Unidade I – História das Políticas Públicas de Saúde no Brasil

Prof. Amanda Ribeiro

• Economia: agroexportadora (monocultura do café) • Epidemias: varíola, malária, febre amarela • Fator econômico: navios não queriam mais atracar nos portos do Rio de Janeiro • Oswaldo Cruz foi nomeado Diretor do Departamento Federal de Saúde Pública • “Guardas-sanitários” – medidas de desinfecção no combate do vetor da febre amarela

Saúde na República Oligárquica (1889-1930)

• Modelo Campanhista – “visão militar”, uso de força e autoridade – revolta da população • Lei Federal nº 1261 (31/10/1904) – Vacinação anti-varíola obrigatória em todo território nacional. • Revolta da vacina

Saúde na República Oligárquica (1889-1930)

.

.

.

• Apesar das arbitrariedades. o modelo campanhista obteve importantes vitórias contra doenças epidêmicas Saúde na República Oligárquica (1889-1930) Fortalecimento do modelo durante décadas .

Saúde na República Oligárquica (1889-1930) . •a introdução do laboratório como auxiliar do diagnóstico etiológico. possibilitando conhecer a composição e os fatos vitais de importância da população. •a fabricação organizada de produtos profiláticos para uso em massa (vacinas).Na reforma promovida por Oswaldo Cruz foram incorporados como elementos das ações de saúde: •o registro demográfico.

Carlos Chagas – sucessor de Oswaldo Cruz • Inovou o modelo campanhista incorporando a propaganda e a educação sanitária na rotina de ação • Expansão das atividades de saneamento para outros estados • Combate das endemias rurais (agricultura era atividade hegemônica da época) Saúde na República Oligárquica (1889-1930) .• 1920 .

Saúde na República Oligárquica (1889-1930) • Movimento operário no Brasil – greves gerais em 1917 e em 1919 • 1923 – Lei Eloy Chaves – criação das Caixas de Aposentadoria e Pensão (CAPs) .O nascimento da previdência no Brasil • Processo de industrialização Rio-São Paulo • Mão de obra imigrante principalmente italianos) (europeus.

que tinham administração própria para seus fundos Saúde na República Oligárquica (1889-1930) .• A lei se aplicava ao operariado urbano • As caixas eram organizadas por empresas e não por categorias profissionais • Dependia do poder de mobilização e organização dos trabalhadores • A primeira CAP criada foi a dos ferroviários • Restrita a grandes empresas.

médicos. Saúde na República Oligárquica (1889-1930) . conforme explicitado no artigo 9º da Lei Eloy Chaves: •socorros médicos em caso de doença para o trabalhador e dependentes. •medicamentos obtidos por preço especial determinado pelo Conselho de Administração.Além das aposentadorias e pensões. os fundos proviam os serviços funerários.

1945) • 1929 – Crise econômica do café • 1930 – Revolução – Getúlio Vargas • Expansão do sistema econômico – criação do “Ministério do Trabalho”. .Saúde Pública no Governo Vargas (1930 . o da “Indústria e Comércio”. “Ministério da Educação e Saúde” •1934 – Nova constituição – política de massas •Em 1939 regulamenta-se a justiça do trabalho e em 1943 é homologada a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

.

1945) • Concentração econômica (Rio de Janeiro. bancários) . Belo Horizonte) – agravamento dos desequilíbrios regionais • Aumento da massa assalariada urbana – criação da estrutura sindical (controle das massas) • Substituição das CAPs pelas Institutos de Aposentadoria e Pensões (IAP) – organização por categoria profissional (marítimos.Saúde Pública no Governo Vargas (1930 . comerciários. São Paulo.

o dos Bancários (IAPB) e dos Industriários (IAPI) • 1938 .1945) • 1933 .o dos Estivadores e Transportadores de Cargas (IAPETEL). o de Aposentadoria e Pensões dos Marítimos (IAPM) • 1934.Saúde Pública no Governo Vargas (1930 .o dos Comerciários (IAPC) • 1936 . .foi criado o primeiro instituto.

democracia e desenvolvimento (1945-1964) • 1945 – Vargas é deposto.Saúde Pública.Departamento Nacional de .Serviço de Assistência Médica Domiciliar e de Urgência (SAMDU) mantido por todos os institutos • 1950 – grande desenvolvimento na área hospitalar • 1953 foi criado o Ministério da Saúde • 1956 . liberalização do regime político • 1949 .

1964) • 1960 – Lei Orgânica da Previdência Social – prevê a unificação das IAP’s (não ocorre) • Contribuição do empregado. empregador e da União do • Inicio da Medicina de Grupo na década de 60 (prestação privada de serviços de saúde) .Saúde Pública no Governo Vargas (1945 .

1ª fase do regime autoritário (1964 . com a união dos IAP’s • Os benefícios incorporados ao INPS se estendem a todos os trabalhadores com . repressivo centralizador e • Urbanização e desenvolvimento econômico – “o milagre brasileiro” • 1967 – implantação do INPS.1974) • 1964 – Golpe Militar – apoio dos EUA • Governo ditatorial.

.

.1ª fase do regime autoritário (1964 . optando pela iniciativa privada • Aumento no consumo de produtos. serviços e medicamentos – “complexo médico-industrial” • Alteração do currículo das escolas médicas (1966) para formar especialistas .o mercado (INPS) exigia isso.1974) • Com o aumento do nº de beneficiários o governo aloca os recursos para a ampliação do sistema de saúde.

