Você está na página 1de 38

Laboratório de Pesquisa em Bioética e Ética na Ciência HCPA/Brasil

Núcleo Interinstitucional de Bioética

Bioética e Direito
José Roberto Goldim Márcia Santana Fernandes
Programa de Pós-Graduação- Faculdade de Direito USP 17 de agosto de 2010. São Paulo

Sumário
Introdução I Parte: Marcos da Bioética e sua perspectiva histórica A palavra Bioética e suas repercussões A Bioética e suas tendências A Bioética e seus modelos

II Parte:A interface entre a Bioética e o Direito A Bioética como campo interdisciplinar A Bioética e o Culturalismo Questões atuais de Bioética
Conclusão

©Fernandes-Goldim/2010

Introdução

Etc...

©Fernandes-Goldim/2010

A palavra Bioética e suas repercussões ©Fernandes-Goldim/2010 .

Bioética e seus fundadores Fritz Jahr Alemanha Deveres dos seres humanos para com os animais e as plantas 1927 Van Rensselaer Potter EUA Ciência da Sobrevivência 1970 Bioética Ponte entre a ciências e as humanidades 1971 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1990 ©Fernandes-Goldim/2010 .

ciência e biotecnologia. Ela se tornou um campo de encontro para numerosas disciplinas. nem mesmo uma nova disciplina. legais e sociais trazidas pelos avanços da medicina. Autonomy and Trust in Bioethics. ©Fernandes-Goldim/2010 . Cambridge: Cambridge. eu duvido se ela será mesmo uma disciplina. discursos e organizações envolvidas com questões levantadas por questões éticas. O'Neall O. 2002:1.Bioética: campo interdisciplinar Bioética não é uma disciplina.

A Bioética e suas tendências ©Fernandes-Goldim/2010 .

R.Bioética e seus precursores Aldo Leopold José Lutzenberger Albert Schweitzer Fritz Jahr Hans Jonas V. Potter Bioética Abrangente Bioética Restrita André Hellegers 1920 1930 1940 1950 1960 1970 ©Fernandes-Goldim/2010 .

Perspectivas atuantes na Bioética ©Fernandes-Goldim/2010 .

A Bioética e seus modelos ©Fernandes-Goldim/2010 .

Bioética: Modelo Principialista Princípios Deveres prima facie WD Ross. 1930 Justiça Respeito às pessoas Beneficência Justiça Autonomia Beneficência Não Maleficência Belmont Report 1978 ©Fernandes-Goldim/2010 Tom Beauchamp e James Childress Principles of Biomedical Ethics.1978 . The Right and the Good.

7:65-74 ©Fernandes-Goldim/2010 .1950 Ética de Casos Os casuístas Hard Cases movem-se de casos claros e óbvios para casos mais problemáticos.Bioética: Modelo da Casuística Casos Paradigmáticos Situation Ethics Joseph Fletcher . Stephen Toulmin Albert Jonsen How Medicine saved the life of Ethics Casuistry and Clinical Ethics Perspectives in Biology and Medicine 1982.25:736-50. Theoretical Medicine 1986.

ampliar os seus afetos e formá-lo com tal propriedade e dignidade de conduta. Manchester: Russell.Bioética: Modelo das Virtudes Ética das Virtudes Edmund Pellegrino (Universidade Georgetown) Qualidades morais O estudo da ética profissional. confidencialidade e honra John Gregory Lectures on the Duties and Qualifications of a Physician 1772 ©Fernandes-Goldim/2010 não pode falhar em revigorar e ampliar a sua compreensão. abrandar as suas maneiras. que são essenciais ao caráter de um cavalheiro. Thomas Percival Medical Ethics. . persistir na observância dos deveres. 1803. Obrigações de discrição.

