Você está na página 1de 33

FERIDAS

E
CURATIVOS

Acadêmica de Enfermagem : Lucinéia


Lima
FERIDA

É a ruptura da integridade de um
tecido ou órgão, podendo atingir
desde de a epiderme, que é a
camada mais externa da pele, até
estruturas mais profundas como
fáscia, músculo, aponeuroses e
órgãos cavitários. É uma interrupção
da continuidade da pele.
Objetivos

• Conhecer os tipos de lesões, suas


classificações e os tipos de
cicatrização.
• Conhecer os tipos de anti-sépticos e
curativos utilizados no tratamento de
feridas, bem como a indicação de
cada tipo de curativo de acordo a
característica da lesão.
Tipos de Feridas

• Ferida Aguda: é aquela em que


ocorre o processo de cicatrização
completo em 30dias.

• Ferida Crônica: é aquela que o


processo de cicatrização ultrapassa
os 30 dias.
Processo de Cicatrização
• Fase Inflamatória: apresenta um período de duração de 1 a
4 dias, com formação de coágulos sanguíneos, a ferida
torna-se edemaciada e os restos do tecido danificados e
coágulos de sangue são fagocitados.

• Fase Proliferativa: período de duração de 5-20 dias, com


produção de colágeno, formação de tecido de granulação e
aumento de tensão da ferida.

• Fase Reparadora: dura em torno de 21 dias a meses, ou


até anos, sendo caracterizada pela reorganização das fibras
de colágeno, que se comprimem para reduzir o tamanho da
cicatriz.
Classificação das lesões
(comprometimento tecidual)
• Estágio I: Atinge a epiderme
• Estágio II: Atinge a derme, caracteriza-se
por abrasão .
• Estágio III: Atinge o subcutâneo, caracterizando-se
por presença de ulcera profunda, com
comprometimento total da pele podendo haver
necrose, porém a lesão não estende até a fáscia
muscular.
• Estágio IV: Atinge o músculo e
estruturas ósseas.
Tipos de cicatrização
• Por Primeira intenção: Feridas cirúrgicas;
• Por segunda intenção: Acontece nas
feridas infectadas (abscessos) ou nas
feridas em que as bordas não foram
aproximadas.
• Por terceira intenção (sutura secundária):
feridas que não foram suturadas
inicialmente, ou que se romperam e foram
suturadas posteriormente, o que resulta
numa cicatriz mais profunda e larga.
CLASSIFICAÇÃO DA FERIDA E RISCO
ASSOCIADO DE INFECÇÃO NA INCISÃO
CIRÚRGICA
• Limpas: são aquelas realizadas em tecidos
estérieis ou passíveis de descontaminação,
na ausência de processo infeccioso e
inflamatório .
• Potencialmente contaminadas: são as
cirurgias em tecidos colonizados por
microbiota ou em tecidos de difícil
descontaminação.
• Contaminadas: são aquelas realizadas em
tecidos traumatizados recentemente
abertos e colonizados por flora bacteriana.
• Infectadas: compreende todas as
intervenções cirúrgicas realizadas em
Fatores que afetam a
cicatrização:
• Idade avançada;
• Déficits nutricionais;
• Técnica inadequada do curativo;
• Hiperatividade do paciente;
• Hemorragia;
• Hipovolemia;
• Edema local ou obstrução linfática;
• Infecção local, corpos estranhos;
• Má perfusão tecidual, déficit de oxigênio (DPOC, ICC);
• Medicamentos (ATB de amplo espectro, anticoagulantes);
• Distúrbios sistêmicos: acidose, hipóxia, sepse;
• Estado imunossuprimido.
Limpeza da ferida

• Não se deve
friccionar a ferida
no intuito de limpá-
la. A limpeza deve
ser realizada com
SF 0,9% morno e
em jato. Não secar
o leito da ferida
somente ao redor
da mesma.
• Seringa 20 +
agulha 40x 12
• Técnica limpa x
técnica estéril
• Evolução
Características do curativo
ideal
• Manutenção do meio úmido,
• Absorver excesso de exsudato,
• Ser isolante térmico,
• Permitir troca gasosa;
• Ser barreira microbiana;
• Ser livre de partículas;
• Proporcionar retirada atraumática.
Tipos de Curativos
Semi- Oclusivo
• É absorvente e comumente é
utilizado em feridas cirúrgicas

Oclusivo

• Não permite a passagem de ar ou


fluidos, sendo uma barreira contra
bactérias
Compressivo
• É utilizado para reduzir o fluxo sangüíneo ,
Ou promover estase, e ajudar na aproximação das
extremidades do ferimento.

Sutura com fita adesiva

• Após a limpeza da ferida, as bordas do tecido


seccionado são unidos e fixa-se a fita adesiva.
Este tipo de curativo é apropriado para cortes
superficiais e de pequena extensão.
Curativos Abertos

• São realizados em ferimentos


descobertos e que não tem
necessidade de serem ocluídos.
Algumas feridas cirúrgicas ( após 24
horas ), cortes pequenos ou
escoriações.
Coberturas mais usadas
• FILME TRANSPARENTE AUTO-ADESIVO
Bioclusive® Suprasorb F® Tegaderm®

-Descrição: Composta por poliuretano estéreis


-Indicação: Cobertura de incisões cirúrgicas, prevenção
de úlceras de pressão, fixação de cateteres
vasculares.
-Freqüência de troca: Em média 7 dias
-Vantagens:Mantém o leito da ferida
úmido e apresenta permeabilidade
seletiva. É transparente e aderente
a superfícies secas. Adapta-se aos
contornos do corpo. favorece a
monitorização direta da ferida ou
acesso vascular.
•Colagenase (Iruxol)
-Composição: Preparação enzimática apartir
de Clostrydium histolyticum, composta de
enzimas proteolíticas
-Indicação: Feridas com tecidos
desvitalizados;
-Contra indicação: Pacientes com
sensibilidade, feridas com tecido de
granulação;
-Troca: de 12/12hs.
-Vantagens: Custo baixo;
-Desvantagem: Não é seletivo, podendo
danificar o tecido de granulação e
macerar as bordas.
• SULFADIAZINA de PRATA Dermazine®
Pratazine®

-Descrição: é uma pomada hidrofílica, composta por


sulfadiazina de prata a 1%. Pode ser associada ao
nitrato de cério e ácido hialuronico;
-Indicação: tratamento de queimaduras ,
-Contra indicação: pacientes sensíveis ao produto,
lesões necrosadas;
-Frequência de troca: 8/8hs, máximo 12/12hs.
-Vantagens: baixo custo.
-Desvantagens: Trabalhosa, forma pseudocrostas;
pode provocar maceração e retardo da epitelização.
Também pode apresentar toxicidade sistêmica.
ÁCIDOS GRAXOS ESSENCIAIS:
ÁCIDO LINOLÉICO
Dersani®, Sommacare, Ativoderme

• Descrição:ÁCIDO LINOLÉICO associado a


LANOLINA, vit A , e E
• Indicação:lesões abertas não infectadas.
profilaxia de úlceras de decúbito ;
• Freqüência de Troca: em média de 12 horas.
• Vantagem: Promove a quimiotaxia e neoangio-
gênese, estimula a granulação, fácil uso,
Pode - se associar a outros curativos.
• Desvantagens: Quando seca, adere
a lesão, pode levar à hipergranulação,
caso utilize cobertura permeável,
pode haver extravasamento para
a roupa de cama.
• HIDROCOLÓIDE Comfeel® Duoderm®

-Descrição: Curativo aderente, camada interna:


gelatina, pectina e carboximetilcelulose sódica.
Camada externa: espuma de poliuretano.
-Indicação: Feridas limpas, GII, com média e
pequena quantidade de exsudato; Prevenção de
úlceras de pressão;
-Contra indicação: Feridas infectadas, necrosadas
ou com muito exsudato.
-Aplicação: Limpar a ferida e secar ao redor, aplicar
o curativo, com borda de 2 a 3cm maior que a
ferida.
-Freqüência de troca: Até 7 dias;
-Vantagem: Facilita o desbridamento autolitico,
redução da dor, isolante térmico, vasta gama
de feridas, fácil uso, confortável,
impermeável, sem curativo secundário.
-Desvantagem: Opacidade, não recomendado para
feri- das de elevada exsudação, odor ruim,
podendo confundir com infecção, alguns podem
• ESPUMA NÃO ADERENTE Polymen ®,
Allevyn®

-Descrição: Estrutura de poliuretano, com espuma


não aderente e absorvente.
-Indicação: lesões GII a GIV com muito exsudato, não
infectadas e sem necrose, e também TQT.
-Contra indicação: alergia ao produto, feridas
infectadas e com tecido desvitalizado.
-Aplicação: Limpar a ferida e secar ao redor,
aplicar o curativo, com borda de 2 a 3cm maior
que a ferida.
-Freqüência de troca: Até 7 dias;
-Vantagem: Não aderente, diminui o trauma,
fácil aplicação e remoção, alta absorção, pode
ser cortado.
-Desvantagem: Pode aderir à ferida com exsuda-
ção mínima. Requer curativo secundário.
• ALGINATO DE CÁLCIO
Curasorb, Suprasorb, Nu-derm

-Descrição: Curativo fibroso de alginato de cálcio.


-Modo de ação: Ajuda a criar um meio úmido para cura da ferida,
forma rapidamente um gel hidrofílico na superfície da ferida.
-Indicação: Lesões GIII a GIV, hemostasia de feridas com
exsudação moderada a alta, feridas cavitárias.
-Contra indicação: Feridas com pouco exsudato, feridas com
necrose seca, queimaduras de 3 grau, sangramneto
intenso.
-Freqüência de troca: se lesão infectada, trocar DIARIAMENTE,
se não infectadas, trocar de 3 a 4 dias, dependendo do
exsudato.
-Vantagem: Alta absorção, fácil remoção,
disponível em várias formas.
-Desvantagem: Adere à ferida com baixa
exsudação, requer curativo secundário,
pode ter odor ruim na troca e secreção
acastanhada, diminui de tamanho no leito
da ferida após absorção do exsudato.
• HIDROGEL
-Descrição: Camada de gel transparente com
96% de H2O e 4% de óxido de polietileno.
-Indicação: Estágio GII a GIV, feridas com
crostas necrosadas, com baixa exsudação,
feridas dolorosas, queimaduras por irradiação.
-Frequência de troca:lesões infectadas a cada 24hs.
necrose no máximo a cada 72 hs
-Vantagens: Promove o desbridamento
autolítico, reidrata a pele, diminui a dor
da ferida.
-Desvantagens: Desidrata rapidamente,
alto custo, requer curativo secundário,
pode macerar a pele peri lesão.
• CURATIVO NÃO ADERENTE Adaptic
®

-Descrição: Malha de acetato de celulose


e emulsão de petrolatum.
-Indicação: Lesões secas e onde é
necessário evitar aderências, lesões
superficiais de queimaduras, áreas
doadora/receptora de enxerto,
abrasões e lacerações.
-Contra indicação: Feridas necrosadas e
infectadas, com grande exsudação.
-Vantagens: Evita a aderência do curativo,
protege o tecido neo formado, permite a
passagem do exsudato, pode ser
associado a outros curativos.
• CARVÃO ATIVADO

-Composição: película de carvão ativado + prata a


0,15%.
-Indicação: feridas fétidas, infectadas ou com
grande quantidade de exsudato
-Freqüência de troca: 3 a 4 dias
-Vantagens: ampla ação bactericida pela prata,
amenização dos odores da lesão.
-Desvantagens: Necessita de curativo secundário.
Custo elevado.
Obs: este curativo jamais
pode ser cortado.
1 4
semana semana
• COLÁGENO
Fibracol Plus® Promogran® Suprasorb C®

-Indicações: É indicado em feridas limpas,


pouco exsudativa, com ausência de tecido
necrótico-fibrinoso e sem sinais de infecção;
como feridas traumáticas com perda de 
substância, queimaduras de segundo grau,
e úlceras refratárias, como vasculogênicas
e neuropáticas.
-Freqüência de trocas:
O colágeno tende a ser
absorvido pelo leito da
ferida, servindo de subs-
trato para a formação da
camada basal da pele..
É substituído a cada 48-72hs
Migração e Suporte para
proliferação a adesão
celular celular
• COLÁGENO

1 SEMANA 4 SEMANA 7 SEMANA

1 SEMANA 9 SEMANA
Conclusão

• Para que se faça a escolha de um


curativo adequado é essencial uma
avaliação criteriosa da ferida. Essa
análise deve incluir: condições
físicasda ferida, forma, tamanho,
profundidade, bordas, presença de
tecido de granulação,presença e
quantidade de tecido necrotico e
presença de drenagem na ferida.
Bibliografia utilizada
• Andrade MNB, Seward R, Melo JRC. Curativos. Rev Méd Minas Gerais
1992;2(4):
228-36.
• Abla LEF, Ishizuka MMA. Fisiopatologia das Feridas. In: Ferreira LM. Manual
de
cirurgia plástica. São Paulo: Atheneu; 1995. p.5-11.
• Cesaretti IUR. Processo fisiológico de cicatrização da ferida. Pelle Sana
1998;2:
10-2.
• Borges EL, Saar SRC, Lima VLAN, Gomes FSL, Magalhães MBB. Feridas:
como
tratar. Belo Horizonte: Coopmed; 2001. p.97-120.
• Borges EL. Fatores intervenientes no processo de cicatrização. In: Borges
EL, Saar
SRC, Lima VLAN, Gomes FSL, Magalhães MBB. Feridas: como tratar. Belo
Horizonte: Coopmed; 2001. p.51-9.
• Silva. L.D. Cuidados ao Paciente Crítico: Fundamentos para a Enfermagem.
Rio de Janeiro: Cultura Médica. 2003, cap 08.
• Souza VHS, Mosachi N. O Hospital. Curitiba: Manual Real; 16:189-204.
• Yamada BFA. Terapia tópica de feridas: limpeza e desbridamento. Rev Esc
Enf USP