Você está na página 1de 41

TERAPÊUTICA

ANTIMICROBIANA

Terapêutica Geral
ICBAS-HGSA
TERAPÊUTICA
ANTIMICROBIANA

Terapêutica Geral
ICBAS-HGSA

Francisco Almeida Lobo


FARMACOLOGIA !!!!

Farmacodinâmica!
FARMACOLOGIA !!!!

Efeito bactericida

Efeito bacteriostático

(efeitos relativos, não absolutos….)


Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana
• O uso de um fármaco antimicrobiano é
mesmo necessário?

- doença causada por infecção?

- infecção causada por agente não susceptível a


antibiótico?

- risco calculado entre benefício e efeitos nocivos


Escolha da terapia inicial

• Terapêutica empírica

• Uso do esquema com espectro


antimicrobiano mais estreito que
cobre adequadamente os organismos
presumidos
Escolha da terapia inicial
• Teste de susceptibilidade a antimicrobianos

– Permite uma selecção racional dos


antibióticos

– Permite quantificar a C.I.M.


Escolha da terapia inicial
• Coloração Gram
– Diagnóstico rápido de presunção
– Essencial para interpretação de posteriores
culturas

• Susceptibilidade local
– Variações entre populações
– Variações entre comunidades
Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana

• Familiaridade com a resposta típica de uma infecção a


um tratamento apropriado;

• Conhecimento de qual a bactéria mais comum em uma


dada infecção;

• Inicio do tratamento após colheitas de amostras para


T.S.A.
Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana

O ESTADO DO HOSPEDEIRO
SERÁ IMPORTANTE?
YES !!!
Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana

• Timing para iniciar terapêutica antimicrobiana

» Em situação aguda, inicio imediato


após colheitas adequadas
FARMACOLOGIA !!!!

Farmacocinética!

Farmacodinâmica!

Volume de Distribuição!

Semi-vidas!

Eliminação e extracção!
Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana
• Vias de administração

– Em infecção grave, por via intravenosa !!!


Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana
• Vias de administração

– Em infecção grave, por via intravenosa !!!

– Biodisponibilidade da via oral ou intramuscular


Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana

• Vias de administração

– Em infecção grave, por via intravenosa !!!

– Biodisponibilidade da via oral ou intramuscular

– Farmacocinética própria de cada fármaco

– Efeito antimicrobiano desejado


Se existe uma infecção grave do
LCR, será que deve ser usado um
fármaco que seja polar em pH
fisiológico?
NO !!!
Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana

• Tipo de terapia: agentes bactericidas versus


bacteriostáticos

• Agentes bactericidas em doentes imunosuprimidos,


endocardites, meningites, sépsis, osteomielite (?)

• Agentes bactericidas em infecções life-threatening

• Agentes bactericidas em doentes com defesas regionais


diminuídas
Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana

ASSOCIAÇÃO DE ANTIBIÓTICOS

Indicações para uso empírico:

– não é aparente o agente infeccioso;


– o agente suspeito tem variabilidade na
susceptibilidade aos antibióticos;
– o não iniciar terapêutica antimicrobiana aumenta a
morbilidade e mortalidade.
Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana

ASSOCIAÇÃO DE ANTIBIÓTICOS

Indicações para uso empírico:

– Procura de sinergia;
– Infecções mistas (na ausência de alternativa);
– Prevenção doe emergência de resistências (por
exemplo, tuberculose).
Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana

ASSOCIAÇÃO DE ANTIBIÓTICOS

Riscos do uso indiscriminado de associação de


antibióticos:

– Aumento de toxicidade;
– Antagonismo farmacológico;
– Selecção de microorganismos resistentes.
Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana

DURAÇÃO DO TRATAMENTO

– Em infecções agudas, não complicadas, mantido até que


haja apirexia e situação clínica normal durante pelo menos
72 hrs;

– Algumas infecções (ex, endocardite, artrite séptica,


osteomielite) necessitam de tempos de tratamento mais
longos.
Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana
Falha da terapêutica antibiótica

– Diagnóstico errado;
– Escolha errada do antibiótico;
– Dosagem errada;
– Desenvolvimento de resistências durante o tratamento;
– Super-infecção por bactérias resistentes;
– Formação de abcesso;
– Doença de base;
– Febre induzida por fármacos
Princípios gerais da
terapêutica antimicrobiana

CASOS
PARTICULARES
Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana
DOENÇA RENAL OU HEPÁTICA COEXISTENTE

• O metabolismo e excreção hepática e renal são as


principais vias de eliminação dos fármacos
antimicrobianos;

• Necessidade de ajustamento de doses em doentes com


insuficiência renal e em doentes com doença hepática.
Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana
GRAVIDEZ E PUERPÉRIO

“ No antimicrobial is known to
be completely safe in pregnancy”

Edwald and McKenzie, Manual of Medical Therapeutics, 1995.


Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana

GRAVIDEZ E PUERPÉRIO

Como varia o volume de


distribuição numa mulher
grávida?
AUMENTA !!
Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana

GRAVIDEZ E PUERPÉRIO

– As doses devem ser aumentads de acordo com o


aumento do volume de distribuição da maioria
dos fármacos que ocorre na gravidez;

– A maioria dos fármacos antimicrobianos surge no


leite maternos.
Princípios gerais da terapêutica
antimicrobiana

GRAVIDEZ E PUERPÉRIO

– As penicilinas e as cefalosporinas são usadas


com alguma segurança;

– As tetraciclinas e as quinolonas estão contra-


indicadas;

– As sulfonamidas e os aminoglicosídeos não


devem ser usados se existirem alternativas.
“The treatment of each patient
with antibiotics is, in the final
analysis, a unique biological
experiment wich envolves a
large number of variables, some
of them quite beyond the
physician’s control. “
Ferreira de Almeida, Antibiotics in clinical practice, 1991.