Você está na página 1de 40

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE


DEPARTAMENTO DE MORFOLOGIA
MICROBIOLOGIA MÉDICA
PROFª Dr. EMERSON FERREIRA DA COSTA

COMPONENTES: PAULO EMIDIO LOBAO CUNHA


RAQUEL MATOS DE SANTANA
RENATA REIS FIGUEIREDO
RENATO MORAES DE ALMEIDA MESQUITA JUNIOR
RODRIGO VERAS SIQUIEROLI
Características Gerais dos Vírus da
Hepatite
Hepatite A (HAV)
• Conhecida como Hepatite Infecciosa
• Transmitida por via oral-fecal
• É causada por um picornavírus, um vírus RNA
• Período de incubação de 15-50 dias
• Sintomas ictéricos surgem abruptamente
• Raramente causa doença fatal
• Indíce de mortalidade < 0,5%
• Ausência de associações patológicas
Características Gerais dos Vírus da
Hepatite A (HAV)
Hepatite
• Estrutura: Capsídio icosaédrico desnudo
circundando um genoma constituído por um RNA
de filamento único.

• Estável a meio ácido, solventes orgânicos,


temperaturas brandas
• Inativado por altas temperaturas, tratamento de
água, radiação ultravioleta
Características Gerais dos Vírus da
Hepatite
Hepatite B (HBV)
• Conhecida como Hepatite Sérica
• Transmitida por via parenteral através de
sangue ou agulhas, contato sexual e
perinatalmente
• É causada por um hepadnavírus com genoma
de DNA
• Período de incubação de 45–160 dias
• Sintomas ictéricos aparecem de modo
insidioso
• Seguida de hepatite crônica em 5 a 10% dos
pacientes
• Indíce de mortalidade 1 a 2% dos casos
• Associações patológicas: carcinoma
hepatocelular primário (PHC) e cirrose
Características Gerais dos Vírus da
Hepatite B (HBV)
Hepatite
• Estrutura: O vírus contém vírion envelopado
contendo genoma de DNA circular, de filamento
parcialmente duplo (partícula de Dane)
• O vírus codifica e transporta uma transcriptase
reversa

• Resistentes ao tratamento com éter, baixo ph,


congelamento e aquecimento moderado
• O genoma do HBV pode se integrar ao
cromossomo do hospedeiro
Características Gerais dos Vírus da
Hepatite
Hepatite C (HCV)

• Principal causa de Hepatite pós-transfusional


• Transmitida por via parenteral através de sangue
ou agulhas, contato sexual e perinatalmente
• É causada por um flavivírus, um vírus RNA
• Período de incubação de 14-180 dias
• Apresenta maior potencial de desenvolver doença
crônica, com 80% de cronicidade
• É o caso de hepatite mais prevalente, com mais
de 170 milhões de portadores da doença no
mundo em 2004
• Indíce de mortalidade de 4%
• Associações patológicas: carcinoma hepatocelular
primário (PHC) e cirrose
Características Gerais dos Vírus da
Hepatite
Hepatite C (HCV)
• Estrutura: O vírus é envelopado com um
genoma de RNA
• O genoma do HCV sofre variação durante a
infecção devido à existência de regiões
hipervariáveis nos seus genes
• O HCV infecta apenas os seres humanos e os
chimpanzés

Hepatite G (HGV)
• Se assemelha em grande parte ao HCV
• O HGV é um flavivírus, é transmitido pelo
sangue e apresenta predileção para a hepatite
crônica
Características Gerais dos Vírus da
Hepatite
Hepatite D (HDV)

• Conhecida como Hepatite delta ( HDV – agente


delta)
• Ocorre apenas em pacientes com infecção
ativa por HBV, pois requer a presença do
mesmo para a replicação ativa como “vírus
auxiliar”
• É causada por um picornavírus, um vírus RNA
• Período de incubação de 15-64 dias
• O agente delta exacerba os sintomas causados
pelo HBV – superinfecção por HBV
frequentemente grave
• Responsável por 40% dos casos de hepatite
fulminante
• Índice de mortalidade elevado
Características Gerais dos Vírus da
Hepatite
Hepatite D (HDV)
• Estrutura: O genoma do HDV é um RNA de
filamento único e circular, que é circundado pelo
cerne do antígeno delta que, por sua vez, é
circundado por um envelope contendo HBsAg.

