Você está na página 1de 28

TRABALHO DE PDI

IMAGEM ANALÓGICA & IMAGEM


DIGITAL

Elaborado por Bombo Admar Domingos


O OBJECTIVO

Fazer uma análise comparativa entre a imagem


analogica e a digital que permita traçar rumos e
perspectivas na relação das pessoas com a
imagem .
Aprofundar as questões enerentes do advento
das mídias digitais.
 
Introducao
Segundo Jean-Paul Sartre
“A imaginação ou conhecimento da imagem vem do entendimento;
é o entendimento, aplicado à impressão material produzida no
cérebro, que nos dá uma consciência da imagem”.
Antes de tudo, é preciso compreender as diferenças entre o conceito
de imagem no senso comum e o conceito filosófico de imagem.
Jean-Paul Sartre entende que a imagem é diferente de uma idéia ou
conjunto de idéias, pois para ele “a imagem é o pensamento do
homem enquanto modo finito, e, no entanto, é idéia e fragmento do
mundo infinito, que é o conjunto de idéias”.
É possível perceber que a imagem também é pensamento, porém
diferente de
uma simples racionalização de um objeto, pois ela está carregada de
significação.
De certa maneira a imagem é uma
representação do real.
Imagem analogica & imagem
digital
Imagem analogica
A produção da imagem com o auxílio de uma
câmera era conhecida desde o
período renascentista. “O princípio de
funcionamento das câmeras já era conhecido há
muito tempo: a luz penetrando por um orifício
da parede de um quarto escuro forma na parede
oposta uma imagem invertida do objeto que
estiver do lado de fora do quarto”.
O primeiro a tentar registrar uma imagem por
meio da ação da luz foi o inglês
Thomas Wedgwood (1771-1805).
Antes mesmo de 1800, ele tentou sensibilizar o
papel e couro com nitrato de prata, colocando-os
em contato com objetos planos ou
transparências pintadas e expondo-os à luz.
A fotografia surgiu como resultado da interação
de processos físicos e químicos.

A luz que passa pela lente atinge o negativo


fotográfico e provoca uma sensibilização dos
sais de prata ali aplicados, registrando assim
uma imagem à semelhança do objeto
fotografado. Este processo de registro de
imagens é o que chamamos de fotografia
analógica
a fotografia analógica está fundamentada
no processo físico-químico
de registro da imagem, ou seja, a
formação da imagem sobre a película
fotográfica pressupõe a existência de um
objeto referente a uma determinada
realidade.
Imagem digital

A tecnologia digital está baseada no processo


físico-numérico, ou seja, a luz que
passa pela objetiva da câmera sensibiliza um
sensor eletrônico (um chip) que produz uma
interpretação numérica da intensidade luminosa
que o atingiu, formando assim uma imagem que
é uma combinação de dados.
A informática, aliada à tecnologia de
imagem digital, permite que esta
combinação de dados seja alterada
por meio do uso de “softwares”
específicos na fase que chamamos de
pós-produção.
As primeiras imagens apareceram no campo da
astronomia e paulatinamente foram se
expandindo para outras áreas, como a medicina,
até chegarem ao uso do público em geral.
O suporte de registro da imagem digital é
totalmente diferente da película fotográfica.
Nesse momento fica evidente a distinção entre
aquilo que convencionamos chamar fotografia e
essa nova forma de registro de imagens que
denominamos imagem digital.
Porém, outros fatores técnicos e tecnológicos
também irão colaborar para o estabelecimento
de semelhanças e diferenças entre fotografia
química e fotografia digital.
A imagem digital não faz com que apareça um novo
gênero fotográfico. Na realidade, o seu processo de
pós-produção se insere em qualquer gênero
fotográfico e amplia as possibilidades de trabalho
com a imagem fotográfica.
Até então, após a sua produção, a imagem analógica
era editada, recortada, retocada ou até colorizada a
partir de processos manuais ou mecânicos.
Agora o processo digital pode ser aplicado sobre a
fotografia,desde que esta seja transformada em uma
imagem digital através do escaneamento da
imagem
A digitalização das imagens atende a demanda
dos veículos de informação que necessitam de
imagens dos fatos e acontecimentos no mundo
em tempo praticamente simultâneo ao seu
desenrolar, ou seja, a rapidez e a facilidade de
transmissão das imagens são um fator de
determinação do seu formato de uso
Imagem digital é uma representação em duas
dimensões de uma imagem como um conjunto
finito de valores digitais, chamados pixels
A matriz é uma malha, onde cada ponto ou
célula é um pixel, com um valor associado a
cada ponto.
Uma das
formas de representação da imagem digital é
por percentagem de três cores: vermelho, verde
e azul, conhecido como RGB.

