Você está na página 1de 46

Quem são os invasores?

Quem são os invasores? 1 Prof. Aguinaldo R. Pinto
Quem são os invasores? 1 Prof. Aguinaldo R. Pinto
Quem são os invasores? 1 Prof. Aguinaldo R. Pinto
Quem são os invasores? 1 Prof. Aguinaldo R. Pinto
Quem são os invasores? 1 Prof. Aguinaldo R. Pinto
Quem são os invasores? 1 Prof. Aguinaldo R. Pinto
Quem são os invasores? 1 Prof. Aguinaldo R. Pinto

Quem são os invasores?

BACTÉRIAS

Quem são os invasores? BACTÉRIAS 2 Prof. Aguinaldo R. Pinto

Quem são os invasores?

BACTÉRIAS

Prof. Aguinaldo R. Pinto
Prof. Aguinaldo R. Pinto

3

Quem são os invasores?

BACTÉRIAS

Prof. Aguinaldo R. Pinto 4
Prof. Aguinaldo R. Pinto
4

Quemm são

Que

são ooss invas

invasoorreses??

Que m m são Que são o o s s invas invas o o r r

33%33% -- Tubercul

Tuberculose

ose

Que m m são Que são o o s s invas invas o o r r
Que m m são Que são o o s s invas invas o o r r

75%75% -- Toxopl

Toxoplaassmmose

ose

Que m m são Que são o o s s invas invas o o r r
Que m m são Que são o o s s invas invas o o r r

4545 aa 65%65% -- EEBVBV

Que m m são Que são o o s s invas invas o o r r

Qual a maior fonte de substâncias

estranhas que entramos em contato

diariamente?

Qual a maior fonte de substâncias estranhas que entramos em contato diariamente? 6 Prof. Aguinaldo R.
Por Por qqueue AAccss nenemm sem sempprree pprrooteteggeem? m? Prof. Aguinaldo R. Pinto
Por
Por qqueue AAccss nenemm sem
sempprree pprrooteteggeem?
m?
Prof. Aguinaldo R. Pinto

7

PoPorr qqueue não

não ccons

onseguim

eguimosos pr

prooduz

duzirir

vacinas

vac

inas efi

eficcazes

azes??

AIDS, AIDS, Herpes Herpes
AIDS,
AIDS, Herpes
Herpes

M

M

a a l l

ária, Chagas, Leishmaniose

ária, Chagas, Leishmaniose

Ca Candi ndidíase díase
Ca
Candi
ndidíase
díase
LLepr epraa,, SSífili ífiliss
LLepr
epraa,, SSífili
ífiliss
EEssquis quistos tossomsomososee Prof. Aguinaldo R. Pinto
EEssquis
quistos
tossomsomososee
Prof. Aguinaldo R. Pinto

8

POR QUE MONTAMOS RESPOSTA

IMUNE CONTRA MATERIAIS INÓCUOS?

POR QUE MONTAMOS RESPOSTA IMUNE CONTRA MATERIAIS INÓCUOS? Prof. Aguinaldo R. Pinto 9
POR QUE MONTAMOS RESPOSTA IMUNE CONTRA MATERIAIS INÓCUOS? Prof. Aguinaldo R. Pinto 9

Prof. Aguinaldo R. Pinto

POR QUE MONTAMOS RESPOSTA IMUNE CONTRA MATERIAIS INÓCUOS? Prof. Aguinaldo R. Pinto 9

9

POR QUE MONTAMOS RESPOSTA

IMUNE CONTRA NOSSO PRÓPRIO

ORGANISMO?