• O agente delta se liga aos


hepatócitos e é internalizado
de maneira semelhante ao HBV
Características Gerais dos Vírus da
Hepatite
Hepatite E (HEV)

• Conhecida como Hepatite Entérica


• Muito semelhante a Hepatite A.
• Transmitida por via oral-fecal
• Período de incubação de 15-50 dias
• O HEV possui um capsídeo e genoma RNA
• Sintomas ictéricos surgem abruptamente
• Raramente causa doença fatal, a não ser em
gestantes
• Indíce de mortalidade 1 a 2%, mas em
gestantes pode chegar a 20%
• Ausência de associações patológicas
Vírus da Hepatite
• Transmissão:

• Via Fecal-oral:
HAV e HEV
Vírus da Hepatite
Transmissão:

• Via parenteral,
perinatal e contato
sexual:
HBV, HCV e HDV
Patologia
Geral
• Degeneração pontilhada das células
parenquimatosas, necrose de hepatócitos, reação
inflamatória lobular difusa e ruptura dos cordões
hepáticos;
• Numa fase avançada ocorre acúmulo de
macrófagos próximo aos hepatócitos em
degeneração;
• Com aumento ou necrose dos hepatócitos pode
ocorrer ruptura dos canalículos biliares ou bloqueio
da excreção biliar;
• A preservação do arcabouço reticular permite a
regeneração dos hepatócitos;
Patologia
Geral

• O tecido hepático lesado é restaurado em 8 a 12


semanas;
• Em 5 a 15% dos pacientes a lesão inicial consiste em
necrose hepática confluente (em ponte) com
comprometimento da regeneração;
• O HBV e o HCV desempenham um papel no
desenvolvimento do carcinoma hepatocelular
primário (PHC).
Patologia
Hepatites A e E

• Lesão hepática;
• Febre, fadiga, náusea, perda do apetite e dor
abdominal;
• Icterícia (pele e conjuntivas amareladas)
Patologia
Hepatite B

• Replicação do HBV nos hepatócitos;


• Genoma do HBV latente + cromatina do
hepatócito;
• Produção de antígenos (HBsAg);
• Citopatologia de vidro moído de hepatócito.
Patologia
Hepatite B - Infecção Aguda

• Resposta imunológica eficaz;


• Período podrômico: febre, mal-estar, anorexia,
náusea, vômitos, desconforto abdominal e calafrios;
• Lesão hepática: edema e necrose celular dos
hepatócitos;
• Sintomas ictéricos: icterícia, urina escura e fezes
pálidas.
Patologia
• Hepatite B - Infecção Crônica

• Hepatite B - Infecção Crônica:


• Resposta imunológica limitada;
• Hipersensibilidade;
• Vasculite, artralgia, exantema, lesão renal;
• Cirrose e insuficiência hepática.
Patologia
Hepatite C

• HCV permanece associado à célula e impede a


morte da célula hospedeira;
• Infecção Persistente:
• Preservação da arquitetura lobular;
• Inflamação porta;
• Intumescimento e palidez dos hepatócitos
(paralelepípedo);
• Fibrose discreta à ausente.
Patologia
Hepatite D

• O HDV apenas pode se replicar e causar doença


em pessoas com infecções ativas pelo HBV;
• Co-infecção: replicação do HDV após infecção
inicial do HBV;
• Superinfecção: replicação imediata do HDV em
pacientes com HBV crônica;
• Hepatite Fulminante:
­ Encefalopatia hepática;
­ Necrose hepática maciça.
Diagnóstico Laboratorial
• Diagnóstico Laboratorial
• Utilização de testes sorológicos: ELISA

• HAV: detecção de anticorpos anti-HAV do tipo IgM

• HBV: diferenciação dos estágios:

Agudo Crônico ativo Crônico inativo Curado Pós vacina


HBsAg + + + - -
HBeAg + + - - -
Anti-HBc IgM - + + + -
Anti-HBc IgG + - - - -
Anti-HBs IgG - - - + +

¤ dosagem de transaminases (ALT e AST)


Diagnóstico Laboratorial
• Diagnóstico laboratorial
• HCV: detecção de anticorpos anti-HCV

• HDV: detecção de anticorpos anti-HDV do tipo


IgM (agudo) e IgG (crônico)

• Utilização de testes genéticos: PCR


Diagnóstico Laboratorial

Método ELISA
Epidemiologia
Agente Modo de Período de Período de
Genoma
etiológico transmissão incubação transmissibilid
ade

− 2 sem antes do


HAV RNA Fecal-oral 15-45 d início dos
sintomas até o
final da 2a s de
doença
− 2-3 sem antes
dos sintomas e
30-180 d
Sexual durante a
HBV DNA (média: 30-
Parenteral evolução clínica
90)
Percutânea
Vertical −  portadores
crônicos por
anos
− 1 sem antes do
Sexual
HCV RNA 15-150 d início dos
Parenteral
sintomas e
Percutânea
enquanto HCV-
Vertical
RNA positivo

Sexual
HDV RNA 30-180 d − 1 sem antes do
Parenteral
início dos
Percutânea
sintomas
Vertical

− 2 s antes do Principais características dos


HEV RNA Fecal-oral 14-60 d início dos vírus que causam hepatite.
sintomas até o Guia de Vigilância
final da 2a s de Epidemiológica do MS; 6a
doença edição – 2006; pg. 411
Epidemiologia
Generalidades

