Você está na página 1de 37

TENÍASE

Agentes etiológicos: Taenia solium


Taenia saginata
MORFOLOGIA
ESCÓLEX

Taenia solium T. saginata


PROGLOTES GRÁVIDOS

T. saginata T. solium
OVO

Embrióforo

Embrião hexacanto
ou
oncosfera
TRANSMISSÃO

* Ingestão de carne de porco crua ou mal


cozida contendo cisticerco de T. solium.

*Ingestão de carne de bovino crua ou mal


cozida contendo cisticerco de T. saginata
PATOGENIA E SINTOMATOLOGIA
* Pouco patogênica, freqüentemente
assintomática

*MANIFESTAÇÕES ABDOMINAIS:
- dor epigástrica
- náusea
- constipação intestinal
- prurido anal (T. saginata)
- pequenas hemorragias pela fixação do escólex
- inflamação e edema do intestino delgado
- aumento da secreção gástrica e da motricidade
intestinal
*MANIFESTAÇÕES GERAIS
-Cefaléia
-Excitação
-Perda de peso
-Eosinofilia
-Desnutrição

Crianças e pacientes imunodeprimidos podem


apresentar uma sintomatologia mais grave,
inclusive manifestar ataques epileptiformes
DIAGNÓSTICO

* Diagnóstico Clínico

* Diagnóstico Parasitológico
- Fita gomada
- Tamisação
FAMÍLIA HYMENOLEPIDIDAE

* Hymenolepis Weinland, 1858: espécies


desprovidas de rostelo e sem acúleos, oriundas
de roedores (H. diminuta).

*Rodentolepis Spasskij, 1954: espécies com


rostelo armado de acúleos, oriundas de humanos
e roedores (R. nana).

*Vampirolepis Spasskij, 1954: espécies dom


rostelo armado, porém oriundos de morcegos.
Hymenolepis nana
MORFOLOGIA
* Vermes adultos medem cerca de 3 a 5 cm de
comprimento, com 100 a 200 proglotes bastante
estreitas. O escolex apresenta 4 ventosas e um
rostro retrátil armado de ganchos.

*Ovos são subesféricos, medindo 40µm de


diâmetro. São transparentes e incolores.

*Larva cisticercóide: é formada por um escólex


invaginado e envolvido por uma membrana
Hymenolepis nana

Hymenolepis diminuta
Cisticercoide
* HOSP. DEFINITIVOS: Homem, roedores.

* HOSP. INTERMEDIÁRIOS: pulgas


(Ctenocephalides canis, Xenopsylla cheopis,
Pulex irritans) e coleópteros( Tenebrio molitor, T.
obscurus e Tribolium confusum).

*HABITAT: intestino delgado ( jejuno e íleo) do


homem.
Hymenolepis diminuta.
H. Definitivo: Roedor.
H. Intermediario: Insetos (coleópteros).
Hymenolepis diminuta.
H. Definitivo: Roedor.
H. Intermediario: Inseto(coleóptero).
Diphyllidium caninum

Proglótides con duas papilas


genitais.

Proglótides grávidos
Dipyllidium caninum
Fezes com proglótides grávidos.
Etapa diagnóstica - grãos de arroz.
Cápsulas ovígeras.
“ ALERT A GAST RONÔMICO:
Salmão causou surt o de
doença, diz laudo”

“Peixe cru causa surto de


doença em SP; 18 casos
foram anotados no ano”
05/04/2005
Diphyllobotrium spp.
Espécies: Diphyllobothrium latum
Diphyllobothrium pacificum

Distribuição Geográfica
- Europa: paises bálticos e escandinavos
- Ásia: Japão
- América do Norte: região dos Grandes
Lagos
- América do Sul: Chile e Argentina
Localização
Peixes (Hospedeiro Intermediario) : musculos e
visceras.
Homem(Hospedeiro Definitivo): Intestino delgado
(jejuno).

Tempo de vida do verme adulto: 10 – 30 anos.

Eliminação de ovos : aproximadamente um


milhão/dia
Sinais e Sintomas

*Distensão abdominal
*Flatulência
*Cólica abdominal intermitente
*Emagrecimento
*Diarréia.
A condição mais grave consiste em uma
anemia megaloblástica (Vit. B12).
A maioria das pessoas infectadas são
assintomática e, normalmente não
apresentam risco à vida.
DIAGNÓSTICO
Exame de fezes

PREVENÇÃO
-Ingestão do peixe bem cozido ou o
congelamento prévio do peixe a –20ºC, por 7
dias.