POR QUE MONTAMOS RESPOSTA IMUNE CONTRA NOSSO PRÓPRIO ORGANISMO? 10 Prof. Aguinaldo R. Pinto
POR QUE MONTAMOS RESPOSTA IMUNE CONTRA NOSSO PRÓPRIO ORGANISMO? 10 Prof. Aguinaldo R. Pinto
POR QUE MONTAMOS RESPOSTA IMUNE CONTRA NOSSO PRÓPRIO ORGANISMO? 10 Prof. Aguinaldo R. Pinto
POR QUE MONTAMOS RESPOSTA IMUNE CONTRA NOSSO PRÓPRIO ORGANISMO? 10 Prof. Aguinaldo R. Pinto
POR QUE MONTAMOS RESPOSTA IMUNE CONTRA NOSSO PRÓPRIO ORGANISMO? 10 Prof. Aguinaldo R. Pinto

Por ququee rrej

Por

ejeeitamos

itamos tratrannsspplantes

lantes dede órgão

órgãoss??

qu qu e e r r ej Por tra tra n n s s p

Por ququee oo fefetoto não

Por

não éé rrejeitado

ejeitado??

qu qu e e o o fe fe to to não Por é é r
qu qu e e o o fe fe to to não Por é é r

CCoommoo asas eemoções

moções ininfluflueenci

nciaamm

oo siste

sistema

ma imun

imune?e?

C C o o m m o o as as e e moções in in flu
C C o o m m o o as as e e moções in in flu
C C o o m m o o as as e e moções in in flu
C C o o m m o o as as e e moções in in flu
C C o o m m o o as as e e moções in in flu

Prof. Aguinaldo R. Pinto

13

CComomoo asas ememoçoções ões iinfluenci nfluenciamam oo sistem sistemaa iimmuune? ne? Prof. Aguinaldo R. Pinto
CComomoo asas ememoçoções
ões iinfluenci
nfluenciamam
oo sistem
sistemaa iimmuune?
ne?
Prof. Aguinaldo R. Pinto

14

Prof. Aguinaldo R. Pinto 15
Prof. Aguinaldo R. Pinto
15

Resposta imune = PROTEÇÃO contra microrganismos invasores

PROBLEMAS IMUNOLÓGICOS

2)

Quem são os microrganismos invasores?

3)

Por que Acs nem sempre protegem?

4)

Por que não conseguimos produzir novas vacinas?

5)

Por que fazemos respostas inapropriadas (alergias)?

6)

Por que temos doenças auto-imunes?

7)

Por que rejeitamos transplantes de órgãos?

8)

Por que nosso estado emocional pode influenciar a R.I.?

Agora,

uma visão geral ............................

ImImuunnidade

idade Nat

Natuurarall ee AAdqu

dquiirriidada

• Imunidade do hospedeiro

– Defesa inata e adaptativa

• Inata

– Proteção inicial contra infecções

• Adaptiva

– Adaptável – Mais lenta – Resposta recente e mais efetiva.

IImmunid

unidade

ade IInnata

ata

• Imunidade inata = natural ou nativa

– Defesa presente em indivíduos saudáveis, desde o

nascimento e preparada para bloquear a entrada de

micróbios e eliminar micróbios que têm sucesso entrando

em tecidos.

• Imunidade adaptável = específica ou adquirida

– Defesa estimulada por micróbios que invadem tecidos,

i.e., adapta à presença de invasores microbianos.

ImImuunnidade

idade InInatataa

• Barreiras epiteliais

• Antibióticos naturais

• Se micróbios quebram barreiras e entram

nos tecidos ou circulação...

– Natural Killer (NK)/Macrófagos – Proteínas do plasma e sistema de complemento.

21 Prof. Aguinaldo R. Pinto

Fagocitose

Fagocitose 22 Prof. Aguinaldo R. Pinto

Sis

Sistema

tema IImu

munnee Ada

Adapta

ptativo

tivo

• Consiste de ...

– Linfócitos e os seus produtos, i.e., anticorpos.

– Reconhecem subst diferentes

• Microbianas ou não

– Estas substâncias são chamadas antígenos.

– Só ativadas se atravessam barreiras e podem ser

reconhecidas.

– Geram mecanismos que são especializados para

combater tipos diferentes de infecções.

• Anticorpos -> micróbios em fluidos de extra-celular • Linfócitos T ativados -> micróbios intra-celular.

24 Prof. Aguinaldo R. Pinto
25 Prof. Aguinaldo R. Pinto

Tipos dede res

Tipos

posttaa iimu

respos

munnee

aadapt

daptatatiivava

Humoral

• Ac produzidos por Linfócitos B

– Defesa extra-celular

Celular

• Diversas células e moléculas

– Defesa intra-celular

27 Prof. Aguinaldo R. Pinto

ImImununiidadadede HuHumora

morall

Proteínas (anticorpos) produzidas por linfócitos

B.

