Você está na página 1de 22

Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e

Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

Cap 4 – Gestão de Direitos

“A legislação tradicional de proteção à propriedade


intelectual é incapaz de lidar com os desafios
impostos pela economia da informação”

Essa é uma idéia bastante propagada, mas que não é


totalmente verdadeira.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

 O que mudou é que a internet e as TI oferecem


oportunidades e desafios novos para a aplicação dos
princípios tradicionais de proteção à propriedade intelectual.

 Os detentores de produtos e serviços característicos da


economia da informação devem buscar se beneficiar das
facilidades existentes no que se refere à reprodução e à
distribuição dos mesmos.
 Ex: Videocassete.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

Propriedade Intelectual
Propriedade Intelectual são leis que protegem, estimulam
e regulam a reprodução de inovações.
Marcas
Patentes
Desenhos industriais e
Direitos autorais
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

Propriedade Intelectual
 Intellectual property refers to creations of the mind:
inventions, literary and artistic works, and symbols,
names, images, and designs used in commerce.
Intellectual property is divided into two categories:
Industrial property, which includes inventions (patents),
trademarks, industrial designs, and geographic
indications of source; and Copyright, which includes
literary and artistic works such as novels, poems and
plays, films, musical works, artistic works such as
drawings, paintings, photographs and sculptures, and
architectural designs.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

Custos de Reprodução e Distribuição


 Custos de reprodução: o custo de fazer reproduções
perfeitas na economia da informação é praticamente nulo
(ex: gravador, reduz custo de cópia, mas não de distribuição
– esta é tão cara quanto do original)
 Custos de distribuição: permite que a distribuição seja
rápida e eficiente (ex: radio, reduz custo de distribuir um tipo
de música, se comparado à distribuição via CD).
 A tecnologia digital permite que ambos sejam reduzidos
significativamente.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

Como aproveitar as vantagens do baixo custo de


distribuição?
- permitir que clientes experimentem seu produto
(livrarias permitem que leitores folheiem livros e revistas;
internet - pode oferecer uma amostra do bem da
informação).
“A beleza da informação é que você pode doar amostras
grátis de algo que possui custo marginal zero de
distribuição”.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

 A questão é saber medir o quanto doar e o quanto vender.


Aqueles que acertarem a medida correta tenderão a obter
lucros maiores.
 No caso da internet, é possível oferecer um grande
volume de informações grátis, uma vez que a
inconveniência de ler algo na tela do computador faz com
que as pessoas prefiram adquirir o bem físico (versão off-
line).
 Mas é preciso que a versão on-line seja protegida contra
impressão, a fim de evitar redução das vendas off-line.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

Demanda por versões repetidas


 CD oferece a opção de ouvir uma música quando você
deseja. Já se você ouve uma música pelo rádio, apenas
quando o DJ resolver tocá-la de novo você poderá ouvi-
la.
 As pessoas gostam de ouvir aquilo que gostam quando
querem, repetidamente.
 CD oferece valor de opção (pode ouvir a música quando e
quantas vezes desejar).
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

 Crianças possuem tendência a querer ver repetidas vezes


um filme ou desenho, tornando-se um público que
justifica a doação de parte da informação.

 Ex: Vídeos infantis para escolas

 Mesmo adultos possuem preferência em rever alguns


tipos de filmes ou documentários, por exemplo.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

Produtos semelhantes, mas não idênticos.


 A estratégia aqui é doar amostras para vender produtos
semelhantes, mas não iguais, a fim de não cansar o
consumidor (ex: revista Playboy – amostra é diferente do
conteúdo, mas dentro de um mesmo tema).
 Outro exemplo é o MacAfee, que vende o VirusScan.
 O importante é que as amostras grátis guiem os clientes
para você.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

 A internet e as TI oferecem grandes oportunidades para o


uso criativo de amostras grátis.
 Amostras grátis são importantes por dois motivos:
3. consumidores precisam de amostras para saber o que está
sendo vendido;
4. o custo de oferecer esta amostra é muito baixo.

 A fim de obter retorno oferecendo amostras grátis, é


fundamental utilizar a estratégias de versões.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

Produtos complementares

 Estratégia antiga, baseada na venda casada de produtos;


(gilete e navalha; impressora e cartucho...).
 Oferece o índice para a pessoa comprar o conteúdo.
 Ex: Revistas que oferecem o índice de notícias, mas
cobram pelo conteúdo.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

Copiagem ilícita
 O ponto central das empresas imersas na economia da
informação é saber até que ponto podem oferecer seus
produtos gratuitamente sem incorrer em prejuízos ou
perdas de lucro esperado. Nesse caso, é importante saber
balancear exatamente o conteúdo ofertado gratuitamente
e aquele que somente será acessado mediante pagamento
do consumidor.
 Ex: Wall Street Journal
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

 É importante perceber que a informação oportuna


(placares de jogos, fofocas...) é menos suscetível de ser
copiada de maneira ilícita, pois seu valor é reduzido em
função do tempo (torna-se uma informação inútil).
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

 Outro ponto é que os contrabandistas de informação


ilícita (assim como de mercadorias) não podem se
anunciar amplamente, pois poderão ser pegos pelas
autoridades.
 Isso acaba impondo um limite natural ao tamanho das
atividades ilegais com fins lucrativos.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

 Quanto maiores são as atividades ilegais, maiores são as


chances de se ser pego.

 A pirataria intelectual não pode ser impedida, mas pode


ser controlada.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

Como fazer com que os custos de reprodução baixos


lhe favoreçam?
 As cópias digitais são cópias perfeitas do original.
 Isso porque para o conteúdo digital, a produção é
reprodução.
 Essa fato também é verdadeiro para as cópias analógicas,
ainda que em menor grau (fitas de vídeo, documentos...).
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

 A questão, assim, é saber conviver com as cópias digitais


assim como aprendemos a viver com as cópias
analógicas.
 Historicamente, sempre houve receio da sociedade em
relação às mudanças tecnológicas.
 Ex: Professores na idade média, vídeo, xerox, e-mail...
 A cada mudança, a quantidade de informação distribuída
sempre aumentou.
 Outro exemplo: surgimento das bibliotecas.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

 É importante que os produtores de bens da informação se


preocupem não apenas em proteger sua propriedade
intelectual, mas principalmente busquem maximizar o seu
valor.
 Perder um pouco de sua propriedade quando vende ou
aluga um produto é parte do negócio. Ás vezes é mais
lucrativo perder um pouco hoje e ganhar mais no futuro.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

A Escolha dos Termos e Condições


 Como uma empresa deve definir os termos e condições
pelos quais seu produto será utilizado pelos clientes?
 Primeiramente, deve-se perceber a relação inversa que
existe entre controle e valor percebido pelo cliente.
 Quanto mais liberdade um cliente detiver para
compartilhar um produto com outras pessoas, maior o
valor que ele atribuirá.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

 O fato dos termos e condições serem mais liberais possui


dois efeitos:
2. Empresa poderá cobrar um preço mais alto pelo produto;
3. Mais consumidores irão querer adquirir esse produto.
 Entretanto, termos mais liberais também estimulam a
concorrência: mercados de aluguel, e revenda, que
acabam reduzindo as receitas pela diminuição de compras
do produto original.
Universidade Estácio de Sá - Gestão Empresarial e
Tecnologia da Informação
ECONOMIA DA INFORMAÇÃO – 1o. período

 O desafio da gestão dos direitos de propriedade está em


equilibrar esses efeitos.

 Quanto mais generosos forem os termos de uso, mais


poderá cobrar pelo produto, mas menos irá vender.