Portanto a imagem é guardada numa forma


numérica como dados
Quanto mais fina a malha for maior será a
qualidade da imagem. Também quanto mais
possibilidades temos de ter no número em cada
pixel, maior será a quantidade de cores que
poderemos colocar em cada pixel logo, maior a
qualidade da imagem, e por conseguinte, maior
será o seu tamanho.
A primeira imagem digital foi feita por Russell
Kirsch, no NBS, agora conhecido como National
Institute of Standards and Technology (NIST)
Imagem de raster e imagem
Vetorial
A imagem vetorial tenta traduzir a imagem
recorrendo a instrumentos de vetores e de
desenho, tipo, retas pontos, curvas polígonos
simples, etc. isto associado a uma
proporcionalidade de posição permite que
mesmo que se estenda a área de imagem não se
irá perder qualquer definição da imagem. Tem a
vantagem adicional de ocupar menos espaço em
termos de memória.
Imagem vectorial
A imagem raster apresenta problema ao se
aumentar as dimensões da imagem, os pixels
vão-se distribuir por uma área maior, logo
tornando a imagem mais indefinida. E claro que
iremos ter de guardar cada pixel.

A qualidade de uma imagem digital se dará


sobre dois aspectos, a quantidade de pixel por
polegada (resolução da imagem), e o número de
pixels na horizontal e na vertical (tamanho da
imagem em centímetros).
Por exemplo: Se uma imagem possui 1.000
pixels x 1.000 pixels, significa dizer que possui
um milhão de pixels, ou 1M como é mais
comum nas propagandas de máquinas digitais,
mas isso não necessariamente quer dizer que
está imagem é de alta qualidade, porque ainda
falta a relação com a quantidade de pixels por
polegada (DPIs) da imagem.
Para uma boa definição é preciso que a imagem
tenha 300DPIs (dots per inch, ou, pontos por
polegada), isso permite que se faça uma cópia de
alta qualidade em papel fotográfico, o tamanho
desta cópia vai depender de quantos pixels a
imagem possui na vertical e quantos na
horizontal.
Raster & vectorial
Formatos de ficheiros de
imagem
JPEG - Joint Photographic Experts Group
A extensão em DOS é "JPG". É o formato mais
utilizado e conhecido atualmente. Quase todas
as câmaras dão esta opção para guardar as
imagens. Arquivo muito utilizado na Internet e
em multimidia, por ter uma compactação
excelente, algo fundamental ao meio, e por
suportar até 16.777.216 cores distintas.
TIFF - Tagged Image File Format
Arquivo padrão para impressão industrial
também muito usado como opção nas câmaras
fotográficas.
GIF - Graphics Interchange Format
Criado para ser usado extensivamente na
Internet. Suporta imagens animadas e 256 cores
por frame. Foi substituído pelo PNG.
BMP - Windows Bitmap
Normalmente usado pelos programas do
Microsoft Windows. Não utiliza nenhum
algoritmo de compressão, daí esse formato
apresentar as fotos com maior tamanho.
PNG - Portable Network Graphics
É um formato livre de dados utilizado para
imagens, que surgiu em 1996 como substituto
para o formato GIF

PCD - Kodak Photo CD


Este é um formato proprietário lançado pela
Kodak, em 1992 como parte um sistema de
digitalização e armazenamento de imagens para
suprir a demanda no início da popularização
das imagens digitais.
Conclusão

Com o surgimento da fotografia, o homem passou a


ter um conhecimento mais
preciso e amplo de realidades que lhe eram, até
aquele momento distantes, acessíveis unicamente
pela tradição escrita, verbal e pictórica.
A fotografia possibilitou uma nova forma de
apreensão do real, aproximando pessoas, lugares e
culturas.
“O mundo, a partir do século XX, se viu, aos
poucos, substituído por sua imagem fotográfica.
O mundo tornou-se, assim, portátil e ilustrado”.
BIBLIOGRAFIA

ENCILOPEDIA ENCARTA “
MICROSOFT.CO”
www.admbr.cjb.net
Wikipédia, a enciclopédia livre
http://pt.wikipedia.org/wiki/Imagem_raster
http://pt.wikipedia.org/wiki/Imagem_vectorial