Secretados na circulação e mucosas

Neutralizam e eliminam micróbios e toxinas

microbianas no sangue e no lumen de órgãos

mucosos.

Funções dos anticorpo...

Impedir que micróbios presentes na mucosa ganhem acesso para colonizar células e tecidos.

» Previnem infecções de se estabelecer.

Anticorpo

Anticorpo 29 Prof. Aguinaldo R. Pinto

ImImuuni

nidadaddee CeCelluular

lar

• Anticorpos não têm acesso a micróbios que vivem e dividem dentro de células infectadas.

• Defesa contra tais micróbios é chamada imunidade célular

• Mediada por linfócitos T.

– Linfócitos T...

• Ativam fagócitos para destruir micróbios

• Citotóxico matam células que estão abrigando micróbios infecciosos no citoplasma.

Prof. Aguinaldo R. Pinto
Prof. Aguinaldo R. Pinto

31

Prof. Aguinaldo R. Pinto
Prof. Aguinaldo R. Pinto

32

IImu

munnidade

idade Adqu

Adquirida

irida AAttiivava ee

PaPassssiivava

• Imunidade pode ser induzida em um

indivíduo por infecção ou vacinação

(i(imun

munididadadee ativ

ativaa))..

• Ou conferida a um indivíduo por

transferência de anticorpos ou linfócitos de

um indivíduo ativamente imunizado

(i(imun

munididadadee papassssiivvaa))..

ImImuunnidade

idade AAtitivava

Um indivíduo exposto monta uma resposta ativa e desenvolve resistência.

É dito que o indivíduo é “imune”, em contraste ao

indivíduo “virgem”.

Iremos ver principalmente mecanismos de imunidade ativa.

ImImuunnidade

idade Pass

Passiivava

• Um indivíduo virgem, recipiente de céls ou mols, combate uma infecção. • Imunidade passiva é útil ...

– para conferir imunidade rapidamente,

• mesmo antes de montar uma resposta ativa • Não induz resistência duradoura a infecção.

– Natural » Ac maternos (leite e placenta) – Não natural » Tratamentos médicos

Propi

Pr

opieda

edades

des dada RReesspos

postata ImImuunnee

AAdapta

daptattiivava

Especificidade Discriminação entre o próprio e o não-próprio Memória

EsEspepecciificficiidadadede

• O SI potencial p/ distinguir um bilhão de ag

diferentes ou porções.

– Exposição anterior para um antígeno não modifica a resposta para outro.

• Especificidade = especificidade de linfócito =

“repertório de linfócitos”.

Discri

Dis

crimi

minnaaççããoo entre

entre oo próprio

próprio ee

oo nnãão-

próprio

óprio

o-pr

Receptores de linfócitos

MMemó

emórriiaa

Propriedade compartilhada com o Sistema Nervoso, é a capacidade de recordar um contato prévio com uma molécula e responder a este novo contato de forma mais rápida e ampla.

MMemó

emórriiaa ImImuunnoló

ológic

gicaa

• Memória imunológica…

– Aperfeiçoa a habilidade do SI p/ combater infecções persistentes e reincidentes

• Ativa céls de memória previamente geradas.

• Cada encontro gera + céls de memória.

– Razões porque vacinas e/ou infecções conferem proteção longa e duradoura.

41 Prof. Aguinaldo R. Pinto

FaFasseess dada reresspos

postata imimuunnee

• Reconhecimento de antígeno

• Ativação de linfócitos

• Eliminação do antígeno

• Declínio

• Memória

43 Prof. Aguinaldo R. Pinto

TeTeoorriiaa dada Sel

Seleeççããoo Cl

Clononaall

• Linf. T e B de diferentes especificades

existem antes do contato com o antígeno

• Presença de receptores específicos

• Cada linfócito apresenta receptor contra um

antígeno específico

• Após ligação com antígeno, o linfócito entra

num processo de ativação

• Linf. Auto-reativos são eliminados

45 Prof. Aguinaldo R. Pinto
CANSEI!
CANSEI!