Você está na página 1de 13

Oncologia - epidemiologia

A epidemiologia contribui substancialmente para


o conhecimento das causas e definição de
estratégias de prevenção de diversas doenças,
como as neoplasias.
A epidemiologia baseia-se em dois princípios : as
doenças não ocorrem ao acaso e as causas
predisponentes podem ser identificadas
através de investigação sistemática.
Nas últimas décadas tem sido observado um
aumento e melhoria significativa,
respectivamente, na qualidade e quantidade
dos anos de vida da população brasileira.
Oncologia - epidemiologia
• O processo de urbanização unido à mudança
nos hábitos alimentares, comportamentos
sociais e sexuais, e exposição a diversos riscos
ambientais, também gerou o aumento da
morbi-mortalidade por doenças crônico-
degenerativas e um declínio diretamente
proporcional por doenças infeccionas e
parasitárias.
• Os dados de mortalidade disponíveis
( MS/CENEPI/SIM,2002) descontadas as causas
mal definidas, apontam as doenças do ap.
circulatório ( 27.6%) , seguidas das causas
externas (12.7%) e logo pelas neoplasias
Oncologia _ epidemiologia
• As neoplasias devidas a sua alta prevalência consomem um
grande volume de recursos financeiros e representam um
grande ônus, institucional e social.
• A vigilância à saúde propõe um conjunto de ações, regulares e
articuladas com objetivo de garantir informações relevantes,
atualizadas e de qualidade sobre os agravos e os riscos de
adoecer e morrer considerados de importância para a saúde
pública.
• A vigilância comporta duas áreas de concentração: a da
ocorrência de câncer, baseada em registros ; e a de fatores de
risco, baseada em inquéritos e sistemas especiais de vigilância.
Oncologia - epidemiologia
• Estima-se que em todo Brasil no ano de 2001 foram registrados
305330 casos e 117550 óbitos por câncer.
• Para o sexo masculino 150450/casos e 63330/óbitos; e para o
sexo feminino 154880/casos e 54220/óbitos.
• Dentre todos, os principais a acometerem : 1. De pele não
melanoma (54460) ; mama (31590); estômago (22330) ;
pulmão (20835) ; e próstata (20820).
• As maiores taxas de incidência entre homens são: pele não
melanoma ( 33.21/100000) ; próstata (24.94/100000) ;
estômago (18.29/100000 ) ; e pulmão (17.88/100000).
• Nas mulheres : mama (36.47/100000) ; pele não melanoma
(30.90/100000) ; colo de útero (18.86/100000) ; cólon e reto
(4.44/100000) ; e estômago (8.14/100000).
• O câncer de pulmão lidera o número de óbitos.
Oncologia - epidemiologia
• Epidemiologia analítica
• Uma parte significativa das neoplasias são atribuíveis
a influências ambientais, particularmente aquelas
relacionadas ao estilo de vida.
• Alguns fatores agem nas fases iniciais de indução de
carcinogenese, outros em fases subseqüentes como
promotores, e outros em ambas as fases.
• Um recente estudo demonstrou a correlação de Ca
de colo uterino e CA de pênis ( associado ao HPV).
• Outro exemplo associação de Ca de laringe e
pulmão com o tabagismo.
Oncologia - epidemiologia
• As informações existentes sobre fatores de risco
para o desenvolvimento de neoplasias são obtidos
através de dois tipos de investigação epidemiológica:
estudos de coorte e estudos de casos- controle.
• Tabagismo
• O fumo aumenta o risco de Ca em cavidade oral,
faringe, laringe, esôfago, pulmão, pâncreas, e
bexiga.
• Estima-se que o consumo de cigarros contribui com
cerca de 25 – 35% dos óbitos por câncer no sexo
masculino, e de 5 –10% no sexo feminino.
Oncologia – epidemiologia
• Estudos de casos-controle no RS demonstraram que
a ocorrência de Ca de esôfago em fumantes é 3.9
vezes maior que aos dos não fumantes.
• Álcool
• O consumo de álcool esta relacionado com aumento
do risco de Ca para a cavidade oral, faringe, laringe,
esôfago e fígado. Estima-se que o álcool contribua
com cerca de 3% de todos óbitos por câncer.
Oncologia - epidemiologia
• As hipóteses plausíveis do mecanismo de promoção
desempenhado pelo álcool na carcinogenese são:
• 1. Aumento da permeabilidade das células da
mucosa aos carcinógenos solubilizados em álcool.
• 2. Presença de baixos níveis de carcinógenos em
bebidas alcoólicas.
• 3. Dano celular produzido pelos metabólitos do
álcool.( acetaldeído)
• 4. Deficiências nutricionais secundárias ao
alcoolismo crônico.
Oncologia - epidemiologia
• Fatores alimentares
• Associação de gorduras e Ca de cólon
• Betacarotenos e o efeito protetor ( pulmão e
cavidade oral)
• Frutas cítricas e o efeito protetor em cavidade oral.
• Aflatoxina e Ca de fígado.
• Chimarrão e Ca de cavidade oral e esôfago.
Oncologia - epidemiologia
• Medicamentos
• Associado a 1 a 2 % de todas mortes por Câncer.
• Quimioterapia antiblástica.
• Associação de Dietilbestrol e adenocarcinoma de
vagina em filhas de mulheres que receberam esta
droga durante a gestação.
Oncologia - epidemiologia
• Infecções
• HPV ( Ca de colo de útero e pênis)
• HTLV I / II ( Leucemia do linfócito T do adulto)
• EPSTEIN-BARR ( Linfoma de Burkit)
• HVB e HCV ( Hepatoma )
Oncologia - epidemiologia
• Exposições profissionais
• Relacionados com 5% de todas mortes por Câncer
• Benzeno ( Leucemias agudas , Leucemia mielóide
crônica, Linfomas, Mieloma Múltiplo, etc.).
• Amianto ( Mesotelioma )
• Níquel e Cádmio( Ca dos seios para nasais)
Oncologia - epidemiologia
• Exposições a radiações solares
• Exposição ao raios ultra-violeta com associação aos
carcinomas de pele e lábio e melanoma nas
superfícies expostas .
• Exposição a radiação ionizantes
• Fatores Genéticos
• Polipose familiar
• Xeroderma pigmentoso
• Neurofibromatose.

Você também pode gostar