• Testes sorológicos específicos são vitais na


diferenciação entre os vários tipos de hepatites
• Distribuição universal e magnitude que varia
entre regiões
• Alta prevalência em regiões com precárias
condições sanitárias e sócio-econômicas
Epidemiologia
Hepatite A

• Endemia com surtos epidêmicos


• Higiene pessoal inadequada e aglomerações
facilitam a disseminação (intrafamiliar e
intrainstitucional)
• Tende a ser mais sintomática em adultos
• Nos países em desenvolvimento, a exposição,
a infecção e a imunidade subseqüente são
quase universais
• Casos anictéricos x casos ictéricos
adultos ⇒ 1:3
crianças ⇒ 12:1
Epidemiologia
Hepatite A - Brasil

• 130 casos novos/ano por 100 mil habitantes


• 90% de exposição da população maior que 20
anos
• Regiões com melhores condições de
saneamento: maior quantidade de adultos
jovens suscetíveis
Epidemiologia
• Hepatite B
• Identificado em quase todos os líquidos
corporais, sendo infecciosos na saliva, no
sêmen e no soro
• Contato íntimo e transmissão vertical (10%
intrauterino)
• Não é transmitida por aleitamento materno
• Reservatório: portadores crônicos
• Grupos com altas prevalências: profissionais
de saúde, cônjuges de infectados, pessoas
sexualmente promíscuas, portadores de
algumas patologias
• Infecções anictéricas x ictéricas ⇒ 4:1
Epidemiologia
Hepatite B

• Relação com carcinoma hepatocelular


• Extremo Oriente e África: recém-nascidos e
crianças pequenas (transmissão vertical)
• América do Norte e Europa: adolescentes e
adultos jovens
Brasil
• A endemicidade e a prevalência se
modificaram devido as políticas de vacinação
a partir de 1991
Epidemiologia
• Hepatite C
• Hepatite associada a transfusão
• No Brasil, não existem estudos suficientes
para determinar a real prevalência

• Hepatite D
• Endêmica (mediterrâneo) ou epidêmica
(outros locais)
• Hepatite migrante
• Associação principalmente com hepatite B
Epidemiologia
Hepatite E

• Endêmica na Índia, Ásia, África e América


Central
• No Brasil, casos isolados
• Caráter migrante
Tratamento
• Hepatite Aguda
• Sintomático e suporte (dieta, hidratação)
• Evitar álcool e medicações hepatotóxicas

• Hepatite Crônica
• Biópsia hepática – definição do tratamento
• Alta complexidade – diretrizes
• Genotipagem – tipo de tratamento e duração
• Interferon, lamivudina, ribarvarina
Prognóstico
• Hepatite A
• Excelente – 1% fulminante
• Hepatite B
• Bom prognóstico – 90% a 95% fica livre do
vírus
• Crianças – maior cronificação
¤ < 1 ano: 90%
¤ 1-5 anos: 20%-50%
• Portadores crônicos
¤ Replicação do vírus ⇒ cirrose
Prognóstico
• Hepatite C
• Cronificação 60% a 90%
• Maioria evolui para cirrose e hepatocarcinoma
• Transplante
• Hepatite D
• Cronificação
¤ Co-infecção 3% ⇒ hepatite fulminante
¤ Superinfecção 80% ⇒ cirrose
• Hepatite E
• Mais grave em gestantes
• Sem relatos de cronificação ou viremia
persistente
Vacinação e Medidas de Controle
Hepatite A

• Imunoglobulina
• Vacina
• Saneamento Básico
• Medidas de Higiene
Vacinação e Medidas de Controle
Hepatite B

• Vacinação
• Uso de preservativos
• Não compartilhamento de objetos de usos
pessoais e daqueles utilizados para o uso de
drogas injetáveis e inaladas
• Uso das normas adequadas de biossegurança
para procedimentos cirúrgicos e odontológicos
Vacinação e Medidas de Controle
Hepatite C

• Não existe vacina atualmente


• Medidas de controle semelhantes às
observadas para a Hepatite B
Vacinação e Medidas de Controle
Hepatite D

• Medidas de prevenção semelhantes às


observadas para a hepatite B
• A vacinação contra hepatite B tem efeitos
profiláticos na hepatite pelo agente delta
• Não protege os portadores de hepatite B
contra a superinfecção por HDV
Vacinação e Medidas de Controle
Hepatite E

• Não existe vacina


• Não existem estudos que comprovem a
eficácia do uso profilático de imunoglobulina
• Medidas de prevenção contra doenças
transmitidas por água e alimentos
• Evitar o consumo de alimentos de vendedores
ambulantes
Vacinação e Medidas de Controle
Hepatite G

• Cuidados com a manipulação de sangue


• Uso de preservativos
• Não compartilhar objetos cortantes como agulhas
e seringas