Bandman. ©Fernandes-Goldim/2010 . Brown. 2003. Bertram Bandman Eduardo Adriano Bioethics and human rights: Bioética y derechos humanos. 1978.1(1):15-36. a reader for health professionals. Elsie L. Boston: Little. Summa Bioética.Bioética: Modelo dos Direitos Direitos Humanos A função da Direitos Individuais Bioética Direitos Coletivos é explicar Direitos Transpessoais as questões dos direitos morais.

compartilhada e interdisciplinar sobre a adequação das ações que envolvem a vida e o viver.br ©Fernandes-Goldim/2010 José R.26(2): 86-92. Goldim . www. Revista HCPA 2006.ufrgs.bioetica.Bioética: Modelo Complexo Bioética é uma reflexão complexa. Bioética: Origens e complexidade.

Bioética Complexa (Goldim. 2002) Passado Evidências Afetividade Sistema de Valores e Crenças Tradições Referenciais Teóricos Fatos + Circunstâncias Repertório de Casos Vinculos Presente Problema Desejos Interesses Alternativas Futuro Conseqüências Decisão ©Fernandes-Goldim/2010 Ação .

2000:15-34 .Moral Respeito Normas Direito Obrigação Ação Justificativa Ética ©Fernandes-Goldim/2010 Adolfo Sanches Vasques Ética Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

II Parte:A interface entre a Bioética e o Direito  A Bioética como campo interdisciplinar  A Bioética e o Culturalismo: um método para ampliação das fontes jurídicas  Questões atuais de Bioética ©Fernandes-Goldim/2010 .

A Bioética como campo interdisciplinar ©Fernandes-Goldim/2010 .

©Fernandes-Goldim/2010 . como divorciar conhecimento da reflexão”. 49 “Descobriu-se.com CHERRAPUNJI/INDIA “Ciência é conhecimento. no nosso tempo. Boston:Beacon Press. mas não é sabedoria.Pontes Vivas . 1948. An Anthology.blogspot.FICUS ELASTICA http://folhadobicho. Albert Schweitzer.” Van Rensselaer Potter Bioethics . New Jersey:Prentice-Hall. 1971: p.Bridge to the future.

p.A complexidade do mundo como um “sorvete napolitano” (Aldous Huxley) Morango = Físico Chocolate = Biológico Baunilha = Social Bertalanffy. Teoria geral dos sistemas. 7576. V. 1975. Brasília: Vozes. L. ©Fernandes-Goldim/2010 .

Bioética: Modelo Complexo Aspectos Sociais Aspectos Políticos Aspectos Espirituais Aspectos Profissionais Aspectos Psicológicos Aspectos Educacionais Aspectos Científicos Aspectos Econômicos Interdisciplinaridade Aspectos Assistenciais Aspectos Biológicos Aspectos Morais ©Fernandes-Goldim/2010 Aspectos Éticos Aspectos Jurídicos .

1996. ©Fernandes-Goldim/2010 Valdemarina B. Porto Alegre.).Interdisciplinaridade Ocorre entre pessoas: • Linguagem comum • Objetivos comuns • Reconhecimento da necessidade de considerar diferenças • Domínio dos conteúdos • Síntese complementar Participação e Interdisciplinaridade . EDIPUCRS.Movimentos de Ruptura/ Construção (Org. de Azevedo e Souza .

A Bioética e o Culturalismo ©Fernandes-Goldim/2010 .

A importância no estudo da Bioética está essencialmente delimitada por sua humanidade universal. ©Fernandes-Goldim/2010 . esta entendida não como restritiva à diversidade cultural. mas como o campo interdisciplinar que integra a pessoa e os valores culturalmente situados.

Bioética e o Culturalismo Universalidade Diversidade ©Fernandes-Goldim/2010 .

..São Paulo: Editora Forense. Filosofia do Direito.“(. ao processus da experiência humana de que participam todos. 2002 ©Fernandes-Goldim/2010 .) a pessoa que se realiza na História. conscientes ou inconscientes de sua significação universal.” Miguel Reale.