Corruptor.1ª fase do regime autoritário (1964 . Clientelismo político. . Empresas de serviços médicos (pré pagamento). Excludente. Pagamento por Unidade de Serviço. Privatizante. Centralizado.1974) Características do INPS: Hospitalocêntrico.

1974) • 1972 – Expansão da cobertura para os trabalhadores rurais. empregados domésticos.1ª fase do regime autoritário (1964 . autônomos e acidentes de trabalho • INPS – grande arrecadação x Corrupção – déficit orçamentário .

• 1974 – Criação do Fundo de Ação Social (distorção.A crise do modelo de saúde e as propostas iniciais de reforma (1974 .financiamento do setor privado) • 1975 – V Conferência Nacional de Saúde – Cria o Sistema Nacional de Saúde • 1976 – Criação da CEBES e ABRASCO – início do movimento sanitário .1979) • 1974 – criação do Ministério da Previdência e Assistência Social (MPAS) – centralização e reforço do modelo clínico assistencial curativista.

1979) Sistema Nacional de Saúde • Sistema dicotômico • Previdência social – assistência individual e curativa • Ministério da Saúde e Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde – cuidados preventivos e coletivos • 1976 .Programa de Interiorização das Ações de Saúde e Saneamento (PIASS) .A crise do modelo de saúde e as propostas iniciais de reforma (1974 .

A crise do modelo de saúde e as propostas iniciais de reforma (1974 .assistência médica.órgão arrecadador da previdência 3. IAPAS .Pensões e benefícios 2.1979) Em 1978: • Criado o SINPAS (Sistema Nacional da Previdência e Assistência Social) 1. INAMPS . INPS . .

sem carteira assinada e • • .A crise do modelo de saúde e as propostas iniciais de reforma (1974 . população cada vez maior de marginalizados. aumentos constantes dos custos da medicina curativa.1979) Crise do modelo de saúde: • o modelo proposto foi incapaz de solucionar os principais problemas de saúde coletiva. centrada na atenção médica-hospitalar de complexidade crescente.

.A crise do modelo de saúde e as propostas iniciais de reforma (1974 . Desvio de verbas para outros setores. Não contribuição da União.1979) Crise do modelo de saúde: • • • • Crise política e econômica (fim do “milagre brasileiro”). Diminuição da arrecadação da previdência.

1985) • Reforma anistia partidária e movimento pela • Formação do partido dos trabalhadores • Fortalecimento do “movimento sanitário” – conceito de determinação social da doença • Programa Nacional de Serviços Básicos de Saúde . .O fim do ciclo militar (Governo Figueiredo) (1979 .PREV-SAÚDE • Objetivo: ampliação dos serviços de saúde.

1985) Pressupostos do PREV-SAUDE: • Hierarquização do atendimento – níveis de atenção • Atenção primária como entrada no sistema de saúde • Participação comunitária • Integração dos serviços público e privado • Regionalização .O fim do ciclo militar (Governo Figueiredo) (1979 .

O fim do ciclo militar (Governo Figueiredo) (1979 .1985) • O plano foi considerado “progressista” e foi rejeitado • Foi constituído o Conselho Nacional de Administração de Saúde Previdenciária (CONASP) com o objetivo de reorientar as proposições do Prev-Saúde • Programa de Ações Integradas de Saúde .

• Regionalização e hierarquização para públicos e privados .Princípios da AIS: • Saúde .responsabilidade e controle do sistema pelo poder público. individual x coletivo. ações e atividades a partir do quadro de problemas sanitários local. • Integralidade .preventivo x curativo. • Integração institucional • Definição de programas. ambulatorial x hospitalar.

.• Descentralização do planejamento e da administração • Atendimento da população baseado em parâmetros com a melhor relação custo/benefício. • Co-participação no financiamento • Desenvolvimento de recursos humanos .capacitação e formação e valorização (remuneração adequada).

treinamento e valorização de recursos humanos .INAMPS • Integrações entre instituições só no papel • Conflitos de interesses e objetivos institucionais • Hierarquização mal definida • Carreiras.Principais problemas das AIS • Falta de definição de fontes correlatas de custeio • Uma única fonte de custeio .

• cooperativas médicas. • auto-gestão.Como o setor liberal reagiu? • ATENÇÃO MÉDICO SUPLETIVA Composta de 5 modalidades assistenciais: • medicina de grupo. . • seguro-saúde e • plano de administração.

.

O governo Sarney e transição democrática(1985 .1990) • Eleição pela Câmara de Tancredo e José Sarney • “Nova República” – crise inflacionária e vários planos econômicos • Política privatizante • 1986 – Movimento da Reforma Sanitária – VIII Conferência Nacional de Saúde .

.

1990) VIII Conferência Nacional de Saúde • Inovadora – discutiu o Direito à Saúde • Participação da sociedade civil. usuários e membros de partidos políticos e sindicatos • Avanço técnico e político – pacto pela criação do SUS • Saúde como direito do cidadão .O governo Sarney e transição democrática(1985 . intelectuais. profissionais da saúde.

Sistema Uni ficado e Descentralizado de Saúde – transferência dos serviços de saúde para os estados e municípios e – estabelecimento de um gestor único da saúde em cada esfera de governo .O governo Sarney e transição democrática(1985 .1990) • 1987 .criação do SUDS .

garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e aos serviços para sua promoção.1990) • 1988 – Nova constituição: Criação do SUS • Artigo 196 da seção II da Constituição de 1988: “ A saúde é um direito de todos e dever do Estado.O governo Sarney e transição democrática(1985 .” • Lei orgânica da saúde (Lei 8080/90 e . proteção e recuperação.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful