Você está na página 1de 30

É uma doença epidêmica global, resultante de estilos de vida sedentários, da melhoria das condições socioeconômicas e da disponibilidade de alimentos processados de alto valor calórico nas sociedades industrializadas - 35% população adulta americana em sobrepeso - 30% população adulta americana obesa

BRASIL
‡ Sobrepeso: 48,1%
± atinge mais de 30% das crianças entre 5 e 9 anos de idade ± cerca de 20% da população entre 10 e 19 anos ± 48% das mulheres e 50,1% dos homens acima de 20 anos ± Entre os 20% mais ricos, o excesso de peso chega a 61,8% na população de mais de 20 anos

‡ Obesidade
± População com mais de 18 anos:15%.

A obesidade é determinada pelo índice de massa corporal .

Tipos de obesidade ‡ A distribuição da gordura armazenada na região central e nas vísceras (tronco e cavidade abdominal) apresenta risco muito mais alto de várias doenças do que a gordura acumulada difusamente no tecido subcutâneo .

Acúmulo de lipídeos ‡ O acúmulo de lipídeos na forma de triglicerídeos é alcançada por meio da distensão dos adipócitos (hipertrofia) ± a multiplicação de adipócitos reduz praticamente a zero após os 10 anos de idade ‡ O organismo tende a manter o maior peso que o indivíduo já adquiriu ± a habilidade de armazenar energia sob forma de gordura em tempos de fartura confere uma vantagem evolutiva em ambiente no qual possam ocorrer períodos de escassez de alimentos .

Etiologia ‡ Complexa e incompletamente compreendida ‡ Simplificadamente é uma desordem do balanço energético (energia ingerida excede o gasto energético ± o excesso é armazenado como TG no tecido adiposo) ‡ Fatores fisiológicos. psicológicos e ambientais ± Obesidade entre asiáticos e indianos no EUA ± Gêmeos idênticos criados separados concordância na adiposidade ± hereditariedade de 80 a 90% ‡ O consumo e o gasto energético sofrem regulação fina por parte de mecanismos hormonais e neurais (controle sensorial interno lipostato) .

pâncreas (insulina) e estômago (grelina) 2. unidade central processadora localizada no hipotálamo ± integra os sinais aferentes 3. sistema aferente que gera sinais humorais a partir do tecido adiposo (leptina).Etiologia Mecanismos neuro-humorais que regulam a equação energética: 1.Sistema executivo (efetor) que ³manda as ordens´ do comportamento alimentar e dispêndio de energia .

.

Moléculas ‡ Leptina: produzida pelo tecido adiposo quando há abundância de energia armazenada . aumenta termogênese. Tiroxina. reduz a conversão de gordura em energia (grampeamento gástrico) NPY: neuropeptídeo Y ± estimulador do apetite. supressor do apetite CRH: hormônio liberador de corticotrofina ± induz anorexia e ativa SNA simpático (receptor F3 ± lipólise) Grelina: secreção aumentada por jejum e hipoglicemia ± aumenta intensamente o apetite e os depósitos de gordura. diminui a taxa metabólica (antagonistas receptores) MCH: hormônio concentrador de melanina ± efeitos alimentares e anabólicos ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ ‡ .provoca sensação de saciedade e estimula vias catabólicas -MSH: hormônio estimulador de melanócitos ± diminui o apetite e aumenta o gasto energético TRH: hormônio liberador de tireotrofina ± ativa lib.

.

Defeitos Genéticos (³tendência a engordar´) ‡ Mutações ou heranças de genes alterados (não funcionais) envolvidos com o lipostato interno podem levar à obesidade ‡ Alterações herdadas mais comuns: ‡ Gene LEP (codifica leptina) ob ob ‡ Gene LEPR (codifica receptor de leptina) ‡ QUESTÃO PARA PROVA .

nervos e vasos sangüíneos ± ± ± ± ± Insuficiência renal crônica Catarata Aterosclerose Dificuldade de cicatrização (colágeno) Neuropatia diabética periférica (arteríolas endoneurais) .Conseqüências da Obesidade ‡Diabetes tipo II e resistência à insulina Altos níveis de glicose apesar da presença de insulina (hiperinsulinemia) ± glicação ‡ Complicações a longo prazo nos rins. olhos.

hipertensão ± ³entupimento das artérias´ ± isquemia ‡ Hipertensão e hipertrofia ventricular esquerda ± Excesso de insulina ± retenção de sódio. baixo HDL.Conseqüências da Obesidade ‡ Aterosclerose . aumento do volume sangüíneo. produção de NA ‡ Aumento de cálculos biliares (Colelitíase) ± 6x mais comum em obesos do que em magros ± Aumento do colesterol total.Infarto do Miocárdio e AVC ± Altos níveis de LDL. aumento do seu metabolismo e aumento da excreção biliar do colesterol (sais biliares) . diabetes tipo II.

calor .Conseqüências da Obesidade ‡ Esteato-hepatite não alcoólica ± Excesso de lipídeos (níveis de apoproteína não acompanham) ‡ Hipoventilação (³síndrome de Pickwick´) ± Aumento da massa abdominal impede a expansão torácica durante a inspiração (aflição) ± Hipersonolência (pausas apnéicas durante o sono) ‡ Infecções fúngicas da pele ± Dermatite intertriginosa (infecção nas dobras da pele) ± Acúmulo de umidade. maceração da epiderme.