” Paolo Grossi. todavia. democrática. ©Fernandes-Goldim/2010 . e que. revela ser substancialmente violenta e repressiva em vista de desagradáveis perturbações.A diversidade. liberal. 2008. e a crise gera rachaduras numa estrutura considerada como sublime. Primeiras Lições de sobre Direito. São Paulo: Editora Forense. “gera a crise. como diria Paolo Grossi.

wordpress.files.jpg?w=495 .com/2008 /03/passaro.O Direito: participação necessária a uma percepção bioética. ©Fernandes-Goldim/2010 http://projeto9.

66.” Paolo Grossi.“O espaço jurídico adquire uma projeção imaterial ou. Primeiras Lições de sobre Direito. São Paulo: Editora Forense. 2008. pág. para dizer melhor. o seu objeto necessário é o variado e complexo ajustar-se do tecido das relações entre homens segundo o variado e complexo organizar-se da sociedade. o território não é mais seu objeto necessário. ©Fernandes-Goldim/2010 .

Questões atuais de Bioética ©Fernandes-Goldim/2010 .

© http://ffffound...8cf3a1 ©Fernandes-Goldim/2010 .com/image/489dc8b9b3f27de7573f883c336d4..

BIOBANCO DE MATERIAL BIOLÓGICO HUMANO B Armazenamento de material biológico humano e informações associadas para realização de pesquisas ©Fernandes-Goldim/2010 .

©Fernandes-Goldim/2010 .

Grupo interdisciplinar do HCPA Advogado Clinico Biologo Engenheiro Normativa de Biobancos do HCPA Geneticista Administrador Cirurgião BIOÉTICA ©Fernandes-Goldim/2010 .

©Fernandes-Goldim/2010 .

Medicina e Direito • Comissão de Ética para o Uso de Animais – CEUA/HCPA • Serviço de Bioética • Registro em Prontuário • Laboratório de Pesquisa em Bioética e Ética na Ciência • Núcleo Interinstitucional de Bioética (CNPq) • Linha de Pesquisa: Bioética e Complexidade • www.Bioética: Modelo Complexo A Experiência do HCPA • Disciplina de Bioética.CEP/HCPA 1988 1993 1996 1997 1998 ©Fernandes-Goldim/2010 2003 2009 2010 .br • Round Clínico de Bioética – UTI Pediátrica • Disciplinas de Bioética. Bioética em Pesquisa e Bioética Clínica • I Curso de Introdução à Bioética • Comitê de Bioética Clínica – Consultorias de Bioética Clínica • Comitê de Ética em Pesquisa .bioética.ufrgs.

Ponte Viva .Região de CHERRAPUNJI/INDIA http://folhadobicho.br .com Bioética Direito www.ufrgs.bioetica.blogspot.

8 &$$% 995..!43908'.

.

/4-.42 ##!&.14.4 -48549 .

430.0 . '.70104 -079 $.0907 3 3944 489430.3#03880.4-7: 80 343488490254 .834F8.F..47.8 7/094901:9:70 00780!7039.3/08 4/2.20394 2.-0/47. 5  08.424/.430.7 ..20394/.07!49907 409.. H3.43 !7088  073.

  .

4 4. 079..34  /4:8:0 47./0/42:3/4.4250/.:3.549./48 88902.4..$4..8J.4 .07.424:2 847.0903.904O.'408  5   073.311  ' %047.3/08 4/2.34J8.8 7.

  .

48 850.948 !4J9.948 888903.4O.48 3907/8..48 850.948 8579:./0 850..7/...948 47.43.948 .948 039J1.948 /:.4F9.48 850.8 850.3/08 4/2.948 4O.8 850.948 !8.8 850.432..4/0442504 850.53.8 850.948 $4.8 073.48 850.8 850.948 !7418843.

48 .948 A9.948 :7J/.  850.48 850.

 /00. !.42:38 W #0.203948/0#:59:7.430.8 W 42J34/48.7 '.7/.3907/8./0/0 .403907/8.7/10703.42:2 W -09.02.20394/.53.438/07./0 .48.30.088/.73.0/40$4:.42502039.8 W 3:.4390/48 W $J39080.53.7/./02.79.47700397050884.5./0 4.

3/08 4/2. 43897:4 7 !4794070 !&#$  073.

  .

4F9.3/08 4/2.04:9:7..824 073.

  .

50884./0 :3..3/. .424 4 .:9:7.7 6:0 3907.  /. :2. 254793. 34 089:/4 /../48 073. 089E 08803.4708 . 34 ..3/08 4/2.078/.20390 /029./. 4F9.424 708979.078... 03903//.20390 89:. 089. 547 8:./0 . 2.254 3907/8.53. 0 48 .8 .:9:7..

  .

824 &3.3/08 4/2./0 .078/./0 073../.04:9:7.4F9.078.

  .

/47094 $4!..03908 /08:.6:08070.0507H3./06:0 5.50884.078.470380   073.:2.4 574.438. :0#0.3/08 4/2.088:8/.831.3.294/48 .3. .:4/947.0 4841. .4:3.79.5.438.039084:3.89O7...

  .

08 !. 02 . ..3/08 4/2.7.08 5079:7-.424 /7.89. 470380   073./0 . 7.424 8:-20 -07. .4039.780 07.7E9. 70./:7.078/. 0 6:0 94/..3.0.. /0 /08..:4/947. /024.44 7488 07. !./. ./E. . .447488 !7207.8 3:2...438/07.808/084-707094 $4!. 0 7057088. 0897:9:7..780 0 .20390 . 807 8:-89. /.

  .

3/08 4/2.073.

  995.

.

574094 108 47/57088 .42.

  .

.

.5..088E7.79.74 5 7094 5.4 30. .5.88. 507. :2.054 -4F9.

0/./4 0 .4 :7J/../6:70 :2.7. 84..8 70.808/084-707094 5E  $4!.470380   073. 57404 2.8 80: 4-094 30.907.447488 !7207.3.08 03970 42038 80:3/4 4 .7.42504 . 4: 5.7 80 /4 90.42504 47.7 80 /.7.088E74 4 80: 4-094 30./4 0 .088E74 F 4 ./4 /.3/08 4/2.:4 /947./0 !.4 . /07 2047 4 90779O74 34 F 2.:89.085.

  .

073.":08908..8/04F9.3/08 4/2.9:.

  .

 995.

.

11114:3/ .42.

0.2.

/ ./.--1/01.1.3/08 4/2. 073.

  .

907.85..70.-4O./.4/05086:8.03.08.3/08 4/2..20394/02.4:2.884.  %#   &  72.7.8 073.340 31472.

  .

073.3/08 4/2.

  .

/4 3./47 7:74  A% 073.7/4! /.4 444 303074 472.9.89.48 /4! 0309.3..7:543907/8.3/08 4/2. /0 4-. /23897.4.53.

  .

073.3/08 4/2.

  .

.4/0442504 507H3./4! W 8.5..7.07094 W 42884/0A9.4&84 /032.3. 0/.53.4F9..8 &../0 4F9.

/04F9..4F9. 4F9..04F9.3.J3. W :784/03974/:44F9./0 W  -4F9..4/04F9.04250/.02 4F9....8/04F9.0439073899:.43.0A9. &%!0/E97. !6 W 3..9O74/0!086:8. W .-47.02!086:8..! W $07./0!086:8.. !..8/04F9..J3.J3.... 438:947....H3. W 8.53. W 429H/04F9. :178 -7 W #4:3/J3.4/04F9. W #0897402!7439:E74 W . W 429H/0A9...02!086:8.

! 073.3/08 4/2.

             .

. #04/0##!&.!4390'.

 995.

.

14.4 -48549 . .42 7094  -409../4-.. :178 -7 4F9.