividade? A resposta a esta
pergunta traduz-se num objectivo ou resultado de
aprendizagem que se tem em vista para as crianças
daquele grupo específico e naquele contexto (saberes
e competências)
 Nota: a resposta a esta pergunta pode variar de
criança para criança…
Os saberes e as competências orientam então
o processo de ensino/aprendizagem porque…
 Ao indicar aquilo que se pretende que as
crianças aprendam em consequência dos
nossos actos, educadores e crianças sabem
para onde caminham, comunicam entre si
as suas expectativas sobre o que
pretendem aprender e que respostas
devem os alunos dar para satisfazer essas
expectativas (comportamentos)
 » uma avaliação da aprendizagem mais clara e
transparente para o Educador
Quando o professor define o
objectivo de aprendizagem…
 …pode decidir sobre as estratégias a
utilizar, a sequência da aprendizagem, as
actividades a realizar, os materiais a
utilizar…

 O ensino/aprendizagem torna-se mais coerente


dado que existem pontos de referência
 Evitam-se contradições entre o que se ensina e
o modo como se ensina; entre o que se
pretende aprender e a maneira como se realiza
essa aprendizagem…
Esta noção de objectivos de aprendizagem
(que se traduzem em competências e
saberes)…

 …e a sua função no processo de


ensino levam a uma determinada
forma de os formular e clarificar quer
do ponto de vista dos educadores
quer das crianças
Nota:
 Deve ser explicado às crianças/alunos
o valor daquilo que está a estudar.
Para isso, é muito útil uma descrição
eficaz daquilo que se espera que o
aluno realize e porque é que esses
objectivos são importantes. Se tal for
feito a probabilidade de sucesso é
maior.
Selecção de objectivos
 Quando se planifica é crucial definir
os objectivos ou resultados de
aprendizagem que as crianças hão-de
alcançar após determinada
actividade.
 Que aprendizagens se devem propor?
 Que conhecimentos, aptidões,
capacidades, competências desejamos
que as crianças alcancem?
Justificação das opções curriculares

 Esta decisão tem de se basear em


informações:
 Porquê estes objectivos e não outros?
 Porquê estas aprendizagens e não
outras?
 Porque têm estes objectivos mais
importância do que outros?

 Relação com avaliação inicial e contínua das


competências e interesses das crianças.
Que fontes de objectivos educacionais se
podem considerar quando planificamos
actividades?

 De acordo com analistas curriculares


são 3 as fontes de selecção:

 Análise da sociedade
 Avaliação do educando
 Cultura disponível
Sociedade
 Objectivos educacionais referentes a
atitudes, aptidões e conhecimentos
requeridos para a vida das crianças
como seres que vivem inseridos
numa sociedade que irão
desempenhar funções necessárias ao
progresso da comunidade social
 Ex: Introdução das TIC na Ed. Pré-escolar
Educando:
 Objectivos necessários ao desenvolvimento
pessoal das crianças bem como
conhecimentos , aptidões e competências
que ainda não possuem mas que irão
brevemente necessitar, desde que
correspondam ao seu nível de
desenvolvimento e condições de
aprendizagem
 Ex. Desenvolvimento da motricidade fina como
suporte à escrita; introdução precoce da leitura
global como base para o sucesso na EB1
Cultura disponível:
 Objectivos relacionados com a
aquisição e compreensão de
conteúdos culturais, científicos ou
tecnológicos bem como processos
intelectuais generalizáveis ou
específicos a uma dada área de
estudo
 Ex. Modelos curriculares actuais (ed.
Experiencial…)
A multiplicidadade de opções que se abrem ao
educador quando pensa em estruturar uma actividade
e nos objectivos que pretende alcançar com ela…

 …leva-nos a pensar que qualquer


escolha pressupõe uma selecção de
qualidade que lance as bases para um
progresso contínuo de que a criança
será o motor.

 Por isso o educador tem de se


perguntar…
 Que objectivos, conteúdos e
processos são os mais valiosos do
ponto de vista formativo e social face
às crianças que tenho?
 Quais são os mais actuais,
importantes e fundamentais para o
futuras destas crianças?
 Que equilíbrio manter entre a
“extensão”(quantidade) e a
“qualidade” (profundidade) dos
objectivos e conteúdos a seleccionar?
 Que compromisso encontrar entre as
necessidades das crianças e as
necessidades sociais? (equilíbrio entre
o faz de conta /grafo motricidade, por
exemplo)
 Que compromisso entre as
necessidades sociais (prioridades
curriculares da educação e infância) e
os interesses das crianças?
A conciliação de todas estas
perspectivas…
 o que acentua a necessidade de uma
ponderação atenta do que se exclui e
do que se inclui no projecto curricular
(e por consequências nas actividades
a planificar) o que conduz a um
segundo problema:

 Justificação dos objectivos educativos


Justificação de objectivos educativos
Objectivos Educativos
 Reflectem valores ou concepções
acerca do que é importante e
desejável que as crianças aprendam.
Porque escolhemos um objectivo
educativo e não outro?
 Porquê fazer uma ficha de grafismo e
não uma pintura?

 Porquê investir na multiculturalidade


e não na ecologia?

 Porquê valorizar a língua portuguesa


e não a matemática?
A justificação de objectivos
responde a 2 critérios:
 A viabilidade da sua execução

 O seu valor dentro de um


determinado horizonte de referência
Viabilidade da execução:
 Diz respeito às condições de realização
 Pode ser alcançado por todos ou só alguns
alunos do grupo?
 O educador tem competência para o
trabalhar?
 Que actividades conduzem a sua
consecução?
 Há tempo e recursos suficientes?
 Será possível avaliar se os alunos
aprenderam…
Exº

 Ciclo da água
 Evaporação da água

JI de Almedina Março 2008


Em situações concretas…
 O Educador pode ser colocado
perante o dilema: satisfazer às
exigências sociais e das competências
de saída propostas pelo Concelho de
Docentes ou atender às situações
concretas face às necessidades e
interesses das crianças?
 Exº Caso da GIGI
Justificação do Valor:
 A importância dos objectivos de
aprendizagem assenta em juízos de
valor sobre as necessidades
educativas ou valores essenciais que
se vêm a traduzir, geralmente, em
finalidades e metas educativas que o
educador estabelece para o grupo.