‡ Problemas cirúrgicos ± Impedimento físico (+ difícil tecnicamente: + tempo) ± Riscos com anestesia.Conseqüências da Obesidade ‡ Osteoartrite ± Desgaste das articulações devido ao peso (quadril. complicações pulmonares e infecções aumentados ± Mortalidade cirúrgica 2x maior que para pessoas normais . joelho e coluna) ‡ Menstruações anormais e ovário policístico ± Gordura corporal aumentada fornece espaço de armazenamento para estrógenos ± Insulina parece alterar a foliculogênese ovariana contribuindo para as alterações morfológicas e é capaz de elevar a androgenemia.

fígado.Conseqüências da Obesidade ‡ Associação de obesidade com câncer: esôfago. mas dificuldade em explicar ± Endométrio e cânceres dependentes de hormônios: aumento dos níveis estrogênicos . útero ± A relação existe. próstata. mama. linfoma. colorretal.

.

ANOREXIA NERVOSA E BULIMIA .

da qual resulta acentuada perda de peso ‡ Bulimia: condição na qual o paciente come em demasia e. que desenvolveram uma obsessão pela magreza . a seguir. provoca vômitos ‡ Estas desordens ocorrem sobretudo em mulheres jovens. anteriormente saudáveis.Definição ‡ Anorexia nervosa: inanição auto-inflingida.

em geral.ANOREXIA NERVOSA ‡ Achados clínicos são. mielinização alterada .O. os mesmos encontrados na má nutrição protéico energética (marasmo) ‡ Pode resultar em redução do peso corporal em mais de 60% ‡ Perda muscular (aa como fonte de energia). níveis de albumina normal ou levemente reduzida ‡ Anemia (M. hipoplásica) ‡ Imunodeficiência ± infecções intercorrentes ‡ Cérebro sofre atrofia. n´ reduzido de neurônios.

.

ANOREXIA NERVOSA ‡ ‡ Efeitos no sistema endócrino são proeminentes Amenorréia resultante do decréscimo da secreção de hormônios liberadores de gonadotrofina ± Subseqüente diminuição do LH e do FSH ‡ Decréscimo da liberação do hormônio tireóideo ± ± ± ± Intolerância ao frio Bradicardia Constipação Alterações na pele e cabelos (seca e escamosa) ‡ ‡ Densidade óssea reduzida Aumento da susceptibildade a arritmias cardíacas e morte súbita (resultante provavelmente da hipocalemia) .

BULIMIA ‡ Na bulimia a orgia alimentar é a norma ‡ Quantidades enormes de alimentos são ingeridas para logo depois serem expulsas por vômitos induzidos ‡ Irregularidades menstruais (menos importante que na anorexia) ± Níveis de gonadotrofinas são mantidos perto dos normais .

.

BULIMIA ‡ Complicações devidas à contínua indução de vômito: ± Desequilíbrio eletrolítico (hipocalemia) predispõe o paciente a arritmias cardíacas ± Aspiração pulmonar do conteúdo gástrico ± Ruptura do esôfago e da cárdia .

.

ansiedade.‡ ‡ ‡ ‡ Tratamentos obesidade Leptina Agonistas MC4R (alfa-MSH) Antagonistas MCH (agressividade. atividade motora ‡ T4 ‡ Agonistas beta3 .

‡ Insulina: efeito anabólico e anti-catabólico ‡ Engorda. depois K sai. depois bomba Na/K) . ganho de massa ‡ Hipocalemia: interfere no potencial de ação cardíaco (Na entra.

8 centímetros. O folículo rompido começa a produzir grandes quantidades de estrogênio e progesterona em preparação para a concepção. Ele pode se formar quando a ovulação não ocorre e um folículo não rompe ou não libera o seu ovo. Ultra-som é o principal instrumento usado para documentar o cisto folicular. Porém. Porém.Cisto folicular O cisto folicular é o tipo mais comum. Se a gravidez não ocorrer. . causando dor pélvica ou abdominal. o corpo lúteo pode encher-se de fluido ou sangue e se expandir tornando-se um cisto e ficar no ovário. Ele tem uma parede fina enchida de fluido claro. Geralmente o cisto folicular não produz sintomas e desaparece por si mesmo em alguns meses. mas ao invés disso cresce até tornarse um cisto. O cisto de corpo lúteo não ameaça a gravidez. ele pode crescer até 10 centímetros de diâmetro e sangrar ou torcer o ovário. o corpo lúteo geralmente desaparece. Depois que o folículo libera o ovo ele torna-se uma glândula pequena temporária secretória conhecida como corpo lúteo. Cisto de corpo lúteo O cisto de corpo lúteo é um tipo funcional que pode romper na época da menstruação e leva até três meses para desaparecer inteiramente. Geralmente o cisto de corpo lúteo não produz sintomas. Em torno de 1/4 das mulheres com esse tipo de cisto experimenta dor. A ruptura do cisto folicular pode ocasionar dor forte no lado do ovário no qual o cisto apareceu. Exame de pélvis também ajuda no diagnóstico se o cisto for grande o suficiente. Se ele for enchido de sangue pode romper e causar sangramento interno e dor súbita. Essa dor ocorre no meio do ciclo menstrual. Mulheres usando pílula anticoncepcional geralmente não formam esse tipo de cisto. O cisto folicular geralmente se forma durante a ovulação e pode crescer até o diâmetro de 5. durante a ovulação.