UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE ODONTOLOGIA DISCIPLINA: ESC II

Qualidade de vida e saúde bucal

{ IDOSOS IDOSOS
Acadêmicos: Bruna Felix, Jairo Matozinho, Jéssica Bianca, Kênia Patielle e Luziany Sene.
Montes Claros 2011

INTRODUÇÃO O Brasil passa por um processo de envelhecimento populacional rápido e intenso. tanto que a expectativa de vida do brasileiro continuará aumentando nas próximas décadas. segundo Kay e Locker (1999). desconforto ou embaraço e que contribui para o bemestar geral. (Rosa et al.” (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais. “um padrão de saúde das estruturas bucais que permite ao indivíduo falar e socializar sem doença ativa.. 2006) . 2008) A saúde bucal é.

• Indivíduo com todos Essa perda da dentição os dentes permanente influenciará 100% •Perda de um dente 70% 25% •Uso de próteses na mastigação e. bem como na gustação.INTRODUÇÃO Dos problemas bucais existentes no paciente da terceira idade. 1992) . na digestão. (Moriguchi Y. a perda de dentes é um dos mais frequentes. na pronúncia e na estética. consequentemente.

 Aplicação do questionário OHIP-14 (Oral Health Impact Profile) Centro de Referência em Assistência à Saúde do Idoso “Enny Faria de Oliveira” Análise e comparação dos resultados   .OBJETIVO/METODOLOGIA O presente trabalho corresponde à uma pesquisa com o intuito de avaliar a qualidade de vida relacionada a saúde bucal de idosos.

RESULTADOS/DISCUSSÃO Divisão quanto ao gênero 40% Homem Mulher 60% Divisão quanto a escolaridade 27% 20% Analfabeto Fundamental Incompleto Ensino Médio Completo 53% .

RESULTADOS Divisão quanto a cor 13% 3% 3% Branco 37% Pardo Amarelo Negro Indígena 44% Divisão quanto a procedência 10% 23% Montes Claros Cidades da Região Cidades de Outro Estado 67% .

RESULTADOS Como classificaria sua saúde bucal? 0% 10% 30% 7% Não Sabe Péssima Ruim Regular Boa Ótima 53% Você considera que necessita de tratamento odontológico atualmente? 27% Sim Não 73% .

higiene diminuída . deficiências vitamínicos. em muitos casos.RESULTADOS Uso de prótese 3% 14% Não Total Parcial Total e Parcial 60%  23% 68% prótese total superior e inferior  Condições debilitantes. traumas e.

RESULTADOS Problema para falar alguma palavra? 4% 10% 3% 3% Nunca Raramente Às vezes 80% Repetidamente Sempre 3% 0% Sabor dos alimentos piorados? Nunca Raramente Às vezes 70% Repetidamente Sempre 20% 7% .

RESULTADOS 7% 0% 17% 40% 36% Dor na boca e/ou nos dentes? Nunca Raramente Às vezes Repetidamente Sempre Preocupação quanto aos problemas bucais? Nunca 20% 13% 50% Raramente Às vezes Repetidamente 14% Sempre 3% .

RESULTADOS Incômodo ao comer algum alimento? 10% 7% 33% Nunca Raramente Às vezes Repetidamente 50% 0% Sempre Interrupção da alimentação devido à problemas bucais? 7% 7% Nunca Raramente 23% Às vezes Repetidamente Sempre 7% 56% .

RESULTADOS Alimentação prejudicada por problemas bucais? 17% 7% 27% 6% 43% Nunca Raramente Às vezes Repetidamente Sempre Estresse associado aos problemas bucais? 6% 7% Nunca Raramente Às vezes 67% Repetidamente Sempre 17% 3% .

RESULTADOS Dificuldade em relaxar associada a problemas bucais? 3% 3% Nunca 27% 67% 0% Raramente Às vezes Repetidamente Sempre Vergonha associada a problemas bucais? 13% 3% Nunca Raramente Às vezes 30% 0% 54% Repetidamente Sempre .

RESULTADOS 3% Irritação com outras pessoas devido à problemas bucais? 0% Nunca 0% 17% Raramente Às vezes 80% Repetidamente Sempre 10% Dificuldade de realização de atividades diárias devido 3% à problemas bucais? 4% 0% Nunca Raramente Às vezes 83% Repetidamente Sempre .

RESULTADOS Sentimento que a vida em geral ficou pior? 7% 0% 10% 6% Nunca Raramente Às vezes 77% Repetidamente Sempre 7% Impossibilidade de realização de atividades diárias 3% 3% devido à problemas bucais? 10% Nunca Raramente Às vezes Repetidamente Sempre 77% .

psíquico e social do paciente.CONCLUSÃO Uma boa saúde bucal é de extrema importância para a manutenção da saúde geral. contribuindo para o bemestar físico. . Um treinamento especial de cirurgiões-dentistas e pessoal de apoio e o desenvolvimento de programas especiais de cuidados devem ser realizados. visto que idosos que comparecem a consultas periódicas são mais receptivos ao tratamento preventivo.

CONCLUSÃO A ausência de dor e desconforto na boca. . a capacidade de alimentar e falar confortavelmente e uma boa aparência restabelecida pela reabilitação dentária contribuem para a interação social e a preservação da auto-estima.

Saúde em casa. maio/agosto 2008. RFO. Belo Horizonte. 1. Aspectos geriátricos no atendimento odontológico. 2006. ROSA et al. . ed. n. 2. 19(4):11-3.REFERÊNCIAS MORIGUCHI Y. SECRETÁRIA DE ESTADO DE SAÚDE DE MINAS GERAIS. Odontogeriatria – a saúde bucal na terceira idade. v. Odontol Mod 1992. 13.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful