Você está na página 1de 70

ETERI DOMINGO 16 DE NOVEMBRO

2008

Medicina Nuclear
Prof:Silvestr
e
E-mail:silvestres1000@yahoo.com
Medicina Nuclear
Definição

A Medicina Nuclear é uma especialidade


médica que usa pequenas quantidades
de material radioativo combinadas a
medicamentos para formar imagens do
organismo e tratar doenças.
MEDICINA NUCLEAR

In Vitro
Diagnóstico

In Vivo

Terapia
DIAGNÓSTICO IN VIVO

Disfunções metabólicas e funcionais

Processos inflamatórios e infecciosos

Trauma

Neoplasias

Alterações perfusórias e vasculares


DIAGNÓSTICO

sistema nervoso intestino


central pulmões
espaços liquóricos coração
tireóide vasos sanguíneos
paratireóides vasos linfáticos
adrenais fígado e vias biliares
rins
glândulas salivares
ossos
esôfago
mamas
estômago
TERAPIA

Câncer da tireóide
Hipertiroidismo
Dores ósseas por metástases
Tumores neuroendócrinos
Radioisótopos e radiofármacos
Princípio Fundamental

+
Material Radioativo Medicamento
(Radioisótopo ou Marcador) (Fármaco)

Radiofármaco
O Papel da Medicina Nuclear
Comparação com outras modalidades

Equipamentos com tecnologia baseada em RX geram a radiação, que é


transmitida através do organismo do paciente.

Nos equipamentos de RX, CT e MR, as imagens são tipicamente


anatômicas.
O Papel da Medicina Nuclear
Comparação com outras modalidades

Na Medicina Nuclear...

... a radiação é emitida pelo paciente. A distribuição da radiação no organismo é


definida por funções metabólicas.

A Medicina Nuclear gera imagens


metabólicas / funcionais / fisiológicas.
EQUIPAMENTOS E
ACESSÓRIOS EM MEDICINA
NUCLEAR:
Gama-câmaras
Componentes do Sistema

Gantry Detectores
Mesa de pacientes
Gama-câmaras
Componentes do Sistema

Estação de aquisição Estação de processamento


Gama-câmaras
Outros modelos

GE Philips (ADAC) Marconi


Gama Câmara 1 Cabeça
Gama Câmara

de 2 cabeças
Gama Câmara

Cardiologia
Função Ventricular

Em

Exercício
Gama-câmaras
Princípio Básico de Aquisição de Dados

Detector

Analisadores
Pulsos elétricos

Fotomultiplicadoras
Pulsos luminosos

Cristal
Fótons Colimados

Colimador

Fótons Gama
TÉCNICA DO EXAME

Estudos estáticos

Estudos dinâmicos

Estudos de corpo inteiro – WB

Estudos Tomográficos – SPECT

Estudos Sincronizados - GATED


Tipos de Exame
Exames Convencionais

❍ Planares estáticos: uma única foto.

❍ Planares dinâmicos: várias fotos


sequenciais de um mesmo plano.

Clique na imagem para ver o filme.


(Em modo de apresentação)
ESTUDO ESTÁTICO

Inalação Perfusão
ESTUDO ESTÁTICO
ESTUDO DINÂMICO
ESTUDO DINÂMICO
(QUANTIFICAÇÃO)
Tipos de Exame
Exames Convencionais

❍ Exame de Corpo Inteiro (ou de varredura).


ESTUDOS DE CORPO INTEIRO
Tipos de Exame
Exames Convencionais

❍ Tomográficos (SPECT - Single Phonton


Emission Computed Tomography):

Fotos em vários planos com posterior


reconstrução de imagens em corte.
ESTUDOS TOMOGRÁFICOS SPECT
Tipos de Exame
Exames Convencionais

❍ Exames GATED: Sincronizados com o ECG


do paciente.

Clique na imagem para ver o filme.


(Em modo de apresentação)
PET

“A TECNOLOGIA MÉDICA QUE ESTÁ SE


DESENVOLVENDO MAIS RAPIDAMENTE
NA ATUALIDADE”

Frost e Sullivan study march


2003
Estadiamento Clínico
Tipos de Exame
Tomografia por Emissão de Pósitrons - PET

Princípio Físico:
(Detector)

Radiofármaco 1) O radioisótopo emite um pósitron. O


pósitron é a anti-matéria do elétron,
~1-3mm
511 keV tem a mesma massa e a mesma
β+ (Pósitron) carga elétrica, só que positiva.

β− (Elétron) 2) O pósitron viaja em média 1 a 3 mm


511 keV até se chocar com um elétron.

3) No choque, o pósitron e o elétron se


aniquilam e emitem dois fótons de
(Detector)
alta energia (511keV) em sentido
diametralmente oposto (conservação
do momentum).
Tipos de Exame
Tomografia por Emissão de Pósitrons - PET

Princípio Físico (continuação):


(Detector)

Radiofármaco
4) O equipamento deve detectar a
~1-3mm cintilação em dois pontos
511 keV
simultaneamente.
β+ (Pósitron)

β− (Elétron)
511 keV 5) A detecção das cintilações
simultâneas chama-se de evento de
coincidência. O circuito que detecta
tais eventos chama-se de circuito de
coincidência.
(Detector)
BABY
CYCLOTRON
Câmara dedicada - PET
CÂMARA COM CIRCUITO DE
COINCIDÊNCIA
INDICAÇÕES

Cardiologia – 5%

Neurologia-10%

Oncologia-85%
CARDIOLOGIA
NEUROLOGIA
ONCOLOGIA
RADIOFÁRMACOS

Administração
Excreção
Oral
Urina
Endovenosa
Fezes
Inalação
Suor
Subcutânea
RADIOFÁRMACOS e suas Afinidades
Gerador

99m
Tc
EMISSORES DE PÓSITRONS

Isótopo Meia-vida (min)


 F-18 109,7
 C-11 20,4
 N-13 9,96
 0-15 2,07
 Ga-68 68,3
 Rb-82 1,25
ESTRURA FÍSICA
Sala de Espera

Pacientes Injetados
Banheiro

Pacientes Injetados
RADIOPROTEÇÃO BÁSICA

•TEMPO

•DISTÂNCIA

•BLINDAGEM
Sala de
administração

Óculos
plumbífero

Protetor de
tireóide

Dosímetro
Óculos Avental de
chumbo
plumbífero
Avental

Luvas
Laboratório

Vidro
plumbífero

Barreira
de
chumbo

Impermeabilizante
Exaustor
Laboratório

Capela
de
chumbo
Laboratório

Torneira
abertura com
braço

Geiger Muller

Cuba 50 cm
Sala Quente

Barreira
de
chumbo

Depósitos
de
chumbo
EFEITO BIOLÓGICO DA
RADIAÇÃO

Efeito Efeito
Direto Indireto

Dano Reparo
Primário

Célula
Modificada
Morte
Celular Célula
Somática

Dano ao
Órgão Efeito
Hereditário

Morte do Câncer
Organismo Leucemia
Efeitos
Determinísticos
REAÇÃO DA PELE IRRADIADA (ACIDENTE DA
ARGENTINA)
ACIDENTE DE GOIÂNIA
REAÇÃO DA PELE IRRADIADA
ACIDENTE DE GOIÂNIA
REAÇÃO DA PELE IRRADIADA
ACIDENTE DE GOIÂNIA
REAÇÃO DA PELE IRRADIADA
ISRAEL - 1990 - 12,6PBq (340KCi) - 10 a 20Gy -MORTE EM 36 DIAS
0s Raios- X são invisíveis,nós não!!!!