Você está na página 1de 34

Sistema imunitário

QUAL É A IMPORTÂNCIA DA EXISTÊNCIA DE UM SISTEMA IMUNITÁRIO?

Sistema Imunitário

Protege de doenças causadas pelos organismos patogénicos É capaz de identificar os organismos patogénicos, distinguindo das próprias células Estes organismos atacam as células e afectam a integridade dos tecidos, provocando falhas no funcionamento do organismo

Resposta imunitária
Não Específica Específica

Protecção geral contra muitos organismos patogénicos

Protecção contra um determinado organismo

1

Sistema imunitário
Mecanismos de defesa
Mecanismos de defesa não específicos Mecanismos de defesa específicos

. presentes desde o nascimento . previnem a aproximação de microrganismos . impedem a entrada de microrganismos . destroem microrganismos que tenham entrado por qualquer motivo . envolvem mecanismos sempre iguais, independentemente do tipo de substâncias a eliminar – a resposta é igual para todos os patogénicos
- são directos e imediatos

. Apenas levados a cabo pelo sistema imunitário, destroem os agentes patogénicos . são mobilizados lentamente, podendo levar vários dias . são complexos, envolvem agentes químicos e celulares . ocorrem sempre que a fagocitose é insuficiente . são mais eficazes pois são dirigidos a um determinado elemento estranho . são específicos de um agressor (antigénio) 2

Sistema imunitário
Mecanismos de defesa não específicos – imunidade inata Envolvem :  barreiras anatómicas ou físicas secreções e enzimas mediadores químicos  histaminas  sistemas complemento  interferão – estimula as células a produzirem proteínas antivirais mediadores celulares  glóbulos brancos que realizam fagocitose:  neutrófilos  monócitos  eosinófilos  macrófagos
3

Sistema imunitário Mecanismos de defesa não específicos De que forma pode o organismo humano defender-se das agressividades externas? BARREIRAS ANATÓMICAS • primeiras linhas de defesa do organismo contra a entrada de corpos estranhos • constituídas pelas superfícies em contacto com o meio exterior 4 .

pêlos das narinas.Barreiras anatómicas – o organismo é protegido do ambiente exterior por barreiras naturais (pele.Sistema imunitário Mecanismos de defesa não específicos Primeira linha de defesa – Externa (antes da entrada) . mucosas que revestem as cavidades do corpo que se encontram em contacto com o meio). 5 .

6 .impede a entrada de bactérias e de vírus. A camada mais externa é formada por células mortas que constituem uma camada córnea protectora.Sistema imunitário Pele Mecanismos de defesa não específicos Pele .

Cílios da mucosa do nariz Cílios da mucosa da traqueia 7 .Sistema imunitário Pêlos nas narinas Mecanismos de defesa não específicos Representam uma primeira barreira à entrada dos microrganismos existentes no ar expirado.

vias urogenitais Mecanismos de defesa não específicos Lançam substâncias – mucina .tubo digestivo .Sistema imunitário Mucosas Encontram-se: .vias respiratórias .tóxicas para alguns microrganismos 8 .

Sistema imunitário Secreções e enzimas Secreções Secreções produzidas pelas glândulas sebáceas. secreções vaginais. Mecanismos de defesa não específicos 9 . lacrimais e salivares. acidez da urina são tóxicos para muitas microrganismos ou facilitam a sua remoção diminuindo o risco de infecção. sudoríparas.

Mecanismos de defesa não específicos Digere a parede de algumas bactérias. no muco nasal e nas lágrimas. 10 .Sistema imunitário Secreções enzimas Enzimas Lisozima Enzima que se encontra na saliva.

salivares. 11 . sudoríparas. lacrimais. acidez da urina são tóxicos para muitas microrganismos ou facilitam a sua remoção diminuindo o risco de infecção.Sistema imunitário Secreções enzimas Mecanismos de defesa não específicos Secreções produzidas pelas glândulas sebáceas. Ácido clorídrico e as enzimas do suco gástrico são responsáveis pela destruição dos microrganismos que são ingeridos com os alimentos. secreções vaginais.

contém lisozima. que destrói bactérias 12 .Sistema imunitário Agentes de defesa Pele Mecanismos de defesa não específicos BARREIRAS ANATÓMICAS NO HOMEM Função Previne a entrada de patogénios e substâncias estranhas Secreções ácidas Membranas mucosas Secreções mucosas Pêlos nasais Cílios Suco gástrico Ácido na vagina Lágrimas. saliva Inibem o crescimento bacteriano na pele Previne a entrada de patogénios Capturam bactérias e outros patogénios nos tractos digestivo e respiratório Filtram as bactérias nas passagens nasais Movem o muco e retêm materiais longe do tracto respiratório Concentrado de HCL e proteases que destroem patogénios no estômago Limita o crescimento de fungos e bactérias no tracto reprodutivo feminino Lubrifica e limpa.

Sistema imunitário Fagocitose Mecanismos de defesa não específicos Segunda linha de defesa – Interna (depois da entrada) 13 .

que realizam a fagocitose. Da digestão intracelular resultam substâncias que podem ser expulsas ou aproveitadas pela célula. Os antigénios permitem aos leucócitos identificar os agentes patogénicos. o organismo reage aumentando a produção de leucócitos.Sistema imunitário Fagocitose Os leucócitos emitem pseudópodes que englobam os invasores. 14 . Quando ocorre uma invasão por agentes patogénicos. Mecanismos de defesa não específicos As enzimas hidrolíticas destroem o organismo patogénico.

Sistema imunitário Fagocitose Página 205 1 – Como é que os leucócitos distinguem ao agentes patogénicos? Através do reconhecimento das proteínas que existem na membrana das células invasoras. 15 .

16 .Sistema imunitário Fagocitose 2 – Porque é importante os leucócitos possuírem a capacidade de mudar de forma? Para que os leucócitos se desloquem e possam ingerir os microrganismos e degradá-los no seu interior.

Sistema imunitário Fagocitose 3 – “Os leucócitos possuem a capacidade de destruir muitos dos agentes patogénicos”.Descreva o processo que ocorre ao nível dos leucócitos depois de fagocitarem o agente patogénico. 17 .

Sistema imunitário 1º .Ingestão dos agentes patogénicos Fagocitose 2 º .Restos celulares são expulsos por exocitose 18 .Alguns são utilizados pela própria célula 4º .Degradados por enzimas hidrolíticas. presentes nas vesículas 3º .

” O número de leucócitos aumenta nos estádios iniciais da infecção. sendo possível detectá-la mesmo antes dos primeiros sinais visíveis. 19 .Sistema imunitário Fagocitose 4 – “Uma das formas de detectar infecções internas ou estádios de infecção é realizar um leucograma (quantificação dos leucócitos numa amostra sanguínea).

Sistema imunitário Fagocitose 5 – Explique a importância de realizar periodicamente análises sanguíneas. 20 . mesmo sem sintomas. As análises sanguíneas são um método de diagnóstico que. nos pode dar informações sobre o estado de saúde do nosso organismo.

Sistema imunitário Neutrófilos Fagocitose Fagócitos (células com capacidade fagocitária) Reconhecem e destroem os agentes patogénicos São muito abundantes Tempo de vida reduzido  Monócitos Diferenciam-se em macrófagos Tempo de vida longo Podem migrar pelo o organismo ou permanecer no baço Eosinófilos Função destruir parasitas 21 .

Sistema imunitário Resposta inflamatória No tecido ferido os mastócitos (células que existem nas proximidades dos capilares)e basófilos produzem histamina que se difundem para os capilares A histamina provoca a dilatação dos capilares. que retorna ao normal 22 . neutrófilos e monócitos deslizam entre as células da parede dos capilares e os monócitos transformam-se em macrófagos Os macrófagos fagocitam as bactérias e células mortas. plasma. dá-se a cicatrização do tecido.

23 .Sistema imunitário Resposta inflamatória Resulta da entrada de agentes infecciosos nos tecidos e tem como objectivo destruir esses agentes.

atraindo ao local os “actores” da resposta .Quimiotaxia 24 .Sistema imunitário Resposta inflamatória Mecanismos de defesa não específicos Substancias químicas activam o sistema imunitário.

Sistema imunitário Resposta inflamatória Mecanismos de defesa não específicos 25 .

substâncias pirogénicas ou pirógenas – produzidas por alguns leucócitos (Exp.Sistema imunitário Resposta sistémica Mecanismos de defesa não específicos Aparecimento de reacções sistémicas quando as reacções são graves além da resposta inflamatória local. Citocinas) 26 . podem ocorrer outras reacções que podem envolver todo o organismo Febre: é uma das respostas sistémicas mais comum. é desencadeada a partir do hipotálamo devido a substâncias químicas que lá chegam – substâncias pirógenas (toxinas produzidas por agentes patogénicos.

Sistema imunitário Resposta sistémica Febre Mecanismos de defesa não específicos Consequências da febre moderada: Estimula a fagocitose Facilita a reparação dos tecidos lesionados. Inibe do crescimento dos agentes patogénicos e facilita a reparação 27 .

Sistema imunitário Mecanismos de defesa não específicos 28 .

Sistema imunitário Interferão Mecanismos de defesa não específicos 29 .

Sistema imunitário Interferão  Modo Mecanismos de defesa não específicos de actuação do interferão o vírus entra na célula e esta produz proteínas – interferões como resposta à entrada de vírus os interferões abandonam a célula e entram na circulação sanguínea os interferões ligam-se a receptores de outras células 30 .

Sistema imunitário Mecanismos de defesa não específicos estas últimas células são induzidas a produzirem proteínas antivirais que bloquearam a replicação de qualquer vírus que entre Proteínas antivirais actuam destruindo o mRNA viral (inibição da síntese proteica) 31 .

intestino • encontram-se inactivas na circulação sanguínea 32 . baço. das quais 20 fazem parte do sistema complemento  Proteínas do sistema complemento • são produzidas no fígado.Sistema imunitário Mecanismos de defesa não específicos Proteínas de complemento Na circulação sanguínea existem diversas proteínas em circulação.

Sistema imunitário Mecanismos de defesa não específicos Proteínas de complemento 33 .

permitindo a entrada de água ou a saída do conteúdo celular Actuam numa sequência – efeito de cascata – (a primeira é activada ocorrendo de seguida uma reacção em cadeia.Sistema imunitário Modo de actuação do sistema complemento •Actuam na sequência de uma resposta imunitária fornecendo 3 tipos de defesa 1 – apresentam capacidade de aderir às membranas dos microrganismos. levando à formação de poros. auxiliando os fagócitos a destruí-los 2. funcionando como sinalizadores químicos 3.as proteínas complemento associam-se às membranas das bactérias.promovem a lise celular .activam a resposta inflamatória e atraem os fagócitos para o local da infecção. na qual cada proteína activa a segunda) 34 .